Você está na página 1de 112

Meio Ambiente

Política de Sustentabilidade
Conceito de Sustentabilidade:
Aspectos e Impactos Ambientais

Aspecto Ambiental: é o elemento necessário para o


desenvolvimento de nossas atividades que possui
interferência com o meio ambiente.

Ex.: água, energia, óleo, resíduos, combustível, etc.

Impacto Ambiental: é a modificação do meio ambiente,


consequente dos aspectos ambientais.

Ex.: esgotamento do recurso natural, contaminação da


água, poluição do solo, poluição do ar, etc.
Aspecto ambiental Impacto ambiental
Papelão, papel (consumo) Esgotamento do recurso natural

Aspecto ambiental Impacto ambiental


Combustível (consumo) Poluição do ar
Aspecto ambiental Impacto ambiental
Resíduos (geração) Poluição da água e/ou solo

Aspecto ambiental Impacto ambiental


Água (consumo) Esgotamento do recurso natural
Aspecto ambiental Impacto ambiental
Energia (consumo) Esgotamento do recurso natural

Aspecto ambiental Impacto ambiental


Óleo mineral isolante Poluição da água e/ou solo
ONDE CONSULTAR OS ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS

DE SUA ATIVIDADE E DEMAIS INFORMAÇÕES DO SGA?


Comunicações e divulgações
Mural de Segurança e Portal Ligado
Meio Ambiente Internet

Diagrama de Risco
Pastas do tipo leque Ambiental Relato de Eventos

Disponibiliza a Política de
Sustentabilidade, Diagrama Ambiental, Todo colaborador pode relatar sua
Brigadistas, etc. dúvida ou sugestão
RELATO DE EVENTOS - MEIO AMBIENTE

Em caso de dúvidas, você também pode consultar o


Interlocutor Ambiental de sua Unidade.
Representante - meio ambiente

Quem é, e qual é a função do:

Interlocutor ambiental

Responsável, entre outras coisas, pelo acompanhamento e suporte aos


gerentes no desenvolvimento da questão ambiental em cada Unidade e na
interação com a área corporativa de Meio Ambiente.

Multiplicadores

Funcionários que, apoiados pelo interlocutor ambiental, auxiliam no


desenvolvimento das ações ambientais junto às suas Unidades.
Resíduos
Gerenciamento de Resíduos
Na AES Eletropaulo, os resíduos são classificados como:

Resíduos de Resíduos Resíduos


lixo comum recicláveis perigosos

Reciclagem
A reciclagem é o processo de reaproveitamento de materiais descartados, transformando-os
em um novo produto.
É muito importante a separação dos materiais na fonte, pois isso evita possíveis
contaminações. Exemplos : papéis, plásticos, metais, vidros, etc.

COLABORE DESCARTANDO SEU RESÍDUO CORRETAMENTE!


PLÁSTICO
Copinhos de
PAPEL café e de água METAL
Caixa de sem resíduo, VIDRO Latas de Orgânico
papelão, sacolas, Garrafas e estanho Materiais
impressos em garrafas PET, frascos em ou não
geral, envelopes. embalagens. geral. alumínio recicláveis
RESÍDUOS PERIGOSOS
Os resíduos perigosos são aqueles que apresentam riscos à saúde pública e ao meio
ambiente (característica tóxica, corrosiva, explosiva, etc.)

Exemplos:
Água e óleo;
Resíduos contaminados com óleo;
Resíduos de tinta;
Pilhas e baterias;
Lâmpada fluorescente;
Telha de amianto, etc.
Fique atento!
Os resíduos devem ser acondicionados em embalagens que garantam
que não haja contaminação do ambiente.

As áreas onde os resíduos são armazenados temporariamente devem


ser impermeáveis, cobertas e possuir algum tipo de contenção.
RESÍDUOS PERIGOSOS

Todas embalagens devem


conter o rótulo!

Resíduo impregnado com óleo

- Ao iniciar o preenchimento
das embalagens escreva o
Nome do resíduo

- Após preenchimento
escreva a Data de 10/03/17
fechamento da embalagem
RESÍDUOS PERIGOSOS

Cuidado ao manusear os resíduos perigosos!

Esses resíduos possuem características que podem ser prejudiciais à sua


saúde.

Utilize os EPI's apropriados para essa atividade:


 ÓCULOS
 LUVAS
 BOTAS

Em caso de dúvidas sobre os EPIs:


Consulte o TÉCNICO DE SEGURANÇA de sua Unidade
DÚVIDAS?
 Consulte o Guia de Gerenciamento de Resíduos no Portal Ligado ou
 Escreva um Relato de Evento Ambiental ou
 Consulte o Interlocutor Ambiental de sua base.

Guia de gerenciamento de resíduos Relato de Eventos


Gestão da Vegetação
Gestão da vegetação

Todo colaborador antes de realizar a atividade de poda de árvores, DEVE:

 Estar treinado em curso específico para Poda;

 Estar treinado em todos cursos exigidos pela Segurança do Trabalho;

 Ser capacitado para manusear os equipamentos/ferramentas utilizados


na atividade.

