Você está na página 1de 11

Deus Uno e Trino

Aula 2
Unicidade e Transcendência
Aulas previstas:
1. A Revelação de Deus (8 slides) 6. As Processões Divinas (7 slides)
2. Unicidade e Transcendência (9 slides) 7. As Relações Divinas (8 slides)
3. Deus Vivo (11 slides) 8. As Pessoas Divinas ( 10 slides)
4. A Santíssima Trindade no NT (12 slides) 9. As Missões Divinas (8 slides)
5. Formulação Dogmática (13 slides) 10. A Economia Divina (14 slides)
Unicidade e Transcendência 1/92

 Vaticano I: “Há um só Deus verdadeiro e vivo,


Criador e Senhor do céu e da terra, omnipotente,
eterno, imenso, incompreensível, infinito no seu
entendimento e vontade e com toda a perfeição; o
qual, sendo uma só substância espiritual, singular,
absolutamente simples e incomunicável, deve ser
proclamado como real e essencialmente distinto
do mundo, felicíssimo em si e de si, e
inefavelmente excelso acima de tudo o que fora
d’Ele mesmo existe ou pode ser concebido”.

 Deut 6, 4-5: “Escuta, Israel: o Senhor, nosso


Deus, é o Único Senhor. Amarás o Senhor, teu
Deus, com todo o teu coração, com toda a tua
alma e com todas as tuas forças”.
Unicidade e Transcendência 2/92

 Crer em Deus Único e amá-Lo com todo o coração e com todas as


nossas forças tem importantes consequências na vida:
1. O verdadeiro crente reconhece a grandeza e a majestade de Deus.
2. No crente brota com facilidade a acção de graças: “que tens que não
tenhas recebido?” (1 Cor 4, 7).
3. O crente reconhece a verdadeira dignidade de todos os homens (criados à
imagem e semelhança de Deus) e trata-os com respeito e amor.
4. O crente usa bem as coisas criadas.
5. O crente confia em Deus em todas as circunstâncias.
Nomes Divinos 3/92

 Entre eles destaca o de “Yahvéh” (YHWH), revelado


a Moisés na teofania da sarça ardente, que não se
consumia. Significa “Eu sou o que sou”. Expressa a
existência soberana de Deus: existe por si mesmo,
é o Ser, ao contrário dos seres criados, que temos a
existência recebida de Deus.
 Deus revela outros nomes que assinalam alguns atributos divinos:
“El” (divindade em línguas semitas), “El Elyon” (Deus Altíssimo), “El
Xadday” (Deus Omnipotente), “El Olam” (Deus Eterno), “El Betel”
(Deus de Betel), “Emmanuel” (Deus connosco, Is 7, 14), “Adonai”
(Senhor, Judit 16, 16), “Elohim” (plural para designar a grandeza de
Deus).
Atributos 4/92

 Os teólogos falam das perfeições ou atributos


que expressam algo do que Deus é: todo podero-
so, eterno, infinito, sábio, imenso, imutável, omnis-
ciente, presente em todos os tempos e em todas
as coisas.
Também falam das perfeições morais (atributos
que revelam a sua bondade): santo, justo, veraz,
fiel, e misericordioso. Ama os homens sem limite.
 Os atributos de Deus identificam-se com a sua essência ou natureza.
 Deus é fiel a si mesmo, aos seus desígnios, ao seu próprio ser (amor, bondade,
justiça...), à palavra que revelou. O povo de Israel expressa um profundo respeito
pela santidade de Deus: proíbe fazer imagens de Yahvéh e substitui o nome de
Deus por “Senhor” (“Adonai”).
Transcendência de Deus 5/92

 “Transcendência” significa o que está mais além do


nosso mundo, o que excede tudo o que existe; o
que não pode ser expressado com palavras
humanas.
 Panteísmo: para uns Deus é a única realidade e o
mundo é fenómeno divino; para outros, o mundo é
desenvolvimento de Deus; outros pensam que
Deus é o aspecto interior do mundo, a matéria seria
o seu aspecto externo.
 Contra o panteísmo e as suas manifestações
(superstição, idolatria, adivinhação, magia), a fé
cristã confessa que existe um único Deus distinto
do mundo e superior a ele.
Eternidade de Deus 6/92

 Significa ausência de princípio e de fim, e


ausência de toda e qualquer sucessão e
mutação. A eternidade exclui o tempo e
transcende-o. É “possessão total e
simultânea da vida” (Boecio). Em Deus não
há passado nem futuro, mas um presente
imutável.
 Seria um erro pensar que pela sua
eternidade Deus está à margem da vida dos
homens, como afirmam os deístas. A Sua
eternidade fá-lo estar presente nas
vicissitudes da história.
Imutabilidade de Deus 7/92

 A eternidade, entendida como plenitude de vida, está ligada ao conceito


de imutabilidade, que significa uma vida que não diminui nem cresce.
Posto que Deus não tem princípio nem fim, tão pouco é susceptível de
mudança no seu ser. Plenitude de vida e de felicidade são incompatíveis
com a possibilidade de mudança.

 Imutabilidade de Deus não é insensibili-


dade diante dos sofrimentos e das neces-
-sidades humanas.

 A absoluta vitalidade de Deus manifesta-


-se na redenção que liberta do pecado e
nos introduz na intimidade divina.
Imutabilidade de Deus 8/92

 Deus é o Ser subsistente: a sua essência é ser. Os outros seres, como


o mundo e os homens, não existimos por nós mesmos: recebemos o
ser. O Ser que é por si mesmo é o único que pode dar a existência aos
outros seres, o único que pode criar, quer dizer tirar o ser do “não-ser”,
isto é, do nada.

 Nenhuma imagem criada pode revelar


ao conhecimento humano a essência de
Deus como tal. Deus ultrapassa tudo
o que a mente humana possa pensar.
Deus é o Ser excelso e inefável. Mas
podemos ter um conhecimento certo de
Deus, através da analogia.
Imutabilidade de Deus 9/92

 O Ser divino é por essência absolutamente


espiritual. Deus é Inteligência, Vontade e Liberdade
em grau sumo e infinito. É a plenitude da
Verdade, omnisciente e vê todas as coisas. É a
plenitude de todo o bem. É soberanamente livre,
sem estar condicionado pela limitação ou maldade.
É Amor (cfr. CCE 214-221).
 Deus está presente nas criaturas: por essência (dá
o ser a todas as coisas e conserva-as no ser ), por
presença (tudo está presente aos seus olhos), por
potência (o seu poder estende-se por todas as
partes).
Ficha técnica 10/92

 Bibliografia
 Estes Guiões são baseados nos manuais da Biblioteca de Iniciación
Teológica de Editorial Rialp (editados em português pela editora Diel)

 Slides
 Originais - D. Serge Nicoloff, disponíveis em www.agea.org.es (Guiones
doctrinales actualizados)
 Tradução para português europeu - disponível em inicteol.no.sapo.pt