Você está na página 1de 34

CURSOS DA ÁREA DA SAÚDE

DISCIPLINA DE NEUROANATOMOFISIOLOGIA

Sistema Nervoso
Periférico
Professora: Dra. Natália Pagnussat Steffen
e-mail: natalia.pagnussat@fsg.br

Caxias do Sul, 09 de maio de 2018.


Divisão anatômica do SN
Sistema Nervoso Periférico
Pode ser dividido em:

- Sistema nervoso somático: todos os nervos espinais que inervam a


pele, articulações, músculos, e estão sob controle voluntário;

- Sistema nervoso visceral: também chamado de vegetativo,


involuntário, autônomo, contêm neurônios que inervam órgãos
internos, vasos sanguíneos e glândulas.
Sistema Nervoso Periférico (SNP)

Componentes do SNP:
a) Nervos (cranianos e espinais);
b) Plexos nervosos;
c) Gânglios nervosos (corpos celulares de neurônios fora do SNC);
d) Terminações nervosas (receptores para dor, tato, frio, pressão, calor,
paladar, motricidade, etc).
Sistema Nervoso Periférico (SNP)

a) NERVOS
- São fios finos formados por vários
axônios de neurônios envolvidos por
tecido conjuntivo;
- Transmitem mensagens de várias partes
do corpo para o SNC ou do SNC para
diferentes regiões corporais.
Sistema Nervoso Periférico (SNP)
Nervos
Os nervos periféricos consistem em feixes paralelos de axônios circundados
por três bainhas de tecido conjuntivo:
- Endoneuro: separa os axônios individualmente;
- Perineuro: circunda feixes de axônio denominados fascículos;
- Epineuro: envolve todo o tronco nervoso.

Os tecidos conjuntivos protegem


os axônios e suportam as
mudanças de comprimento que
os nervos sofrem durante os
movimentos.
Sistema Nervoso Periférico (SNP)

Corte transversal de um nervo periférico exibindo três fascículos:


Classificação dos nervos
1) Quanto ao tipo de neurônio
- Sensoriais ou aferentes (contém apenas neurônios sensoriais);
- Motores ou eferentes (contém apenas neurônios motores);
- Mistos (contém neurônios sensitivos e motores).

2) Quanto à posição anatômica


- Cranianos (ligados ao encéfalo) – 12 pares
- Espinais ou raquidianos (ligados à medula) – 31 pares
Nervos cranianos
- Fazem conexão com o encéfalo (cérebro, cerebelo e tronco encefálico);

- Servem a pele, os músculos da cabeça e os órgãos especiais dos


sentidos;

- São 12 pares de nervos cranianos.


Nervos cranianos
Nervos cranianos
FUNÇÕES DOS NERVOS CRANIANOS:
FUNÇÕES DOS NERVOS CRANIANOS:
Nervos espinais
- Fazem conexão com a medula espinal;
- São 31 pares que saem da medula, a cada espaço intervertebral;
- São responsáveis pela inervação do tronco, membros e parte da cabeça;
- Ramos posteriores: sensitivos;
- Ramos anteriores: motores.

- 8 pares na região cervical;


- 12 pares torácicos;
- 5 pares lombares;
- 5 pares sacrais;
- 1 par coccígeo.
Nervos espinais
Nervos espinais
Cada nervo espinal é formado pela união das raízes dorsal (sensitiva) e
ventral (motora), as quais se ligam, respectivamente, aos sulcos lateral
posterior e lateral anterior da medula através de filamentos radiculares.
O movimento é essencial para a saúde dos nervos

- O movimento promove o fluxo sanguíneo por toda a extensão dos


nervos, suprindo as necessidades de O2 e nutrientes, além de
remover resíduos;

- Os fascículos deslizam dentro dos nervos, e os nervos deslizam com


relação às outras estruturas;

- Os tecidos conjuntivos suportam as alterações em comprimento que


os nervos sofrem durante os movimentos.
O movimento é essencial para a saúde dos nervos

O nervo mediano chega a ser aproximadamente 10 cm mais longo


quando o cotovelo e o punho estão estendidos do que quando
flexionados.

À medida que um nervo é esticado, o endoneuro, perineuro e epineuro


se alongam, os axônios desdobram-se e os fascículos deslizam uns em
relação aos outros.
O movimento é essencial para a saúde dos nervos

Esse aumento sem causar lesão só é possível pelo enrugamento dos


axônios dentro do endoneuro (tecido conjuntivo) quando o nervo não
está esticado.

