Você está na página 1de 49

Profa. Esp.

Lissanya Basilio dos


Santos

O PROJETO DE PESQUISA
Vale lembrar que, hoje, a sociedade e
o mercado de trabalho exigem de um
profissional não apenas um técnico,
mas, sobretudo, um pensador, capaz
de (re)significar o conhecimento e os
discursos ideológicos, e a pesquisa é o
principal instrumento nesse processo.
O que é pesquisa?

A pesquisa é uma atividade investigativa,


metódica e disciplinada, que visa à produção e
(re)significação do conhecimento.

Pesquisa ≠ Estudo
Conceito de Pesquisa

• “É um conjunto de atividades orientadas para a


busca de um determinado conhecimento.”
(RUDIO, 1999).

• “O objetivo da pesquisa científica é explicar,


prever e / ou controlar um determinado fato ou
fenômeno.
Conceito de Pesquisa
 Pesquisa é o mesmo que busca ou
procura.
 Pesquisar, portanto, é buscar ou procurar
resposta para alguma coisa.
 Em se tratando de Ciência a pesquisa é a
busca de solução a um problema que
alguém queira saber a resposta.
Fazer pesquisa é...
• Investigar assunto de interesse e
relevância.
• Observar os acontecimentos.
• Conhecer com profundidade.
• Utilizar métodos científicos.
• Responder às questões que surgem no
decorrer do estudo.
• Descobrir respostas.
• Ter curiosidade constante... Busca!
Características do pesquisador

 O espírito científico é, antes de tudo, uma


atitude ou disposição subjetiva do
pesquisador que busca soluções sérias,
com métodos adequados, para o problema
que enfrenta.
 Cultiva a honestidade, sensibilidade social,
curiosidade, integridade intelectual,
perseverança.
 Evita o plágio.
Tipos de Pesquisa
Pesquisa Experimental: É toda
pesquisa que envolve algum tipo de
experimento.

Exemplo: Pinga-se uma gota


de ácido numa placa de metal para
observar o resultado.
Tipos de Pesquisa

 Pesquisa Exploratória: É toda


pesquisa que busca constatar algo
num organismo ou num fenômeno.

Exemplo: Saber como a árvore


cresce.
Tipos de Pesquisa

Pesquisa Social: É toda pesquisa


que busca respostas de um grupo
social.

Exemplo: Saber quais os


hábitos alimentares de uma
comunidade específica.
Tipos de Pesquisa

Pesquisa Histórica: É toda


pesquisa que estuda o passado.

Exemplo: Saber de que forma


se deu a Proclamação da República
brasileira.
Tipos de Pesquisa

Pesquisa Teórica: É toda pesquisa


que analisa uma determinada
teoria.

Exemplo: Saber o que é a


Neutralidade Científica.
Escolha do Tema
• Interesse do pesquisador
• Manejo de fontes de consulta bibliográfica
• Os temas podem surgir:
• Da observação do aluno
• Da vida profissional
• De programas de pesquisa
• De contato e relacionamento com
especialistas
• Do feedback de pesquisas já
realizadas
• Do estudo de literatura especializada
O que faz o investigador?...
• Revisa e analisa literatura específica
sobre um tópico, assunto ou área de
conhecimento... (problema!)
• Formula hipóteses.
• Desenvolve um plano de pesquisa
(design/projeto).
• Seleciona e define amostras.
• Avalia e seleciona instrumentos de
medida.
O que faz o investigador?...

• Seleciona um desenho experimental


e esquematiza procedimentos
experimentais.
• Analisa estatisticamente os dados.
• Prepara o relatório de pesquisa.
• Aplica as habilidades e
conhecimentos adquiridos no
processo científico.
O que é pesquisa?

A pesquisa é uma atividade investigativa,


metódica e disciplinada, que visa à produção e
(re)significação do conhecimento.

Pesquisa ≠ Estudo
VISÃO GERAL DA PESQUISA

1 2 3
Planejamento Execução Registro
↓ ↓ ↓
→ Relatório
Projeto de Pesquisa → Artigo
Pesquisa → Monografia
→ Dissertação
→ Tese
PESQUISA

 Assim, a pesquisa pode ser registrada em


formato de monografia, artigo, relatório,
dissertação ou tese que, por sua vez, é um
texto dissertativo/investigativo (com
introdução, desenvolvimento e conclusão).
O PROJETO É O
PLANEJAMENTO DA PESQUISA
Como toda atividade sistemática e
metódica, a pesquisa científica precisa ser
planejada. Não podemos nos aventurar em
uma pesquisa sem saber exatamente o
que queremos com ela, ou sem saber que
rumo tomar, sem direção ou orientação.
Dessa forma, o projeto de pesquisa é uma
espécie de “bússola” ou “mapa”.
ETAPAS DO PROJETO DE
PESQUISA
1 Tema
2 Problema
3 Hipótese
4 Objetivos
4.1 Geral
4.2 Específicos
ETAPAS DO PROJETO DE
PESQUISA

5 Justificativa
6 Metodologia
7 Referencial Teórico
8 Cronograma
9 Referências
PREPARANDO O TEMA

O que pesquisar?

