Você está na página 1de 25

Equilíbrio Macroeconômico

Leonardo S. Moreira - ECO02254-Turma F


O Significado e as Condições do
Equilíbrio Macroeconômico
A macroeconomia trata do comportamento da economia como um todo — de
períodos de prosperidade e de recessão. Trata das flutuações do produto
agregado, das taxas de variação dos preços e dos níveis de emprego. Focaliza
os objetivos macroeconômicos e as variáveis que os afetam. Trata de tópicos
relevantes — é, assim, fascinante e ao mesmo tempo um desafio, à medida
que reduz os complexos detalhes da economia a sua essência manipulável.
Em macroeconomia, negligenciamos os pormenores do comportamento de
unidades econômicas individuais e tratamos do desempenho geral. Há um
custo nesta abstração: pormenores omitidos são às vezes importantes. Mas
há uma vantagem: a compreensão das interações vitais entre os mercados
agregativamente considerados.
R. DORNBUSH e S. FISCHER
Macroeconomics
Modelo abrangente de equilíbrio
macroeconômico
• Os fins e os meios da gestão macroeconômica.
• Os fatores de que depende o potencial de oferta agregada da
economia.
• Os fatores de que dependem o produto, a renda e a procura
agregadas.
• O hiato do PIB: um indicador-síntese do desempenho
macroeconômico.
• O anel hiato-preços: uma indicação mais abrangente do
desempenho macroeconômico.
• A interação entre a oferta e a procura agregadas: uma
primeira aproximação ao equilíbrio macroeconômico.
Principais Fins (Objetivos)
Produto agregado:
• Alto nível, próximo da plena capacidade da economia.
• Altas taxas de crescimento.

Emprego:
• Baixo nível de desemprego involuntário, cíclico ou estrutural.
• Expansão compatível com a dos novos contingentes que ingressam no
mercado de trabalho.

Preços:
• Estabilidade, com mercados livres.
• Níveis relativos estruturalmente equilibrados.

Transações externas:
• Equilíbrio em transações correntes com exportações e importações.
• Taxa de câmbio estável.
Principais meios (Instrumentos)
Política fiscal:
• Dispêndios do governo, de consumo e de investimento.
• Pagamentos de transferências.
• Subsídios.
• Tributos diretos e indiretos.
Politica monetária:
• Controle da oferta de moeda, afetando a taxa de juros.
• Contingenciamento das operações de crédito.
Política cambial e de relações econômicas externas:
• Intervenções no mercado cambial.
• Política de comércio: quotas, tarifas e proteções não tarifárias.
• Tratamento dado aos capitais externos de risco.
Politicas de rendas:
• Política salarial.
• Controle das demais remunerações de fatores.
Síntese das interfaces e dos
mecanismos de transmissão
Hiato do PIB
Dada a multiplicidade dos fins da política macroeconômica, seus
resultados são aferidos por uma multiplicidade de indicadores de
desempenho. Um dos indicadores-síntese é o hiato do produto: ele revela a
um só tempo como se tem comportado, cumulativamente, o produto
agregado e qual a taxa de desemprego dos recursos. O hiato do produto
mede a distância entre o produto potencial e o efetivo.
O produto potencial indica a magnitude possível do PIB (ou da oferta
agregada) se todos os recursos disponíveis forem empregados plenamente. É
a fronteira da produção da economia. O produto efetivo é o que resulta do
emprego corrente dos recursos. No máximo, o produto efetivo pode ser igual
ao potencial. Quando isto ocorre, define-se uma situação de pleno-emprego.
A distância, absoluta ou relativa, entre o produto potencial e o
produto efetivo é usualmente definida como hiato do PIB — um dos
indicadores-síntese do desempenho macroeconômico.
Hiato do PIB
O anel Hiato-Preços
A relação hiato-preços,
conceitualmente equivalente a desemprego-
inflação, foi pioneiramente estabelecida por
A. W. Phillips, baseada em dados que
cobriram um período de quase um século. A
evidência dessa relação foi um dos mais
importantes marcos da moderna
macroeconomia. A curva de Phillips, em sua
versão mais divulgada, mostra que há uma
relação inversa não linear entre taxas de
inflação e de desemprego, dois relevantes
indicadores do desempenho
macroeconômico. O tipo de relação
evidenciada é uma indicação do conflito
entre os objetivos correspondentes de
política macroeconômica.
O anel Hiato-Preços
A curva de Phillips estendida
conduz a conjuntos de combinações
desemprego-inflação que, em séries de
prazos mais longos, descrevem trajetórias
em formato de anéis. Os anéis hiato-preços
resultam da intervenção dos gestores da
política macroeconômica, que buscam
reverter desequilíbrios de tipo inflacionário
ou recessivo ou, mesmo, situações mais
complexas como as de estagflação, em que
as tensões inflacionárias ocorrem em clima
de estagnação. Dispostas em quatro
semicírculos, as quatro partes de um anel
hiato-preços típico são: 1. A inflação típica
(um ramo de curva de Phillips); 2. a
estagflação; 3. a recessão de ajuste; e 4. a
reversão do hiato
Aproximação ao Equilíbrio
Macroeconômico
O equilíbrio macroeconômico define-se por uma combinação de
nível geral de preços e de produto efetivo, que, sob dadas condições,
movimenta o sistema econômico como um todo.
O ponto de equilíbrio resulta da interação da procura e da oferta
agregadas. Graficamente, o modelo é bastante parecido com o da
determinação das condições de equilíbrio da oferta e procura de um produto,
sob condições definidas de mercado. Nem poderia ser diferente: a oferta e a
procura agregadas resultam da totalização do que ocorre em todos os
mercados. Há, todavia, diferenças substantivas quanto aos fatores que
definem as funções agregadas.
Aproximação ao Equilíbrio
Macroeconômico
A procura agregada expressa os dispêndios de todos os agentes
econômicos, consumidores, empresas e governo. Indica quanto os agentes
estão dispostos e aptos a despender em bens de consumo e de investimento,
públicos e privados, internos e externos, dados diferentes níveis de preços.
Sua trajetória típica é dada por uma relação inversa preços-quantidades. E
seus fatores determinantes são:

