Você está na página 1de 47

+

Lipídeos Bioquímica

Profa. Denise Esteves Moritz


+
CONCEITO
 São todas as substâncias gordurosas existentes no reino
animal e vegetal (do grego “lipos” = gordura);

 Óleos, gorduras vegetais e animais, tem grande


importância na alimentação e constituição das células.
+
CONCEITO
 São biomoléculas insolúveis em água, e solúveis em
solventes orgânicos.
 Desempenham várias funções:
 Reserva de energia
 Combustível celular
 Componente estrutural das membranas biológicas
 Isolamento e proteção de órgãos
+ Função
5
Lipídeos

2. Funções
 Armazenamento de energia;

 Componentes de alguns sistemas


enzimáticos;

 Têm funções hormonais (hormônios


esteroidais) e vitaminas;

 Atuam como isolantes térmicos.


+
CONCEITO

 Substâncias que, por hidrólise, fornecem ácidos


graxos e outros compostos:

 Gorduras - glicerídeos de ácidos saturados são


"sólidas" à temperatura ambiente PRODUZIDAS
POR ANIMAIS.

 Óleos - glicerídeos de ácidos insaturados são


líquidos à temperatura ambiente PRODUZIDAS
POR PLANTAS.
+
Lipídeos da dieta

 60a 150g de lipídeos ingeridos


diariamente:

 90% triglicerídeos;

 10% colesterol, ésteres de colesterol,


fosfolipídios e ácidos graxos livres.
+ Constituição dos Lipídeos
 São ácidos orgânicos, de cadeia longa, com mais de 12 C
 Cadeia pode ser saturada ou insaturada;
Ácidos Graxos 9

Saturados Monoinsaturados Poliinsaturados

Cadeia Cadeia Ômega 6 Ômega 3


Ômega 9
curta longa

 Linoléico  Linolênico
 C6-C12  C14-C24
 Oliva  Milho  Linhaça
 Babaçu  Cacau
Canola  Algodão  Óleo de
 Coco  Leite pescado
 Açafrão  Soja
 Palmiste  Banha  Atum
Girassol  Açafrão
 Tucum  Sebo  Macarel
Girassol
 Cuphea  Dendê  Salmão
 Óleos de  Arengue
amêndoas
+Ácidos graxos saturados

 Não possuem duplas ligações;


 São geralmente sólidos à temperatura ambiente-maior
ponto de ebulição;
 Gorduras de origem animal ricas em ácidos graxos
saturados.
Ácidos graxos saturados
Nome comum Nome IUPAC
Ácido butírico Ácido butanóico

Ácido capróico Ácido hexanóico

Ácido caprílico Ácido octanóico

Ácido cáprico Ácido decanóico

Ácido láurico Ácido duodecanóico

Ácido merístico Ácido tetradecanóico

Ácido palmítico Ácido hexadecanóico

Ácido esteárico Ácido octadecanóico

Ácido melíssico Ácido untriacontanóico


Lipídeos Simples... 12

Ácidos Graxos
Ácido graxo saturado Ácido graxo insaturado
+ Ácidos graxos insaturados

 São ácidos carboxílicos


com cadeias 4 e 36 C, com
1 ou mais duplas ligações;

 Menor ponto de ebulição;

 As duplas ligações estão


na posição cis.

Ácido oléico
15

Ácidos Graxos Essenciais - AGEs

 Os ácidos graxos da classe C18:2 e C 18:3 são essenciais


por que não podem ser sintetizados no organismo.

 São necessários para a integridade das membranas


biológicas

 Para crescimento e reprodução;

 Para a manutenção da pele sadia;


ÔMEGA ()
Modo de agrupar ácidos graxos insaturados.
 v-9, principal representante o ácido oléico
( C 18:1)
Ex: óleos vegetais
 v-6, representado pelo ácido linoléico ( C 18:2)
Ex: Sementes oleaginosas; Óleo de milho, girassol e soja.

 v-3, está incluído o ácido a - linolênico ( C 18:3)


Ex: canola ou soja, peixes de águas frias e profundas (salmão, truta, arenque,
cavalinha, atum, destacando-se a manjuba e sardinha).
+
Gorduras Trans

 Formadas a partir de ácidos graxos insaturados por


hidrogenação natural (no rúmen de animais) ou
industrial;

Apesar de serem
insaturadas
apresentam uma estrutura
linear, comportando-se
como gorduras saturadas.
+ Processo de Hidrogenação

 Átomosde hidrogênio são inseridos até que a


gordura atinja a consistência desejada.
A fórmula química do ácido linoléico ou do azeite é a seguinte: 19

C18H32O2.
Se desenharmos a molécula do azeite num diagrama
verificamos que a disposição dos elementos de carbono, hidrogênio e
oxigênio estão organizadas como se fossem uma estrada de ferro.

GORDURA
TRANS
+ Hidrogenação dá origem a
uma gordura com:
 Ponto de fusão mais elevado
 Melhor qualidade de estocagem
 Melhor palatibilidade e textura
 Maior vida de prateleira
 Por isso é tão utilizada na indústria.

