Você está na página 1de 25

NUTRIÇÃO

Marise Bezerra
Nutricionista
DIETOTERAPIA

• DIETOTERAPIA:

Tratamento de indivíduos portadores de determinada patologia através de


alimentação adequada.

A dietoterapia deve considerar a patologia e o estado nutricional do paciente.


TIPOS DE DIETA

• DE ACORDO COM A CONSISTÊNCIA:

- DIETA NORMAL: Destina-se aos pacientes cuja condição clínica não exige modificações na consistência
da dieta – possui alimentos crus e cozidos.

- DIETA BRANDA: Dieta de transição entre a pastosa e a normal. Os alimentos são modificados pela
cozimento – possui alimentos apenas cozidos. Indicações: pós – operatório e problemas de mastigação.
TIPOS DE DIETA

- DIETA PASTOSA: Inclui alimentos moídos em forma de purê /pastas. Indicações: Fornecer uma
dieta que possa ser deglutida com pouco ou nenhum esforço. INDICAÇÃO: Para os casos em que haja
necessidade de facilitar a mastigação, ingestão, deglutição;

- DIETA LIQUIDA: Hidratar e nutrir os tecidos, repouso do trato gastrointestinal. É de baixo teor
nutritivo, necessitando de suplementação. Indicada para pacientes que necessitam de alimentos de
fácil digestão.
TIPOS DE DIETA

QUANTO A QUANTIDADE DE NUTRIENTES NA DIETA:

HIPO: quando é necessário diminuir nutrientes;


HIPER: quando é necessário aumentar nutrientes;

EXEMPLOS: HIPERCALORICA: aumentar calorias; HIPERPROTEICA: visa o aumento de proteínas;


HIPOLIPIDICA: visa reduzir a quantidade de LIPIDEOS(GORDURA) da dieta;
O PAPEL DA ENFERMAGEM...

O CONTATO DEVE SER BEM PRÓXIMO ENTRE A ENFERMAGEM E O SERVIÇO DE


NUTRIÇÃO E DIETÉTICA (SND), PARA QUE DESTA FORMA A RECUPERAÇÃO DO
PACIENTE E O ANDAMENTO DO SERVIÇO SEJA MAIS PROVEITOSO.
O PAPEL DA ENFERMAGEM...

AO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM CABE:

• Estimular a ingestão de água/alimentar do cliente (ou sua restrição), auxiliando-o


quando necessário;

• Observar alterações: vômitos, obstipação (constipação) e diarreia, e comunicá-las


aos demais profissionais;

• Efetuar higiene oral antes e após as refeições;

• Realizar anotações no prontuário de todos os itens observados de forma que


permita ao demais profissionais fácil acesso sobre o cliente.
ESÔFAGO

• FUNÇÃO: TRANSPORTE
• PATOLOGIA MAIS COMUM: ESOFAGITE DE REFLUXO.

- CAUSAS: As mais comuns estão associadas ao retorno do conteúdo do estômago.


- DEITOTERAPIA:
Evitar bebidas gasosas, alimentos ácidos, alimentos gordurosos e condimentados;
• FISIOPATOLOGIA
• A mucosa do estômago é protegida da ação do ácido gástrico através
de uma camada de muco secretado nas paredes do estômago.
DIETOTERAPIA

ESTÔMAGO

• FUNÇÃO: DIGESTÃO
• PATOLOGIA MAIS COMUM: GASTRITE E ÚLCERA

• CAUSAS: Inflamação aguda ou crônica da mucosa que reveste as paredes internas do


estômago. Essa alteração pode ser provocada por diferentes fatores:
• BACTÉRIA: Helicobacter pylori ;
• Uso prolongado de MEDICAÇÕES ácidas;
• Consumo de BEBIDAS alcoólicas;
• AUTOIMUNE (quando o sistema imune produz anticorpos que agridem o próprio
organismo.)
• GASTRITE AGUDA: rápido início da inflamação e dos sintomas;

• GASTRITE CRÔNICA: poderá ocorrer durante um período de meses a


décadas, com redução ou exacerbação dos sintomas.
DIETOTERAPIA

Evitar bebidas gasosas, alimentos ácidos, alimentos gordurosos e condimentados.


DIETOTERAPIA

INTESTINO

• FUNÇÃO: ABSORÇÃO
• PATOLOGIA MAIS COMUM: CONSTIPAÇÃO E DIARRÉIA
CONSTIPAÇÃO (obstipação) INTESTINAL

Define-se constipação intestinal uma freqüência de menos de 3 evacuações por semana ou


sensação de evacuação incompleta ou dificuldade de eliminar as fezes.

• CAUSAS: Pode ocorrer devido a gravidez, idade, pós operatório, tumores, dieta e os hábitos
diários;

• DIETOTERAPIA: Utilizar alimentos laxantes (ricos em FIBRAS) e aumentar a ingestão de água.

• ALIMENTOS LAXANTES:
Frutas e verduras cruas/Cereais integrais.
DIARRÉIA

• Causas: intoxicação alimentar, medicamentos, algumas doenças...


• DIETOTERAPIA: Corrigir o desequilíbrio e HIDRATAR. Utilizar alimentos obstipantes
(pobres em FIBRAS).

ALIMENTOS OBSTIPANTES:
Frutas (goiaba, banana), verduras cozidas, amido de milho.
DISLIPIDEMIAS

• Alterações no metabolismo do corpo, levando a defeitos no transporte dos lípideos –


gorduras (colesterol e triglicérides).

• A aterosclerose é a principal causa de mortalidade no brasil e a dislipidemia é uma dos


seus principais fatores de risco.
DISLIPIDEMIAS

a) HIPERCOLESTEROLEMIA – Colesterol (CT)  200mg/Dl

b) HIPERTRIGLICERIDEMIA – Triglicerídeo (TGL)  200mg/dL;

c) DISLIPIDEMIA MISTA (é a mais grave) – valores aumentados de ambos CT e


TGL;

d) HDL (COLESTEROL BOM) BAIXO e ALTO LDL(COLESTEROL RUIM)

IV Dir. Bras. 2007


DISLIPIDEMIAS

DIETOTERAPIA: Diminuir o consumo de gorduras e óleos da alimentação.


“Se pudermos dar a cada indivíduo a quantidade exata de nutrientes e de
exercício, que não seja insuficiente nem excessiva, teremos encontrado o
caminho mais seguro para a Saúde.”

Hipócrates (a.C. 460 – 377 a.C.)

Você também pode gostar