1. O nível da renda agregada disponível; 6. A taxa de câmbio;


2. A oferta monetária; 7. A política de comércio exterior;
3. As condições de acesso ao mercado de 8. A atratividade para investimentos
crédito; externos;
4. Os dispêndios do governo; 9. O clima interno dos negócios;
5. A tributação; 10. As expectativas dos agentes
econômicos
Aproximação ao Equilíbrio
Macroeconômico

A oferta agregada expressa o quantum de produto agregado que os


produtores, totalizados, estão dispostos a levar ao mercado, dados diferentes
níveis reais de preços. Seus fatores determinantes são as condições de
mercado e os níveis de custos de insumos e recursos e a disponibilidade dos
fatores capital, tecnologia e trabalho. Como os recursos são variáveis-
estoque, há um limite superior para a oferta agregada. Ao atingi-lo, a oferta
torna-se inelástica. Ele se inicia no ponto de pleno-emprego.
Aproximação ao Equilíbrio
Macroeconômico

O equilíbrio macroeconômico resulta da interação da oferta e da


procura agregadas. Geralmente, está abaixo do equilíbrio de pleno-emprego.
Desloca-se para baixo e para cima, aproximando-se ou afastando-se da
posição de pleno-emprego sob o efeito dos fatores condicionantes da oferta e
da procura agregadas. As variáveis-meio da política macroeconômica são os
fatores de maior peso na definição das condições em que se estabelece o
equilíbrio da economia como um todo.
PALAVRAS E EXPRESSÕES-CHAVE
 Fins da política macroeconômica  Desemprego
 Crescimento do produto  Desemprego estrutural
agregado  Desemprego cíclico
 Baixo desemprego  Desemprego friccional
 Preços estáveis
 Equilíbrio externo  Curva de Phillips
 Meios da política macroeconômica  Anel hiato-preços
 Política fiscal  Inflação típica
 Política monetária  Estagflação
 Política cambial  Recessão corretiva
 Política de rendas  Reversão do hiato
 Produto agregado
 Produto potencial  Equilíbrio macroeconômico
 Produto efetivo  Procura agregada
 Hiato do produto  Oferta agregada
 Equilíbrio a pleno-emprego
Bibliografia
• Rossetti, José Paschoal, 1941. Introdução à Economia-20.Ed. Cap.
17-São Paulo. Atlas, 2003.
• http://www.valor.com.br/valor-investe/casa-das-
caldeiras/4127770/hiato-do-emprego%E2%80%99-negativo-alivia-
inflacao-em-2016
• https://fernandonogueiracosta.wordpress.com/2015/05/03/um-
conto-de-tres-hiatos-desemprego-utilizacao-da-capacidade-
instalada-da-industria-e-produto/
• http://economia.estadao.com.br/blogs/fernando-dantas/a-
charada-do-produto-potencial/
• http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/economia/energia-
consciente/noticia/2016/03/31/bc-hiato-do-produto-sera-
considerado-em-decisoes-do-copom-228919.php
• http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/01/presidente-do-bc-
diz-que-brasil-atingiu-o-pico-da-inflacao-e-ve-queda.html
Extras
• Estagflação: Processo de dinâmica inflacionária, combinada com taxas
mais baixas de variação do PIB e expansão do hiato de desemprego. Nesta
fase, ocorrem simultaneamente dois indicadores de desempenho
macroeconômico insatisfatório: a relativa estagnação do produto efetivo e
a inflação. Os processos de estagflação são geralmente de difícil correção.
Com a redução do produto efetivo, estabelece-se um novo mecanismo de
alimentação da dinâmica inflacionária, a expansão dos custos fixos por
unidade de produtos finais. Desencadeiam-se ainda espirais
reivindicatórias de preços-salários, seguidas de repasses salários-preços.
Institucionalizam-se mecanismos de convivência com a estagnação e a
inflação, difíceis de ser quebrados.
As variáveis macroeconômicas e os fatores de definição da procura agregada.
Fatores determinantes da procura agregada Direção dos efeitos sobre a função como um todo
Para mais Para menos
Nível da renda disponível agregada Estrutura de distribuição menos concentrada Estrutura de distribuição mais concentrada

