Você está na página 1de 24

EVANGELHO DE LUCAS

Lucas: único autor grego do NT

«23Saudações de (…) 24Marcos, Aristarco, Demas,


LUCAS, os meus colaboradores» (Flm 1,24).
«4,14Saúda-vos LUCAS, o médico amado, e Demas»
(Cl 4,14).
«4,11Somente LUCAS está comigo» (2 Tm 4,11).

Companheiro de Paulo na 2ª e 3ª viagens missionárias


Data: 80-90
Um historiador crente
O mais comprido dos evangelhos
40% material próprio
Destinatário: Teófilo (nome pessoal ou colectivo?)
Comunidades nascida em terras pagãs
O único evangelho sinóptico com prólogo Lc.1-2
História:
1. Tempo da Promessa 2. O tempo de Jesus. 3. Igreja
«1,1Uma vez que muitos lançaram mãos (epikeiréô)
para expor uma narração (diêgêsis) acerca dos factos
(prágmata) que foram cumpridos (peplêrophorêménôn: part. perf.
pass. de plêrophoréô) entre nós, 2como no-los transmitiram
(paradídômi) desde o princípio (ap’ archês) testemunhas
oculares (autóptai), que se tornaram servidores
(hypêrétai) da palavra, 3pareceu-me também a mim,
tendo controlado (parakolouthéô) tudo desde o começo
(ánothen) com acribia (akribôs), escrever-te de forma
ordenada (kathexês), excelentíssimo (kratiste) Teófilo, 4para
que conheças profundamente (epiginôskô) a segurança
(aspháleia) das palavras acerca das quais foste
instruído (katêchéô)» (Lc 1,1-4).
Evangelho de Lucas (estrutura)

Lc 1,1-4 = Prólogo histórico (A)

Lc 1,5-2,52 = Ev. da Infância (B)

Lc 3,1-9,50 = Ministério na Galileia (C)

9,51-19,27 = Partida /subida a Jerusalém (D)

Lc 19,28-21,36 = Ministério em Jerusalém (C’)

Lc 22,1-23,56 = Paixão – Morte – Sepultura (B’)

Lc 24,1-53 = Ressurreição – Aparições – Promessa do Espírito (A’)


LUCAS

I. O EVANGELHO MISSIONÁRIO
II. O EVANGELHO ABERTO AO MEIO
III. O EVANGELHO DO ESPÍRITO SANTO
IV. O EVANGELHO DA ORAÇÃO
V. O EVANGELHO DA ALEGRIA
I. O EVANGELHO MISSIONÁRIO
.

Lc 8,16; cf. 11,33 (Luz)


Lc 6,17-26 (Bem-aventuranças)

Lc 3,23-38 (Genealogia: vai até dão)


Lc 8,16; cf. 11,33
«Não se acende uma LUZ
para a cobrir
com um recipiente,
nem para a colocar
debaixo da cama,
mas no candelabro,
para que os que entram (hoi eisporeuómenoi)
vejam a luz».
Mt 5,15
«não acendem uma LUZ
para a colocar
debaixo do alqueire,
mas no candelabro,
e alumia todos
os que estão em casa (toîs en tê oikía)».
Lc 6,17-26
17Tendo descido com eles, ficou de pé num lugar
plano, e um grupo numeroso dos seus discípulos e
uma multidão numerosa do povo (laós) de toda a
Judeia e de Jerusalém e do litoral de Tiro e de
Sídon, 18que tinham vindo para o escutar e fazer-se
curar das suas doenças. E aqueles que eram
atormentados por espíritos impuros eram curados,
19e toda a multidão procurava tocá-lo, porque uma

força saía dele e curava todos.


II. O EVANGELHO ABERTO AO MEIO

1. Até João / Jesus / Igreja (Lc 16,16 )

«16,16A Lei e os Profetas até João.


