Você está na página 1de 34

Universidade Federal de Santa Catarina

Campus de Joinville

Profa. Viviane Lilian Soethe

Joinville - SC
13/04/2017

1
Conteúdos da Aula/Objetivos

Unidade 2 – Difusão

Objetivos:
- Compreender os mecanismos atômicos de difusão;
- Compreender a primeira e a segunda lei de Fick em função
de seus parâmetros;
- Calcular o coeficiente de difusão para um dado material a
uma dada temperatura;

2
• Por que normalmente se diz que o Al não “enferruja”, quando
sabemos que ele oxida mais facilmente que o ferro?
• Que tipo de polímero é utilizado para a produção de garrafas de
refrigerante?
• Como é endurecida a superfície de certos aços?
• Porque protegemos fibras ópticas com recobrimento polimérico?
• Todas as respostas estão relacionadas com os processos de
difusão.

Ligas/
combinações de
elementos

Os átomos ou íons se difundem


dentro do material de forma a
minimizar as diferenças locais de Condição de menor
concentração energia
• Por que normalmente se diz que o Al não “enferruja”, quando
sabemos que ele oxida mais facilmente que o ferro?

O Al oxida mais facilmente que o Fe,


entretanto, a camada de Al2O3 formada
na superfície é altamente protetora e
dificulta a difusão adicional de O para a
superfície do metal impedindo a
oxidação do Al.
Respostas...

• Que tipo de polímero é utilizado para a produção de garrafas


de refrigerante?

Para produção de garrafas de bebidas


gaseificadas deve-se utilizar um
material polimérico capaz de impedir
a difusão deste gás (CO2). O PET
apresenta a possibilidade de evitar
que o gás se difunda por um período

de tempo razoável.
• Como é endurecida a superfície de certos aços?
• Porque protegemos fibras ópticas com recobrimento
polimérico?

Fibras ópticas feitas de silica (SiO2)


são revestidas com materiais
poliméricos com a finalidade de
evitar que moléculas de água
difundam sobre a fibra evitando
problemas de curto circuito.
Assim como a corrente elétrica está associada ao transporte de
cargas elétricas através de um fio condutor quando está sujeito
a uma diferença de potencial elétrico, a DIFUSÃO está
associada ao transporte de massa que ocorre em um sistema
quando nele existe diferença de potencial termodinâmico que
pode ser proporcional à diferença de concentração química,
quando o sistema está em equilíbrio.
A difusão é um processo governado por diferentes mecanismos e
manifesta-se em sólidos, líquidos e gases. Por exemplo, uma gota de tinta
que se dilui na água é um bom exemplo de difusão no interior de um
líquido, assim como o odor de um perfume que se espalha por uma sala*.

* No caso dos gases e nos líquidos ainda estão envolvidos os fenômenos de convecção
sendo este o principal motivo para que um perfume seja espalhado em um ambiente.
• No caso dos metais a difusão ocorre por meio de
movimentação atômica, em polímeros pela
movimentação de/entre macromoléculas e em
cerâmicas por meio da movimentação de cátions e
ânions.

• Os átomos movem-se de forma ordenada afim de


eliminarem a diferença de concentração e produzirem
uma composição uniformemente homogênea;
• A movimentação de cada átomo pode ser descrita como sendo um
caminho aleatório (random-walk) no espaço. Por simplicidade
será assumido uma movimentação unidimensional~.

Movimentação
de um átomo
intersticial
É formado quando as superfícies de duas barras de materiais metálicos distintos são
colocadas em contato íntimo e aquecidas por um dado tempo.

Um par de difusão zinco-cobre antes de ser


submetido a um tratamento térmico a temperatura
elevada.

Representação esquemática da distribuição dos


átomos de Zn e Cu.

Gráfico das concentrações do zinco e do cobre em


função da posição ao longo do par de difusão. A linha
sólida representa a concentração do Zn e a linha
pontilhada a do Cu.
Um par de difusão zinco-cobre após ser submetido a
um tratamento térmico a temperatura elevada,
mostrando a zona de difusão com formação de liga.

Distribuição dos átomos de Zn e Cu após o processo


de tratamento térmico.

Concentrações de cobre e níquel em função da


posição ao longo do par de difusão, após tratamento
térmico. A linha preta tracejada representa a
concentração de Zn e a linha vermelha a de Cu.
• De uma perspectiva atômica, a difusão é a migração

passo a passo dos átomos de determinadas posições do


reticulado cristalino para outras.