Se as “Gorduras Trans” aumentam a vida dos alimentos


nas prateleiras, ENCURTAM a vida das pessoas que as
comem!
+
Classificação
 São dois grupos:

 1 - Lipídios Simples ou Ternários - C, H e O;

 2 - Lipídios Complexos - C, H, O e N contém


fósforo e enxofre;
Cerídeos
Simples
Glicerídeos
Lipídios
Fosfatídeos

Complexos Cerebrosídeos

Esteróides
+ Classificação

1 - Lipídios Simples ou Ternários formados de C, H


e O;
São ésteres de ácidos graxos + álcool;
Óleos – animal e vegetal
- Glicerídeos
Gorduras – animal e vegetal

- Ceras – animal e vegetal


+ Glicerídeo

1 - ÓLEOS: - ésteres de glicerol com ác. graxos


insaturados

Líquidos viscosos incolores ou levemente amarelados,


de origem animal ou vegetal.
+
Glicerídios
De origem animal:

- Óleo de peixes: Ricos em vit A e D, usados como medicamentos;

- Óleo de capivara: amarelo, usado como tônico e reconstituinte;


+Glicerídios
De origem vegetal:
- Óleos comestíveis: algodão, amendoim, babaçu, coco, milho, oliva,
soja, dendê, usados em culinária.
+ Glicerídios
2- GORDURA:
Sólidas à temperatura ambiente. Predominam ésteres
de Glicerol com ácido graxo saturado. Sólidos brancos
Ou levemente amarelados, de origem animal ou vegetal.

De origem animal:
- Sebo: gordura branca consistente, encontra em volta das vísceras.
Usado na fabricação de sabões, sabonetes, velas e glicerina;
+
Glicerídios
De origem animal:
- Banha: obtida pela refinação da gordura dos suínos.
Composta 62% de oleína e 38% de palmitina e estearina.

- Manteiga: gordura do leite. Usada na alimentação, 80%


de gordura saturada.
+
Glicerídios
De origem vegetal:

- Gordura de coco: fabricação de sabonetes e perfumaria.

- Gordura de cacau: manteiga de cacau


+ Cerídios
 CERAS são ésteres de ácidos graxos e monoálcoois;
 Classificam-se em vegetais e animais;
 Vegetais fabricam ceras para revestir folhas, evitam evaporação
de água;
 AVES tem suas penas revestidas por gorduras, não se encharcam
de água e facilita flutuação.
+ Cerídios

Ceras Animais Ceras Vegetais


 Cerade carnaúba:
 Cera
de abelha:
palmitato de melissita cerotato de melissila
+
Cerídios
Aplicação:
- Fabricação de velas;
- Fabricação de sabões;
- Graxa para sapatos;
- Ceras para assoalhos;
- Fabricação de vernizes;
- Medicamentos.
+ Classificação

2 - Lipídios Complexos ou Compostos C, H, O e N


podem conter P e S;

Dividem-se em:
- Fosfolipídios: ácidos graxos, glicerol, H3PO4 e
um derivado nitrogenado.
- Cerebrosídios: ácidos graxos, galactose ou
glicose e uma base nitrogenada.
- Esteróides: derivados do colesterol

Lipídios
+ Fosfolipídios

Definição: ácidos graxos, ácido fosfórico e aminoálcool


(colina, colamina e serina).

Ocorrência: gema do ovo, azeite de soja e cérebro


+ Cerebrosídios
Definição: ácidos graxos, galactose e aminoálcoois.
Ocorrência: células vivas do sistema nervoso.
+ Estereóides

Existem em todas as plantas e animais, apresentam


a estrutura cíclica

Ciclopentanoperidrofenantreno
+
+ Esteróides
Os esteróides são lipídios derivados do colesterol. Eles atuam, nos
organismos, como hormônios e, nos humanos, são secretados pelas
gônadas, córtex adrenal e pela placenta. A testosterona é o hormônio
sexual masculino, enquanto que o estradiol é o hormônio responsável por
muitas das características femininas.

 No reino animal, mais abundantes são derivados do


colesterol C27H46O;
 Colesterol é componente estrutural das membranas
celulares e precursor de vit D, testosterona e estradiol;
 Colesterol é importante no organismo, produzido
principalmente no fígado, mesmo que alimentação seja
pobre em colesterol (um adulto, de peso médio, tem
cerca de 250g de colesterol em seu organismo).
Digestão
+ dos lipídeos

Início: Intestino
Ação: lipase
pancreática

Produção de bile
e metabolismo de
lipídios
+ Lipoproteínas
 Associações entre proteínas e lipídios encontradas na
corrente sanguínea, com função de transportar e regular o
metabolismo dos lipídios são elas:

 Quilomícron O protagonista responsável pela transposição dessa aparente


barreira é um conjunto de moléculas denominadas
genericamente como Lipoproteínas. Elas compõem a química
 VLDL não só do sangue, mas, como poucos sabem, também da
linfa. São representadas pelo HDL (High Density
Lipoproteins), LDL (Low Density Lipoproteins), VLDL (Very
 LDL Low Density Lipoproteins), IDL (intermediate Density
Lipoproteins) e os Qilomícrons. Suas designações, com
exceção dos Quilomícrons, são atribuídas em consonância
 HDL com suas densidades, sendo que aquelas que possuem
uma quantidade maior de lipídeos apresentarão uma
menor densidade e mais danos podem causar à
integridade dos vasos tanto sangüíneos quanto linfáticos
 IDL
dos indivíduos que evidenciam uma quantidade exacerbada
de suas concentrações.
+

AVC
Artéria em processo aterosclerótico

Gordura Calcificação

Corte transversal de uma artéria


Fatores Predisponentes:

GENÉTICA DIETA

ESTILO DE VIDA
HDL x LDL
Professora Dra Rosi Bio-quimica.blogspot.com
Trabalho:
Como a alimentação pode contribuir bioquimicamente na prevenção das
hiperlipidemias?
Indique 5 fatores que “não devo fazer”
E cinco fatores “obrigatórios” para evitar as doenças relacionadas à
hiperlipidemias.