Você está na página 1de 18

Cálculo II

Limites e Continuidade de Funções


de Várias Variáveis
Limite e Continuidade de
Funções de 2 Variáveis
O limite da função f(x,y), quando (x,y) tende para um valor (x0,y0), é
o número L (se existir) e é representado por
lim f ( x, y )  L
( x , y ) ( x0 , y0 )

Se o limite existir (resultar em um valor finito e real) no ponto (x0, y0),


dizemos que a função é contínua neste ponto. Caso contrário a função
será descontínua no ponto. O mesmo é válido para um intervalo, isto é, a
função é contínua num intervalo quando o limite existe em todos seus
pontos desse intervalo. Em geral é fácil verificar a continuidade das
funções, por simples inspeção da mesma.
Limite e Continuidade de
Funções de 2 Variáveis
Nas funções abaixo o limite existirá sempre, com exceção nas
restrições.
Limite e Continuidade de
Funções de 2 Variáveis
Limite e Continuidade de
Funções de 2 Variáveis
Limite e Continuidade de
Funções de 2 Variáveis
Limite e Continuidade de
Funções de 2 Variáveis
Limite

O conceito de limite de funções ordinárias pode ser


estendido para funções de várias variáveis. Assim,
diz-se que f(x,y) tende para um valor definido L (ou
que lim f(x,y) = L), quando o par (x,y) se aproxima
de (xo,yo), se quanto mais perto (x,y) estiver de
(xo,yo), mais perto f(x,y) estará de L.
lim x xo f ( x, y )  L
y  yo
ou
lim ( x, y )( xo , y0 ) f ( x, y )  L
Limite de f(x,y)
Propriedades dos Limites

Considerando f(x,y) e g(x,y) funções de duas variáveis, com


lim (x,y)(xo,yo) f(x,y) = L e lim (x,y)(xo,yo) g(x,y) = M  0.
1º) lim (x,y)(xo,yo) L = L
2º) lim (x,y)(xo,yo) K.f(x,y) = k.lim (x,y)(xo,yo) f(x,y) = k.L
3º) lim (f + g) = lim f + lim g = L + M
4º) lim (f / g) = lim f / lim g = L / M
5º) lim f ( x, y)  lim f ( x, y)  L
6º) De maneira geral,
Lim {[OP[f(x,y)]} = OP[lim f(x,y)] = OP(L)
Calculando Limites

 3 2 xy 2
 x 2
yz 
1) lim x2  5 x yz  7 xyz 
3

y 2  x  yz 
z 1

2.2.2 2
 2 2
.2(1)
 5.2 .2.(1)  7.2.2(1) 
3 3
 106
2  2(1)

x y
3 3
0 0 3
0 3
2) lim ( x , y )( 0,0)  
x y 00 0
( x  y )( x  xy  y )
2 2
 lim ( x , y )( 0,0) 0
x y
Calculando Limites

Determinar o valor dos seguintes limites, quando existirem:


x  xy  3
1) lim x 0
y 1 x 2  5 xy  y 3

2) lim x 3 x2  y2
y  4

x 2  xy
3) lim x 0
y 0 x y
Calculando Limites

Determinar o valor dos seguintes limites, quando existirem:


Calculando Limites

Para o cálculo de limites de funções polinomiais e


“funções lineares” é só substituir os valores para os
quais de x e y estão tendendo. Para funções
racionais, quando ocorre indeterminação, ao fazer
este procedimento, deve-se então usar a regra dos
“dois caminhos”.
Exemplo da Regra dos Dois Caminhos

x y
2 2
Mostrar que lim 2 não existe.
x y 2

Como f(xo,yo) = 0/0 = indeterminação


Regra dos Dois Caminhos

Então, façamos, (x,y) tender para (0,0), pelo eixo x e pela reta
y = x (“dois caminhos”).
x 2  02
(1º caminho) lim x 0 1
y 0 x 0
2 2 Os limites são
diferentes, logo
y2  y2
(2º caminho) lim x 0 0 não há o limite.
yx y  y
2 2

1°caminho

x
Continuidade de Funções de Várias Variáveis

O conceito de continuidade de uma função f(x,y) é o mesmo


já descrito para funções ordinárias.

Assim, diz-se que uma função f(x,y) é contínua em (xo,yo), se


lim(x,y)⃗(xo,yo)f(x,y) existe e é igual à f(xo,yo).

EXEMPLO:
x2 y
Mostrar que f ( x, y)  4 não é contínua em (x,y) = (0,0)
x y 2
Propriedades da Continuidade

Se f(x,y) e g(x,y) são contínuas em (xo,yo), então:

• f(x,y) + g(x,y) também é contínua.

• f(x,y) . g(x,y) também é contínua.

• f(x,y) / g(x,y) também é contínua.

• u(x,y) = w[g(x,y)] também é contínua.