Você está na página 1de 1

VARIAÇÃO DA DENSIDADE A GRANEL DE CAVACOS DE Eucalyptus saligna

EM FUNÇÃO DAS SUAS DIMENSÕES E DA UMIDADE


Autores: Marcia C. H. de Souza1, Eduardo R. dos Reis1, Kênia P. Serafim1, Cristiane Pedrazzi1, Patrícia de Oliveira2, Celso E. B. Foelkel 3, Sonia M. B. Frizzo1.

1 Laboratório de Química da Madeira 2 Universidade Federal do Rio Grande do Sul 3 Grau Celsius Ltda
Departamento de Química-CCNE 92500-000 – Porto Alegre 91330-520 – Porto Alegre
Universidade Federal de Santa Maria Rio Grande do Sul – Brasil Rio Grande do Sul – Brasil
97105-900 – Santa Maria – RS – BR poliveira@riocell.com.br foelkel@pro.via-rs.com.br
sofrizzo@terra.com.br

Resumo Resultados
O setor de papel e celulose no Brasil é um do mais atuantes segmentos industriais de base florestal, sendo a sua principal característica a
total sintonia com as tendências mundiais, com a escala de produção, equipamentos de última geração, produtos "world class", permanente QUADRO 1: Densidade a granel e densidade básica das diferentes QUADRO 2: Algumas composições otimizadas de cavacos para maiores valores de
frações de cavacos densidades a granel e efeito da forma de pressão e acomodação dos cavacos
atualização tecnológica e controle ambiental. O uso da madeira de eucalipto como matéria-prima produtora de celulose de fibra curta é uma
evidência inquestionável e se reveste de uma grande importância estratégica para o Brasil e para esse setor industrial. A densidade básica é
uma das variáveis da madeira que mostra maior correlação com a quantidade de celulose produzida pelos digestores no processamento Densidade a granel
Tipo de Densidade a granel Densidade COMPOSIÇÕES OTIMIZADAS
industrial. O consumo de madeira em metros cúbicos para produção de uma tonelada de celulose está diretamente relacionado com a Cavacos básica da madeira Padrão 5 Batidas 0,35kgf/cm2
Padrão 5 Batidas 0,35kgf/cm2
densidade básica da madeira e rendimento do processo; conhecendo-se estes parâmetros é possível estimar, com relativa precisão, as Sobre-espessos 0,168 0,172 0,190 0,500 g/cm3 0 % Serragem,5% Palitos,5% Sobre-espessos e 90% Normais 0,158 0,165 0,183
Normais 0,477 g/cm3 2% Serragem,5% Palitos,5% Sobre-espessos e 88% Normais 0,158 0,165 0,183
necessidades de madeira de uma operação industrial que produza celulose. A qualidade dos cavacos utilizados para a polpação são 0,158 0,165 0,183
2%Serragem,5% Palitos,10% Sobre-espessos e 83 % Normais
Palitos/mini-cavacos 0,118 0,128 0,155 0,459 g/cm3 0,161 0,168 0,185
determinantes na operação de cozimento e na qualidade final dos produtos celulósicos. Uma das qualidades dos cavacos é sua densidade a Serragem 0,104 0,118 0,153 0,403 g/cm3 4% Serragem,10% Palitos,10% Sobre-espessos e 76% Normais 0,161 0,171 0,193
granel, às vezes conhecida também como grau de compactação. O presente estudo objetivou avaliar as propriedades dos cavacos de
madeira de Eucalyptus saligna destinados à produção de celulose para papel, visando a obtenção de uma melhor qualidade na preparação
dos cavacos e em melhor produtividade na sua utilização industrial.
CONSISTÊNCIA versus DENSIDADE A GRANEL
0,200
Introdução
A densidade da madeira é um fator importante para a indústria de celulose e papel por sua relação com o processamento industrial e com a 0,190

qualidade dos produtos finais. Ela apresenta diferenças entre espécies de madeiras, diferentes árvores de uma mesma espécie e diferentes