Atentar a respeito da disposição dos resíduos de poda em via pública!


Gestão da vegetação

Durante as atividades de Supressão de árvores (derrubada de árvores),


Roçada, Capina química, Abertura de faixas de segurança e Poda de árvores,
a equipe deverá possuir, em campo, a autorização do órgão competente.

A licença para porte e uso da motosserra também deverá estar em campo no


momento de seu uso.

Em caso de realização de poda emergencial, a autorização do órgão


competente não é exigida, no entanto, a equipe deverá informar a coordenação
da AES Eletropaulo.
Cuidados no manuseio de óleo
CUIDADOS AMBIENTAIS

O armazenamento de equipamentos/embalagens com óleo deve ser realizado


em áreas impermeáveis e com contenção.

Equipamentos avariados com risco de vazamento de óleo, mesmo estando


nessas áreas (plataformas), deve ter seu conteúdo drenado para tambores ou
ter o local do vazamento estancado.

A existência de contenção NÃO dispensa a limpeza e eliminação do vazamento.


Não se pode manter equipamentos com vazamento ativo.

Equipamentos com vazamento e Equipamentos com óleo esgotado Equipamentos com vazamento e sem
manta para mitigação (certo) e turfa para mitigação (certo) materiais para mitigação (errado)
PLATAFORMA

 As áreas limites da plataformas devem, preferencialmente, ser


ocupadas por resíduos “secos”. Tambores e equipamentos
com risco de vazamento devem ser acomodados em partes
com baixo risco de transbordo;
Distância segura
 As Placas de identificação devem estar presentes nas
Plataformas, elas possuem orientações ambientais para o local;

 Caso seja necessário atuar na caixa separadora de água e


óleo, comunique o Interlocutor Ambiental – há uma empresa
contratada para manutenção periódica;
Não deixe a caixa
separadora aberta
 Somente armazene resíduos que sejam impregnados com óleo;

 Não deixe copinhos plásticos, jornais, etc, no local. Descarte os


resíduos corretamente.

Exemplo de
Placas de
identificação Plataforma para equipamentos
com óleo
TRANSPORTE DE EQUIPAMENTO/EMBALAGEM COM ÓLEO

Caso o equipamento apresente vazamento de óleo durante o transporte, o mesmo


deverá ser contido, utilizando o kit ambiental (manta, batoque, cordão, etc.) ou
drenado para tambores, garantindo que não ocorra vazamento durante o
transporte;

Fique atento ao correto equilíbrio e amarração da carga para evitar avarias;

Informe ao superior imediato caso identifique irregularidades no veículo: fumaça


preta, pneus em mau estado, vazamento de óleo veicular, etc.

Vazamento de óleo contido com manta Risco por amarração incorreta


KIT AMBIENTAL
O Kit ambiental é composto por materiais que absorvem óleo, como turfa, mantas e
cordões.

O Kit deve estar disponível próximo a área de manuseio dos equipamentos e


tambores com óleo e nos veículos.

Deve-se verificar periodicamente se há necessidade de reposição dos materiais do


kit ambiental.
Emergências
EMERGÊNCIA

Situações emergenciais podem ocorrer em qualquer lugar, por isso, é muito


importante estarmos sempre conscientes quanto ao que devemos fazer em caso de
Emergências.

Nas Bases Operacionais

- Conheça os Brigadistas e siga suas orientações em caso de


emergências;

- Saiba qual é a rota de fuga e onde fica o ponto de encontro em caso


de necessidade de abandono de sua área;

- Conheça também o ramal de emergência de seu local de trabalho e


utilize-o para comunicar um cenário emergencial e pedir auxílio.
EMERGÊNCIA AMBIENTAL

No campo ou local com equipamento/embalagem com óleo

Emergências ambientais podem ocorrem em situações como: explosão


de transformadores; rompimento acidental de cabos subterrâneos
pressurizados a óleo; queda de carga de equipamentos com óleo em
vias públicas, etc.
Em caso de vazamento de óleo (emergência) durante as atividades,
deve-se:

 Utilizar o Kit ambiental para conter o óleo e para bloquear drenos e


canaletas (se aplicável)
 Comunicar o Coordenador operacional e Interlocutor Ambiental.

É proibido o lançamento de efluentes líquidos contaminados com


óleo em via pública (acessos a águas pluviais, rede pública de
esgoto, calçadas, etc.).
Aplicação de manta absorvente EMERGÊNCIA AMBIENTAL
Exemplos de aplicação do Kit

Bloqueio de acesso a rede pluvial

As nossas respostas às situações de emergências são testadas


através dos Simulados de Emergência. Participe!
Aplicação da Turfa

Recolhimento dos resíduos

As nossas respostas às situações de emergências são testadas


através dos Simulados de Emergência. Participe!
Além da nossa atuação utilizando o kit ambiental, contamos com apoio externo de
uma empresa especializada (casos mais críticos).

Essa empresa é acionada pela Gerência de Meio Ambiente, por isso, é muito
importante a rápida comunicação e registro da ocorrência.
REGISTRO DAS OCORRÊNCIAS EM CAMPO

Caso ocorra um derramamento/vazamento de


óleo devemos registrar em formulários do SGA.

