Você está na página 1de 32

Karl Marx e a

crítica da
sociedade
capitalista
Corrente de pensamento mais
revolucionária que houve na História, seja
do ponto de vista teórico como também da
prática social;
Objetivos: além de propor com o
desenvolvimento da ciência, propôs uma
ampla transformação política, econômica
e social
Contexto da criação de sua teoria:

Marx foi extremamente sensível às


dificuldades que a Europa enfrentava
numa época de pleno e contraditório
desenvolvimento do capitalismo

As bases do pensamento de Marx


Marxismo
Também chamado de socialismo científico
caracteriza-se por uma teoria complexa
que se destinava a analisar o capitalismo
e a entender as forças que o constituíam e
aquelas que o levariam a sua superação
MATERIALISMO porque somos o que as
condições materiais (as relações sociais de
produção) nos determinam a ser e a pensar.

HISTÓRICO porque a sociedade e a política não


surgem de decretos divinos nem nascem da
ordem natural, mas dependem da ação concreta
dos seres humanos no tempo.
IDEOLOGIA

É aquele sistema ordenado de ideias e concepções, de


normas e de regras (com base no qual as leis jurídicas são
feitas) que obriga os homens a comportarem-se segundo a
vontade do “sistema”, como se estivessem se comportando
segundo sua própria vontade

A ideologia dominante numa dada época histórica é


a ideologia da classe dominante nessa época.
Ao contrário de outras épocas históricas (escravidão
e servidão), no capitalismo o trabalhador acha que é
justo que ele seja separado do produto de seu
trabalho, mediante o pagamento de seu salário.

Para Marx, o salário não remunera todo o trabalho,


pois uma parte é apropriada pelo capitalista e se
transforma em lucro.

O trabalhador não percebe isso por causa da


ideologia que é uma concepção de mundo gerada
pela classe dominante e assumida pela classe
dominada como se fosse sua.
Por que para Marx o materialismo histórico é
dialético?

Por afirmar que o processo histórico é


movido por contradições sociais

DIALÉTICA é um diálogo, um discurso


compartilhado por dois interlocutores de
opiniões opostas sobre alguma coisa que
levam a uma discussão de modo a superar
essas opiniões contrárias e chegar a unidade
de ideias. E um procedimento com o qual
passamos dos contrários ao idêntico, das
opiniões contrárias à identidade da ideia.
A interpretação dialética
Analisa a história como um movimento
Movimento conseqüente das próprias ações dos
homens
Reflexão crítica sobre a realidade
Somente a dialética consegue apreender os
movimentos do real
Papel central do pensamento na apreensão do
real
O pensamento está inserido no próprio real
A infraestrutura como base da
sociedade
Todo o sistema de pensamento de Marx
tem como fundamento o modo de
produção capitalista

A anatomia da sociedade deve ser


procurada na análise das relações de
produção
O modo de produção capitalista
É composto pelos meios de produção e as
relações de produção
Meios de produção: Maquinas,
ferramentas, tecnologia, força de trabalho
Relações de produção: Somente por meio
delas se realiza a produção. Elas variarão
de acordo com os meios de produção.
São as próprias relações e organizações
entre os homens
Infraestrutura e superestrutura
Infraestrutura Estado
Meios de produção Direito
Relações de Justiça
produção Religião
Produção de Ideologias
mercadorias
Infraestrutura e superestrutura:
Existência e Consciência
É a infraestrutura que condiciona o modo
de vida dos homens
O modo de produção da vida material
condiciona o processo de vida social,
política e intelectual. Não é a consciência
dos homens que determina a realidade;
ao contrário, é a realidade social que
determina sua consciência;
A LUTA DE CLASSES

“A história de toda sociedade passado é a história


da luta de classes.”

A teoria marxista também procura explicar a


evolução das relações econômicas nas sociedades
humanas ao longo do processo histórico. Haveria,
segundo a concepção marxista, uma permanente
dialética das forças entre poderosos e fracos,
opressores e oprimidos, a história da humanidade
seria constituída por uma permanente luta de classes,
como deixa bem claro a primeira frase do primeiro
capítulo d’O Manifesto Comunista:
“Homem livre e escravo, patrício e plebeu,
barão e servo, mestre de corporação e
companheiro, numa palavra opressores e
oprimidos, em constante oposição, tem vivido
numa guerra ininterrupta, ora franca, ora
disfarçada; uma guerra que terminou sempre
ou por uma transformação revolucionária da
sociedade inteira, ou pela destruição da duas
classes em luta” (Marx, Engels, Manifesto do
Partido Comunista. In: Obras escolhidas, 1956,
página 26).
As classes sociais
Duas classes fundamentais para entender
o capitalismo

Burguesia: detentora dos meios de


produção
Proletariado: Vendedor de sua própria
força de trabalho
CLASSES SOCIAIS
PROLETÁRIOS
Trabalhadores despossuídos dos “meios de
produção” que vendem sua força de trabalho em
troca de salário.