A partir daí o Reino de Deus é evangelizado
(euaggelízetai)».
2. Pobres e doentes Pecadores Mulheres

Isabel
Maria
15,1-32 Misericórdia Ana
18,9-14 Publicano Viúva de Naim (7,11-17)
Pec. agraciada (7,36-50)
1,46-55 Magnificat 23,39-43 Bom ladrão
Maria Madalena
2,25-38 Simeão e Ana Marta e Maria
Mulheres curadas(8,1-3)
4,18-19 Nazaré
Mulher curvada (13,10-14)
6,17-26 Bem-aventuranças O juiz e a viúva (18,1-5)
16,19-31 Lázaro Filhas de Jer. (23,27-28)

17,11-19 Dez leprosos

»»»
«1,46… ENGRANDECE a minha alma o SENHOR,
47e EXULTA o meu espírito em DEUS, MEU SALVADOR,

48porque ELE OLHOU (epiblépô) para a humildade da Sua serva.


Na verdade, desde agora me dirão bem-aventurada
todas as gerações,
49porque FEZ em mim grandes coisas

o TODO-PODEROSO,
e SANTO é o Seu NOME.
50E a Sua GRAÇA/MISERICÓRDIA (éleos) por gerações e gerações,

para aqueles que O temem.


51FEZ força com o Seu braço,

DISPERSOU os soberbos no pensamento do seu coração.


52DEPÔS os poderosos dos tronos,

e EXALTOU os humildes.
53Os famintos ENCHEU de bens,

e os ricos DESPEDIU de mãos vazias.


54VEIO em socorro de Israel, seu servo,

LEMBRANDO-SE da Sua GRAÇA/MISERICÓRDIA (éleos),


55como tinha FALADO aos nossos pais,
a Abraão e à sua descendência, para sempre» (Lc 1,46-55).
«3,1No décimo quinto ano do império de TIBÉRIO CÉSAR (14-

37), sendo PÔNCIO PILATOS governador da Judeia (26-36),

HERODES (Antipas) tetrarca da Galileia (4 a.C.-39 d.C.), seu

irmão FILIPE tetrarca da Itureia e da Traconítide (4 a.C.-34

d.C.), LISÂNIAS tetrarca de Abilene, 2no pontificado de ANÁS

e CAIFÁS (18-37), veio a palavra de Deus sobre JOÃO,

filho de Zacarias, no deserto» (Lc 3,1-2).


«6,20Felizes vós, os pobres,
porque vosso é o reino de Deus;
21Felizes vós que tendes fome agora,
porque sereis saciados;
Felizes vós que chorais agora,
porque rireis;
22Felizes sois vós, quando os homens vos
odiarem, e quando vos expulsarem e insultarem
e rejeitarem o vosso nome como mau
por causa do Filho do Homem».
3. Caminhar – 51x Lc; 37x Act / 29x Mt; 3x Mc; 13x Jo; 8x Paulo

Caminho – lugar da GRAÇA na obra de Lucas – 20x Lc; 20x Act

2,44; 9,31.51; 10,4.31.33.37.38; 13,22.33; 17,11;


24,13.15.17.28(2x).32.35…

«13,33É necessário (deî) que hoje, amanhã e depois de


amanhã EU CAMINHE (poreúomai), pois não é possível
que um profeta morra fora de Jerusalém».
III. O EVANGELHO DO ESPÍRITO SANTO

Lucas é o Evangelista do Espírito Santo (13x Lc


contra 4x Mt, 2x Mc, 5x Jo)

1,15 João Baptista 3,22 Jesus


1,35 Maria 4,1 Jesus
1,41 Isabel 10,21 Jesus

1,67 Zacarias 11,13 O Pai dará


2,25 Simeão 12,10 Blasfémia contra
2,27 Simeão 12,12 Ensinará (Espírito Santo)
3,16 Jesus baptizará
»»»
«3,19O tetrarca Herodes, admoestado por causa de
Herodíades, mulher de seu irmão, e por causa de
todas as más acções que havia cometido,
20acrescentou a tudo ainda isto: pôs João na prisão.
21Ora, tendo todo o povo (laós) sido baptizado, e no
momento em que Jesus, também baptizado, se
achava em oração, o céu abriu-se 22e o ESPÍRITO
SANTO desceu (katabênai: aor. inf.) sobre ele (ep’ autón) em
forma corporal (sômatikô eídei), como uma pomba (hôs
peristerán). E do céu veio uma voz: “Tu és o meu Filho;
eu hoje te gerei!”» (Lc 3,19-22).
IV. O EVANGELHO DA ORAÇÃO
Jesus em Oração
Lc 3,21; 5,16; 6,12; 9,18; 9,28; 10,21; 11,1; 22,40-46; 23,34; 23,46.