• Para ocorrer a movimentação de átomos são


necessárias duas condições:
• (1) deve existir um espaço livre adjacente ao

átomo;
• (2) o átomo deve possuir energia suficiente para

quebrar as ligações químicas que o une a seus


átomos vizinhos; causar uma distorção no
reticulado cristalino durante seu deslocamento para
a nova posição e formar ligações químicas com os
átomos de sua nova vizinhança.
Na DIFUSÃO POR LACUNAS um átomo (hospedeiro ou
substitucional) se desloca de uma posição normal da rede
cristalina para um sítio vago, ou lacuna, adjacente.
• A movimentação dos átomos ocorre em uma direção

e a das lacunas ocorre na mesma direção em sentido


oposto.
• A extensão segundo a qual a difusão por lacunas

pode ocorrer é função da concentração de lacunas


presente no metal.
• A concentração de lacunas aumenta com a
temperatura.
• Quando átomos hospedeiros se difundem, ocorre o

processo de AUTODIFUSÃO e quando átomos de


impurezas substitucionais se difundem, ocorre o
processo de INTERDIFUSÃO.
Os átomos intersticiais migram para posições
intersticiais adjacentes não ocupadas do reticulado.
• Em metais e ligas, a difusão intersticial é um

mecanismo importante para a difusão de impurezas


de raio atômico pequeno em relação aos do
hospedeiro.
 Exemplos: hidrogênio, carbono, nitrogênio e
oxigênio no aço.
• Geralmente, a difusão intersticial é muito mais

rápida que a difusão por lacunas devido aos átomos


serem menores.
 Exemplo: No caso do Fe-α a 500˚C, a difusão dos

átomos de carbono é quase 109 vezes mais rápida


do que a autodifusão dos átomos de ferro.
• A difusão é um processo dependente do tempo – a

quantidade de um elemento transportada no interior


de um outro é função do tempo.
• Para a indústria é importante saber qual a taxa em

que esse transporte ocorre

FLUXO DE DIFUSÃO (J)


Fluxo de difusão (J)

Massa M que se difunde através e perpendicularmente a


uma área de seção transversal unitária do sólido por
unidade de tempo.
SI:
(kg.m-2s-1 ou
átomos.m-2.s-1)

Área
onde a
dif.
ocorre
• No caso da difusão unidimensional, a concentração C dos
átomos que se difundem é função da posição x no interior do
sólido e do tempo t de difusão. Assim, em geral, C = f (x, t).

Para cada t, o FLUXO DE DIFUSÃO


num dado x é proporcional ao valor
do gradiente de concentração dC/dx
em x:

1ª Lei de Fick

D é – Coeficiente de difusão –
m2/s. (-) difusão ocorre contra o
gradiente de concentração.
• A maioria das situações práticas envolvendo difusão ocorre

em condições de ESTADO NÃO-ESTACIONÁRIO (ou


REGIME TRANSITÓRIO ou CONDIÇÕES
TRANSIENTES).

• Na difusão em estado não-estacionário tanto o fluxo de

difusão, quanto o gradiente de concentração, numa dada


posição x, variam com o tempo t. Como resultado, ocorre um
acúmulo ou esgotamento líquido do componente que se
encontra em difusão.
SEGUNDA LEI DE FICK descrição
unidimensional da difusão em estado não-estacionário.

Se o coeficiente de difusão não depende da composição


(portanto, da posição), a segunda lei de Fick torna-se:

Quando são especificadas condições de contorno que


correspondem a um fenômeno físico, é possível se obter
soluções para segunda lei de Fick. Essas soluções são funções
C=f(x,t) que representam as concentrações em termos tanto
da posição quanto do tempo.
Considerando as condições de contorno a 2ª Lei de Fick
torna-se:

Onde:
Cx – concentração em uma dada profundidade
Co – concentração inicial
Cs – concentração imediatamente acima da superfície
D – coeficiente de Difusão (m2/s)
x – profundidade (m)
t – tempo (s)
Para calcular a função erro usa-se interpolação após retirar os
dados da tabela abaixo
• A temperatura tem uma grande influência sobre os

coeficientes e taxas de difusão.


• Ex: autodifusão do Fe no Fe-α – aumento de D de 6

ordens de grandeza com aumento de T de 500 –


900ºC.
• A dependência dos coeficientes de difusão em relação

à temperatura é dada por:

D0 – constante
Qd – energia de ativação para a difusão
R – constante dos gases perfeitos (8,31 J.mol-1.K-1)
T – temperatura absoluta

Energia de ativação: energia necessária para produzir o movimento


difusivo de um mol de átomos – alta energia de ativação – D baixo.
• Linearizando esta equação por meio da tomada dos
logaritmos em ambos os lados:
Espécie que se difunde, meio onde ocorre a difusão e
temperatura
• A movimentação de átomos pode ocorrer:
1) No volume do material
2) Ao longo de defeitos lineares: discordâncias
3) Ao longo de defeitos bidimensionais: contornos de grão,
superfícies externas.
• A movimentação de átomos pelos defeitos cristalinos é
muito mais rápida que pelo volume.