Aumento dos pagamentos de transferências Redução dos pagamentos de transferências

Tributação Redução de tributos diretos Aumento de tributos diretos

Pressão e alíquotas indiretas mais baixas Pressão e alíquotas indiretas mais altas

Dispêndios do governo Expansão: orçamento deficitário Cortes fundos: orçamento superavitário

Oferta monetária Aumento, provocando queda nos juros reais Contração, aumentando os juros reais

Condições de acesso ao mercado de crédito Facilitadas: prazos e limites ampliados Dificultadas: prazos e limites reduzidos

´Taxa de câmbio Desvalorizada: estimula procura externa líquida Valorizada: desestimulada procura externa
líquida

Politica de comércio exterior Mais proteção. Fronteiras fechadas Abertura. Facilidade de acesso a produtos
estrangeiros

Atratividade para investimentos externos Alta: entram recursos autônomos para novos Baixa: investidores externos retraídos
projetos

Clima interno dos negócios Otimismo e confiança Pessimismo generalizado

Expectativas dos agentes econômicos Favoráveis quanto ao desempenho Desfavoráveis: anteveem-se ciclos recessivos
macroeconômico

Desempenho econômico do resto do mundo Em alta: ciclo conjuntural expansionista Em baixa: ciclo conjuntural contracionista
Fatores determinantes do produto
potencial e do produto efetivo.
Determinantes do produto potencial ▪ Qualificação dos fatores. Melhor
qualificação, notadamente do capital
▪ Disponibilidade de fatores. As humano, modifica para mais o produto
quantidades disponíveis de fatores potencial da economia como um todo.
básicos de produção (terra, trabalho e ▪ Tecnologia e eficiência. O produto
capital) definem o potencial de potencial é afetado pelo nível de
produção da economia em dado eficiência operacional e pela tecnologia
momento. A variação desse potencial ao empregada no processo produtivo.
longo do tempo resulta do maior ou Inovações e melhorias tecnológicas
menor suprimento desses fatores. aumentam o nível do produto potencial
▪ Relação entre os fatores. O e interferem em sua taxa de
crescimento do capital em relação aos crescimento.
demais fatores geralmente define
diferentes padrões de produtividade,
fazendo variar os potenciais de
produção da economia.
Fatores determinantes do produto
potencial e do produto efetivo.
Determinantes do produto efetivo transferências. ▪ Expansão/redução da
carga tributária. ▪ Redução/expansão da
▪ Objetivos macroeconômicos. A oferta monetária. ▪ Restrições/liberação
mobilização dos meios de condução do de operações de crédito. ▪
processo macroeconômico pode estar Abertura/proteção em relação a
servindo aos objetivos de estabilização, importações▪ Restrições/liberação para
contraindo a procura agregada; ingresso de capitais externos de risco. ▪
contrariamente, pode estar sendo Contenção/aumento dos níveis reais de
acionada para estimular a expansão da salários.
procura agregada e do emprego, ▪ Clima, comportamento e expectativas
refletindo-se assim nos níveis da internas. Clima dos negócios, confiança
produção. nos rumos da política econômica e
▪ Mecanismos de contração/expansão. expectativas dos agentes quanto à
Mobilizam-se em direções evolução geral da economia.
contracionistas ou expansionistas os ▪ Variáveis externas. Desempenho
seguintes instrumentos de política econômico do resto do mundo,
econômica: ▪ Cortes/expansão dos notadamente das nações de maior peso
dispêndios do governo, de consumo e de e expressão.
investimento e de pagamentos de