Densidade a granel .
0,180
posições de uma mesma árvore (Flores, 1999).
Torna-se necessário saber que variáveis afetarão a qualidade dos cavacos e o efeito que elas terão na operação de cozimento e na Figura 1 – Influência da consistência dos cavacos 0,170
normais (entre 2 e 8 mm de espessura) sobre a
qualidade da celulose resultante. O aumento da densidade básica da madeira é acompanhado por uma maior dificuldade de picagem das
densidade a granel (grau de compactação) padrão, 5 0,160
toras, ocasionando o maior desgaste das facas do picador, além de maior proporção de cavacos de maiores dimensões (lascas e sobre- batidas e 0,35kgf/cm2.
espessos), dificultando a impregnação destes e levando a uma menor produção de polpa depurada, com um maior teor de rejeitos na 0,150

polpação. Atualmente, é comum selecionar-se madeiras de Eucalyptus que apresentem uma densidade básica por volta de 450 kg/m3, com 0,140
limites entre 400 e 550 kg/m3. A partir desse valor limite superior, o teor de rejeitos e o consumo de álcali ativo aumentam muito. Madeiras 44,59% 61,34% 88,51% 91,12%
% Consistência
com baixa densidade, por outro lado, levam à redução de rendimento de polpa base volume de digestor, podendo até mesmo resultar em Padrão 5 Batidas 0,35kgf/cm2
perda de produtividade industrial (Silva, 2000).
Durante muito tempo, o comprimento dos cavacos foi considerado a dimensão mais importante na produção de celulose, isso porque o
picador tem seu corte ajustado para essa dimensão. Porém, mais recentemente foi constatado, e é universalmente aceito , que a espessura Conclusões
é responsável pela maior homogeneidade da polpa, quando o processo de deslignificação for o kraft (Silva Junior, 1997). • valor máximo da densidade a granel (grau de compactação) foi 0,193 t a./cm3 para uma mistura de 4% de serragem, 10% de palitos,
10% de sobre-espessos e 76% de cavacos normais, com a pressão de 0,35 kgf/cm2;
Este estudo objetivou testar a industrial de frações de cavacos, através da medida de suas dimensões, visando minimizar seus resíduos.
 a fração de cavacos que apresentou maior densidade básica ( 0,500 g/cm2) foi a de cavacos sobre-espessos;
Material e Métodos  os graus de consistência situados entre 88 e 92% são os ideais para um maior densidade a granel;
AMOSTRAGEM:  as variações dimensionais da madeira mostraram-se importantes na variação dos valores da densidade a granel;
MADEIRA DE Eucalyptus saligna  ao realizar esse estudo, verificou-se que todas as frações de cavacos poderão ser aproveitadas eliminando a quantidade de rejeitos da
indústria, otimizando assim, melhor, a relação matéria prima produto final.
CAVACOS
Bibliografia
CLASSIFICAÇÃO DAS FRAÇÕES EM FUNÇÃO DE SUAS DIMENSÕES • FLORES, D. M. M.; CARDOSO, G.V.; FOELKEL, C.E.B.; FRIZZO, S.M.B. Amostragem de árvores para estudos tecnológicos da madeira
para produção de celulose: tamanho da amostra, número de repetições e variabilidade das propriedades para um clone de Eucalyptus
MÉTODOS DE ANÁLISE: saligna Smith. In.: 32º Congresso Anual da ABTCP. São Paulo. Anais... São Paulo, 1999. p. 01-17. Trabalho premiado como “Melhor
DENSIDADE BÁSICA TEOR DE UMIDADE ANÁLISE GRANULOMÉTRICA Aplicabilidade Prática” pelo Sindicato do Papel do Estado de São Paulo.
• SILVA JUNIOR, F. G. DA, Polpação Kraft do eucalipto com adição de antraquinona, polissulfetos e surfactante. Campinas, SP :
COMPOSIÇÃO DOS TRATAMENTOS UNICAMP, 1997. 116f. Tese (Programa de Pós-Graduação - Doutorado). Universidade Estadual de Campinas.
CLASSIFICAÇÃO DOS CAVACOS- TAPPI 265 om - 93
• SILVA, J. DE CASTRO et al, Importância do eucalipto para a industria de celulose no Brasil, Revista de madeira, Curitiba, PR, Set. 2001.
UMIDADE - TAPPI 210 cm - 93 p.90-92. Suplemento especial.
 DENSIDADE A GRANEL
 PADRÃO DENSIDADE BÁSICA & DENSIDADE A GRANEL -
TAPPI 258 om - 94 adaptada • TECHNICAL ASSOCIATION OF PULP AND PAPER INDUSTRY, Basic density and moisture content of pulpwood. Atlanta, TAPPI,
 5 BATIDAS
1994, 6p. ( T 258 om-94 ).
 PRESSÃO
___. Natural dirt in wood. Atlanta: TAPPI, 1994, 3p. ( T 265 om-93 ).
___.Sampling and testing wood pulp shipments for moisture. Atlanta: TAPPI, 1994, 3p. ( T 210 cm-93)
SATURAÇÃO EM ÁGUA E CONSISTÊNCIA ATÉ SECO ABSOLUTO
• UFSM. Estrutura e apresentação de monografias, dissertações –MDT. Santa Maria: PRPGP/UFSM, 5 ed.,2000.