 Até 200 litros com danos ao patrimônio público ou de


terceiros (vazamento atingindo calçada, carros, etc.) - SIGMAS
registro no Relato de Eventos no SIGMAS ou
formulário COA (meio físico)

 Acima de 200 litros - registro no Relatório de


Relato de Eventos
Emergência Ambiental + comunicação para a
Gerência de Meio Ambiente e Gerência de Seguros
(seguros@aes.com) em até 24h.

 Até 200 litros sem danos ao patrimônio público ou de


terceiros - registro conforme procedimento interno de Relatório de Emergência
manutenção. Ambiental
INFORMATIVOS DE RISCOS

Manter postura adequada


conforme orientações em
Preleções de Segurança e
realizar ginástica laboral

Depósito
periodicamente.

Atender e respeitar as
sinalizações de
Coordenadores Técnicos Proteção
segurança, Utilizar os
EPI’s inerentes a atividade
Gerente
conforme treinamento,
Extintores de incêndio e
Hidrantes.

Plotter

W.c. Masc
Gestão Gestão Linhas
INFORMATIVOS DE RISCOS
INFORMATIVOS DE RISCOS
Regras de Meio Ambiente
REGRAS DE MEIO AMBIENTE

1) Não descarte resíduos em via pública. Direcione-os aos pontos de coleta nas
bases operacionais ou outros pontos de descarte da empresa. Atenção a
separação destes, pois esta ação permite a recuperação dos resíduos e/ou
destinação adequada, conforme sua característica;
2) Pratique o consumo consciente:

Não deixe luzes acessas desnecessariamente;

Não desperdice água;

Fique atento ao consumo de combustível e não


transporte cargas sem necessidade;

Imprima somente o necessário e faça rascunhos antes de descartar


os papéis

Compre com responsabilidade, incentivando a produção,


armazenamento, transporte e descarte controlados.
3) Nas Contratações, deve-se encaminhar, junto com as
especificações técnicas, o anexo das Diretrizes do Meio
Ambiente e de Segurança do Trabalho.

4) Não descarte produtos químicos de uso industrial (óleo,


tintas ou produtos químicos em geral) em drenos, ralos, ou
canaletas de águas pluviais. Exceção aos efluentes
contendo residual de produtos de limpeza de uso doméstico,
que podem ser lançados em pias, tanques e drenos
direcionados ao esgoto sanitário;
5) Informe de imediato a Gerência de Meio Ambiente quando
receber notificações, multas, e ou informações ambientais
que estejam direta ou indiretamente relacionadas à
operação da AES Eletropaulo;

6) Não saia com os veículos de operação e suporte operacional


nas seguintes condições:
 Se o mesmo emitir fumaça preta fora dos padrões;

 Se ele apresentar vazamento de óleo ou combustível;

 Se o sistema hidráulico apresentar pontos de vazamento,


mangueiras trincadas e/ou conexões defeituosas;

 Se não possuir o kit de emergência ambiental.


7) Só realize a poda se possuir a licença ambiental e a
licença de uso da motosserra no local. Para poda
emergencial (TMA) comunique seu coordenador para
notificar ao órgão ambiental.

8) Não realize nenhuma atividade que envolva a manipulação de óleo ou produtos


químicos em geral, caso não possua kit de emergência ambiental ou outros materiais
como bandejas, balde ou lona que evite o derrame do material diretamente no solo ou
águas;

9) Quando se deparar com qualquer tipo de vazamento,


estanque-o de imediato. Quando não for possível, utilize o kit
de emergência ambiental para controlar o vazamento e avise
ao Coordenador da necessidade de reposição deste material.
10) O Coordenador deve ser comunicado sempre que ocorrer qualquer tipo
de derramamento ou vazamento de material, produto e ou resíduos. Se o
derramamento for maior que 200 litros, avisar também à Gerência do Meio
ambiente;

11) Não armazene nenhum equipamento, tambor, bombona e containeres contendo


óleo ou outros produtos químicos de estoque fora das plataformas de contenção
e respeite a capacidade máxima de armazenamento destes locais.

12) No armazenamento temporário dos equipamentos, materiais, produtos e/ou


resíduos sinalizar e organizar a área e identificar as embalagens.
13) Só transporte cargas perigosas (lâmpadas, tinta e resíduos
contaminados) seguindo as regras do procedimento do SGA;

14) Na manipulação, utilização, aquisição de produtos


químicos, ou ainda, no suporte a acidentes observar as
informações da FISPQ (Ficha de Segurança do Produto FISPQ

Químico);

15) Na Emergência, não corra, deixe tudo que estiver fazendo e


siga as orientações dos Brigadistas e/ou dos líderes de campo
quando a emergência ocorrer no sistema elétrico.

AS REGRAS DE MEIO AMBIENTE ESTÃO DISPONÍVEIS PARA


CONSULTA NA PASTA DAS MPTs e NO PORTAL LIGADO
A SUSTENTABILIDADE SE FAZ ATRAVÉS DE PESSOAS!

