Você está na página 1de 28

Brasil – localização

e territorialidade
Onde está o Brasil?

Ora bolas

... Onde está o Brasil?


Tá na América do Sul
No continente americano
Cercado de oceano
E das terras mais distantes
De todo o planeta...
Posição geográfica, extensão e pontos
extremos

• Devido a sua posição geográfica, mas de


90% do território brasileiro encontra-se em
áreas de baixa latitude, que compreende a
zona intertropical. Maior país tropical do
mundo, o Brasil tem o clima e a vegetação
marcados pela tropicalidade

• O Brasil situa-se na porção centro-oriental da


América do Sul e ocupa cerca de 47% do
território dessa porção do continente.
UM GRANDE PAÍS

 O Brasil possui uma área total de 8.514.876 Km², o que


faz dele o quinto maior país do mundo em extensão
territorial.
 Os maiores países do mundo são:
1. Rússia – 17.075.400 Km²
2. Canadá – 9.976.139 Km²
3. China – 9.596.962 Km²
4. EUA – 9.363.520 Km²
5. Brasil - 8.514.876 Km²
• Esse critério de classificação leva em
consideração terras descontinuas, como
no caso dos Estados Unidos, em que são
considerados os estados do Alasca e do
Havaí, separados dos 48 estados
continentais do país.

• Em terras continuas, o Brasil é o 4º país do


mundo em extensão, com 1,6% da
superfície terrestre (massa sólida e líquida)
e 5,7% das terras situadas acima do nível
do mar.
• Podemos ter uma noção da grandeza do território
brasileiro ao verificar a distância entre seus pontos
extremos:

• Distância entre o ponto extremo Norte e Sul: 4.320 km


• - Distância entre o ponto extremo Leste e Oeste: 4.395 km
• - Ponto extremo setentrional: fica no estado de Roraima, na
nascente do rio Ailã (monte Caburaí), fronteira com a Guiana
• - Ponto extremo Meridional: fica no Rio Grande do Sul,
numa das curvas do rio Arroio Chuí, na fronteira com o
Uruguai.
• - Ponto extremo Oriental: fica no estado da Paraíba, na
Ponta do Seixas
• - Ponto extremo Ocidental: fica no estado do Acre, na Serra
da Contamana, nascente do rio Moa (fronteira com o Peru)
PONTOS EXTREMOS

NORTE / RR (Venezuela / Guianas)


Nascentes RIO AILÃ

OESTE / AC (Peru) LESTE / PB (Oceano)

Nascentes Ponta seixas (PB)


rio MOA (AC)
na Serra
Contamana

SUL / RS (Uruguai ) Arroio CHUÍ


FUSOS HORARIOS DO BRASIL

Devido a posição geográfica e a sua grande extensão


territorial no sentido leste-oeste, o Brasil estende-se por
quatro fusos horários distintos.
O primeiro fuso horário brasileiro encontra-se duas horas
atrasado em relação ao Meridiano de Greenwich,
considerado como o “marco zero” para a medição do
horário mundial. Nesse fuso, encontram-se apenas
algumas ilhas pertencentes ao Brasil, com destaque para
Fernando de Noronha.

O segundo fuso horário encontra-se três horas atrasado


em relação a Greenwich, abrangendo a maior parte do
território brasileiro, incluindo a capital Brasília. Fazem parte
desse fuso as regiões Nordeste, Sudeste, Sul e partes das
regiões Norte e Centro-Oeste.
O terceiro fuso horário encontra-se quatro horas atrasado em
relação ao horário oficial de Greenwich, estando uma hora
atrasado em relação à capital do Brasil. Envolve parte das
regiões Norte e Centro-Oeste.

O quarto e último fuso horário brasileiro encontra-se cinco


horas atrasado em relação ao horário de Greenwich e duas
horas atrasado em relação à capital Brasília. Conforme
podemos observar no mapa anterior, ele abrange somente o
estado do Acre e uma pequena parte do território do
Amazonas.
• Analisar mapa – Brasil: fusos horários (p.11)
TERRITORIALIDADE, SOBERANIA E SEGURANÇA
NACIONAL

Brasília é o símbolo da territorialidade no sentido de soberania


política sobre o território nacional. Antes de Brasília, o Brasil teve
Salvador (1549 a 1763) e Rio de Janeiro (1763 a 1960) como
capitais.

Construída exclusivamente para ser a capital do país, Brasília foi


inaugurada em 21 de abril de 1960; teve seu projeto idealizado
pelo arquiteto Lúcio Costa (Plano Piloto) e arquitetura dos edifícios
públicos de Oscas Niemeyer.
A soberania brasileira não se limita apenas às suas terras de
superfície. Também fazem parte do território nacional seu
subsolo, espaço aéreo e mar territorial. Por essa razão, o Brasil
tem o direito de explorar recursos minerais, energéticos, agua
subterrânea, etc., além de poder fiscalizar o tráfego realizado no
espaço aéreo sobre

Uma forte vigilância é exercida nos locais de fronteira, atividade


dificultada pela presença da floresta Amazônica.
Embora o Brasil não apresente qualquer questão a ser
resolvida em suas fronteiras terrestres, uma forte vigilância
é exercida nesses locais, mesmo com as atividades
sendo dificultadas pela grande extensão e a presença da
floresta Amazônica no norte o país.

Dentro da política de soberania e segurança nacional,


destacam-se o conceito de Faixa de Fronteira e os
projetos Calha Norte, Sipam/Sivam e Radambrasil.
Faixa de Fronteira

Segundo o IBGE, a faixa de fronteira compreende uma área


interna de 150 km de largura, paralela à linha divisória
terrestre do território brasileiro, considerada área
indispensável à segurança nacional, na qual são vedadas,
sem prévio consentimento do órgão federal competente, a
prática de concessão de terras, a abertura de vias de
transporte e a instalação de meios de comunicação,
construção de pontes, campos de pouso, estradas
internacionais, etc.

