Você está na página 1de 5

Técnicas de Leitura

Atenção: As técnicas de leitura apresentadas aqui só


fazem sentido quando o ato da leitura não se restringe a
esse único objetivo: ‘absorver conteúdo’.
Essas técnicas de leitura garantirão o máximo
aproveitamento do material bibliográfico quando
objetivarmos pensar a partir dos conceitos e das
informações presentes nos textos, ou seja, usá-los para
pensar nosso universo, para interrogá-lo, para refletirmos
sobre ele e sobre nossa ação no mundo.
Sublinhar
 É dar destaque às ideias principais do texto, para
isso, é necessário diferenciar as ideias principais
das demais.
 Você pode e deve criar uma legenda própria para
fazer marcações no texto que está explorando.
 Atenção! Acervos públicos são coletivos e não
devem ter partes de seu conteúdo textual marcados.
Pense bem... Como seria ler um texto marcado ou
interrogado por outra pessoa? Com outras questões
e proposições diferentes das suas em destaque?
Esquematizar
 É registrar em arquivo de texto, fichário, ou em
caderno próprio, os pontos principais do texto.
 Fazemos isso redigindo nosso próprio esquema, ou
seja, com nossas palavras.
 Se quiser utilizar a frase tal como estava no texto
(que está esquematizando) deve indicar que essa
transcrição foi feita e de qual página retirou o
fragmento de texto (frase) que reescreveu em seu
próprio registro. Lembre-se da lição de Zanella: essa
seria uma citação direta.
 Atenção às particularidades dessa tarefa apontadas
por Zanella nas páginas 38 e 39.
Resumir

 É sintetizar as ideias do autor. Apresentar em


um texto com poucas linhas o que foi
trabalhado em um texto mais longo.
 Para resumir é preciso compreender o texto
que será resumido, sublinhá-lo, bem como,
registrar suas principais ideias.
 Veja os exemplos nas páginas 39 e 40 de
Zanella.
Sobre a documentação...
 Essas técnicas de leitura são, na verdade, maneiras
de documentar nossos estudos.
 A documentação, nesse caso, não é a simples
comprovação dos estudos que fizemos, mas, um
modo de nos apropriarmos daquelas ideias. Quando
documentamos também interagimos com as
informações, relações de causalidade e inferências
que compõem o texto.
 Essa interação é fundamental para que possamos
construir conhecimento.
 Veja os modelos de documentação sugeridos por
Zanella.