Faça a sua parte.

Obrigado!
ELPSGI 2007
GESTÃO DE ÓLEO ISOLANTE
CONTROLE DE PCB
O que é PCB?

PCB é a abreviatura para identificar os compostos Bifenilas Policloradas (do inglês


Polychlorinated Biphenyls).

Em linhas gerais, os PCBs pertencem a um grupo de compostos químicos popularmente


conhecidos como ascaréis, embora essa denominação tenha surgido a partir do uso
disseminado da marca Askarel.

Em geral o mercado adota o nome Ascarel como sinônimo de PCB.

Aparência:
Líquido Oleoso Amarelo Claro ou Pó Branco

Mau condutor elétrico


Alto ponto de fulgor > 141ºC
Histórico Produção de PCB no Mundo

Estima-se produção mundial acumulada de


PCB de 1.200.000 toneladas.

60% - Óleo para transformadores


15% - Fluídos de transferência de calor
25% - Aditivos na fabricação de
plastificantes, tintas, adesivos e pesticidas.

Estima-se que cerca de 40% (300.000


toneladas) entrou para o ambiente desde
1920 e que grande parte do restante está
ainda em uso, essencialmente em
equipamentos elétricos.
Histórico Produção de PCB no Brasil

O consumo de PCBs no Brasil deve-se à importação de equipamentos contendo a substância e


importações de óleo formulado comercial, para diversas utilizações, não havendo registros de
produção de PCBs no País.

Durante muito tempo, as PCBs foram empregadas principalmente em transformadores de alta-


tensão, para uso como óleo dielétrico.

Outros produtos que continham PCBs, em


menores quantidades, foram comercializados
no Brasil, como sabonetes assépticos
(principalmente em hospitais) em tintas, em
agrotóxicos e como fluídos hidráulicos
diversos.
Riscos de Exposição PCB

Concentração de PCB no Óleo (partes por milhão)

Não Equipamento PCB


Equipamento Contendo PCB
Contendo PCB

0 mg/kg 50,1 mg/kg 500 mg/kg


Toxidade do PCB

Não Equipamento PCB


Equipamento Contendo PCB
Contendo PCB

0 mg/kg 50,1 mg/kg 500 mg/kg

107 mg/kg – TR1 – ETD Vila Paula


Dose Letal Provável
Categoria *DL 50 (mg/kg) Exemplo
para homem
Extremamente Tóxico < 1,0 Algumas gotas Mercúrio e Dioxinas
Altamente tóxico 1 a 50 Uma colher de chá Cianeto de Potássio
Moderadamente tóxico 50 a 500 30 ml Tolueno (presente em
40% no Thinner)
Ligeiramente tóxico 500 a 5000 500 ml Acetonitrila
Praticamente não tóxico 5000 a 15000 1 litro PCB (> 500mg/kg)
Óleo Diesel
Água Sanitária
Relativamente atóxico > 15000 > 1 litro Glicerina

Fonte: Adaptado do Manual de Atendimento a Emergências Químicas. CETESB (pg 55).


* DL – Dose Letal ministrada via oral para 50% das cobaias (ex: ratos/camondongos) testadas
Equipamentos de Proteção para atividades em contato com óleo
contendo PCB
Equipamentos de Proteção para atividades em contato com óleo
contendo PCB

24316 - MASCARA
Luva Nitrílica
RESPIRATÓRIA COM VÁLVULA

ÓCULOS DE
38459 - MACACÃO 38458 - Calçado PROTEÇÃO
TRABALHO COM ÓLEO
Manuseio de equipamentos/resíduos Contendo PCB

 Não deve existir o contato direto com resíduos suspeitos e/ou contendo PCB. Na
ocorrência de manipulação de resíduos ou equipamentos com o óleo contendo PCB,
deve-se utilizar todos os EPIs indicados.

 Não deve ser realizado o manuseio de equipamentos que contenham PCB, a


temperaturas elevadas (acima de 60 °C).

 Não comer, beber, fumar ou usar artigos de higiene pessoal nos locais onde se
manipula resíduos/equipamentos com PCB.

 Após o manuseio de PCB, antes de qualquer refeição e uso de instalações


sanitárias, rosto, mãos e braços devem ser lavados com água e sabão neutro.
Manuseio de equipamentos/resíduos Contendo PCB

 Os equipamentos contendo PCB devem ser manuseados e movimentados com


cuidado, a fim de se evitar choques mecânicos que possam causar vazamentos.
Neste manuseio devem-se utilizar os EPIs indicados

 Não tombar equipamentos, para evitar derramamentos.

 Os equipamentos contendo PCB devem ser movimentados sempre na posição


vertical, amarrados e devidamente protegidos, para evitar tombamentos e
derramamentos.

