Você está na página 1de 16

UM OLHAR CRÍTICO SOBRE A PSICOLOGIA

ORGANIZACIONAL → JOSÉ CARLOS ZANETTI

A análise das atividades, responsabilidades


e condições de trabalho do psicólogo organizacional
possibilitará refletir sobre as especificações que
são necessárias no processo de formação.
• O profissional que se pretende não é aquele que vai ajustar-se
mecanicamente às necessidades do mercado,mas um profissional capaz de
restabelecer as condições que o mercado oferece,utilizando de modo
competente os espaços que lhe são oferecidos.

• Busca-se extrapolar as alternativas tradicionais de intervenção na área;

• Busca-se educar o psicólogo criticamente;


CENÁRIO ATUAL

• Reduzido número de pesquisas em psicologia organizacional;


• Cinco anos de formação voltados para as disciplinas da área clínica;
• Despreparo para as atividades na área organizacional;
MUCHINSKY (1990) DIVIDE A P.O EM 6
RAMOS:

1. Psicologia de pessoal - ramo mais tradicional da área. Concentração nos


aspectos individuais, determinando os requisitos do trabalho → seleção
avaliação de desempenho, treinamento;

2. Comportamento organizacional → a organização determina e é


determinada pelos indivíduos e pelos grupos → estilos de
liderança, comunicação, motivação dentre outros;
3. Ergonomia → "psicologia de engenharia ou psicologia dos fatores
humanos" → busca compreender o desempenho humano no trabalho
associado as relações estabelecidas pelos sistemas homens-maquina;

4. Aconselhamento de carreira e vocacional → preocupa-se com a


integração da pessoa com o trabalho, visando a satisfação do
trabalhador;
5. Desenvolvimento organizacional → busca-se a eficiência da
organização por meio do diagnóstico dos seus problemas e o
planejamento de mudanças;

6. Relações industriais → diz respeito aos problemas das relações entre


empregados e empregadores: conhecer a legislação trabalhista,
interagir com sindicatos e intermediar as negociações entre
os segmentos da força de trabalho;
FUNÇÕES E AS TAREFAS DO PSICÓLOGO
ORGANIZACIONAL
1. Contribuir para a produção teórica sobre o comportamento
humano no contexto organizacional → o psicólogo concebe ou replica
estudos, concebe novas tecnologias, desenvolve pesquisas;

2. Fazer, em equipe multiprofissional, diagnóstico e


proposições sobre problemas organizacionais relativos a RH, no nível
sistêmico → define problemas, elabora propostas de
estudo/diagnóstico, equaciona medidas de implantação;
3. Analisar as atividades intrínsecas ao trabalho desenvolvido na
organização → elabora e executa projeto de análise de trabalho;

4. Promover treinamento e desenvolvimento de pessoal → diagnostica


necessidades de treinamento, planeja e avalia programas de
treinamento;

5. Realizar avaliação de desempenho → elabora projeto, prepara a


organização, acompanha a realização, analisa os dados, encaminha
resultados;
6. Implementar a política de estágio da organização → seleciona,
encaminha e acompanha estagiários;

7. Supervisionar as atividades do estagiário de Psicologia → planeja e


acompanha as atividades, avalia o desempenho do estagiário;

8. Desenvolver em equipe multiprofissional, a política de saúde


ocupacional da organização → contribui no diagnóstico, na elaboração
de projetos, na implementação e avaliação das ações de saúde;
9. Desenvolver em equipe multiprofissional ações de assistência
psicossocial que facilitam a integração do trabalhador na organização;

10. Estabelecer em equipe multiprofissional relações em órgãos de


classe → analisa a pauta de reinvindicação, intermedia negociações;

11. Efetuar movimentação interna de pessoal → analisa os motivos e as


ações de permuta, formaliza a movimentação, acompanha o processo
de adaptação;
12. Promover com pessoal externo, as vagas existentes na
organização → constrói a análise profissiográfica, recruta e seleciona
pessoal;

13. Implantar e/ou atualizar plano de cargos e salários → faz análise de


cargo e pesquisa salarial, elabora instrumentos de integração do plano
de cargos e salários;
14. Coordenar, quando responsável pelo gerenciamento de RH,
as ações de documentação e pagamento de pessoal → supervisiona
atividades de registro e cadastro, da folha de pagamento,
do recolhimento de encargos sociais e recolhimentos diversos;

O psicólogo organizacional brasileiro executa um


pequeno número das possibilidades de aplicação de que a área dispõe.
O CONTEXTO E O PAPEL DO PSICÓLOGO
ORGANIZACIONAL
Três orientações ético-politicas dos psicólogos em relação ao
trabalho em organizações.

1. Aqueles que concordam com a estrutura de dominação interna nas


organizações e atuam, implícita ou explicita, para preserva-la;

2. Aqueles que reconhecem as dificuldades do enfrentamento


das questões geradas no seio do embate de classes e buscam, in
loco, modos de emancipação do trabalhador e melhoria de qualidade
de vida;
3. Aqueles que veem na atuação, em empresas, um papel de
amortecedor de conflitos, em detrimento, inevitável, do trabalhador;

Idealiza-se um profissional que atue junto aos recursos


humanos, ciente da interdependência sistêmica das partes e níveis da
estrutura organizacional e da necessária interação com outros
profissionais, que fundamente suas intervenções em critérios cientifico-
metodológicos consistentes e que questione criticamente a inserção de
sua pratica e o desempenho da organização no contexto social.
A pratica da psicologia nas organizações é um compromisso
que acaba situado entre o real, o ideal e o factível.

A formação do psicólogo organizacional deve ser ampla quanto


as teorias psicológicas e quanto aos conhecimentos básicos da
psicologia, como a motivação, a aprendizagem, a percepção e
outros. Deve necessariamente incluir áreas de conhecimento
relacionadas aos negócios e a indústria, como a administração, a
economia, a sociologia e até mesmo aspectos das engenharias.
Não basta o domínio das habilidades relevantes: e
preciso competência para lidar com entidades complexas, estruturas
difusas e ver os problemas em múltiplos ângulos,
abandonar padrões obsoletos e resistir a pressões variadas.

Os psicólogos precisam estudar as mudanças, identificar os elos


entre e dentro dos ambientes de trabalho, propor alterações da
estrutura organizacional para acompanhar as mudanças e estudar seus
impactos sobre os empregados e a organização como um todo.

Você também pode gostar