Você está na página 1de 24

Movimentos Sociais

Cidiclei Santos
A sociedade é estática. ?
• A sociedade não é estática , ao contrário, ela é
dinâmica, esta em constante transformação
pela ação humana. Os exemplos na história de
pessoas que influenciaram a sociedade são
claros nesse sentido: Ghandi, Jesus Cristo, e
tantos outros líderes famosos ou anônimos,
que também contribuíram para a formação da
sociedade humana.
O movimento social explicado por
Alain Touraine
• O que é exatamente um movimento social? Segundo Alain Touraine,
sociólogo francês, os movimentos sociais são ações sociais que permitem
um relativo progresso social. Este sociólogo faz uma diferença entre as
noções de “ação social” que é relativa aos atores e dos “movimentos
sociais”, referentes à mudança. Para que um movimento social exista,
segundo ele, é preciso ter bastantes indivíduos representando a
sociedade, ter um movimento duradouro e algo onde os indivíduos
compartilhem uma relativa identidade. Então, segundo Alain Touraine, os
movimentos sociais se caracterizam em três pontos fundamentais:

• – o princípio de identidade: Quem luta?

• – o princípio de oposição: Quem é o adversário?

• – o princípio de totalidade: Por que lutar?


Características dos movimentos sociais
• Movimentos sociais são ações coletivas,
relativamente permanentes, que se constituem
como um importante instrumento de
transformação social e de efetivação da cidadania,
pois reivindicam direitos
até então não reconhecidos ou não garantidos
plenamente pelo Estado.
Cidadania “exercício dos direitos e deveres
inerentes ás responsabilidades de um cidadão:
votar é um ato de cidadania”
Características dos movimentos sociais
Características dos movimentos sociais
• Em geral, envolvem confronto político e podem
ter relação de oposição ou de parceria com o
Estado.
• A ação dos movimentos orienta-se por um
repertório, isto é, os meios através dos quais
chamam a atenção para sua causa ou os que usam
na luta para transformá-la em realidade. Greves,
passeatas e panfletagens estão entre as práticas
mais comuns aos repertórios de diferentes
movimentos sociais.
Características dos movimentos sociais
• Os movimentos lutam por causas que vão além dos
interesses particulares. Seus objetivos, quando
alcançados, transformam a vida de muitas pessoas, além
daquelas envolvidas diretamente nas ações. Isso
ocorre devido à universalização das conquistas, que
acabam por afetar muitas pessoas em um mesmo espaço
político (um país, por exemplo), e pela sua sedimentação
na forma de leis e políticas de Estado, estendendo seus
efeitos para futuros cidadãos que no momento da
conquista ainda não eram nascidos.
Características dos movimentos sociais
Relação com o Estado
• • Os movimentos sociais são uma poderosa
força de mudança social. Tal força pode ser
exercida “de baixo”, a partir das atividades
empreendidas por indivíduos associados de
diversas formas e em diferentes graus, ou
pode vir “de cima”, por iniciativa de membros
da elite (legisladores, governantes, dirigentes,
• juristas, administradores etc.).
Relação com o Estado
Relação com o Estado
Luís Gonzaga Pinto da Gama (Salvador, 21 de junho de 1830 –
São Paulo, 24 de agosto de 1882) foi um rábula, orador,
jornalista, escritor brasileiro e o Patrono da Abolição da
Escravidão do Brasil. Nascido de mãe negra livre e pai branco, foi
contudo feito escravo aos 10, e permaneceu analfabeto até os 17
anos.
Ruy Barbosa de Oliveira GCSE (Salvador, 5 de novembro de 1849
— Petrópolis, 1 de março de 1923) foi um polímata brasileiro,
tendo se destacado principalmente como jurista, advogado,
político, diplomata, escritor, filólogo, jornalista, tradutor e
orador. Um dos intelectuais mais brilhantes do seu tempo.
Relação com o Estado
• Quando o Estado é mais aberto às demandas da
sociedade civil, ampliam-se as possibilidades de a
relação entre esses atores políticos não ser apenas
de confronto. Muitas vezes, o que os movimentos
buscam é, justamente, que suas demandas sejam
consideradas pelo Estado e transformadas em leis
ou em políticas públicas. Da mesma maneira, o
Estado pode procurar os movimentos sociais por
várias razões: desde dialogar e atender melhor às
necessidades da população a simplesmente
legitimar sua autoridade diante dela.
Relação com o Estado
Movimentos sociais: tradicionais e
novos
É possível recortar a história dos movimentos
sociais a partir de duas categorias gerais
distintas, levando
em conta aspectos como formas de organização
e articulação, relações com o Estado, tendências
ideológicas, bandeiras políticas e estruturas que
desejam ver transformadas, entre outros.
Movimentos sociais: tradicionais e
novos
• Na primeira categoria se encontram os chamados
movimentos sociais tradicionais, constituídos principalmente
em torno das lutas dos trabalhadores desde a consolidação do
capitalismo — reivindicações por
melhores salários e condições de trabalho, redução da jornada e
estabilidade de emprego —, dos grupos na
luta por moradia, infraestrutura de saneamento, transporte
público ou educação, bem como dos grupos que combatem
formas de governo autoritárias e os sistemas econômicos e
políticos que as sustentavam. Tais movimentos travam fortes
embates políticos com o Estado, pois, em grande parte,
consideram fundamental transformar a estrutura estatal para
superar as condições de opressão da classe trabalhadora, tanto
no campo quanto na cidade.
Movimentos sociais: tradicionais e
novos
Movimentos sociais: tradicionais e
novos
• Na segunda categoria estariam os novos movimentos
sociais que, em sua maioria, voltam-se para garantir a
consolidação de direitos aos grupos tidos como
minoritários. Suas formas de atuação não privilegiam
políticas de cooperação com agências estatais ou mesmo
com sindicatos, mas ações diretas que visam ampliar seu
público e, assim, mudar valores que reproduzem
preconceitos e práticas discriminatórias — manifestações
de uma estrutura social que nega direitos básicos para
significativos contingentes da população. Entre os novos
movimentos sociais podem ser citados os movimentos
negro, feminista e LGBT.
Movimentos sociais: tradicionais e
novos
Veja os principais temas que são cobrados pelo
Enem:
• Questões de identidade, igualdade civil e jurídica: aceitação da
sexualidade e do próprio corpo, movimentos plus size,
regionalismo (centros de tradições nordestinas, gaúchas,
nortistas), movimentos de rupturas de exclusão espaço-
sociocultural de negros, indígenas e quilombolas e imigrantes
• Identidade da mulher: luta das sufragistas pelo voto,
movimento feminino para trabalhar fora de casa, questões de
divórcio e carreira, liberdade sexual, domínio sobre o próprio
corpo, movimento feminista
• Identidade e proteção da afro descendência: alteração no
panorama do hip hop e rap para a produção de músicas de
ostentação, lutas das periferias
• Questão indígena: manter povos indígenas afastados para
evitar aculturação X integrá-los à sociedade
Questões do Enem