 Os resíduos gerados por equipamentos suspeitos e/ou Contendo PCB deverão


seguir o Procedimento de Gestão de Resíduos Sólidos – ELPSGA 2000
Fluxo de Retirada de Transformador da Rede

1 2 3 4 5

Coleta de amostra
do Óleo (Empresa
Armazenamento Retirada do de Triagem)
Transformador Transporte do
Temporário em Transformador pela
Retirado da Rede Transformador para
Base Própria ou empresa de Triagem 6
Base Própria ou Triagem em
•Projeto Contratada
Contratada
conjunto com AES
•Manutenção
Eletropaulo
•Emergência

12 11 10 9
7
> 50 mg/Kg
Processo de
tratamento dos
Equipamentos Análise de PCB
do Óleo (AES
Armazenamento Eletropaulo)
Retirada dos Bombeamento do Temporário em Área
< 50 mg/Kg
Transformadores drenados óleo para tambores Controlada (Empresa
e do óleo contendo PCB de Triagem)

8
Reforma
ouSucateamento
Descarte de todos os EPIs em contato com Óleo contendo PCB
Imediatamente após a atividade de contato com o óleo contendo PCB deve-se iniciar a
retirar os EPIs na seguinte sequência:
1) Retirada do Macacão, colocando-o no saco plástico de descarte.
2) Retirada da Luva nitrílica, colocando-a no saco plástico de descarte.
3) Retirada da Mascara de proteção colocando-a no saco plástico de descarte.
4) Caso outros EPIs entrem em contato com óleo contendo PCB, deve-se descarta-lo
também.
Obs: Ferramentas e demais materiais impermeáveis podem ser limpo utilizando-os
papel toalha ou pano úmido com sabão neutro. Após a limpeza o pano/papel toalha
devem ser descartado no saco plástico de descarte.
RESÍDUO PERIGOSO
Resíduo impregnado com PCB/ASCAREL/ORGANOCLORADO
CUIDADO: Este recipiente contém resíduo perigoso. Manusear com cuidado. Risco de Vida.
Mantenha o recipiente fechado, afastado do fogo, faíscas e superfícies aquecidas. Não fumar.
LEIA O RÓTULO ANTES DO USO.
A legislação ambiental proíbe a destinação inadequada. Caso encontrada, avise imediatamente a
Polícia Rodoviária, a Defesa Civil, ou o órgão estadual de controle ambiental.
TELEFONES DE EMERGÊNCIA:
TELEFONES DA MEDRAL
CETESB: 0800 11 3560
Corpo de Bombeiros: 193 Defesa Civil: 199
Polícia Rodoviária Estadual: 198 Polícia Rodoviária Federal: 191
INFORMAÇÕES TÉCNICAS

CLASSIFICAÇÃO:
Bifenilas Policloradas Nº de Risco: 90
Resíduo Sólido combustível e Nº ONU: 2315
Considerado não perigoso Código NBR 10.004:
F100
Classe ou Sub Classe de
Risco: 9

USE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

Em contato direto com o resíduo, deve se usar óculos de segurnaça ou


protetor facial, luvas a base de material impermeável, botas ou sapatos
com solados sintéticos, roupas protetoras e mascara de proteção
respiratória com filtro código B, para fases inorgãnicos, acompanhado de
pré-filtro para partículas.

NUNCA ASPIRE A POEIRA , VAPOR OU NÉVOA. SE INALADO, REMOVA O ACIDENTADO PARA LOCAL
AREJADO.
GERADOR: Medral………..
Endereço Medral:
MOVIMENTAÇÃO INTERNA
Unidade: Data de Fechamento:
Endereço:
Responsável pelo Transporte:
ARMAZENE EM LOCAL FRESCO E VENTILADO E MANTENHA LONGE DO ALCANCE DE CRIANÇAS.

Saco Plástico (tipo Cinta plástica para Bag armazenamento


fechamento do saco Rótulo para identificar o
capacitor) temporário.
saco e Bag.
Descarte de todos os EPIs em contato com Óleo contendo
PCB

Os bags contendo os resíduos que tiveram contato com o óleo Contendo PCB
deverão ficar armazenados nas caixas cofres/containers até o momento da
destinação final.
Fluxo Identificação Equipamentos da Subtransmissão

1- Coletar análise de óleo e encaminhar ao


Laboratório Químico

2- Laboratório emite laudo da concentração


de PCB

3- Identificação dos equipamentos – Não


PCB ou Contendo PCB

4- Os equipamentos Contendo PCB deverão


ser inventariados e tratados.
Identificação de Equipamentos contendo PCB

Todos os equipamentos que apresentem teor de PCB > 50 mg/kg deverão ser
identificados com as seguintes etiquetas
Identificação de Equipamentos não contendo PCB

Todos os equipamentos isentos de PCB (confirmado através de análise química)


deverão ser identificados com a seguinte etiqueta:
STANDARD 5 – Gerenciamento de PCB
Processo de descontaminação de equipamento Contendo
PCB
Incineração de Equipamentos
EMERGÊNCIA ENVOLVENDO ÓLEO
CONTENDO PCB
PREVENÇÃO E CONTENÇÃO DE
DERRAMAMENTOS
Preparação e Resposta para Emergências

ELPSGI1005– Preparação e Resposta para Emergências:

Estabelecer diretrizes para atendimento às situações emergenciais que envolvam o


meio ambiente, à segurança e à saúde ocupacional, bem como prevenir e mitigar os
impactos imediatamente perigosos à vida, à integridade física, ao meio ambiente e à
propriedade.
Emergências Ambientais

Em caso de derramamento/vazamento de óleo durante as atividades ou


transporte, deve-se:

 Bloquear drenos e acesso a rede pluvial e canaletas (sarjetas e bocas de lobo),


utilizando cordões absorventes;

 Utilizar os materiais absorventes contidos no kit de materiais de contenção a


derramamentos.

