Você está na página 1de 19

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL

Aula 7

Clara Brum
Ética da Advocacia

Honorários advocatícios
Art. 22 ao art. 26 do EOAB;
Art. 35 ao 43, CED/1995.
Art. 48 ao 54, CED/2015
Ética da Advocacia

Natureza jurídica: alimentícia (STJ, inf. 345/STF)

Tipos:

1. Convencionados/contratados: pactuado entre o cliente o


advogado;

Critério mínimo: tabela da OAB – art 41, CED/1995. O advogado


não deve fixar honorários abaixo da tabelo, salvo por motivo
plenamente justificável.
Ética da Advocacia

As tabelas de honorários estabelecidas pelos


Conselhos Seccionais são simples referenciais nas
relações entre cliente e advogado, como decidiu o
Órgão Especial do Conselho Federal da OAB (Proc.
N.200/97/OEP), sendo apenas vinculante para o
advogado que os cobrar do Estado quando prestar
assistência jurídica aos necessitados (LÔBO, 2009, p.
141).
Ética da Advocacia

Tipos:

2. Arbitrados judicialmente: ocorre na falta de


estipulação ou acordo entre advogado e cliente, ou
quando o advogado patrocina juridicamente
necessitado na ausência da defensoria pública.

(Serão fixados pelo Juiz tomando como critério a


tabela de honorários e o art. 36 do CED/1995. Serão
pagos pelo Estado.)
Ética da Advocacia

Tipos:
3. Sucumbência: concedidos por sentença, nas
ações judiciais. Trata-se de direito autônomo do
advogado.
Ética da Advocacia

Art. 48, § 1°, CED: contrato, por escrito.


Art. 48, § 2º, CED: compensação de créditos quando o
contrato a autorizar.
Art. 48, § 3º, CED: despesas do processo.
Art. 48, § 6º, CED: a tabela de honorários como mínimo.
Art. 48, § 7º, CED: execução autônoma dos honorários a
receber.
Art. 49, CED: critérios para fixação de honorários.
Ética da Advocacia

• O advogado tem direito autônomo para executar seus


honorários, podendo o precatório ser expedido em seu
favor – art. 23, EOAB;

• No falecimento ou incapacidade civil do advogado, os


sucessores ou representantes legais recebem os
honorários inclusive os sucumbenciais – art. 24, § 2º,
EOAB;
Ética da Advocacia

• Sugestão: na ausência de estipulação em contrato escrito - um


terço no início, outro até decisão em 1ª instância e o restante o final
( art. 22, § 2º, EOAB);

• Desistência ou transação não prejudica os honorários (art. 24, §


4º, EOAB;

• A execução poderá ser promovida nos mesmos autos ou em ação


autônoma (art. 22, § 4º EOAB)

• Os honorários da sucumbência não excluem os contratados ( art.


35, § 1º, EOAB).
Ética da Advocacia

O contrato escrito e a sentença que fixar honorários são


títulos executivos(art. 585, CPC) e constituem crédito
privilegiado geral na forma do art. 83, inciso V, alínea C
da Lei 11.101/2005. (art. 24, EOAB)
Ética da Advocacia

Crédito privilegiado geral: art. 24, EOAB c/c art. 83, V,


alínea c, Lei 11.101.

Art. 83, Lei de Falência: A classificação dos créditos na


falência obedece à seguinte ordem:

V - créditos com privilégio geral, a saber:

c) Os assim definidos em outras leis civis e comerciais,


salvo disposição contrária desta Lei;
Ética da Advocacia

Quota Litis

CED, Art. 50. Na hipótese da adoção de cláusula quota


litis, os honorários devem ser necessariamente
representados por pecúnia e, quando acrescidos
dos honorários da sucumbência, não podem ser
superiores às vantagens advindas a favor do cliente.
Ética da Advocacia

Art. 50, § 1º do CED. A participação do advogado em


bens particulares do cliente só é admitida em caráter
excepcional, quando esse, comprovadamente, não tiver
condições pecuniárias de satisfazer o débito de
honorários e ajustar com o seu patrono, em instrumento
contratual, tal forma de pagamento.
Ética da Advocacia

Art. 50, § 2º, CED. Quando o objeto do serviço jurídico


versar sobre prestações vencidas e vincendas, os
honorários advocatícios poderão incidir sobre o valor de
umas e outras, atendidos os requisitos da moderação e
da razoabilidade.
Ética da Advocacia

Prescrição para ação de cobrança de honorários:


art. 25, EOAB

Prescreve em 05 (cinco) anos a contar do:


• Vencimento do contrato;
• Trânsito em julgado quando arbitrado judicialmente;
• Ultimação da atividade extrajudicial;
• Desistência, transação, renúncia ou revogação do
mandato (o termo inicial é o dia útil seguinte).
Ética da Advocacia

Art. 25-A.
Prescreve em cinco anos a ação de prestação de
contas pelas quantias recebidas pelo advogado de
seu cliente, ou de terceiros por conta dele (art. 34,
XXI). (Incluído pela Lei nº 11.902, de 2009)
Referências:
BRASIL. Estatuto da Advocacia e da Ordem dos Advogados do
Brasil. Lei 8.906, de 4 de julho de 1994. Coleção Saraiva de Legislação.
20 ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL. Código de Ética e Disciplina


da OAB. 2015.

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL. Regulamento Geral do


Estatuto da Advocacia e da OAB. 13 de fevereiro de 1995. Coleção
Saraiva de Legislação. 20 ed. São Paulo: Saraiva, 2014.
Referências:
COÊLHO, Marcus Vinicius Furtado. Comentários ao novo código de
ética dos advogados. São Paulo: Saraiva, 2016.

GONZAGA, Álvaro de Azevedo; NEVES, Karina Penna; BEIJATO


JUNIOR, Roberto. Estatuto da advocacia e novo Código de Ética e
Disciplina da OAB comentados. Rio de Janeiro: Forense; São Paulo:
Método, 2016.

LÔBO, Paulo L. N. Comentários ao Estatuto da Advocacia e da OAB.


São Paulo: Saraiva, 2015.
Como é ser um Filósofo?

Clara Maria Cavalcante Brum de Oliveira


Possui graduação em Comunicação Social - Faculdades
Integradas Hélio Alonso (1990), graduação em Filosofia pela
Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2000), graduação em
Direito pela Universidade Estácio de Sá (2005) e mestrado em
Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1998).
Atualmente é professora assistente da Universidade Estácio de
Sá. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Ética,
atuando principalmente nos seguintes temas: metodologia,
filosofia da ciência, filosofia, filosofia política e filosofia do direito.
Lattes: http://lattes.cnpq.br/2000062113086870