Você está na página 1de 17

DIREITOS DA MULHER NO

TRABALHO
Princípio da igualdade de direitos e obrigações:

“Homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos


termos desta constituição.”
art. 5º, I da CF/88

“Os preceitos que regulam o trabalho masculino são aplicáveis ao


trabalho feminino, naquilo em que não colidirem com a
proteção especial instituída por este capítulo.”
art. 372 da CLT

“proteção ao mercado de trabalho da mulher, mediante incentivos


específicos, nos termos da lei;”
Art. 7º, XX, da CF/88
 Norma de ordem pública

 Proteção a mãe trabalhadora

 Gestação e parto

 Período inicial da maternidade


Atos de discriminação:

Lei 9.029/95: proíbe atos de discriminação (pré contratual)


Ex. Exigir atestado de gravidez e esterilização da mulher

Lei 9.799/99: proíbe atos de discriminação (contratual)


Proteção ao trabalho da mulher

 Compleição física: peso máximo para mulher: 20 kg para


trabalho contínuo e 25 kg para o trabalho ocasional (art. 390 da
CLT)

 Proteção a maternidade (Art. 391 e seguintes, da CLT)

 Velhice (lei 8.213/91)


 idade
Proteção a maternidade

“licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, com


duração de 120 dias.”
(art. 7º, XVIII da CF/88 c/c art. 392 caput da CLT)

 Estabilidade:
(...) fica vedada a dispensa arbitrária ou sem justa causa da
empregada gestante, desde a confirmação da gravidez até cinco
meses após o parto.
Art. 10, II, b, do ADCT
 Exames demissionais

 Art. 373-A, IV, da CLT


Outros direitos previstos nas normas
infraconstitucionais

 Atestado médico (art. 392, §1º da CLT)


 Parto antecipado (art. 392, §3º da CLT)

 Aborto (Art. 395, da CLT)

 Consultas médicas (art. 392, §4º, II, da CLT)

 Transferência de função (art. 392, §4º, I, da CLT)

 Rompimento contratual (art. 394, da CLT)

 Amamentação (art. 396, da CLT)


Aborto
 Terapêutico (Art. 128, inciso I, do Código Penal)

 Humanitário (Art. 128, inciso II, do Código Penal)

Parto Prematuro
 23ª semana

 Classificação Estatística Internacional de Doenças e


Problemas Relacionados à Saúde (CID-10).
 Portaria nº 1.311, de 12 de setembro de 1997, do
Ministério da Saúde

Natimorto
 Art.7º, VIII, da CF/88 c/c Art. 10, II, b, do ADCT
Falecimento da genitora

Em caso de morte da genitora, é assegurado ao cônjuge ou


companheiro empregado o gozo de licença por todo o
período da licença-maternidade ou pelo tempo restante a
que teria direito a mãe, exceto no caso de falecimento do
filho ou de seu abandono.

(Art. 392-B, da CLT)


Pagamento do salário maternidade

 Benefício previdenciário

“salário-maternidade é devido à segurada da Previdência


Social, durante 120(cento e vinte) dias, com início no
período estre 28 (vinte e oito) dias antes do parto e a data
de ocorrência deste, observadas as situações e condições
previstas na legislação no que concerne à proteção à
maternidade.”

Art. 71 da Lei 8.213/91


 Valor do salário-maternidade
Programa empresa cidadã – PEC
Lei 11.770/08
Requisitos:
a) Empresa tenha aderido ao PEC;
b) Pedido de prorrogação deve ser feito, pela empregada, até o
fim do 1º mês após o parto.

 Exigência: durante a prorrogação a mulher não poderá deixar


a criança em creche sob pena de perder o direito a
prorrogação.
Estabilidade da gestante
Súmula: 244 do TST:
“I. O desconhecimento do estado gravídico pelo empregador não
afasta o direito ao pagamento da indenização decorrente da
estabilidade.
II. A garantia de emprego à gestante só autoriza a reintegração se
esta se der durante o período de estabilidade. Do contrário, a
garantia restringe-se aos salários e demais direitos
correspondentes ao período de estabilidade.
III. A empregada gestante tem direito a estabilidade provisória
prevista no art. 10, inciso II, alínea b, do Ato das Disposições
Constitucionais Transitórias, mesmo na hipótese de admissão
mediante contrato por tempo determinado.”
 Aviso prévio: trabalhado ou indenizado
Art. 391-A, da CLT

“A confirmação do estado de gravidez advindo no curso do


contrato de trabalho, ainda que durante o prazo do aviso prévio
trabalhado ou indenizado, garante à empregada gestante a
estabilidade provisória prevista na alínea b do inciso II do art. 10
do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.”
6.1 Possibilidade de perda da estabilidade

 Falta grave (art. 482 da CLT)

 Técnica

 Situação financeira
Trabalhadora que adota

Prazo da licença maternidade para mulheres que adotam


Lei 12.010/09
Art. 392 – A da CLT

Prazo previdenciário para pagamento de salário maternidade


para mães adotantes:
Lei 8.213/91 art. 71-A
Ao segurado ou segurada da Previdência Social que adotar ou
obtiver guarda judicial para fins de adoção de criança é devido
salário-maternidade pelo período de 120 (cento e vinte) dias.
Creche
Os estabelecimentos em que trabalharem pelo menos 30
mulheres com mais de 16 anos de idade terão local
apropriado onde seja permitido às empregadas guardar sob
vigilância e assistência os seus filhos no período da
amamentação. (art. 389, §1º, da CLT)

Auxílio Creche
Portaria MTE nº3.296/86
Reembolso creche
Acordo ou convenção coletiva
“Dar tratamento isonômico às partes significa
tratar igualmente os iguais e desigualmente
os desiguais na exata medida de suas
desigualdades.”

Nery Júnior