À medida que o nervo é encurtado, os processos se invertem.

Quando o alongamento excede a capacidade destes mecanismos,


desenvolve-se esforço de tração nos tecidos neurais.
Sistema nervoso periférico (SNP)

b) PLEXOS NERVOSOS
- São formas de organização dos nervos raquidianos ou espinais, que nascem
na medula espinal e distribuem-se pelos órgãos a que estão destinados:
I) Plexo Cervical;
II) Plexo Braquial;
III) Plexo Lombar;
IV) Plexo Sacral.
SNP: Plexos nervosos

I) Plexo cervical
- Se origina dos ramos anteriores de C1 a C4 e situa-se profundamente ao
músculo esternocleidomastoideo;
- Fornece informações sensoriais cutâneas da parte posterior do couro
cabeludo à clavícula e inerva músculos anteriores do pescoço e diafragma;
- O nervo frênico é o mais importante ramo individual neste plexo, pois é o
único suprimento motor e o principal nervo sensorial para o diafragma.
SNP – Plexo cervical
SNP: Plexos nervosos

II) Plexo braquial


- Formado pelos ramos anteriores de C5 a T1;
- Emerge entre os músculos escalenos anterior e médio, passa
profundamente à clavícula e entra na axila;
- Na parte distal da axila, os axônios do plexo tornam-se os nervos radial,
axilar, ulnar, mediano e musculocutâneo;
- Todo o membro superior é inervado por ramos do plexo braquial.
SNP – Plexo braquial
SNP: Plexos nervosos

III) Plexo lombar: Formado


pelos ramos anteriores de L1 a
L4. Forma-se no músculo psoas
maior. Inerva a pele e os
músculos anteriores e mediais
da coxa. Um ramo cutâneo do
plexo, o nervo safeno,
continua até a perna e inerva a
parte medial da perna e do pé.

Os ramos dos plexos cervical, braquial e lombar fornecem a


inervação simpática.
SNP: Plexos nervosos

IV) Plexo sacral: Inerva a parte posterior da coxa e a maior parte da perna e
do pé;
- Ao contrário dos outros plexos, quem contêm axônios simpáticos, o plexo
sacral contém axônios parassimpáticos.
SNP: plexos nervosos
Sistema nervoso periférico (SNP)

c) GÂNGLIOS NERVOSOS
- Aglomerado de corpos celulares de neurônios encontrados fora do SNC;
- Aparecem como pequenas dilatações em certos nervos;
- Existem muitos gânglios nervosos espalhados pelo corpo e eles
funcionam como estações de interligação entre neurônios e estruturas do
organismo.
Sistema nervoso periférico (SNP)

d) TERMINAÇÕES NERVOSAS
- Sensitivas (receptores) ou motoras;
- Captam estímulos do meio interno ou externo e os levam para o SNC;
- Localizadas em todo o corpo.
Terminações nervosas sensitivas (receptores)
Podem ser classificadas como LIVRES ou ENCAPSULADAS:
- Terminações nervosas sensitivas livres: são mais frequentes, envolvidas na
percepção e sensação da dor;
- Terminações nervosas sensitivas encapsuladas: formam os “corpúsculos”,
tato e pressão da pele das mãos e pés, sensibilidade vibratória do tecido
celular subcutâneo das mãos e pés, peritônio, cápsulas viscerais, frio, calor.
Terminações nervosas sensitivas especiais:

- Estruturas de morfologia mais complexa e que fazem parte dos órgãos


especiais dos sentidos localizados na cabeça;

- Exemplos: botões gustativos (gustação), órgão de Corti (audição), mácula


estática e crista ampular (equilíbrio), cones e bastonetes (visão), receptores
olfativos (olfato).
Terminações nervosas motoras
- SOMÁTICAS: terminam no músculo estriado esquelético (auxiliam nos
movimentos voluntários);
- VISCERAIS: terminam no músculo liso, cardíaco e glândulas.
Leitura complementar recomendada
- CAPÍTULO 11 - LUNDY-EKMAN, L. Neurociência: Fundamentos para
reabilitação. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.
Bibliografia
- LUNDY-EKMAN L. Neurociência: Fundamentos para reabilitação. 3.
ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

- MACHADO ABM. Neuroanatomia Funcional. 2. ed. São Paulo:


Atheneu, 2000.

- PURVES D; AUGUSTINE GJ; FITZPATRICK D et al. Neurociências. 4.


ed. Porto Alegre: ARTMED, 2010.