Você está na página 1de 16

CAA

Breve Historial da CAA

A Cruz Azul de Angola é uma instituição Cristã, filantrópica e


de solidariedade social fundada aos 21 de Setembro de 1992 e
reconhecida em 1995 cujo reconhecimento está publicado no
Diário da República Nº 51 IIIª série, o seu objecto social
consubstancia-se na luta contra o alcoolismo, drogas e outras
endemias.
Âmbito da organização
Nacional

 Âmbito geográfico
A CAA tem a sua sede na Província de Benguela, na Rua
Cidade do Lobito e trabalha em dois Municípios sendo:
Benguela (sede) e Caimbambo
 Áreas de intervenção
 Saúde Pública: Combate ao alcoolismo e outras drogas.
 Recuperação de tóxicos dependentes
 Luta contra ITS incluindo o VIH.
 Sensibilização sobre malária, tuberculose e outras
endemias.
 Meio Ambiente: Saneamento básico;
 Educação: Alfabetização;
Estratégias de Intervenção

 A CAA na implementação das suas actividades nas


comunidades actua:
 Escolas
 Igrejas
 Barbearias
 Presidios
 Praças e parques
 Ruas
 Centro de recuperação de tóxicos dependentes de
álcool e outras drogas.
TIPOS DE ACTIVIDADES

 Palestras
 Debates
 Cultos
 Memorial de velas
 CIP (comunicação inter-pessoal)
 Distribuição de material de IEC
 STOP SIDA
 Campanhas( sensibilização e de recolha de donativos para
pessoas doentes de SIDA)
 Sensibilização e Mobilização para a testagem voluntária
 Formações
Lições apreendidas
 Boa colaboração com os líderes locais para o sucesso
das actividades;
 interação entre os activistas e o grupo alvo;
 Nas cadeias apesar de haver separação entre homens
e mulheres o risco de contaminação por VIH é maior
sobre tudo nos homens por causa da questão da
homossexualidade.
 É importante estabelecer contactos prévios nas áreas de
intervenção para promover o conhecimento mútuo entre
a organização e as autoridades a todos os níveis e criar
confiança necessária para uma colaboração e parceria
ao longo da implementação do projecto.
Dificuldades e Perspectivas
 Inexistência de políticas públicas para trabalhar nas
penitenciárias;
 Burocracia em trabalhar com os presidiários e
funcionários;
 Ausencia de fundos
Perspectivas:
 Continuar a trabalhar com presidiários e funcionários;
 Trabalhar com todos os grupos de riscos;
Parceiros
 Administrações Municipais
 DPS- Direcção Provincial da Saúde
 DPE- Direcção Provincial da Educação.
 Juventude e Desportos
 IPROCAC
 Repartições Municipais da Educação e Saúde
 MINARS- Ministério da Reinserção Social
 Embaixadores da boa vontade na luta contra SIDA
 PPLS – Programa Provincial de Luta contra a SIDA
 Rede Provincial de Luta Contra Sida
Palestra de sensibilização do VIH e SIDA no
Presídio Militar
Formação de activistas em metodologia de Stepping Stones(
caminhando juntos de mãos dadas para vencer os impactos
negativos do VIH e SIDA)
Palestra de sensibilização aos jovens
para a testagem voluntária
Culto de solidariedade à pessoas
afectadas e infectadas pelo VIH e SIDA
Memorial de velas
Sensibilização e distribuição de material
de IEC aos barbeiros e clientes
Actividade de STOP SIDA aos
automobilistas e transeutes
Muito Obrigado

Você também pode gostar