Você está na página 1de 67

FUNDIÇÃO

Processos de fabricação
Matéria prima metálica

Mecânicos Metalúrgicos
(emprego de tensão) (emprego de temperatura)

aplicada > ruptura aplicada < ruptura Taplicada < Tfusão Taplicada > Tfusão

Metalurgia
Usinagem do pó
Fundição

Lingotamento
Laminação Forjamento
Soldagem
Trefilação Extrusão
Tratamentos térmicos
Vantagens da fundição sobre outros
processos de fabricação:
- Flexibilidade de peso - de gramas até dezenas de toneladas;
- Complexidade de formas;
- Ampla gama de materiais (a maioria dos metais e ligas);
- Ampla gama de propriedades - permite controle de estruturas
e de propriedades físicas e mecânicas;
-Versatilidade de produção - tanto para pequenos quanto elevados volumes
de produção;
- Baixo custo;
- Elevada precisão dimensional e acabamento, com escolha apropriada do
processo;
- Permite near net shape ( forma final) em uma única operação.
PROCESSOS DE FUNDIÇÃO
Transformação dos metais e suas ligas em peças de uso
industrial tendo como ponto de partida o metal líquido ou
fundido → derramamento do metal no interior de uma
cavidade ou forma, chamada molde.
Molde → pode corresponder à forma final da peça
desejada ou pode sofrer posteriores tratamentos de
conformação no estado sólido até chegarmos às
dimensões desejadas.
Cavidade no molde → “negativo” da peça.
PROCESSOS DE FUNDIÇÃO

 Fundição é o processo para obter-se objetos vazando


metal fundido em um molde preparado com o formato da
peça, deixando -se o material solidificar-se por resfriamento.

 A fundição é uma das indústrias mais antigas


aproximadamente 4.000 AC
Vazamento
preenchimento do molde com metal líquido;
Desmoldagem
retirada do fundido do molde, após solidificação do metal;

Pós-operações
rebarbação, corte de canais, limpeza;

Inspeção
para detecção de defeitos;
Recuperação
no caso de defeitos não comprometedores;
Conformação final
usinagem, furação;

Tratamento térmico e outros


obtenção das propriedades finais desejadas.
Fluxograma de produção por fundição

moldagem e
modelação

inspeção visual
macharia vazamento desmoldagem

fusão
rebarbação,
limpeza, corte de
canais

inspeção/testes
refugos

recuperação

expedição
FUNDIÇÃO
HISTÓRICO

--As ferramentas e peças ornamentais fundidas há cerca de


4000 anos pelos egípcios,

--As moedas e obra de arte chinesa de 3000 anos atrás

--As esculturas gregas de grandes dimensões fundidas há


2500 anos.
Tem processos de fundição iniciais que entram dentro do

ramo da metalurgia e não da manufatura

produção de ferro e aço partindo do mineiro de oxido de

ferro

Ou de alumínio partindo do oxido de alumínio


MATÉRIA PRIMA
MINÉRIO DE FERRO
ÓXIDO
DE Facilmente encontrado na
Crosta Terrestre;
FERRO
Base do Processo de
Fabricação do Aço;

3 ton Minério de Ferro p/ cada


ton de Aço produzida;
•FABRICAÇÃO DO FERRO
Preparação

Em Alta Temperatura,
o Carvão associa-se ao
Oxigênio que se solta do
Minério de Ferro.
200oC Assim, o Ferro está livre
para se ligar ao
1.400ºC 480oC
CARBONO.
1200oC
1650oC 2,5 ~ 4,3%
de Carbono
•Ferro Fundido
•Escória Fundida
Coquerias Alto-forno (Calcário+Sílica p/ Cimento)
• IMPORTÂNCIA DA FUNDIÇÃO

• -- Peças fundidas tem propriedades específicas importantes em


engenharia

• --Praticamente todo metal é inicialmente fundido

• --As peças fundidas podem resultar baratas se bem projetadas

• -- O metal líquido possui a capacidade de escoar


em seções finas

• --As peças fundidas são obtidas já na sua forma


final ou próximo dela, economizando tempo e
material

• --As peças fundidas, adequadamente projetadas,


possuem propriedades mecânicas homogêneas.
• A SOLIDIFICAÇÃO EM FUNDIÇÃO

• um processo de extração de calor transferido através do


molde

• Deve possibilitar a nucleação e crescimento da fase sólida.



