Você está na página 1de 28

Saneamento II

SUMIDOURO
A NBR 13969 (ABNT, 1997) define
sumidouro como sendo um “poço
escavado no solo, destinado à depuração e
disposição final do esgoto no nível
subsuperficial”.
Também é conhecido como poço
absorvente, e seu uso é indicado somente a
locais em que o nível do lençol freático é
profundo. Não possui laje de fundo e sua
função é permitir a penetração dos
efluentes do tanque séptico no solo.
Características
O sumidouro pode ser cilíndrico ou prismático e
possuir suas paredes formadas por blocos
cerâmicos ou placas pré-moldadas, dispostos de
forma a permitir a infiltração dos efluentes
líquidos no solo.

Suas dimensões são determinadas conforme a


capacidade de absorção do solo, e sua altura
conforme o nível do lençol freático.
Materiais
O sumidouro pode ser feito com blocos de
concreto/cerâmica em crivo ou com anéis
pré-moldados de concreto, previamente
furados.

A laje (tampa) deve ser feita com uma ou mais


placas de concreto armado, podendo ser
moldadas no local ou pré-moldadas e seu
fundo é revestido com uma camada de brita.

Todos os materiais devem possuir resistência


física e mecânica para combater os esforços
aos quais está submetido.
Funcionamento
Para absorver os efluentes que saem
do tanque séptico, o sumidouro utiliza a
capacidade de infiltração natural do terreno.

Como esses efluentes são lançados


diretamente no solo, é necessário que o fundo
desse sumidouro esteja a uma distância
mínima de 1,50m do lençol freático, para
evitar os riscos de contaminação.
Operação e Manutenção
Os efluentes líquidos que vão para o sumidouro ainda
possuem materiais orgânicos, e a presença desses
materiais colmatam a superfície do solo ao redor do
sumidouro, diminuindo a sua capacidade de infiltração.

Esse fator é um dos mais importantes para determinar o


intervalo das manutenções que devem ser realizados no
sumidouro. Sempre que possível o sumidouro deve ser
projetado em duas unidades para permitir uso alternado.

Recomenda-se a inspeção do sumidouro a cada seis


meses, e em caso de uma grande redução da capacidade
de absorção do solo, deve-se construir uma nova unidade
para a recuperação do sumidouro.
No caso da ocorrência da colmatação, o solo deverá ser
removido. O contato da superfície colmatada diretamente
com o ar recupera a capacidade de infiltração do solo,
através da eliminação do biofilme. Para um bom resultado
na recuperação da capacidade de infiltração do solo, esse
contato da parede do sumidouro diretamente com o ar
deve ser de pelo menos seis meses.

Para sumidouros que não serão mais utilizados, estes


devem ser cheios por pedras ou terra.
Uma medida que retarda a colmatação do sumidouro é a
passagem do esgoto gerado na cozinha pela caixa de
gordura. Essa medida diminui a quantidade de gordura no
esgoto e evita que a parede do sumidouro em contato
com o solo seja impermeabilizada.
Condições Específicas
Distâncias mínimas
De acordo com as recomendações da NBR 13969 (ABNT,
1997) deverão ser seguidos:

a) Distância vertical mínima de 1,5 m entre o fundo do


sumidouro e o nível máximo do lençol freático;

b) Distância horizontal mínima de 1,5 m entre as paredes de


poços múltiplos, outras construções, limites de terrenos e
ramal predial de água; 3 metros de árvores e pontos da rede
pública e 15 metros de poços freáticos e corpos d’água devem
ser respeitadas;
c) A menor distância entre as faces internas do
sumidouro (menor diâmetro) deverá ser de 0,3 m.

d) Distância mínima permitida entre sumidouro e


qualquer manancial ou fonte de captação d’ água é 30
metros.

e) Quando a contribuição for maior que 4000 litros , é


recomendável dividir em dois sumidouros tendo cuidado
em afastá-los entre si de uma distância maior que 3 vezes
sua maior dimensão, e nunca menor que 6 metros.

f)A tubulação entre fossa séptica ao sumidouro deverá


ter um caimento de 2% no mínimo, ou seja, 2 cm por
metro de tubulação.
Parâmetros e Critérios de Projeto
Para o projeto do sumidouro devem ser
analisados os seguintes dados:
a) Número de pessoas a serem atendidas;

b) Contribuição de despejos;

c) Taxa máxima de aplicação diária.( Ensaio de


Absorção solo)
A taxa máxima de aplicação diária é obtida
através da taxa de percolação do solo.
Dimensionamento sumidouro
As dimensões da fossa sumidouros são determinados
em função do volume do efluente do esgoto e da
capacidade de absorção do solo (percolação).

1º Passo: Determinação do Volume de Contribuição Diária


Efluente.

2º Passo: Determinação do coeficiente de infiltração (C1)


Para determinação do coeficiente de infiltração C1 é
necessário realizar o ensaio de infiltração conforme
descrito no item B-9 da norma NBR 7229/1993.
A área de absorção necessária é determinada
pelo:

 Volume do efluente diário (número de


usuários x consumo de água por pessoa)
 Coeficiente de percolação (ver teste de
percolação)
TESTE DE PERCOLAÇÃO:
Cavar um buraco de 0,15m x 0,35m cuja
profundidade deve ser a do fundo da vala, no
caso do campo de absorção ou a
profundidade média, em caso de fossa
sumidouro (absorvente);
 Colocar cerca de 5 cm de brita "0" no
fundo do buraco;
 Encher o buraco de água e esperar que seja
absorvida;
 Repetir a operação por várias vezes, até que
o abaixamento do nível da água se torne o
mais lento possível;
Escavação da cava no nível do sumidouro cava vertical com 15 cm de diâmetro e 35
centímetros de profundidade

Colocação de cerca de 5 cm de brita "0" noApós a saturação coloca 15 centímetros de


fundo do buraco. água na cava acima da brita,medindo a
diferença do nível de água a cada 10 minutos
3ºPasso: Cálculo da área de infiltração do solo

Para o cálculo da área de infiltração do solo utiliza-se fórmula


apresentada no item B-10 na norma NBR 7229/1993:

A= V/C1

Em que:
A= área de infiltração necessária, em m² , para sumidouro ou vala
de infiltração.
V= volume de contribuição diária, em L/dia, que resulta da
multiplicação do número de contribuintes (N) pela contribuição
unitária de esgotos (C)
C1= coeficiente de infiltração (L/m² x dia) obtido no gráfico para
determinação do coeficiente de infiltração.
4ºPasso:
Determinação das dimensões do sumidouro

A=π +R²+ 2. π. R .h
Em que:
 h = a altura útil necessária em metros
 A = área necessária em m²
 R = raio (adotado o valor)
Etapas Construtivas
Escavação
Alvenaria Concluída
Detalhe da amarração do
sumidouro e dos tijolos maciços em
crivo.
Finalização da alvenaria do tijolo
maciço.
Detalhe da alimentação que
alimenta o sumidouro.
Camada de brita no fundo do
sumidouro.
Detalhe de argamassa para
assentamento da tampa.
Detalhe da tampa
Tampa assentada e vedada.

Interesses relacionados