Na região da faixa de Fronteira encontram-se 11 Estados:


Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Gosso do Sul,
Rondônia, Roraima e Santa Catarina. (mapa p. 13)
O projeto denominado Desenvolvimento e Segurança na
região ao norte dos rios denominado Solimões e
Amazonas ficou conhecido como o Programa Calha Norte.
Criado efetivamente em 1985, esse programa foi
elaborado pelo governo militar para proteger a faixa de
fronteira da Amazônia – área relativamente despovoada e
objetos de incursões de redes do narcotráfico e de
Agentes não nacionais em missões indígenas.

O Calha Norte abrange todo o território dos Estados de


Rondônia, do Acre, do Amazonas, de Roraima e do Amapá
e 27 municípios do Estado do Pará.
Revitalizado a partir do ano 2000 o programa Calha
Norte recebeu verbas para construção de quartéis
estradas e melhorias sociais para as aldeias
indígenas. Essa preocupação teve como principal
motivo a atuação de organizações não
governamentais na faixa de fronteira, consideradas
pelas autoridades uma ameaça à soberania
nacional.
O Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) é um projeto de
grandes dimensões, criado para proteger e fornecer subsídios para
o desenvolvimento de uma área muito importante para o país: a
Amazônia Legal, que abrange os estados do Acre, Amapá,
Rondônia, Roraima, Amazonas, Pará, partes do Maranhão,
Tocantins e Mato Grosso. Esse projeto apresenta como um de seus
componentes o Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam), que
entrou em vigor em 1997.

O Sivam funciona como uma rede de coleta e processamento de


dados da Amazônia e apresenta uma infraestrutura integrada que
dispõe de técnicas modernas, como sensoriamento remoto,
vigilância por radares, monitoração ambiental e meteorológica,
recursos computadorizados e meios de telecomunicações
(satélites), com um centro de Coordenação Geral sediado em
Brasilia e três Centros Regionais de Vigilancia que se encontram em
Belém, Manaus e Porto Velho.
Seus principais objetivos são reduzir as atividades ilegais
(contrabando da fauna e da flora, tráfico de drogas, invasão de
terras indígenas) e monitorar a região protegendo o meio
ambiente, principalmente evitando o desmatamento da floresta
Amazônica.

Em 2002, o Sivam foi dividido em Quarto Centro Integrado de


Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo(Cindacta IV),
responsável pela vigilância do tráfego aéreo na região da
Amazônia Legal e Centro Gestor e Operacional do Sistema de
Proteção da Amazônia(Censipam), responsável pela gestão de
todo o Sipam.

O Projeto Radam (Radar da Amazônia) foi criado na década de


1970 com o objetivo de detalhar a geologia, o relevo, os solos e
a cartografia da Amazônia e do Nordeste brasileiros.
FRONTEIRAS TERRESTRES E MARÍTIMAS

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e


Estatística (IBGE, nosso país possui 23086 km de
fronteiras, sendo 15.719 cidade de fronteiras
terrestre e 7317 quilômetros de fronteiras marítimas.
FRONTEIRAS TERRESTRES
A fronteira terrestre representa cerca de 68% de toda a
extensão dos limites territoriais brasileiros, colocando o
Brasil em contato com dez outras nações sul-americanas.
Com exceção do Chile e do Equador, todos os países da
América do Sul fazem fronteira com o Brasil:

Ao norte: Suriname, Guiana, Venezuela e um território pertencente à


França, a Guiana Francesa.
A noroeste: Colômbia.
A oeste: Peru e Bolívia.
A sudoeste: Paraguai e Argentina.
Ao sul: Uruguai.

Os mais de 15.000 km de fronteiras continentais abrangem terras de


três grandes regiões brasileiras, sendo a maior delas a Região Norte,
que corresponde a cerca de dois terços de toda essa extensão. Os
estados que mais se destacam são o Amazonas e o Acre.
Fronteira marítima

A fronteira marítima estende-se da foz do rio Oiapoque,


no cabo Orange, na divisa do Amapá com a Guiana
Francesa, ao norte, até o arroio Chuí, na divisa do Rio
Grande do Sul com o Uruguai, ao sul.

Para regularizar os direitos de exploração e a soberania


dos países sobre a faixa de mar que banha o seu litoral,
foi ainado um tratado internacional – a Convenção das
Nações Unidas sobre o Direito do Mar (CNUDM), realizada
na Jamaica.
As ilhas oceânicas

Alguns pontos distante no Oceano Atlântico


também fazem parte do território brasileiro: são as
nossas ilhas oceânicas. As mais conhecidas soa as
ilhas do arquipélago de Fernando de Noronha
(PE); as outras são a ilha de Trindade e os
arquipélagos de São Pedro e São Paulo e de
Martim Vaz.

O Atol das Rocas também faz parte dessa cadeia


de montanhas.
• Primeiro marcador aqui

Classe Grupo A Grupo B • Segundo marcador aqui


Classe 1 82 85 • Terceiro marcador aqui
Classe 2 76 88

Classe 3 84 90
DOIS LAYOUTS DE CONTEÚDO COM
SMARTART
• Primeiro marcador aqui
• Segundo marcador aqui
• Terceiro marcador aqui Tarefa 1
Grupo
A Tarefa 2

Tarefa 1 Grupo
Tarefa 2 B

Grupo
Tarefa 1
C

Você também pode gostar