Enem 2014 (Enem/Inep


Questões do Enem
(Enem 2012) As mulheres quebradeiras de coco-babaçu dos Estados do Maranhão, Piauí, Pará e
Tocantins, na sua grande maioria, vivem numa situação de exclusão e subalternidade. O termo
quebradeira de coco assume o caráter de identidade coletiva na medida em que as mulheres que
sobrevivem dessa atividade e reconhecem sua posição e condição desvalorizada pela lógica da
dominação, se organizam em movimentos de resistência e de luta pela conquista da terra, pela
libertação dos babaçuais, pela autonomia do processo produtivo. Passam a atribuir significados ao seu
trabalho e as suas experiências, tendo como principal referência sua condição preexistente de acesso e
uso dos recursos naturais.
ROCHA, M. R. T. A luta das mulheres quebradeiras de coco-babaçu, pela libertação do coco preso e pela
posse da terra. In: Anais do VII Congresso Latino-Americano de Sociologia Rural, Quito, 2006 (adaptado).

A organização do movimento das quebradeiras de coco de babaçu é resultante da


a) constante violência nos babaçuais na confluência de terras maranhenses, piauienses, paraenses e
tocantinenses, região com elevado índice de homicídios.
b) falta de identidade coletiva das trabalhadoras, migrantes das cidades e com pouco vínculo histórico
com as áreas rurais do interior do Tocantins, Pará, Maranhão e Piauí.
c) escassez de água nas regiões de veredas, ambientes naturais dos babaçus, causada pela construção
de açudes particulares, impedindo o amplo acesso público aos recursos hídricos.
d) progressiva devastação das matas dos cocais, em função do avanço da sojicultura nos chapadões do
Meio-Norte brasileiro.
e) dificuldade imposta pelos fazendeiros e posseiros no acesso aos babaçuais localizados no interior de
suas propriedades.
Veja os principais temas que são cobrados pelo
Enem:
• Luta por posse de terra: insurreições camponesas na França
(Jacquerie), atuação do Movimento dos Trabalhadores Rurais
Sem Terra (MST) no Brasil
• Questão ambiental: desmatamento, consumo desenfreado,
movimentos a favor do veganismo e contra o consumo de
carne de animais e a indústria pecuária
• Construção de uma nova identidade de consumo: produtos
voltados muito para os próprios indivíduos, movimento faça
você mesmo, consumo customizado
• Movimentos por legalização de psicotrópicos e de
comportamentos: reivindicações pela legalização da maconha,
do aborto, movimento pelo direito de decidir usar ou não o véu
na cultura muçulmana
Veja os principais temas que são cobrados pelo
Enem:

• Crescimento de movimentos de rejeição e apego a


posições extremistas: passeatas contra partidos ou
figuras políticas, atos contra religiões, luta anti-
movimentos identitários, como LGBT e feminismo
• Transformações no Oriente Médio: criação das
nações árabes e de Israel, conflitos históricos,
ditaduras da década de 1950, questão palestina,
sionismo, relações da Organização dos Países
Exportadores de Petróleo (Opep) e do Oriente Médio
com o Ocidente questão dos curdos, que reivindicam
direito de possuírem a própria nação
Questões do Enem
(Enem PPL 2015) O reconhecimento da união homoafetiva levou o debate à esfera pública,
dividindo opiniões. Apesar da grande repercussão gerada pela mídia, a população ainda
não se faz suficientemente esclarecida, confundindo o conceito de união estável com
casamento. Apesar de ter sido legitimado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o
reconhecimento da união homoafetiva é fruto do protagonismo dos movimentos sociais
como um todo.
ARÊDES, N.; SOUZA, I.; FERREIRA, E. Disponível em:
http://reporterpontocom.wordpress.com.
Acesso em: 1 mar. 2012 (adaptado).

As decisões em favor das minorias, tomadas pelo Poder Judiciário, foram possíveis pela
organização desses grupos. Ainda que não sejam assimiladas por toda a população, essas
mudanças
a) contribuem para a manutenção da ordem social.
b) reconhecem a legitimidade desses pleitos.
c) dependem da iniciativa do Poder Legislativo Federal.
d) resultam na celebração de um consenso político.
e) excedem o princípio da isonomia jurídica.