Você está na página 1de 19

II grupo

 É a reacção química do oxigénio com


materiais combustíveis em cujo processo se
apresentam luz e rápida produção de calor. A
diferença entre a reacção química de
oxidação clássica (ferrugem, zinabre,
alumina, etc.) e a de combustão é a
velocidade com que esta última ocorre,
independente da quantidade de calor
liberado.
Em uma combustão completa, o reagente irá
queimar no oxigénio, produzindo um número
limitado de produtos e uma chama oxidante,
azul. Quando um hidrocarboneto queima no
oxigénio, a reacção gerará apenas dióxido de
carbono (𝑪𝑶𝟐 ) e água
Carvão: C + O2 → CO2
 Para que isto ocorra o oxigénio (ar) deve ser
fornecido em excesso.
 O excesso de ar (oxigénio) é expresso como
uma percentagem do ar (oxigénio) requerido
para oxidar (queimar) completamente o
combustível.
 Para maximizar a eficiência da combustão,
um baixo excesso de ar é necessário.
 Na combustão incompleta não há o
suprimento de oxigénio adequado para que
ela ocorra de forma completa. O reagente irá
queimar em oxigénio, mas poderá produzir
inúmeros produtos.
Combustão incompleta do metano:
 CH4(g) + 3/2 O2(g) → CO(g) + 2H2O(l) ΔH =
- 520 kJ/mol
 CH4(g) + O2(g) → C(s) + 2H2O(l) ΔH = -
408,5 kJ/mol
 Insuficiente mistura ar-combustível (causando
localmente zonas de misturas ricas e misturas
pobres).
 Fornecimento insuficiente de ar à chama
(fornecimento de menor quantidade de oxigénio
do que requerido).
 Tempo insuficiente de permanência dos
reactantes na chama (impedindo completar a
reacção de combustão).
 Chama entrando em contacto com uma superfície
fria (extinção da reacção de combustão).
 Temperatura de chama muito baixa (reacção de
combustão lenta).
 A principal característica de qualquer
combustível é gerar calor. Esta propriedade é
chamada de Poder Calorífico e é definida
como sendo a quantidade de calor
desprendida pela combustão estequiométrica
do combustível. O Poder calorífico é definido
em unidades de energia por unidade de
massa. PC =
𝑸 𝒈𝒆𝒓𝒂𝒅𝒐
𝒎𝒂𝒔𝒔𝒂/𝒗𝒐𝒍𝒖𝒎𝒆 𝒒𝒖𝒆𝒊𝒎𝒂𝒅𝒐
 Conforme a Combustão, um dos produtos da
queima de qualquer combustível é a água.
Dependendo da fase desta água, a
quantidade de calor liberada muda. Nos
casos extremos, a água pode estar
totalmente no estado líquido ou no estado
gasoso. Em função disso, costuma-se
fornecer dois valores de Poder Calorífico; o
superior e o inferior.
 O Poder Calorífico Superior – PCS representa
o calor liberado pela combustão tendo toda a
água resultante na fase líquida e o Poder
Calorífico Inferior – PCI representa o calor
liberado pela combustão estando toda a água
resultante no estado gasoso.
A diferença entre eles é a entalpia de
vaporização da água formada na reação e da
água previamente existente no combustível
 PCI=PCS-2440 × 𝟗 × 𝐇 + 𝛍
 Onde:
 PCI é o Poder Calorífico Inferior [kj/kg];
 PCS é o Poder Calorífico Superior [kj/kg];
 H é o teor de hidrogênio no combustível
[kJ/kg em base seca];
 μ é o teor de umidade do combustível [kg de
água/ kg de combustível seco];
 O Poder Calorífico Superior é normalmente
medido em laboratório e o PCI inferior é
obtido utilizando-se a expressão acima.
Como a temperatura dos gases de combustão
é muito elevada nas máquinas térmicas, a
água contida neles se encontra sempre no
estado de vapor. Portanto, deve-se
considerar sempre o poder calorífico inferior
e não o superior.
 Considerando uma combustão estequiométrica e
com os reagentes e produtos nas condições
normais de temperatura e pressão -CNTP- o
calor gerado pela reação será dado pela diferença
entre a entalpia absoluta dos reagentes e dos
produtos. Portanto, por definição, o poder
calorífico e a entalpia da combustão serão dados
por: ∆𝒉𝒄 = 𝒉𝒑 - 𝒉𝒓
Onde:
 𝒉𝒑 é a entalpia dos produtos da reação;

 𝒉𝒓 é a entalpia dos reagentes.


 Se ∆𝒉𝒄 for menor do que zero, a reação é
exotérmica e, se for maior do que zero, é
endotérmica. O poder calorífico PCI é igual a
entalpia de combustão ∆𝒉𝒄 com sinal
trocado.
Combustível Poder Calorífico Poder Calorífico
Superior (a 25ºC e 1 atm) Inferior (a 25ºC e 1 atm)

Hidrogénio 141,86 kJ/g 119,93 kJ/g

Metano 55,53 kJ/g 50,02 kJ/g

Propano 50,36 kJ/g 45,6 kJ/g

Gasolina 47,5 kJ/g 44,5 kJ/g

Gasóleo 44,8 kJ/g 42,5 kJ/g

Metanol 19,96 kJ/g 18,05 kJ/g


 Para a gasolina: Para o benzol:
 PCI = PCS - 780 Kcal/Kg PCI = PCS - 415
 Para álcool etílico: Para o óleo diesel:
 PCI = PCS - 700 PCI =PCS - 730
 Para álcool metílico:
 PCI = PCS – 675
 O conhecimento do poder calorífico de um
combustível são de vital importância para a
otimização do processo de combustão e uso
racional do mesmo. O poder calorífico é
também usualmente designado de “efeito
calorífico absoluto” ou “potência calorífica”.
 Os combustíveis para os motores de
combustão interna são selecionados com
base no poder calorífico do combustível. Se o
combustível tem maior poder calorífico que
terá tendência a produzir mais potência no
motor. Os combustíveis com menor poder
calorífico tendem a queimar de forma
ineficiente, assim, causando muita exaustão e
ar-poluição.
 O carvão mineral, também designado hulha
ou carvão de pedra, é praticamente carbono
puro, ou seja, não tem hidrogénio para que
se possa formar água durante a sua
combustão. A queima do carvão produz
apenas 𝐶𝑂2 , pelo que é dos combustíveis
mais poluentes.
𝑪(𝒔) + 𝑶𝟐 (𝒈) −−→ 𝑪𝑶𝟐 𝒈 + calor