Atenção

É proibido o lançamento de efluentes líquidos


contendo oleo em via pública (acessos a
águas pluviais, rede pública de esgoto,
calçadas, etc.).
Composição do Kit de Materiais de Contenção a Derramamentos

Manta para Absorção de Sacos plásticos (tipo capacitor)


Hidrocarbonetos
Utilizado para armazenamento
Utilizadas em emergências envolvendo temporário dos resíduos
derivados de petróleo

Mantas para absorção de


Cordão de contenção solução de baterias
Utilizadas em emergências envolvendo Utilizadas em emergências envolvendo
derivados de petróleo soluções ácidas de bateria
Composição do Kit de Materiais de Contenção a Derramamentos
Pá e Vassoura Sacos plásticos
Utilizada para recolhimento Utilizado para conter vazamentos em
dos resíduos equipamentos, quando aplicável

Fita Hellerman Turfa


Utilizado para lacrar o saco plástico, Utilizada para absorção do óleo
evitando o vazamento dos materiais
contidos.
Emergências Ambientais - Exemplos de aplicação do Kit

Aplicação de manta absorvente

Bloqueio de acesso a rede pluvial


Emergências Ambientais - Exemplos de aplicação do Kit

Aplicação de Turfa

Recolhimento dos resíduos


Emergência envolvendo Óleo contendo PCB

Em caso de vazamento ou derramamento envolvendo óleo contendo PCB ou de


equipamento Suspeito de conter PCB (grupo de risco), para atuação, deverá ser
utilizado todos os EPIs indicados.

 Deverá ser estancado o vazamento através de material absorvente disponível nos


kits de emergencial ambiental, conforme referenciado nos Procedimento ELPSGI 1005
Preparação e Resposta para Emergência e ELPSGI 2003 Locais e Equipamentos
Críticos.

 Todos os materiais que entraram em contato com PCB deverão ser tratados como
resíduos com PCB e destinados adequadamente, devendo ser acondicionados e
encaminhados na plataforma central exclusiva para armazenamento de equipamentos e
resíduos com PCB da AES Eletropaulo para posterior destinação final
STANDARD 5 – Gerenciamento de PCB

Emergência envolvendo PCB

Para as situações de incêndio envolvendo PCB, retirar imediatamente as pessoas do


local, acionar os brigadistas e comunicá-los da presença desse contaminante no
incêndio.

 Após o atendimento a emergência deverá ser promovido o registro e avaliação da


ocorrência conforme apresentado nos processos operacionais ELPSGI 1005 -
Preparação e Resposta para Emergências.
Emergências – Brigada de incêndio

Os Brigadistas são pessoas preparadas para atuar em emergências, tanto na


prevenção, quanto no combate e segregação de resíduos provenientes de uma
emergência.

Saiba quem é o Brigadista de sua área e o Ponto de Encontro em caso de


necessidade de abandono de seu local de trabalho.

Em caso de sinistro siga as orientações do Brigadista:

 Não corra, ande em grupos e com segurança;


 Não grite ou pare;
 Jamais regresse ao local de trabalho;
 Não utilize os elevadores e nem as garagens e
 Não saia com veículos.
Contrato com a Empresa de Atendimento a Emergências

Trata-se da prestação de serviço de atendimento a situações de


emergências químicas, entre a AES Eletropaulo e WGRA, geradas nas
atividades de operação, manutenção, transporte de produtos perigosos e/ou
resíduos da AES Eletropaulo, como:

• Distribuição Aérea e Subterrânea;


• Linhas de Subtransmissão Aérea e Subterrânea;
• Subestações;
• Bases Operacionais;
• Transporte de produtos Perigosos com veículos próprios da AES;
Contrato com a Empresa de Atendimento a Emergências

Exemplos de situações de atendimento à emergências químicas;

• Derramamento de óleo em subestações;


• Explosão de transformadores da rede de distribuição aérea;
• Rompimento acidental de cabos subterrâneos pressurizados a óleo;
• Queda de carga de produtos perigosos em vias públicas, transportadas pela
AES Eletropaulo;
Contrato com a Empresa de Atendimento a Emergências

Responsabilidades do Contrato:

Área Responsabilidade
Responsabilidade Técnica pela operação do
Contrato.
Gestão do Contrato
Ger. De Meio Ambiente
Arcar com as despesas de manutenção do
contrato e desenvolvimento do Plano de
Atendimento a Emergências.
Identificar a necessidade de uso do contrato.
Solicitar o atendimento emergência via telefone
Regionais e Demais áreas. diretamente a WGRA.
Arcar com as despesas relativas aos
acionamentos solicitados.
Contrato com a Empresa de Atendimento a Emergências

Contatos da WGRA.
0800-720 8000

http://www.wgra.com.br/

Responsabilidade Ger. de Meio Ambiente.

