Você está na página 1de 15

Economia C

Elsa Silva • Rosa Moinhos

Unidade Letiva 2
A globalização e a
regionalização
económica do mundo
2.4 A regionalização económica mundial – áreas económicas

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

Integração económica

Vantagens
Processo cujo objetivo é a formação de um espaço,
constituído por vários países, onde são abolidas as
Os países que integram esse
barreiras comerciais, passando a constituir um único
espaço conseguem
mercado onde existe liberdade de circulação.

• maior eficiência na afetação


dos recursos;
• obtenção de economias de
Informal
Formal escala;
Dois ou mais países
Estabelecimento de • maior possibilidade de obter o
estreitam as relações
acordos entre dois ou pleno emprego dos fatores de
comerciais entre si, sem
mais países. produção e de garantir o
estabelecerem qualquer
crescimento económico.
acordo entre eles.

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

Formas de integração económica ordenadas por grau de intensidade

Zona de Comércio Livre União Aduaneira Mercado Comum

Eliminação das barreiras Zona de Comércio Livre e União aduaneira cujos


alfandegárias e das estabelecimento de uma membros decidem alargar
restrições quantitativas pauta aduaneira comum a livre circulação aos
nas trocas comerciais de relativamente a terceiros. serviços, aos capitais e às
mercadorias entre os pessoas.
países-membros.

União Económica e Monetária

Mercado Comum e harmonização das


políticas económicas e sociais nacionais e
União Europeia: http://europa.eu/index_pt.htm
implementação de um conjunto de políticas História União Europeia:
Atividade http://europa.eu/about-eu/eu-
pág. 99 económicas e sociais comuns. history/index_pt.htm

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

Perda de poder dos Estados Nacionais


Parte das soberanias nacionais são
entregues a instâncias supra-
nacionais.
Aparecimento de espaços integrados.

Reforço do papel dos mercados financeiros.


A circulação de capitais não
Influência das empresas multinacionais junto dos
respeita as fronteiras nacionais e os
decisores políticos.
capitais especulativos escapam
mesmo ao controlo dos operadores
e dos reguladores.

A organização das empresas


multinacionais em redes globais permite
a sua mobilidade, o que dificulta as
ações do Estado, fragilizando-o quanto à
Atividade
sua capacidade de regulação e de pág. 100
promoção do desenvolvimento.

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

Regulamentação da economia mundial

As principais organizações internacionais que modelam/regulam o ordenamento internacional


surgiram durante e após a Segunda Guerra Mundial.

Fundo Monetário Acordo Geral sobre Tarifas e


Banco Mundial (BM)
Internacional Comércio (GATT)
(FMI)
Promover o crescimento Substituído pela OMC
económico e a cooperação à Promover o cresci-
Objetivo
escala global, apoiando os mento e a estabilidade
regular as relações comerciais a
económica.
países em desenvolvimento.
nível mundial.

Banco Mundial: http://www.worldbank.org/en/country/portugal


Atividade Banco Mundial: http://www.worldbank.org/
pág. 101 Fundo Monetário Internacional: http://www.imf.org/
Organização Mundial do Trabalho: https://www.wto.org/

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

OMC

Negoceia acordos comerciais para Reduzir os direitos alfandegários e outras


liberalizar o comércio de bens, de serviços barreiras não tarifárias para atingir a livre
e da propriedade intelectual. circulação de bens e de serviços.

Medidas que dificultam a livre circulação de mercadorias

Contingentação: limitações quantitativas à importação de bens e de serviços.

Normas técnicas de qualidade para os produtos estrangeiros.


Barreiras não tarifárias
Subsídios à exportação de bens e de serviços.

Dumping: preço de exportação inferior ao praticado no mercado interno.

Regra de origem
Atividade
pág. 101

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

Regionalização económica

Processo de aproximação entre Estados-nações que decidem ultrapassar os obstáculos políticos,


físicos, económicos e sociais que os separam e colaborar a nível comercial, financeiro, monetário e,
mesmo, social e político.

Formas que pode assumir

Espaços de integração Acordos comerciais Fenómenos de regionaliza-


económica com graus de ção espontânea, não insti-
profundidade diferencia- tucionais.
dos.
A União Europeia, o MERCOSUL, a NAFTA
(North American Free Trade Agreement), a
ASEAN (Association of Southeast Asian
Nations) na Ásia ou a COMESA (Mercado
Atividade
pág. 103 Comum dos Estados de África de Leste e
Austral).

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

Os acordos comerciais têm proliferado


porque

As negociações são mais rápidas do que as da OMC.

