Você está na página 1de 45

ORIGEM E EVOLUÇÃO DOS

GERADORES DE VAPOR
ORIGEM
 Os geradores de vapor ou mais comumente
conhecidas como caldeiras, são de origem
bastante antiga, e, têm sido usadas para
várias utilizações desde remotos tempos
 Origem Grega
 Em 130 a.C., Heron de Alexandria criou a
Eolípila
EOLÍPILA OU ESFERA DE HERON
A primeira idéia
da máquina a
vapor aparece no
texto
Pneumática, do
filósofo Heron,
de
Alexandria(cerca
de 130 a.C.).
Trata-se da
eolípila, que,
embora
rudimentar,
ofereceu os
subsídios para
futuros inventos

HERON DE ALEXANDRIA
Causava na esfera um movimento
rotativo, em virtude do mesmo princípio
que opera a turbina de reação

CONSTRUIU O PRIMEIRO PORTÃOAUTOMÁTICO DA HISTÓRIA


CALDEIRA DE POMPÉIA(79 d.C)
TAMPA
OU
DOMO

CALDEIRA

PORTA
DA
CALDEIRA
DOMÉSTICA FORNALHA
PARA
AQUECIMENTO
DE ÁGUA E
VAPORIZAÇÃO TRIPÉ
DE AMBIENTES
CALDEIRA DE BRONZE DE
POMPÉIA
Detalhes da caldeira de bronze
fundido encontrada nas ruínas
de Pompéia(79 d.C)

Corte tranversal A-A


Usava na fornalha tubos de água
para melhor aproveitamento do
calor, portanto o princípio de
tubos de água(aquotubular) é
antiguissimo.
EVOLUÇÃO DAS CALDEIRAS
• A HISTÓRIA NÃO REGISTRA NENHUM DESENVOLVIMENTO ATÉ O INÍCIO
DO SÉCULO 17, QUANDO UNS POUCOS ESFORÇOS SÃO FEITOS PARA
USAR O VAPOR COMO FONTE DE ENERGIA.

• O DESENVOLVIMENTO E O APERFEIÇOAMENTO DOS GERADORES DE


VAPOR CORRERAM PARALELAMENTE A MEDIDA QUE NOVOS
CONHECIMENTOS IAM SENDO DESCOBERTOS NA UTILIZAÇÃO DO
VAPOR COMO FONTE DE ENERGIA, A MEDIDA QUE NOVOS INVENTOS,
NOVAS MÁQUINAS A VAPOR IAM SURGINDO, MAIS APERFEIÇOAMENTO E
CAPACIDADE ERA REQUERIDO PARA OS GERADORES DE VAPOR.

Em 1605 aparece Florence Raivult com a experiência da força


do vapor em bola de cobre fundido ôco, com o intuido de
experimentar a força de rompimento do vapor em bomba de várias
espessuras
EVOLUÇÃO DAS CALDEIRAS
Em 1629 aparece a turbina de impulso de Giovanni
Branca, o vapor produzido por uma figura humana
ôca de cobre fundido chocava-se com uma roda
tendo palhetas na sua periferia que entrava em
movimento e e por meio de engrenagens transmitia
energia realizando trabalho.

Em 1680 temos a caldeira de


Denis Papin que foi usada e
registrada como um cozinhador
a calor brando para converter
ossos de animais em uma
substância gelatinosa. .

A panela de pressão foi inventada pelo físico francês Denis Papin, que
publicou em 1681 uma descrição do equipamento, denominando-o digestor.
Numa reunião de cientistas da Royal Society, Papin demonstrou que o seu
invento era capaz de reduzir ossos a gelatina comestível.
Este instrumento consta de um cilindro de ferro, com
duas pegas laterais de madeira, assente sobre uma
base circular com o mesmo diâmetro. Esta base, que
serve de fogareiro, é perfurada na sua parte superior e
possui uma pequena porta frontal para a introdução do
combustível. No interior do cilindro, e sobre a tampa
superior do fogareiro, coloca-se um segundo cilindro,
um pouco mais alto que o anterior, designado por
marmita ou digestor de Papin. Este cilindro é feito de
bronze, tendo as suas paredes cerca 3 cm de
espessura. É hermeticamente fechado, através de uma
tampa circular, também de bronze. Uma peça circular,
munida de quatro parafusos verticais, permite
comprimir fortemente a tampa do digestor contra o
bordo superior do cilindro. Para isso, a tampa possui
duas pegas laterais, onde encaixam duas barras de
ferro. Estas barras passam também por duas pegas
existentes na parede lateral do digestor. Todo o
conjunto se apresenta muito robusto.
Este dispositivo permitia aquecer água, a temperaturas
acima do seu ponto de ebulição à pressão atmosférica,
conseguindo-se pressões consideravelmente elevadas
no seu interior. Em 1680 Papin concebeu um modelo
de digestor que permitia fazer mover um êmbolo no
interior dum cilindro, como resultado da acção da
pressão do vapor produzido pelo aquecimento da
água.
Uma das utilidades do digestor, nas lições de Física
Experimental, era a de amolecer ossos, devido à
elevada temperatura no interior do cilindro.
CALDEIRA DE DENIS PAPIN - 1680
• COZINHADOR PARA
TRANSFORMAR OSSOS
EM GELATINA