• A eficiência da extração de calor depende de:

1)- Das propriedades térmicas do metal,

2)- Das características do molde (material, geometria e


espessura de parede),

3)- Das condições da interface metal molde (contato


térmico) e das características do meio que vai
absorver calor (água, ar, etc).
• A SOLIDIFICAÇÃO EM FUNDIÇÃO

• 1 – Cristalização

• 2 – Contração de volume

• 3 – Concentração de impurezas

• 4 – Desprendimento de gases
• A SOLIDIFICAÇÃO EM FUNDIÇÃO

• 1 – Cristalização
• Consiste no aparecimento das primeiras células cristalinas
unitárias, que servem como núcleos para o posterior
crescimento dos cristais, dando origem aos grãos definitivos e
à estrurura granular típica dos metais.
• Crescimento dos cristais → não ocorre de maneira uniforme
→velocidade depende da direção dos eixos cristalográficos
→no interior do molde, depende da proximidade das paredes,
que vai determinar também a velocidade de resfriamento.
• Sobre grão e crescimento do grão

• Para começar a solidificação a partir do liquido


surgem núcleos ou cristais pequenos os que vão
crescendo em função da energia livre
Grão e borda de grão
Com resfriamento rápido aparecem muitos
núcleos e não podem crescer muito.
• Para T pequenos surgem poucos centros de
nucleação e estes podem crescer livremente, sem
bater, a expensas do líquido, pelo que se obterá um
tamanho final de grão grande

• Ate poderia conseguir-se um monocristal

• como em transistores e alguns tipos de diodos estão


feitos de mono cristais de elementos e compostos
semicondutores. As bordas dos grãos destruiriam as
propriedades elétricas
• Para T grandes surgem muitos centros de nucleação
e estes não podem crescer livremente então se obterá
um tamanho final de grão fino.

Para T grandes Para T pequenos


(graos pequenos) (graos grandes)
• A SOLIDIFICAÇÃO EM FUNDIÇÃO
• 2 – Contração de volume
Durante a solidificação ocorrem 3 tipos de contrações:
→contração líquida – devido à diminuição da temperatura
até o início da solidificação.
→contração de solidificação – variação de volume durante
a mudança do estado líquido para o sólido.
→contração sólida – variação de volume já no estado sólido
(da temperatura de fim de solidificação até a ambiente)
• A SOLIDIFICAÇÃO EM FUNDIÇÃO

• 3 – Concentração de impurezas
• Impurezas nas ligas apresentam comportamento diferente se a
liga estiver no estado líquido ou no sólido:
• →líquido: impurezas totalmente dissolvidas, homogêneas.
• →sólido: menos solúveis (ex. P e S nas ligas ferrocarbono),
ficando acumuladas nas regiões em que a solidificação ocorreu
por último → segregação
• →composição química não uniforme → propriedades
mecânicas diferentes em certas regiões.
• A SOLIDIFICAÇÃO EM FUNDIÇÃO

• 4 – Desprendimento de gases
• Mais comuns nas ligas ferro-carbono → Oxigênio dissolvido
na liga tende a se combinar com o carbono, formando CO2,
facilmente eliminado se a liga estiver no estado líquido.
• Porém, conforme a viscosidade aumenta durante a
• solidificação, este gás tende a ficar retido na peça,
• formando bolhas (vazios). →Adição ao metal líquido de
• “desoxidantes”, alguns tipos de ferro-ligas (tais como
ferrosilício, ferro-manganês) ou alumínio → Oxigênio reage
preferencialmente com estes elementos, formando óxidos
sólidos (SiO2 , MnO e Al2O3).
 TIPOS DE PROCESSOS DE FUNDIÇÃO:

Fundição em areia

• Fundição em casca

• Fundição em moldes metálicos

• Fundição de precisão (cera perdida)


• Etapas dos processos de fundição:
• Projeto da peça
• Projeto do modelo
• Confecção do modelo (modelagem ou modelação)
• Confecção do molde (moldagem)
• Fusão do metal
• Vazamento no molde
• Limpeza e rebarbação
• Controle de qualidade
Processo de fundição
FUNDIÇÃO EM AREIA

Adequado para o ferro e o aço ( altas temperaturas de


fusão), podendo também ser usado, para o alumínio,
latão, bronze e magnésio.

Se necessita preparar o molde para vazamento do metal fundido


e, para isso, precisa-se de ter:

•Modelo da peça

•Os respectivos machos

•Areia misturada de forma adequada para elaboração do


molde.
MODELO PREPARAÇÃO
DA PEÇA DOS MACHOS

PREPARAÇÃO
DO MOLDE

MONTAGEM
DA CAIXA
Seqüência do
VAZAMENTO
DO METAL Processo de
DESMOLDAGEM Fundição em
DA PEÇA Areia
CORTE
DE CANAIS

REBARBAÇÃO
DA PEÇA

PEÇA PRONTA
Caixa de moldagem: estrutura, geralmente metálica, com
resistência suficiente para suportar o socamento da areia
na operação de moldagem, bem como a pressão do metal
líquido durante a fundição. Normalmente construída em
duas partes:
Construção do modelo

Peça a moldar
Com furo
Construção do molde
Colocação do macho
Abertura do canal de alimentação
Confecção do molde em areia verde.
Macho de areia com resina de cura à frio (mais resistente
à erosão do que areia convencional.
Colocação a parte superior do molde, também em areia verde.
FUNDIÇÃO
Areia verde
Etapas da moldagem
FUNDIÇÃO
FUNDIÇÃO
FUNDIÇÃO
Exemplo 2
Modelo
 É uma “cópia” da peça feita de
madeira,
metal
Plástico
resina epóxi
Cera
gesso, etc.