Vladimir Xavier:
2195-7015
99666-1136
vladimir.xavier@aes.com
Gestão de Produtos Químicos
Químicos, o que são?

É uma substância, ou mistura de substâncias, obtida por processo de elaboração química


(Exemplos: óleo, gases, tintas, desengraxantes, etc.). Caso não sejam utilizados adequadamente
podem apresentar riscos as pessoas e ao meio ambiente

 Todos devem estar identificados;


 Armazenados em local coberto e com ventilação;
 Em bandejas de Contenção e
 Em área identificada.
 As FISPQ devem estar disponíveis para consulta.
Fluxo

Estoque

Necessidade Por que?


de Compra Inventário de Químicos

Devemos manter o mínimo de produtos em estoque visando evitar criarmos áreas


de risco. Quanto mais armazenamos, maior será o risco que estamos criando.

Diminuir a quantidade de produto armazenado e dar preferência para


os que já foram analisados.
Fluxo
Necessidade de adquirir novos produtos?

Analise do Produto pela


Diretoria de Meio Ambiente,
Saúde e Segurança

Meio Ambiente:
Produtos do Laboratório
Químicos que constem na
Lista de Produtos
Controlados ou
Avaliação de com embalagens superior a
FISPQ 200 litros.

FISPQ
FISPQ

As FISPQ, são fichas contendo informações do fabricante, tais como composição do


produto, como agir em caso de acidentes, os perigos e riscos associados.

Devem ficar próximas as áreas de armazenamento destes produtos pois em caso de


acidentes, derramamento, ingestão entre outros, estas informações poderão serem
muito úteis.

Consultem-nas e fique familiarizado com as


informações dos produtos utilizados.
Armazenamento

Todos devem estar


identificados. Rótulo
Original

Área identificada:
“Local de
Armazenamento de
Químicos “
As FISPQ devem ficar
próximo aos locais de
Com contenção. armazenamento
Utiliza-se bandejas
para contenção.

Para embalagens acima de 5 litros, além da identificação original, deve


conter o diamante de Hommel. Embalagens sem identificação, também
deverão serem identificadas com o Diamante de Hommel.
Não deve ocorrer...

Produtos em embalagens diferentes da original.


Produtos sem tampa e/ou sem identificação.
Produtos armazenados fora da área especifica.
Reutilização de embalagens.
Não deve ocorrer...
Não deve ocorrer...

As FISPQ além de ficaram expostas nas áreas de armazenamento de


químicos, devem ficar disponíveis também nos veículos que transportem
os produtos.
A SUSTENTABILIDADE SE FAZ ATRAVÉS DE PESSOAS!

Faça a sua parte.

Obrigado!
Descarte, Armazenamento,
Transporte e Destinação Final de
Resíduos Perigosos
91
PROCESSO – RESÍDUOS PERIGOSOS

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

92
GERAÇÃO – RESÍDUOS PERIGOSOS

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

 Os resíduos podem ser gerados em obras, acidentes ambientais, atividades de rotina administrativas e
operacionais e gestão de passivos ambientais.

93
O QUE SÃO RESÍDUOS PERIGOSOS?

São aqueles que podem causar algum impacto significativo de Meio Ambiente?

E quais geramos em nossas atividades?

 Lâmpadas
 Pilhas e baterias
 Baterias de auto, no-break e de estação
 Resíduo tecnológico
 Resíduos impregnados com óleo ou com tinta
 Amianto
 Óleo isolante e lubrificante
 Produtos químicos vencidos
 Solo (remediação)
 Água e óleo (efluente)
 Resíduos com PCB (óleo e equipamentos)

94
ACONDICIONAMENTO DE LÂMPADAS

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

Caixas de Papelão

Situações que NÃO devem ocorrer

95
ACONDICIONAMENTO DE PILHAS E BATERIAS

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

Não há padrão
de coletor,
porem o
utilizado,
deverá possuir
a descrição de
Pilha e Bateria

Situações que NÃO devem ocorrer

Não deve ser


descartado nenhum
outro tipo de
resíduos neste
coletor.

96
ACONDICIONAMENTO DE BATERIAS DE AUTO, NO-BREAK E
ESTAÇÃO
Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

Saco de
capacitor,
lacrado e
identificado
com rótulo

Situações que NÃO devem ocorrer

97
ACONDICIONAMENTO DE RESÍDUOS TECNOLÓGICO

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

A caixa ou saco
(capacitor)
devem conter
a identificação
de Resíduos
Tecnológicos

Situações que NÃO devem ocorrer

NÃO DEVE SER MISTURADO A OUTROS TIPOS


DE RESÍDUOS.

98
ACONDICIONAMENTO DE RESÍDUO IMPREGNADO COM ÓLEO
E/OU TINTA
Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

Big Bag
Situações que NÃO devem ocorrer

NÃO DEVE SER MISTURADO A OUTROS TIPOS


DE RESÍDUOS.