CAPITALISTAS
Possuindo meios de produção sob a forma legal da
propriedade privada, “apropriam-se” do produto do
trabalho de seus operários em troca do salário do
qual eles dependem para sobreviver.
O conflito da produção expresso na
Superestrutura
O antagonismo entre burguesia e
proletariado se expressa também na
superestrutura

É o que Marx chama de Luta de Classes,


que para além da dimensão de luta
econômica existe também a luta política
O papel da ideologia
Para Marx os trabalhadores estariam
dominados pela ideologia da classe
dominante, ou seja, as ideias que eles têm
do mundo e da sociedade seriam as
mesmas ideias que a burguesia espalha.
ALIENAÇÃO
Em termos jurídicos designa a transferência
ou venda de um bem ou direito.
Rousseau (1712-1778) designa o termo como
uma ideia de privação, falta ou exclusão.
Marx faz do conceito uma peça-chave de sua
teoria para a compreensão da exploração
econômica exercida sobre o trabalhador no
capitalismo.
A ideia de Alienação econômica
Marx desenvolve o conceito
de alienação mostrando que a
industrialização, a
propriedade privada e o
assalariamento separavam o
trabalhador dos meios de
produção ferramentas,
matéria-prima, terra e
máquina-, que se tornam
propriedade privada do
capitalista. Separava, ou
alienava, o trabalhador do
fruto do seu trabalho, que
também é apropriado pelo
capitalista.
Alienação Política
Politicamente, também o
homem se tornou alienado,
pois o princípio da
representatividade, base do
Liberalismo, criou a ideia de
Estado como um órgão político
imparcial, capaz de representar
toda a sociedade e dirigi-la
pelo poder delegado pelos
indivíduos. Marx mostrou,
entretanto, que na sociedade
de classe esse Estado
representa apenas a Classe
dominante e age conforme o
interesse desta.
O Salário
No capitalismo a força de
trabalho se torna uma
mercadoria, algo útil, que se
pode comprar e vender.
O salário deve corresponder
à quantia que permita ao
operário alimentar-se, vestir-
se,cuidar dos filhos,
recuperar as energias e,
assim, estar de volta ao
serviço no dia
seguinte.(reprodução das
condições de subsistência do
trabalhador e sua família).
A mais - valia
Uma coisa é o
valor da força de
trabalho, isto é, o
salário, e outra é
quanto esse
trabalho rende ao
capitalista. Esse
valor excedente
produzido pelo
operário é o que
Marx chama de
mais-valia.
A exploração capitalista sobre o
trabalhador
Mais Valia: é a quantidade de trabalho
não paga ao trabalhador
Duas formas de extração da mais-valia
Absoluta: Aumento da jornada de trabalho
Relativa: Aumento da intensidade do
trabalho. Que pode se dar pelo
incremento de tecnologia na produção,
aumentando a produtividade da produção
O Estado na análise de Marx
A luta de classes seria mera ilustração
sem a análise do Estado capitalista

O Estado precisa ser compreendido como


uma colossal superestrutura e o poder
organizado de uma classe social em seu
relacionamento com as outras
Estado e Sociedade
O Estado não está descolado da sociedade
O Estado é produto das contradições inerentes
à própria sociedade
O Estado é a expressão essencial das relações
de produção específicas do capitalismo
O monopólio do aparelho estatal, diretamente
ou por meio de grupos interpostos, é a condição
básica do exercício da dominação
O poder político é na verdade o poder
organizado de uma classe para a opressão das
outras
As análises de Marx para entender
a contemporaneidade
Mercantilização de todas as relações
humanas
A política também se torna mercantilizada

A ciência como trabalho morto é utilizada


cada vez mais para explorar o trabalhador
A globalização (ou a mundialização) do
capital foi um fenômeno previsto por Marx
em suas análises
Algumas de suas principais obras:
A ideologia alemã,
Miséria da filosofia,
Para a crítica da economia política,
A luta de classes na França,
O capital.
O Manifesto do Partido Comunista

Você também pode gostar