Você está na página 1de 28

ESCOLA SUPERIOR DE FORMAÇÃO E

APERFEIÇOAMENTO DE PRAÇAS DA POLÍCIA


MILITAR DE MATO GROSSO - ESFAP

Direito Constitucional – 15h/a

Prof. Ms. Ronny Cesar Camilo Mota

14 de março de 2016
DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS
Dos direitos sociais – CF art. 6º ao 11

Art. 6º - São direitos sociais a educação, a


saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia,
o transporte, o lazer, a segurança, a
previdência social, a proteção à maternidade
e à infância, a assistência aos
desamparados, na forma desta Constituição.
(Redação dada pela EC nº 90, de 2015)
DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS
Dos direitos sociais – CF art. 6º ao 11

Art. 7º - São direitos dos trabalhadores urbanos


e rurais, além de outros que visem à melhoria de
sua condição social:
I - relação de emprego protegida contra
despedida arbitrária ou sem justa causa, nos
termos de lei complementar, que preverá
indenização compensatória, dentre outros
direitos;
II - seguro-desemprego, em caso de
desemprego involuntário;
III - fundo de garantia do tempo de serviço;
DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS
Da Nacionalidade – CF art. 12 e 13

ESPÉCIES DE NACIONALIDADE
Nacionalidade primária (ou originária) – é a
aquisição involuntária de nacionalidade,
decorrente do simples nascimento ligado a um
critério estabelecido pelo Estado.

Nacionalidade secundária (ou adquirida) – é a


aquisição voluntária de nacionalidade, resultante
da manifestação de um ato de vontade.
DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS
Da Nacionalidade – CF art. 12 e 13
CRITÉRIOS DE ATRIBUIÇÃO DE NACIONALIDADE

CF, art. 12, I, a Critério Jus soli

Critério Jus
CF, art. 12, I, b sanguinis + “a
BRASILEIROS serviço do Brasil
NATOS
Critério Jus
sanguinis + registro
em repartição
diplomática
CF, art. 12, I, c
Critério jus
sanguinis + “opção
confirmativa
DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS
Da Nacionalidade – CF art. 12 e 13

II - naturalizados:
a) os que, na forma da lei, adquiram a nacionalidade brasileira,
exigidas aos originários de países de língua portuguesa apenas
residência por um ano ininterrupto e idoneidade moral;
(Ordinária)
b) os estrangeiros de qualquer nacionalidade, residentes na
República Federativa do Brasil há mais de quinze anos
ininterruptos e sem condenação penal, desde que requeiram
a nacionalidade brasileira. (Extraordinária) (Redação dada pela
Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)
§ 1º Aos portugueses com residência permanente no País, se
houver reciprocidade em favor de brasileiros, serão atribuídos
os direitos inerentes ao brasileiro, salvo os casos previstos
nesta Constituição. (Redação dada pela Emenda Constitucional de
Revisão nº 3, de 1994)
§ 2º A lei não poderá estabelecer distinção entre brasileiros natos
e naturalizados, salvo nos casos previstos nesta Constituição.
DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS
Da Nacionalidade – CF art. 12 e 13

CARGOS PRIVATIVOS DE BRASILEIROS NATOS -


Art. 12, § 3º
Presidente e Vice-Presidente da República;
Presidente da Câmara dos Deputados;
Presidente do Senado Federal;
Ministro do STF;
Membro da carreira diplomática;
Oficial das forças armadas;
Ministro de Estado da Defesa.
DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS
Da Nacionalidade – CF art. 12 e 13

PERDA DA NACIONALIDADE – Art. 12, § 4º


 Embora o brasileiro nato nunca possa ser
extraditado, ele pode perder a nacionalidade (deixar
de ser brasileiro nato).

HIPÓTESES DE PERDA DA NACIONALIDADE


Quem teve a naturalização cancelada, por
sentença judicial, em virtude de atividade
nociva ao interesse nacional.
NATURALIZADO
Obs: Nesse caso, só poderia ser readquirida a
nacionalidade por meio da ação rescisória.

