Você está na página 1de 20

1

Atmosfera é uma camada gasosa muito fina que envolve a Terra.

Quais as funções da atmosfera?

A atmosfera funciona como uma cobertura protectora que nos separa do ambiente
hostil que é o espaço cósmico.

A atmosfera absorve a maior parte da radiação electromagnética proveniente do Sol,


nomeadamente as radiações U.V.

A atmosfera é, também responsável pela estabilização da temperatura terrestre,


evitando as variações extremas que existem em outros planetas que não têm
atmosfera.
2
3
4
5
6
Arrefecimento da Terra provocou a condensação do vapor de água
tendo a chuva originado os primeiros oceanos e dissolvido grande
parte do dióxido de carbono (CO2).

O dióxido de carbono foi-se dissolvendo, a pouco e pouco, na


água dos oceanos, dando origem a rochas sedimentares
carbonatadas, pelo que a sua concentração na atmosfera baixou
drasticamente.

7
Para a libertação do oxigénio para a atmosfera foi decisivo o
aparecimento de organismos vivos capazes de realizar a fotossíntese -
seres autotróficos- (seres capazes de sintetizarem a sua própria
matéria orgânica) - cianobactérias -, à custa do dióxido de carbono
existente. Este processo, só é possível à custa da luz.

8
O oxigénio inicialmente produzido foi absorvido pelas águas dos oceanos,
ricas em ferro, formando-se rochas sedimentares ricas em óxido de ferro,
mais tarde acumulou-se na atmosfera.

9
 O azoto foi-se acumulando na atmosfera à medida que se libertava
da crosta terrestre.

 O azoto atmosférico é fixado através de bactérias capazes de


produzirem amoníaco, desencadeando ciclos bioquímicos que
conduzem à formação de aminoácidos, as unidades estruturais
das proteínas que entram na constituição dos tecidos vivos.

 É indispensável a absorção do azoto atmosférico, dado o seu papel


na alimentação e crescimento dos seres vivos;

 Moderador da acção química do oxigénio.

10
11
12
A atmosfera está a sofrer alterações na sua constituição,
sobretudo a nível dos seus componentes minoritários.

Essas alterações são devido a causas antropogénicas e a causas


naturais

13
14
Poluentes Primários – quando são emitidos
directamente para a atmosfera.

Poluentes Secundários – quando resultam de


reacções que ocorrem na atmosfera envolvendo
poluentes primários.

15
 A concentração destes componentes tem sofrido
variações pois devido à actividade natural da Terra e
humana, passaram a ser produzidos a uma velocidade
maior do que aquela em que são consumidos e a sua
concentração aumenta obrigatoriamente, o que os
torna prejudiciais para os seres vivos, transformando-

os em poluentes.

16
 Agravamento do efeito de estufa CO2, CFC, CH4, N2O;
 Destruição da camada de ozono CFC;
 Contribuição para as chuvas ácidas SO2, NO2;
 Smog (partículas em suspensão na atmosfera) NOx, SO2;
 Aparecimento do ozono junto ao solo .

17
Toxicidade Crónica: quando não origina a morte imediata, mas provoca
perturbações que decorrem da acumulação dos seus efeitos a longo prazo.
Esta não pode ser quantificada.

Toxicidade Aguda: provoca a morte em 24 horas. Esta pode ser


quantificada através da dose letal DL50 – dose que produz morte..

DL50: a dose letal (DL50) de uma substância corresponde à massa de


substância necessária para provocar a morte, ao fim de determinado
tempo, a 50% dos organismos vivos da espécie testada.
O seu valor exprime-se em miligramas de produto tóxico por
quilograma de massa corporal.
18
A toxicidade é diferente de espécie para espécie.
19
20