Você está na página 1de 13

AMEBÍASE

O QUE É?

• A doença amebíase é uma infecção causada pelo


protozoário Entamoeba hystolitica. Esse parasita pode se
beneficiar do seu portador sem causar benefício ou
prejuízo, ou ainda, agir de forma invasora. Nesse caso,
ele pode se manifestar dentro ou fora do intestino grosso.

• Entamoeba hystolitica libera cistos, que são uma forma


relativamente inativa do parasita e que pode viver por
vários meses no ambiente em que foram depositados,
geralmente nas fezes, no solo e na água.
O que é

• Recentemente identificou-se um parasita com a mesma forma da Entamoeba


hystolitica que não causa doença (Entamoeba dispar). Isto é importante
porque o achado da ameba nas fezes de um indivíduo não necessariamente
caracteriza amebíase. A E. dispar não é causadora de doença e a hystolitica
pode estar presente no indivíduo e não causar doença. A diferenciação de uma
para a outra é feita por exames de laboratório e raramente se mostra
relevante.
TRANSMISSÃO

• Ingestão de alimentos ou água contaminada com matéria fecal


contaminada com os cistos da Entamoeba;

• Contatos sexuais anal-oral;

• Falta de higiene domiciliar;

• Através da manipulação de alimentos por portadores desse protozoário;

• Uma vez dentro do organismo de seu hospedeiro, neste caso, o homem,


seu período de incubação pode variar de dias a anos, contudo, de forma
geral, pode-se atribuir um período comum de duas a quatro semanas;
SINTOMAS

• Em certos indivíduos no entanto, pode ser assintomática.


Existem casos em que a ameba pode passar a parasitar outras
regiões do organismo causando lesões no fígado, pulmões e
mais raramente no cérebro.

• A maioria das pessoas com amebíase não manifesta sintomas,


quando eles surgem, no entanto, costumam aparecer de sete a
dez dias após a exposição ao parasita.
SINTOMAS

Sintomas leves de amebíase Sintomas graves de amebíase

• Cólicas abdominais; • Perda de peso involuntária;


• Evacuação de fezes pastosas com • Sensibilidade abdominal;
muco e sangue ocasional; • Evacuação de fezes líquidas, às
vezes com sangue;
• Fadiga;
• Evacuação de dez a 20 vezes por
• Gases em excesso; dia;
• Dor retal durante evacuação • Febre;
(tenesmo).
• Vômitos.
LUGARES ENDÊMICOS

• A incidência da amebíase é particularmente elevada na maioria dos


países tropicais economicamente desfavorecidos. De fato, em algumas
regiões do planeta, como acontece especialmente no México, nos
países próximos aos Andes e nos do sudeste asiático, a doença é
endêmica, o que justifica o fato de a maioria da população se
encontrar parasitada.

• Nos países desenvolvidos, o problema apenas costuma afetar as


pessoas que se deslocam às zonas endêmicas e aos imigrantes delas
provenientes.
COMO DETECTAR?

• O exame de fezes detecta o parasita com alguma facilidade. A forma mais


invasiva depende do que os médicos chamam de exames de imagem (tomografia
computadorizada, ecografia ou ressonância magnética). Algumas vezes para
confirmação diagnóstica, além do exame de imagem os médicos usam agulhas
finas para puncionar os abscessos. Nas formas mais invasivas, quando o
diagnóstico não for possível por identificação do cisto utiliza-se exames de
sangue para a detecção da presença de anticorpos contra o parasita.
TRATAMENTO

• A droga mais utilizada pelos médicos é um antimicrobiano com nome de


metronidazol, mas existem outros com uso recomendado para circunstâncias
específicas. O tempo de tratamento pode variar conforme o comprometimento
da pessoa. As vezes, quando houver a formação de abscessos hepáticos pode ser
necessário aspirá-los com agulha para diagnóstico ou tratamento, muito
raramente estes casos irão a cirurgia.

• Embora o oportuno tratamento possibilite superar a patologia e resolver o


problema sem que fiquem sequelas consideráveis, a amebíase continua,
infelizmente, a ser perigosa, pois calcula-se que a doença provoca a morte de
50 000 a 75 000 pessoas por ano.
PREVENÇÃO

• A contaminação fecal dos alimentos e da água é a principal causa de tal


infecção. Como na maioria das parasitoses intestinais, as medidas de
saneamento básico como tratamento da água e esgotos são decisivas na
prevenção desta doença;

• Só ingerir alimentos bem lavados e/ou cozidos;

• Lavar as mãos antes das refeições e após o uso do banheiro;

• Construção de fossas e redes de esgoto;

• Tratar as pessoas doentes.


Referências Bibliográficas

• http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Reinos/Amebiase.php

• http://www.minhavida.com.br/saude/temas/amebiase

• http://www.todabiologia.com/doencas/amebiase.htm

• http://www.medipedia.pt/home/home.php?module=artigoEnc&id=614

• https://www.abcdasaude.com.br/medicina-interna/amebiase