Quem era brasileiro nato e voluntariamente opta


NATO por outra nacionalidade.
DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS
Dos direitos políticos – CF art. 14 a 16

Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio


universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual
para todos, e, nos termos da lei, ...
[...]
VI - a idade mínima de:
a) trinta e cinco anos para Presidente e Vice-Presidente
da República e Senador;
b) trinta anos para Governador e Vice-Governador de
Estado e do Distrito Federal;
c) vinte e um anos para Deputado Federal, Deputado
Estadual ou Distrital, Prefeito, Vice-Prefeito e juiz de
paz;
d) dezoito anos para Vereador.
§ 4º São inelegíveis os inalistáveis e os analfabetos.
DIREITOS
DIFERENÇA E GARANTIAS
DE TRATAMENTO ENTREFUNDAMENTAIS
CHEFES DO EXECUTIVO
Dos direitos políticos – CF art. 14 a 16
e PARLAMENTARES
CHEFES DO EXECUTIVO
PARLAMENTARES
(Presidente, Governadores, Prefeitos, além
(Vereadores, deputados e Senadores)
dos vices)

Pode ser reeleito somente uma vez Podem ser reeleitos quantas vezes quiser.

Se quiser concorrer a outro cargo, tem de


Não precisa se afastar do cargo para
renunciar ao mandato até 6 meses antes
concorrer nas próximas eleições ao
do pleito. Ex: Roriz. É a chamada
mesmo cargo.
desincompatibilização

Não precisa se afastar do cargo para


Se quiser concorrer ao mesmo cargo, não
concorrer nas próximas eleições ao
precisa renunciar. Ex: Lula.
mesmo cargo.

Cônjuge e os parentes consangüíneos ou


afins, até o 2º grau, inclusive por adoção,
Não há proibição de parentes
são inelegíveis, salvo se já titulares de
concorrerem.
mandato eletivo e candidato à reeleição. É
a chamada inelegibilidade reflexa.
DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS
Dos direitos políticos – CF art. 14 a 16

HIPÓTESES DE PERDA/SUSPENSÃO DOS


DIREITOS POLÍTICOS
Art. 15. É vedada a cassação de direitos políticos, cuja
perda ou suspensão só se dará nos casos de:
I - cancelamento da naturalização por sentença transitada
em julgado;
II - incapacidade civil absoluta;
III - condenação criminal transitada em julgado, enquanto
durarem seus efeitos;
IV - recusa de cumprir obrigação a todos imposta ou
prestação alternativa, nos termos do art. 5º, VIII; (Ex: não
prestar serviço militar obrigatório nem qualquer outra em
substituição)
V - improbidade administrativa, nos termos do art. 37, §
4º.
SEGURANÇA PÚBLICA NA CONSTITUIÇÃO

Art. 6º – São direitos sociais a educação, o trabalho, o lazer,


a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e
à infância, a assistência social aos desamparados, na forma
desta Constituição.

Art.144 – A segurança pública, dever do Estado, direito e


responsabilidade de todos, é exercida para preservação da
ordem pública e da incolumidade das pessoas e patrimônio,
através dos seguintes órgãos:
I- Polícia Federal;
II- Polícia Rodoviária Federal;
III- Polícia Ferroviária Federal;
IV – Polícias Civis;
V – Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares.
SEGURANÇA PÚBLICA NA CONSTITUIÇÃO

• A ordem pública é caracterizada por um estado de


serenidade, de apaziguamento e de tranquilidade pública,
em consonância com as leis, os preceitos e os costumes
que regulam a convivência em sociedade, a preservação
deste direito do cidadão, só será amplo se o conceito de
segurança pública for aplicado.
• Neste sentido, a segurança pública não pode ser tratada
apenas como medidas de vigilância e repressiva, mas
como um sistema integrado e otimizado envolvendo
instrumento de prevenção, defesa dos direitos e justiça
social.
SERVIDORES MILITARES ESTADUAIS

O regime jurídico dos militares estaduais é disciplinado em


leis próprias, decorrentes da determinação constitucional
contida no art. 42, § 1º.
 Conferiu o constituinte direito penal e processual penal
especial aos Militares dos Estados, por disposição expressa
do art. 125, § 3º e 4º, cabendo somente ao Tribunal Militar a
decretação da perda e do postos dos Oficiais de Polícia
Militar, sendo estes servidores vitalícios, ut art. 42, § 1º c/c
art. 142, § 1º, VI.
 Referente aos direitos políticos, negou o constituinte o
direito de filiação a partido político quando no serviço ativo,
sindicalização e greve aos Militares do Estado, forte no art.
42, § 1º c/c 142, § 1º, IV e V, restrições estas específicas
aos Militares.
SERVIDORES MILITARES ESTADUAIS

 Quanto ao regime disciplinar que apura a responsabilidade


administrativa do Militar do Estado, excepcionou a
constituição na possibilidade de ser cominada sanção
disciplinar com cerceamento de liberdade, na forma do art.
5º, LXI, bem como vedou a ação de habeas corpus quanto
ao conhecimento de mérito das punições disciplinares
militares, art. 142, § 2º.
 A inatividade dos Militares dos Estados também se
diferencia dos demais servidores. Tal fato deve-se a
colocação dos Militares dos Estados fora da seção II,
capítulo VII do título III da CF pela EC nº 18, que reservou o
art. 42 especificamente aos Militares dos Estados, fora do
sistema de previdência dos servidores públicos.
REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS
HABEAS CORPUS – Art. 5º

