Você está na página 1de 38

DELÍRIOS:

QUEM SÃO?
DE ONDE VÊM?
O QUÊ SIGNIFICAM?
RESIDÊNCIA MÉDICA DE PSIQUIATRIA FEAS/SMS CURITIBA
R2- FRANCIELY LOPES
Delírios- Definição

 “ Delírios são falsos julgamentos tomados com


extraordinária convicção e incompatível certeza
subjetiva, imunes a outras experiências e a contra-
argumentos convincentes.” (SIMS, 2018)

 Campo do pensamento e julgamento


Delírios- Definição

 JASPERS (1959)
1- São falsos julgamentos
2- São mantidos com extraordinária convicção e incomparável
certeza subjetiva
3- São imunes a outras experiências e a contra-argumentos
convincentes
4- Seu conteúdo é impossível
 Críticas
Dimensões dos delírios

 Kendler et al (1983):
• Convicção
• Extensão
• Bizarrice
• Desorganização
• Pressão
• Resposta afetiva
• Comportamento desviante resultante de delírios
Delírios Primários

 Não estão ocorrendo em repostas à outra forma


psicopatológica ( ex. transtorno de humor). São
fundamentalmente não compreensíveis.
 Delírios verdadeiros
Delírios Primários- Tipos

 Segundos Jaspers:
• Delírio autóctone
• Intuição delirante
• Atmosfera delirante
• Memória delirante
Delírio Autóctone

 Surge “do nada”, repentinamente


 Intuição delirante
 É autorreferente
 Grande importância para o paciente.
Percepção Delirante

 Ocorre quando um paciente recebe uma percepção


normal que é então interpretada com significado
delirante e tem enorme significado pessoal Ex:
sintoma de primeira ordem da esquizofrenia
 O objeto se torna significativo dentro de um campo de
sensações
 O objeto se torna revestido de importância delirante
Atmosfera Delirante

 O mundo do paciente parece ter sido alterado: “alguma


coisa estranha está acontecendo”.
 Experiencia do mundo ao redor como misterioso, peculiar,
de forma indefinível.
 Sabe que está pessoalmente envolvido, não sabe como.
 As peças logo irão se encaixar
Memória Delirante

 Interpretação delirante de uma memória normal


 A recordação em si é uma falsa memória impregnada
de interpretação delirante
 Delírios retrospectivos
Delírios Secundários

 São compreensíveis no contexto de outros fenômenos


anormais como: humor anormal, percepção anormal,
crença primária anormal. Ex: delírios grandiosos na
mania ou niilistas nos transtornos depressivos.
 Ideias deliróides
Atribuição no Delírio

 TEORIA DA ATRIBUIÇÃO SOCIAL ( Kaney e Bentall, 1989,


1992):
• Pacientes delirantes fazem atribuições externas, estáveis e
globais para eventos negativos : ( “o fato de eu ter
quebrado minha perna prova mais uma vez que os maçons
estão atrás de mim”)
• Atribuições excessivamente internas, estáveis e globais para
eventos positivos: ( “ todos sorriem e acenam quando me
veem porque eu sou um enviado de Deus para salvar o
mundo”)
Delírio e Significado na Vida

 Considera-se que, para alguns, a formação do delírio é


adaptativa no combate á sensação de falta de
propósito, solidão, sentimento de inferioridade, uma
experiência de liberdade, proteção contra mágoas do
passado...
CONTEÚDO DOS DELÍRIOS

Persecutório Ciúme Mórbido Infedilidade Amor

Falsa
Identificação Grandiosos Religiosos Culpa
delirante

Niilistas Hipocondríacos Infestação


Delírio Persecutório

 Conteúdo mais frequente


 Interferências de forças externas
 Delírios de discriminação – variável
 Geralmente vivencia a perseguição como uma influência
vaga
 Afeto associado pode variar: de apatia a intenso terror
Delírio Persecutório

 Ocorrem em diferentes condições:


• Esquizofrenia
• Psicoses afetivas tipo maníaco – hiperatividade grave e fuga
de idéias
• Psicoses afetivas tipo depressivo – assume o “colorido”
característico
• Estados Orgânicos
• IDÉIAS PERSECUTÓRIAS SUPERVALORIZADAS SÃO UMA
FACETA PROEMINENTE DO TIPO QUERELANTE DE TRANSTORNO
DE PERSONALIDADEPARANÓIDE.
A Realidade dos Delírios

 A medida que o paciente atua sobre sua crença


 Conteúdo do delírio é importante pois revela informações
sobre o provável comportamento do paciente
Ideia Supervalorizada