Ao redor do qual é compactado o material de moldagem,


posteriormente é retirado do molde dando forma à cavidade que
receberá o material fundido.
Modelo

O modelo é feito de acordo com o desenho da peça a ser


fundida, com as seguintes modificações:

• 1)- Aumento nas dimensões para compensar a contração do


metal durante seu resfriamento no estado sólido.

• 2)- Aumento nas dimensões, de forma a deixar o sobremetal


necessário nas superfícies que deverão ser usinadas
posteriormente.

• 3)- Inclinação nas paredes verticais, chamada de ângulo de saída,


para propiciar a fácil retirada do modelo de dentro do molde, sem
arrastar areia.
• 4)- Quando a peça contiver furos, criar saliências, chamadas
marcações de machos, que deixarão buracos na areia do molde,
para fixação dos machos, que darão origem aos furos.
Verificar a divisão do modelo.
• Linha divisória ou linha de partição representa a linha que divide as
partes que formam a cavidade superior e a cavidade inferior do
molde.
• Deve-se objetivar uma linha divisória reta, ou seja, um único plano
que divida o modelo em suas seções superior e inferior
Classificação dos Modelos

Modelo Solto Monobloco

• É o tipo mais simples. Geralmente apresenta uma superfície plana


que servirá de apoio na moldagem.

• Os canais e massalotes podem ser acrescentados como apêndices


ou serem cortados à mão, no molde.
Modelo Solto Bipartido
Modelo Solto Bipartido

• É feito em duas partes que podem ser ou não iguais.

• A superfície que as separa será a linha de divisão do molde (tampa


e fundo da caixa).

• O alinhamento entre as duas partes do modelo é obtido através


de encaixe por cavilhas.

• Sempre que possível a superfície de separação entre as duas partes


do modelo deverá ser plana, de forma a permitir sua colocação sobre
uma placa, para facilitar a moldagem.
Modelo Solto Múltiplo

 Para peças mais complexas onde, para que o modelo seja retirado
do molde sem arrastar a areia, há necessidade de sua divisão em três ou
mais partes exigindo, portanto, caixas de moldagem com mais de duas
partes.
Modelo em placa

 Neste caso o modelo é fixado à uma placa, visando, uma maior


precisão na moldagem, já que as placas apresentam geralmente
pinos ou furos que servem como guias para fixação nas respectivas
caixas de moldagem.
 O modelo em placa permite a utilização de máquinas de
moldar, o que resulta em um grande aumento na velocidade de
obtenção dos moldes.
Manufatura mecânica
Material para Construção dos Modelos

 A decisão sobre o material que se deve utilizar no modelo


depende de vários fatores, tais como:

• Quantidade de peças a serem fundidas

• Precisão dimensional necessária e acabamento superficial


desejado

• Tamanho e formato do fundido


COMPARAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS DE
MATERIAIS PARA MODELOS
Materiais para Modelo
Características Madeira Alumínio Aço Plástico
Usinabilidade E B R B
Resistência ao Desgaste P B E R
Resistência Mecânica R B E R
Peso (a) E B P B
Possibilidade de Reparos E P B R
Resistência à Corrosão (b) E E P E
Resistência ao Inchamento (b) P E E E

(Legenda: E = Excelente; B = Bom; R = Regular; P = Pobre)


(a) Como fator de fadiga do operador (b) pelo ataque de água
Abertura do canal de alimentação
Contração do metal

 Todo metal ou liga fundido ao solidificar-se sofre contração, esta


contração pode ser dividida em duas:

• Quando o material resfria-se ainda no estado líquido


(contração líquida).

Metal liquido Quando resfria-se


Devem ser previstos massalotes
Contração do metal
• Resfriamento do material já no estado sólido
(contração sólida).

Deverá ter suas dimensões aumentadas, em relação às da peça


que se quer obter.
 Índice percentual de contração sólida de alguns metais, que deve
ser compensado com o aumento nas dimensões do modelo:

MATERIAL CONTRAÇÃO
Aços 1,5 a 2,0%
Ferro fundido cinzento 0,8%
Ferro fundido dúctil 0,8 a 1,0%
Alumínio 355 e 356 1,5%
Cobre-Cromo 2,0%
Bronze ao Estanho 1,0%
Bronze ao Silício 1,0%
Bronze ao Manganês 1,5%
Bronze Alumínio 1,5%
Ângulos de Saída

 Ângulo de saída é a tolerância que se dá às paredes laterais do


modelo para poder extraí-lo do molde sem arrastar areia.

 O ângulo poderá variar entre 0,5º e 2º


 Em alguns casos, como em marcações de machos, poderá chegar
a 5º.
Machos

 A função básica de um macho é ocupar espaços no molde, não


permitindo a entrada do metal, dando origem assim a furos e outras
partes ocas da peça.

 Para completar uma parte mais delicada de um molde, que não


poderia ser produzida com areia comum do molde,
Macho para economizar metal do furo e tempo de
fabricação