LXVIII - Conceder-se-á habeas corpus sempre que


alguém sofrer ou se achar ameaçado de sofrer
violência ou coação em sua liberdade de locomoção,
por ilegalidade ou abuso de poder;
 Pode ser impetrado por qualquer pessoa, em defesa de sua
própria liberdade ou de terceiro , e concedido de ofício pelo
juiz. Não precisa de advogado.
 Quanto à sua espécie, o habeas corpus poderá ser:
1.Repressivo (liberatório) – para combater efetiva coação ou
violência;
2.Preventivo (salvo-conduto) – ameaça de prisão.
Ex: Lula
REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS
HABEAS DATA – Art. 5º

LXXII - Conceder-se-á habeas data:


a)para assegurar o conhecimento de informações relativas à
pessoa do impetrante, constantes de registros ou bancos de
dados de entidades governamentais ou de caráter público;
b) para a retificação de dados, quando não se prefira fazê-lo
por processo sigiloso, judicial ou administrativo;
 Habeas Data permite o acesso, a retificação ou a supressão de um
dado pessoal que esteja em arquivo público. É facultativo e
personalíssimo, pois só quem pode impetrá-lo é o titular dos dados
questionados. Trata-se de ação mandamental que tutela a prestação de
informações contidas em bancos de dados pertencentes a entidades
públicas ou de caráter público, bem como sua retificação.
 Ex: Requerimento de informação de pontuação na CNH junto ao
DETRAN; Retirar nome de cadastros públicos...
REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS
MANDADO DE SEGURANÇA – Art. 5º

LXIX - Conceder-se á mandado de segurança para proteger


direito líquido e certo, não amparado por habeas corpus ou
habeas data, quando o responsável pela ilegalidade ou abuso
de poder for autoridade pública ou agente de pessoa jurídica no
exercício de atribuições do Poder Público;
OBS O direito líquido e certo é aquele que pode ser demonstrado de plano
mediante prova pré-constituída, sem a necessidade de dilação probatória.

LXX - O mandado de segurança coletivo pode ser impetrado


por:
a) partido político com representação no Congresso Nacional;
b) organização sindical, entidade de classe ou associação legalmente
constituída em funcionamento há pelo menos um ano, em defesa
dos interesses de seus membros ou associados;
Ex: O candidato reprovado em Teste de Aptidão física, mesmo que o cargo
a ser preenchido não necessite de força física.
REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS
MANDADO DE INJUNÇÃO – Art. 5º
LXXI - Conceder-se-á mandado de injunção sempre
que a falta de norma regulamentadora torne inviável
o exercício dos direitos e liberdades constitucionais
e das prerrogativas inerentes à nacionalidade, à
soberania e à cidadania;
 É um remédio constitucional que tem por objetivo deixar o legislativo a
par da falta de alguma norma regulamentadora que torne inviável os
direitos fundamentais da pessoa. Serve para requerer uma lei.
 Ex: Com o objetivo de solicitar, ao Congresso Nacional,
informações que permitam, ao Poder Legislativo da
União, aperfeiçoar a redação do parágrafo único do art. 135 do CPC,
que dispõe sobre a possibilidade de o magistrado declarar-se suspeito,
por motivo de foro íntimo, nos processos em que atue. (Parágrafo
único. 1973 - Poderá ainda o juiz declarar-se suspeito por motivo íntimo
X 2015 - Poderá o juiz declarar-se suspeito por motivo de foro íntimo,
sem necessidade de declarar suas razões)
REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS
AÇÃO POPULAR
 Art. 5º
LXXIII - qualquer cidadão é parte legítima para propor ação
popular que vise a anular ato lesivo ao patrimônio público
ou de entidade de que o Estado participe, à moralidade
administrativa, ao meio ambiente e ao patrimônio histórico e
cultural, ficando o autor, salvo comprovada má-fé, isento de
custas judiciais e do ônus da sucumbência;
 Pode ser impetrada por qualquer cidadão para anular ato lesivo ao
patrimônio público ou entidade de que o Estado participe, à moralidade
administrativa, ao meio ambiente ou ao patrimônio histórico e cultural.
 “Cidadão” é aquele que tem capacidade eleitoral, ou seja, que pode votar.
Para tanto é necessário que comprove sua inscrição perante a Justiça
Eleitoral.
 Ex: Ação popular com pedido de medida liminar pelo grave risco de dano
irremediável ao meio ambiente e à saúde pública para compelir a
Prefeitura de Macapá e o Prefeito Municipal a providenciarem, no prazo de
24 horas, a coleta da totalidade do lixo disposto nas ruas da Capital.
REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS
AÇÃO POPULAR x AÇÃO CIVIL PÚBLICA

 O principal traço diferenciador é a legitimidade ativa.