Delimitar o tema.

Qual a lacuna ou divergência


existente?
PREPARANDO O TEMA

O tema de uma pesquisa, por ser esta


uma atividade a partir da qual
produzimos conhecimento, deve ser
problematizado.
A problematização é um processo a
partir do qual identificamos, em uma
determinada temática, um
questionamento ainda em aberto.
PREPARANDO O TEMA

Com a problematização, além de


delimitarmos o tema, deixamos um
espaço para discussão, o que garante
a possibilidade de produção do
conhecimento, e não somente uma
mera reprodução.
FORMULAÇÃO DO PROBLEMA

O problema é um questionamento,
uma indagação. Deve ser elaborado em
forma de pergunta. O problema é, talvez,
a etapa mais importante do projeto. Isso
porque, pesquisar significa exatamente
buscar a(s) resposta(s) para a pergunta
que foi suscitada. A resposta deve ser
fundamentada, ou seja, alicerçada nos
conhecimentos adquiridos por meio do
processo investigativo.
FORMULAÇÃO DO PROBLEMA

 Deve ser formulado como pergunta;

 Deve ser claro e preciso;

 Deve ser objetivo (cientificidade);

 Deve ser suscetível de solução.


HIPÓTESES
As hipóteses são as possíveis
respostas para a pergunta que foi
suscitada.
Problema: considerando o princípio da
igualdade, a reserva de cotas para alunos
da rede pública nas universidades
federais é constitucional?
 Hipótese: é possível que, fazendo uma
análise sob a égide do princípio da
igualdade, chegue-se à de que a
reserva de cotas é constitucional.
HIPÓTESES

Ao formular as hipóteses, estamos


simplesmente respondendo ao
problema, que é uma pergunta. No final
do processo, no término da monografia,
as hipóteses serão ou não confirmadas.
OBJETIVO GERAL

É o que pretendemos fazer na


pesquisa. Possui relação direta com o
problema (exatamente porque, como
vimos, o que fazemos na pesquisa é
responder ao problema levantado).
Quando estabelecemos os objetivos,
estamos estipulando exatamente o que
iremos fazer na pesquisa, por isso
utilizamos verbos no infinitivo.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Possui relação direta com o objetivo


geral. São etapas que deverão ser
cumpridas para se alcançar o objetivo
geral. Também devem ser iniciados com
verbo no infinitivo. Devemos apresentar,
no mínimo, cinco objetivos específicos.
JUSTIFICATIVA
Nessa etapa, justificamos a pesquisa. Ou
seja, defendemo-la, mostrando como ela é
importante e, por isso, deve ser realizada.
Para provar que a proposta de pesquisa deve
ser concretizada, é necessário apontar as
vantagens que ela trará para a sociedade e
para a área de conhecimento em que o
pesquisador atua, ou seja, o Direito. É como
se tentássemos convencer alguém de que
vale a pena dedicar nosso tempo na
realização da pesquisa, pois ela é relevante.
METODOLOGIA QUANTO À FORMA DE
COLETA DE INFORMAÇÕES
a) Pesquisa bibliográfica;
b) Pesquisa documental;
c) Pesquisa de campo ou in loco;
d) Pesquisa experimental.

Nessa fase, vamos definir quais


tipos de fontes de informações serão
utilizadas e, por conseguinte, que tipo
de pesquisa será realizada.
METODOLOGIA QUANTO À
FORMA DE INTERPRETAÇÃO

 Método dedutivo
 Método indutivo
 Método dialético (mais utilizado na
pesquisa jurídica)
 Método comparativo
CRONOGRAMA
No cronograma, estabelecemos as
etapas da pesquisa e o período em que será
cumprida cada etapa. Essas etapas são:
coleta de dados ou de informações via
indireta (leitura e fichamento); coleta de
dados e informações via direta (visitas,
entrevistas, questionários); análise e
interpretação das informações e dos dados
obtidos; redação da monografia (ou da
dissertação e da tese); revisão metodológica
e gramatical; entrega da monografia.
REGRAS DE FORMATAÇÃO