• PRIMEIRA CALDEIRA A
PRODUZIR VAPOR COM
PRESSÕES ACIMA DE
100 lbs/pol2(até 150
lbs/pol2)

• PRIMEIRA CALDEIRA A
USAR VÁLVULA DE
SEGURANÇA

DENIS PAPIN É CONSIDERADO TAMBÉM COMO O


INVENTOR DA VÁLVULA DE SEGURANÇA
CALDEIRA ESFÉRICA DE SAVERY - 1698
• PIONEIRA NA
APLICAÇÃO DE UMA
GUARNIÇÃO PARA
FORMAR A FORNALHA
• SEM VÁLVULA DE
SEGURANÇA
• PRESSÕES USADAS
DE 45 lbs/pol2
• PROVAVELMENTE
UTILIZAÇÃO DOS
ALAMBIQUES USADOS
PELOS MESTRES
CERVEJEIROS PARA
PREPARAÇÃO DE
MALTE
MÁQUINA DE NEWCOMEN - 1705

• CONSIDERADA
REALMENTE COMO O
PRIMEIRO GERADOR
DE VAPOR
CALDEIRA DE NEWCOMEN - 1705
• CALDEIRA EM FORMA DE
COGUMELO
• COM VÁLVULA DE
SEGURANÇA DE PESO
• NÃO ERAM MUNIDAS DE
MANÔMETROS NEM DE
INDICADOR DE NÍVEL DE
ÁGUA.
ALGUÉM SABE COMO ERA
DETERMINADO O NÍVEL DE
ÁGUA NA CALDEIRA?
PELO SOM DA BATIDA DE
UM PORRETE OU DANDO
PONTA-PÉS COM
SAPATOS DE SOLA DE
MADEIRA USADOS PELOS
CORTESÕES
CALDEIRA DE HAYCOCK - 1720
• DE FORMA ESFÉRICA E SEM
NENHUM ACESSÓRIO OU
VÁLVULA DE
SEGURANÇA(EXTREMAMENTE
PERIGOSA)

• DE CONSTRUÇÃO
SIMPLES COM
SISTEMA DE
CRAVAÇÃO OU
CALDEAMENTO,
TENDO SIDO USADA
PELOS
CERVEJEIROS PARA
A PREPARAÇÃO DO
MALTE
CALDEIRA DE HAYSTACK - 1750

• COM VÁLVULA DE
SEGURANÇA DE
PESO
• CORPO FLUTUADOR
PARA MOSTRAR O
NÍVEL DE ÁGUA
•VÁLVULA PARA
DESCARGA DE
FUNDO
PRIMEIRA CALDEIRA DE TUBOS DE
ÁGUA – CONSTRUÍDA E PATENTEADA
POR WILLIAM BLAKEY EM 1766
JAMES WATT - 1769
CONSIDERADO O PAI DA MÁQUINA A VAPOR, O SEU
INVENTO VEIO DAR INÍCIO AO COMPLETO
AFASTAMENTO DA FORMA ESFÉRICA PARA OS
GERADORES DE VAPOR. A CALDEIRA TIPO VAGÃO EM
FORMA DE ABOBADA ECONOMIZAVA CERCA DE ¾ DO
VAPOR E CARVÃO.
A CALDEIRA DE WATT UTILIZAVA ACESSÓRIOS COMO (1736-1819)
MANÔMETROS DE LATÃO EM U E MERCÚRIO COM UMA RÉGUA
GRADUADA QUE INDICAVA A PRESSÃO INTERNA.