 É possível, resumidamente, afirmar que, quando o autor for
pessoa física (cidadão) será, sempre, hipótese de Ação
Popular.
 Em não se tratando de pessoa física será Ação Civil Pública,
de acordo com os legitimados previstos no art. 5º da Lei 7.347/85
que prevê a legitimidade para o Ministério Público, para a
Defensoria Pública, para a União, os Estados, o Distrito Federal
e os Municípios, para a autarquia, empresa pública, fundação ou
sociedade de economia mista e para a associação que esteja
constituída há pelo menos 1 (um) ano nos termos da lei civil e
que inclua, entre suas finalidades institucionais, a proteção ao
meio ambiente, ao consumidor, à ordem econômica, à livre
concorrência ou ao patrimônio artístico, estético, histórico,
turístico e paisagístico.
 Ex: quando uma comunidade é atingida pelo rompimento de uma
barragem.
DIREITOS HUMANOS

 São aqueles que o indivíduo possui simplesmente por ser


uma pessoa humana, por sua importância de existir, tais
como o direito à vida, à família, à alimentação, à educação,
ao trabalho, à liberdade, à religião, à orientação sexual e
ao meio ambiente sadio, entre outros.
 São direitos fundamentais reconhecidos no âmbito
internacional, garantidos pelo sistema social do qual o
indivíduo faz parte. Todavia, para os Direitos Humanos
atingirem patamar de norma, foi necessário um processo
histórico, político e social.
DIREITOS HUMANOS
x
DIREITOS FUNDAMENTAIS

 São Os dois têm relação direta com os direitos inerentes á


dignidade das pessoas, todavia o que os difere não é o seu
conteúdo, mas o plano de positivação.
 Os direitos humanos são positivados em ordem
internacional, como tratados e convenções, já os direitos
fundamentais são positivados na ordem jurídica interna,
como a Constituição e lei nacionais.
DIREITOS HUMANOS
 São direitos fundamentais reconhecidos no âmbito internacional,
garantidos pelo sistema social do qual o indivíduo faz parte. Todavia,
para os Direitos Humanos atingirem patamar de norma, foi
necessário um processo histórico, político e social.
 A educação é um instrumento imprescindível para que o indivíduo
possa reconhecer a si próprio como agente ativo na modificação da
mentalidade de seu grupo, sendo protagonista na construção de uma
democracia.
 UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a
Ciência e a Cultura) Plano de Ação para reconhecimento dos Direitos
Humanos: Programa Mundial para Educação em Direitos
Humanos: Primeira Fase (sistema educacional: educação básica e
ensino médio); Segunda Fase (ensino superior e formação em
direitos humanos para professores, servidores públicos, forças de
segurança, agentes policiais e militares); Terceira Fase (formação em
direitos humanos para profissionais de mídia e jornalistas).
DIREITOS HUMANOS
 Policiais vitimados por marginais;
 Funcionários do Sistema Prisional vítimas de bandidos;
 Necessidade de maior proteção do Estado.

Segundo Ricardo Balestreri:


 O policial é, antes de tudo um cidadão, e na cidadania deve
nutrir sua razão de ser. Irmana-se, assim, a todos
os membros da comunidade em direitos e deveres.
 O agente de Segurança Pública é, contudo, um cidadão
qualificado: porta a singular permissão para o uso da força e
das armas, no âmbito da lei, o que lhe confere natural e
destacada autoridade para a construção social ou para sua
devastação.
 O policial, assim, à luz desses paradigmas educacionais
mais abrangentes, é um pleno e legitimo educador.
DIREITOS HUMANOS

 Resgatar, o pedagogo que há em cada policial, é permitir a


ressignificação da importância social da polícia, com a
conseqüente consciência da nobreza e da dignidade dessa
missão.
 A elevação dos padrões de auto-estima pode ser o caminho
mais seguro para uma boa prestação de serviços.
 Só respeita o outro aquele que se dá respeito a si mesmo.
(Direitos Humanos)
DIREITOS HUMANOS

Mas afinal o que são os direitos humanos


O saber é como uma chave que
abre a porta para um futuro melhor
(Carlos Amauri de Souza)

OBRIGADO PELA ATENÇÃO DE TODOS