São mais facilmente aceites em termos políticos pelos Estados, pois permitem que os países
continuem a proteger setores económicos sensíveis da economia nacional.

Os países em desenvolvimento, ao assiná-los, podem estabelecer alianças estratégicas que


melhoram a sua posição nas negociações multilaterais.

Atividade
pág. 103

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

Regulamentação da economia mundial – que futuro?

Atualmente é questionada a eficácia, a equidade e a


legitimidade de organizações como o FMI ou a OMC
porque

A crise financeira de 2008 As economias emergentes (China, Índia e Brasil) questionam a

evidenciou a insuficiência dos representação dos Estados e o exercício do poder de decisão

mecanismos de regulação da nessas organizações, pois o controlo que os países ocidentais

economia a nível internacional. exercem sobre o seu funcionamento já não está de acordo com os
novos equilíbrios de poder económico a nível mundial.

Novas formas de organização, mais informais e que complementam ou mesmo


substituem as organizações formais existentes.

Atividade
pág. 104

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

Associação entre vários Estados que partilham interesses e

Novas organizações que participam em reuniões regulares, mas que não têm uma
«mais informais» estrutura organizativa independente nem sede ou pessoal
permanente.
G7, G20 e BRICS
Vantagens
Maior flexibilidade, manutenção da soberania dos seus
membros e minimização dos custos e da centralização
burocrática.

Objetivos Estes países estão sub-representados nas instituições


Harmonizar as diplomacias e económicas e políticas globais, mas não são vizinhos e são
negociar posições sobre várias muito diferentes a nível político e cultural, o que significa que
questões. a informalidade da organização lhes permite manter os
compromissos estabelecidos anteriormente e as suas
Atividade parcerias com outros países.
pág. 104

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

G7 (Grupo dos 7 criado em 1975)

Integra os governos das economias mais avançadas do mundo (Canadá,


França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido e Estados Unidos).

A Rússia entrou em 2006 e em 2014 foi instigada a sair devido à sua


intervenção na política da Ucrânia.
A União Europeia também está representada nas reuniões do G7.

O G7 é uma organização informal


• não possui secretaria nem tem um regulamento interno aprovado;
• tem uma presidência anual rotativa que sedia e organiza a cimeira anual,
também age como porta-voz do grupo durante o ano e coordena os
trabalhos dos vários grupos de trabalho.

G8: http://www.g8.utoronto.ca
G7: https://www.g7germany.de/Webs/G7/EN/Home_en/home_node.html

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

G20 (Grupo dos 20, criado em 1999)

Formado por 19 das maiores economias do mundo (G7, BRICS, a


Austrália, Coreia do Sul, Arábia Saudita, Argentina, Indonésia, México e
Turquia) e União Europeia, tem um funcionamento semelhante ao do G7. Peso económico G20

Países do G20

OCDE, in http://www.oecd.org/g20
Atividade
pág. 105

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

G20 (Grupo dos 20, criado em 1999)

O G20 emerge como principal ator de decisão Atividade de regulação

e de gestão da economia e do sistema Países emergentes estão sub-representados nas


financeiro global, após a crise financeira de organizações internacionais, que tendem a
2008. favorecer os países mais industrializados.

Propostas de reformas para a reorganização

• do Banco Mundial;

• do FMI: introduzir reformas ao regime de


Na última cimeira dos G20, realizada em quotas e de governação do FMI, a qual daria
Brisbane, na Austrália, em 2014, o seu plano uma maior representatividade aos países
de ação engloba, por exemplo, a elaboração emergentes, mas estas propostas estão
de um plano para relançar a economia bloqueadas pelo Congresso dos Estados
mundial em bases sustentáveis. Unidos.

OCED: www.oecd.org/g20/about.htm

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

Organizações internacionais privadas reguladoras da economia mundial

International Accounting Standards Board ONU como entidade reguladora da


(IASB) que estabelece um conjunto de normas economia mundial

internacionais de contabilidade.
Defesa de uma nova ordem internacional
baseada no desenvolvimento equitativo e na
International Organization for
preservação do ambiente, o que significa que
Standardization (ISO) e a Comissão
se deveria passar de um crescimento
Internacional de Eletrotécnica (IEC), que,
desenfreado subordinado ao lucro para um
em conjunto, produzem cerca de 85% das
desenvolvimento sustentável das sociedades.
normas internacionais para a conceção e para
o desempenho dos produtos industriais.

Atividade
pág. 106

Economia C 12.º ano


A regionalização económica mundial – áreas económicas

Economia C 12.º ano

Você também pode gostar