MÁQUINA A
VAPOR DE JAMES
WATT
CALDEIRA DE WATT - 1769
CALDEIRA CILINDRICA – 1790
(DE EXTREMIDADE OVAL)
• COM O AUMENTO DO USO DO VAPOR PARA A PRODUÇÃO DE ENERGIA DURANTE OS
ÚLTIMOS ANOS DO SÉCULO 18, VEIO UM AUMENTO DAS PRESSÕES REQUERIDAS E DAS
PRODUÇÕES DE VAPOR NECESSITANDO-SE DE GERADORES MAIS RESISTENTES.
• A CALDEIRA TIPO VAGAO DE WATT PERDEU A SUA FAMA, E FOI SUPERADA POR UM
ENVÓLUCRO DE FORMA CILINDRICA
• AS CHAPAS FRONTAIS DE FERRO FORJADO FORAM SUBSTITUÍDAS POR CABEÇOTES
ESPESSOS SEMI-ESFÉRICOS DE FERRO FUNDIDO.
CALDEIRA AQUOTUBULAR
HORIZONTAL DE JAMES BARLOW
1793
CALDEIRA EVAN – 1800(DE OLIVER
EVANS-COM FLUXO DE RETORNO)
O DIÂMETRO DO CONDUTO A METADE DO DIÂMETRO DO
ENVÓLUCRO
FARDIER DE CUGNOT
(1771)
Precursor do automóvel, este modelo, foi criado pelo militar
francês Nicolas Joseph Cugnot em 1771. Era movido a vapor, com
dois cilindros verticais, 62.000 cm3 de cilindrada e chegava aos 4
km/h. Consta que sofreu o primeiro acidente da história do
automóvel, ao se chocar com o muro do quartel onde Cugnot
servia como engenheiro militar. Este modelo (original) pertence ao
Museé National des Techniques, de Paris.
RICHARD TREVITHICK – 1804
(PRIMEIRA LOCOMOTIVA)
MUITOS CONTEMPORÂNEOS DE
JAMES WATT TENTARAM APLICAR
VAPOR PARA MOVIMENTAR CAR-
ROÇAS E EM 1802 TREVITHICK
CONSEGUIU COM ALGUM SUCESSO
PARA TAL PROPÓSTO UMA
MÁQUINA DE ALTA PRESSÃO E DE
NÃO CONDENSAÇÃO, SENDO QUE A
DESCARGA DA MÁQUINA ERA NA
CHAMINÉ DA CALDEIRA PARA
AUMENTAR A TIRAGEM,
IMPORTANTE TRAÇO DAS
LOCOMOTIVAS QUE SE SEGUIRAM
CALDEIRA DE LOCOMOTIVA
CALDEIRA CORNISH – 1812
RICHARD TREVITHICK EM CONJUNTO COM A INDÚSTRIA DE MINÉRIO CORNISH
INVENTOU A CALDEIRA DO MESMO NOME, COM O OBJETIVO DE AUMENTAR A
ECONOMIA NAS CALDEIRAS, E ESTA CALDEIRA FOI A PRECUSSORA DE TODAS AS
CALDEIRAS SUBSEQÜENTES DE FOGO INTERNO.
CALDEIRA CORNISH - 1812
CALDEIRA WILCOX TUBOS DE ÁGUA-
1856
FORMA PRIMITIVA DA CALDEIRA
BABCOCK E WILCOX – (ANO 1870)
CIRCULAÇÃO DE ÁGUA E GÁS NA CALDEIRA
BABCOCK E WILCOX DE TUBOS RETOS
INCLINADOS
CALDEIRA BABCOCK & WILCOX DE TUBOS
RETOS E INCLINADOS-1900
COLETORES CALDEIRA BABCOCK & WILCOX
ALGUMAS CALDEIRAS USADAS NO INÍCIO
DOS ANOS DE 1900 – Diferentes dos tipos
usuais
CALDEIRA COM HERBIDORES
CALDEIRA GALLOWAY
CALDEIRA DO TIPO CORNOVAGLIA
CALDEIRA “ELEFANTE” COM TUBOS DE FOGO USADA
EM USINAS DE AÇUCAR NO COMEÇO DO SÉCULO XX
CALDEIRA SEMITUBULAR COM TUBOS DE FOGO
USADA EM USINAS DE AÇUCAR NO COMEÇO DO
SÉCULO XX
CALDEIRA PIROTUBULAR DE TIRAGEM
BAIXA
CALDEIRA FLAMOTUBULAR(BARRIGA
D’ÁGUA)
CALDEIRA FLAMOTUBULAR DE
LOCOMOTIVA ESTACIONÁRIA
CALDEIRA LANCASHIRE
Dois Titanics de alta tecnologia volta m aos mares no novo milênio
Réplicas do legendário navio terão motores moderníssimos, radares e
todos os requisitos de segurança

O motor era a vapor O Titanic tinha 29 caldeiras, alimentadas por


825 toneladas de carvão, que queimavam diariamente em 159 fornalhas. O
tratamento de lixo era primário, se comparado ao tratamento moderno: o
esgoto, acumulado no fundo do navio, ia depois para o mar. E o seu
sistema de comunicação estava restrito basicamente ao rádio
FIM