99
ACONDICIONAMENTO DE AMIANTO

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

Pedaços Inteira
Situações que NÃO devem ocorrer

NÃO DEVE SER MISTURADO A OUTROS TIPOS


DE RESÍDUOS.

100
ACONDICIONAMENTO DE ÓLEO ISOLANTE E/OU
LUBRIFICANTE
Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

Situações que NÃO devem ocorrer

101
ACONDICIONAMENTO DE PRODUTO QUÍMICO VENCIDO

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

Na embalagem do próprio produto. Consultar a GMA para destinação.


Situações que NÃO devem ocorrer

NÃO DEVE SER MISTURADO A OUTROS TIPOS


DE RESÍDUOS.

102
ACONDICIONAMENTO DE SOLO

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

Situações que NÃO devem ocorrer

103
ACONDICIONAMENTO DE ÁGUA E ÓLEO

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

Situações que NÃO devem ocorrer

104
ARMAZENAMENTO TEMPORÁRIO

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

 Todos os resíduos devem serem armazenados em seus recipientes específico: big bags, tambores,
bombonas, caixas, ou sacos de capacitores (conforme tipo de resíduos);
 Todo recipiente deve estar identificado com rótulo de resíduos perigosos, conforme o tipo de resíduos;
 Todos os recipientes devem ficar sobre pallets. NUNCA DEVERÃO SEREM ARMAZENADOS
DIRETAMENTE NO CHÃO.

105
ARMAZENAMENTO TEMPORÁRIO

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

 Pilhas e baterias são acondicionadas em coletores específicos e para o armazenamento temporário e


futura destinação, deverão serem transferidas para tambores ou bombonas plásticas.

106
ARMAZENAMENTO TEMPORÁRIO – RESÍDUOS PERIGOSOS

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

 As áreas de armazenamento temporário de resíduos devem possuir identificação, serem impermeáveis


e cobertas.

Padrão de
Identificação

Os resíduos de óleo e resíduos impregnados com óleo devem serem armazenados em plataformas. Em área
separada e com identificação de área de resíduos (conforme modelo de placas)

 Deve ocorrer inspeção periódica das áreas de armazenamento temporário de resíduos, conforme
procedimentos sistêmicos e normas AES Corp.

107
DESTINAÇÃO FINAL – RESÍDUOS PERIGOSOS

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

PROCESSO PELO QUAL O RESÍDUO É ENVIADO PARA TRATAMENTO OU


DISPOSIÇÃO FINAL

Tipos de Disposição Tipos de Tratamento para


Resíduos Perigosos
Coprocessamento
Reciclagem
Incineração
Aterro Industrial
Físico Químico
Rerefino
Regeneração
Descontaminação

115
DESTINAÇÃO FINAL – RESÍDUOS PERIGOSOS

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

ATERRO INDUSTRIAL

É a disposição do resíduos sem prévio tratamento.


Destinam-se a receber resíduos sólidos que não sejam reativos, não inflamáveis e
com baixa quantidade de solvente, óleo ou água.

116
DESTINAÇÃO FINAL – RESÍDUOS PERIGOSOS

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

COOPROCESSAMENTO

Técnica de utilização de resíduos sólidos industriais a partir do seu


processamento como substituto parcial de matéria-prima ou combustível, no
sistema forno de produção de clínquer, na fabricação do cimento.
117
DESTINAÇÃO FINAL – RESÍDUOS PERIGOSOS

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

RECICLAGEM

Processo que transforma o resíduos em matéria


prima, que são destinados para outras cadeias
industriais, evitando o envio para aterros.

118
DESTINAÇÃO FINAL – RESÍDUOS PERIGOSOS

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

INCINERAÇÃO

Processo de Tratamento Térmico cuja operação é realizada acima da


temperatura mínima de 800º C.

119
DESTINAÇÃO FINAL – RESÍDUOS PERIGOSOS

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

TRATAMENTO FÍSICO QUÍMICO

Quebra das moléculas por processos físicos e/ou químicos, separando-os em


óleo, água e resíduos (borra, sólidos). A água, após devidamente tratada, é
enviada ETE, os resíduos sólidos são destinados à empresas de incineração ou
de co-processamento.

120
DESTINAÇÃO FINAL – RESÍDUOS PERIGOSOS

Acondicionamento e
Geração do Solicitação de Retirada e
armazenamento Destinação final
Resíduo destinação transporte
temporário

REREFINO - REGENERAÇÃO

O rerrefino de óleo lubrificante usado ou contaminado é um processo industrial


que transforma o óleo usado em óleo básico novamente.

A regeneração de óleos lubrificantes usados é um processo industrial que permite


a remoção de contaminantes, produtos de degradação e aditivos, utilizando um
processo de extração por solventes. O produto obtido neste processo tem as
mesmas características de um óleo lubrificante base (novo).

121
AGRADECIMENTOS

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS

Dúvidas e/ou sugestões entrar em contato:

Heitor Canova: heitor.vinicius@aes.com

130
A SUSTENTABILIDADE SE FAZ ATRAVÉS DE PESSOAS!

Faça a sua parte.

Obrigado!

131