Você está na página 1de 10

Linguagem e estilo n’Os Maias

A linguagem n’Os Maias


Versátil e maleável

Registo literário Registos familiar


e cuidado e corrente
 
• Construção frásica • Falas das personagens
elegante e cuidada (registos familiar
• Imagens sugestivas e corrente e calão)

• Léxico erudito
Reprodução da linguagem oral
do português do fim do século XIX
I. Reprodução do discurso no discurso

Discurso direto
(diálogos) As personagens expõem-se
e denunciam o seu carácter
+

Discurso indireto livre As personagens mostram o que
(a voz do narrador são por aquilo que afirmam
e a da personagem
confundem-se)

Dâmaso: boçal
Cohen: irresponsável e inculto
Palma «Cavalão»: hipócrita
II. Recursos expressivos

Confere leveza «Quase desde


Ironia e humor à narrativa o berço este
(figura em que se afirma notável menino
literalmente uma ideia revelara
quando se quer transmitir um edificante amor
Associada a uma
a mensagem contrária) por alfarrábios
intenção crítica, permite
e por todas as
evidenciar contradições
coisas do saber.»
e incongruências
(Capítulo III)
II. Recursos expressivos

Hipálage
(caracterização de um elemento
Confere elegância
através de um traço próprio de
e expressividade à prosa
outro com o qual se relacionada)

«Ega espalhava também pelo


quarto um olhar pensativo […].»

(Capítulo XVIII)
II. Recursos expressivos

«[…] os bigodes esvoaçando


Permitem descrever ao vendaval das paixões […]»
estados de alma (Capítulo VI)

«[…] uma das alamedas laterais


Permitem descrever
Comparação […] e uma paz religiosa,
artisticamente uma como um claustro […]»
e metáfora
paisagem (Capítulo VIII)

«— Tem todas as condições


Surgem aliadas à ironia para ser ministro: tem voz
e ao intuito trocista sonora, leu Maurício Block, está

 encalacrado, e é um asno!…»

Formas de (Capítulo VII)

descrição insultuosa
III. O adjetivo e o advérbio

Adjetivo e advérbio utilizados com grande expressividade:

Adjetivo Advérbio
 
Ligado a elementos aos quais, Surge, frequentemente,
normalmente, não está associado de forma inesperada
do ponto de vista semântico e surpreendente

«sorriso mole» «[…] remexia desoladamente


«chiar lento» o seu café […]»

• Projetam a subjetividade do enunciador


• Desencadeiam efeitos humorísticos
IV. O verbo

Produz combinações sugestivas


e repletas de significado
Verbo
«Vamo-nos gouvarinhar […]»
trabalhado
de forma
O imperfeito e o gerúndio
criativa
dão conta do valor aspectual
ou durativo da ação, caracterizando
a vida das personagens

«O tédio lento ia pesando outra vez […]»


V. Os estrangeirismos

• Anglicismos
(vocábulos de origem inglesa)
• Galicismos ou francesismos
(vocábulos de origem francesa)

Evidenciam o desejo O seu uso espelha


de mostrar requinte a submissão acrítica
e cosmopolitismo, revelando ao modelo cultural francês
o jogo de aparências (Dâmaso)
da alta sociedade lisboeta
VI. Os diminutivos

A utilização dos diminutivos pode ter significados quase opostos:

Projeta a subjetividade Resulta de uma intenção


do narrador, indicando afeto sarcástica, visando a depreciação
(por exemplo, «Carlinhos») ou a ridicularização de alguém

Evidencia a atitude trocista
do narrador na crítica
de comportamentos e costumes
(por exemplo, «Damasozinho»)

Você também pode gostar