 Espacejamento: 1,5 para os elementos


textuais; simples para os elementos pré e
pós-textuais
 Margem: Superior: 3cm; Esquerda: 3cm;
Direita: 2cm; Inferior: 2cm
 Fonte: Times New Roman ou Arial (deve-se
padronizar).
 Tamanho da fonte: 12 para o corpo do texto
e 11 (ou 10) para o recuo nas citações
diretas com mais de três linhas.
REGRAS DE FORMATAÇÃO

Recuo do parágrafo: 1, 25 cm
Distância entre o texto e o subcapítulo,
e entre este e o texto seguinte: 2
espaços 1,5.
Em relação aos elementos pré-textuais
facultativos (dedicatória,
agradecimento e epígrafe), a ABNT
deixa a cargo do autor a formatação.
REGRAS DE FORMATAÇÃO

Paginação: fica na margem superior


direita.
“Capa” e “folha de rosto” contam como
uma única página, os outros
elementos pré-textuais contam-se
normalmente, só que não são
enumerados, o número fica omitido.
Somente a partir da “Introdução”, que
colocamos o número.
CITAÇÃO: REGRAS DE
FORMATAÇÃO

Citação até 3 linhas:

Entre aspas
No corpo do texto
CITAÇÃO: REGRAS DE
FORMATAÇÃO

Citação com mais de 3 linhas:

Recuo de 4 cm
Fonte 11
Espaço simples
Sem aspas
Sem recuo de parágrafo
REFERÊNCIAS

LIVRO COM 1 AUTOR:

FAULCSTICH, Enilde L. de J. Como


ler, entender e redigir um texto. 6. ed.
Petrópolis: Vozes, 1996.
REFERÊNCIAS

 LIVRO COM ATÉ 3 AUTORES:

BARUFFI, Helder; CIMADON, Aristides. A


metodologia científica e a ciência do Direito.
2. ed. Dourados: Evangraf, 1997.
REFERÊNCIAS

 LIVROS COM MAIS DE 3 AUTORES:

LUCKESI, E. (Org.) et alii. Fazer


universidade: uma proposta metodológica.
São Paulo: Cortez, 1991.
REFERÊNCIAS

 Livros escritos por vários autores, mas utilizamos


como fonte de pesquisa somente 1 capítulo cuja
autoria é de uma só pessoa:

PINHEIRO, Joana. Palabra, literatura y


cultura en las formaciones discursivas
coloniales. In: PIZARRO, Ana (Org.)
América Latina, Palabra, Literatura e
Cultura. Campinas: UNICAMP, 1993.
CITAÇÃO DIRETA: REGRAS DE
REFERÊNCIA
Quando mencionamos o autor:

Segundo Gnerre (1985, p.4), “uma


variedade lingüística ‘vale’ o que
‘valem’ na sociedade os seus falantes,
isto é, vale como reflexo do poder e da
autoridade que eles têm nas relações
econômicas e sociais”.
CITAÇÃO DIRETA: REGRAS DE
REFERÊNCIA
Quando não mencionamos o autor:

Podemos afirmar que “uma variedade


lingüística ‘vale’ o que ‘valem’ na
sociedade os seus falantes, isto é, vale
como reflexo do poder e da autoridade
que eles têm nas relações econômicas
e sociais” (GNERRE, 1985, p.4).
CITAÇÃO INDIRETA

Permanece no corpo do texto, sem


aspas; coloca-se somente o ano entre
parênteses.
Ex:
De acordo com Gnerre (1985),
linguagem é espaço para interação
social através do qual podemos atuar
sobre o outro.
CITAÇÃO: sistema de rodapé
a) Deve-se colocar a referência completa da obra e o
número da página ao citar direta ou indiretamente pela
primeira vez:

SILVEIRA, Augusto. História da humanidade. 2. ed. São


Paulo: Atividade, 1999, v.3, p.98.

b) Da segunda vez em diante, basta colocar:

SILVEIRA, Augusto. Op. Cit. p. 98.

c) Quando citamos o mesmo autor em seguida, coloca-se


da seguinte forma:

Idem, ibdem, p.99.


FORMATAÇÃO DAS
REFERÊNCIAS
 As referências devem ser organizadas em
ordem alfabética.
 O espaço deve ser 1,5 entre uma referência
e outra, e simples dentro de uma mesma
referência.
 Quando é o mesmo autor em seguida,
substitui-se o seu nome por um travessão
equivalente a seis espaços.
 Todo autor mencionado direta ou
indiretamente no texto deve constar nas
referências, com exceção das citações
“apud”.
BOA SORTE!