 Ideia aceitável, compreensível, seguida pelo paciente além


dos limites da razão, geralmente associada a uma
personalidade anormal
 É tão dominante que todas as ideias se tornam secundárias,
causando sofrimento para a pessoa
 A vida do paciente “gira em torno” daquela ideia.
Ideias e Síndromes Paranoides

 Paranoide autorreferente
 Delírio paranoide é de autorreferência, não
necessariamente de natureza persecutória
 Transtorno de Personalidade Paranoide Tipo de
personalidade anormal no qual a reação das pessoas é
indevidamente autorreferente, um estado paranoide .
 Predomina ideias deliroides de referência ou ideias
supervalorizadas.
TRANSTORNO DELIRANTE
Epidemiologia

 Prevalência EUA 0,2 a 0,3%


 Idade média de início- 40 anos ( 18-90 anos)
 Leve preponderância sexo feminino
Etiologia

 Causa desconhecida
 Fatores Biológicos:
• Condições neurológicas  sist.límbico e gânglios da base
• Resposta normal a experiências anormais no ambiente (
SNC SNP)
Etiologia- Psicodinâmica

Norman Cameron  7 situações que favorecem o desenvolvimento de transtorno


delirante:
• Forte expectativa de receber tratamento sádico
• Situações que aumentam a desconfiança e a suspeita
• Isolamento social
• Situações que aumentam a inveja e o ciúme
• Situações que diminuem a autoestima
• Situações que fazem as pessoas verem seus próprios defeitos nos outros
• Situações que aumentam o potencial de ruminação sobre prováveis
significados e ruminações
Etiologia- Psicodinâmica

“ Quando a frustração decorrente de qualquer combinação


dessas condições excede o limite tolerável, as pessoas se
tornam retraídas e ansiosas, percebem que algo está errado,
buscam uma explicação para o problema e cristaliza mum
sistema delirante como solução”.
Etiologia- Psicodinâmica

 Comunidade percebida de conspiradores


 Medos e desejos projetados para justificar a agressividade
do paciente e oferecer alvo tangível para as suas
hostilidades
 Desconfiança a um ambiente familiar hostil: mãe
controladora e pai distante e sádico
 Mecanismos de defesa: FORMAÇÃO REATIVA/ PROJEÇÃO /
NEGAÇÃO
Etiologias Médicas
Possíveis

Kaplan, 2017
Fatores de Risco

 Idade avançada
 Comprometimento sensorial e isolamento
 História Familiar
 Isolamento social
 Características da personalidade
 Imigração recene
Estado Mental

 Descrição geral: Pacientes bem arrumados e bem vestidos


Podem parecer excêntricos
 Humor, sentimentos e afeto: Compatível com o conteúdo.
Características depressivas
 Sencopercepção: Não têm alucinações proeminentes e
contínuas
Estado Mental

 Pensamento
Conteúdo delirante do pensamento
Geralmente são sistematizados e caracterizados como
possíveis
Pode ser complexo ou simples
Não apresentam outros sinais de transtorno do pensamento
Estado Mental

 Orientação e Memória- sem particularidades


 Controle de impulsos- Verificar a possibilidade do paciente
agir em função do delírio ( suicídio, homicídio ou outra
violência)
 Insight- Não têm entendimento algum sobre sua condição
 Confiabilidade- Informações confiáveis, exceto quando
contrariam o sistema delirante
Diagnósticos Diferenciais

 Transtorno obsessivo compulsivo e transtornos relacionados:


Se um indivíduo com TOC está totalmente convencido da
veracidade das crenças de seu transtorno, o diagnóstico
transtorno obsessivo compulsivo, com o especificador com
insight ausente/ crenças delirantes deve ser feito.
Diagnósticos Diferenciais

 Esquizofrenia e transtorno esquizofreniforme: Ausência dos


demais sintomas característicos da fase ativa da
esquizofrenia.
Diagnósticos Diferenciais

 Transtornos depressivos e bipolar e transtorno


esquizoafetivo: Podem ser diferenciados pela relação
temporal entre a perturbação do humor e os delírios e a
gravidade dos sintomas de humor.
 Delírios exclusivamente nas fases de humor quando TAB ou T.
depressivo com sintomas psicóticos
 Quem tem transtorno delirante pode ter episódio de humor,
que é curta em relação ao primeiro
Tratamento

 Os pacientes não se queixam de sintomas psiquiátricos e


muitas vezes entram em tratamento contra a sua vontade.
 Redução do impacto do delírio na vida do paciente e
familiares
 Relação médico-paciente consistente
 Psicoterapia-
• Orientadas ao insight
• TCC
Kaplan, 2017
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
OBRIGADA