«3,21Ora, tendo todo o povo (laós) sido baptizado, e


no momento em que Jesus, também baptizado, se
achava EM ORAÇÃO (proseúchomai), o céu abriu-se
22e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma
corporal, como uma pomba. E do céu veio uma voz:
“Tu és o meu Filho; eu hoje te gerei!”».
V. O EVANGELHO DA ALEGRIA
Desde logo, o nascimento de João Baptista será ocasião de ALEGRIA e
REGOZIJO (1,14), e foi ocasião para os vizinhos e parentes se ALEGRAREM
com Isabel, sua mãe (1,58).

Também Maria ouve a saudação de Gabriel, que soa: «ALEGRA-TE, cheia de


graça, o Senhor está contigo!» (1,28).

E quando Maria saúda Isabel, esta exclama que o menino (João Baptista)
dançou de REGOZIJO no seu ventre (1,44).
E no Magnificat, Maria canta o seu REGOZIJO em Deus seu Salvador (1,47).

E aos pastores o anjo anuncia uma grande ALEGRIA, para eles e para todo o
povo (2,10).

- Cf. Bem-Aventuranças, Zaqueu, Parábolas de Lc.15; alegria dos discípulos


depois da Ressurreição
O EVANGELHO DESTE DOMINGO
Lc.9,51-62
51Como estavam a chegar os dias [cumpriu-se o tempo; ao
completarem-se os dias…] de ser levado (elevado, levantado) deste

mundo [ascensão]: Lc.24,50, Jesus dirigiu-se resolutamente


(endureceu o rosto): Is.50,7:) para Jerusalém 52e enviou
mensageiros à sua frente (Ml.3,1). Estes puseram-se
a caminho e entraram numa povoação de
samaritanos, (universalismo) a fim de lhe prepararem
hospedagem. 53 Mas não O receberam, porque ia
a caminho de Jerusalém (porque tinha o rosto voltado para Jerusalém .
)

54Vendo isto, os discípulos Tiago e João


disseram: «Senhor, queres que digamos que
desça fogo do céu (Jesus não é Elias: II Re.1,10) e os
consuma?» 55Mas Ele, voltando-se, repreendeu-
os. 56E foram para outra povoação.
9,51 “endureceu o rosto”… (Is.50,7)

Esta formulação solene assinala a importância da


partida de Jesus a caminho de Jerusalém, onde se
vai cumprir o mistério pascal. Aqui começa uma
longa secção (v.51-19,28), onde Lc apresenta
numerosos elementos que lhe são próprios,
juntamente com alguns comuns a Mt e a Mc.

A secção é dominada pela perspectiva da Páscoa a


celebrar em Jerusalém e pelo cuidado de Jesus em
preparar os discípulos para a sua missão, após a
sua partida (êxodo: v.31 nota).

Esta partida, ser levado deste mundo, pode referir-se


à morte e à ascensão do Senhor.
57Enquanto iam a caminho, disse-lhe alguém:
«Hei-de seguir-te para onde quer que fores.»
58Jesus respondeu-lhe:

«As raposas têm tocas e as aves do céu têm ninhos, mas


o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça.» [sem
domícílio, sem esposa, a sua condição é caminhar]
59E disse a outro: «Segue-me.»

Mas ele respondeu:


«Senhor, (Lc. Único a chamar Jesus, o Senhor, quando fala dele) deixa-me ir
primeiro sepultar o meu pai.» 60Jesus disse-lhe: «Deixa
que os mortos sepultem os seus mortos. Quanto a ti, vai
anunciar o Reino de Deus.» 61Disse-lhe ainda outro: «Eu
vou seguir-te, Senhor, mas primeiro permite que me
despeça da minha família.» 62Jesus respondeu-lhe:
«Quem olha para trás, depois de deitar a mão ao arado,
(cf. I Re.19,20-21 - Jesus é diferente de Elias) não é apto para o
Reino de Deus».
Seguir Jesus
não e simplesmente imitá-lo.
Mas assumir existencialmente
as suas condições de vida.

Três aspirantes
Três exigências que evidenciam o carácter
absoluto do seguimento de Jesus

a)Sacrificar segurança pessoal


b)Sacrificar deveres filiais
c)Sacrificar os sentimentos e vínculos familiares

Toda a vida, por toda a vida!