Você está na página 1de 48

Robert

Merton

Nascimento: 4 de Julho – 1910


Morte: 23 de Fevereiro - 2003
Informação Biográfica
 Nome de nascença : Meyer R. Schkolnick
 Nascido na Filadélfia para trabalhar com pais imigrantes judeus da Europa Oriental
 Enquanto crescia na Filadélfia, no colegial, tornou-se um freqüente visitante da
Biblioteca Andrew Carnegie, da Academia de Música, da Biblioteca Central e do
Museu das Artes.
 Mais conhecido por cunhar as frases "profecia auto-realizável", "modelo" e
"consequências não intencionais“
 É um equívoco popular que Merton foi um estudante de Talcott Parsons, que na
verdade era apenas um membro júnior de seu comitê de dissertação, juntamente
com Carle Zimmerman, George Sarton e Pitirim Sorokin - um homem que
influenciou muito Merton.
 Sua carreira sociológica começou na Temple University estudando com George
E. Simpson e depois com Pitrim A. Sorokin em Harvard.
 Dissertação foi sobre a história social do desenvolvimento científico na Inglaterra
no século XVII.
 Merton foi casado duas vezes, incluindo uma vez com a socióloga Harriet
Zuckerman
 Ele teve um filho e duas filhas, incluindo Robert C. Merton, que ganhou o
prêmio Nobel de 1997 em economia.
Honras e Reconhecimento
 Ensinado em Harvard, tornou-se professor e presidente do Departamento de
Sociologia da Universidade de Tulane (1939).
 1941 - juntou-se ao corpo docente da Universidade de Columbia e tornou-se
professor de sociologia de Giddings (1963)
 1974 - alcançou o mais alto grau na Universidade de Columbia como professor
universitário e depois como professor de serviço especial após sua
aposentadoria (1979)
 Um dos primeiros sociólogos eleitos para a Academia Nacional de Ciências
 Primeiro sociólogo americano eleito para a Academia Real de Ciências da
Suécia
 Também membro da American Philosophical Society, da Academia Americana de
Artes e Ciências (através da qual recebeu o Prêmio Parsons), da Academia
Nacional de Educação e da Academica Europaea.
 1961 - recebeu uma bolsa de estudos do Guggenheim
 1983-88 - o primeiro sociólogo a ser nomeado Mac Arthur Fellow
 Foi premiado com graus honorários de mais de vinte instituições, incluindo Yale,
Harvard, Columbia, Chicaco e muitas universidades no exterior
 1994 - recebeu a Medalha Nacional de Ciências dos EUA como o primeiro
sociólogo a receber o prêmio.
Teorias Principais

 Teoria da FAIXA INTERMEDIÁRIA


 "Preenche os espaços em branco" entre o empirismo e a teoria
abrangente
 Influenciado por Weber e Durkheim
Esclarecendo análise funcional
 Funcionalismo é centralizado na interpretação de dados por
conseqüências para estruturas maiores
 A sociedade é analisada com referência às estruturas culturais e sociais
em relação a quão bem ou mal estão integradas
 Influenciado por Durkheim e Parsons
Disfunções
Seu trabalho implica que todas as instituições são inerentemente boas
para a sociedade, enfatizando a importância e a existência de disfunções
 Aborda teoria do conflito
 Ele afirma que só podemos explicar e descobrir alternativas para a
disfunção se reconhecermos os aspectos disfuncionais das instituições.
Principais TEORIAS (continuação)
 Funções manifestas e latentes
Funções manifestas são esperadas ou consequências observadas.
Funções latentes são aquelas que não são reconhecidas ou pretendidas.
Merton vê a atenção para as funções latentes como o aumento da
compreensão de uma sociedade maior em ir além da motivação individual.
Diz que disfunções também podem ser manifestas ou latentes.

 ALTERNATIVAS FUNCIONAIS
 Como outros funcionalistas, acredita que as sociedades devem ter
certas características para garantir a sobrevivência

 Merton enfatiza que outras instituições também são capazes de cumprir


as mesmas funções
 Isso é importante porque os sociólogos se conscientizaram das
semelhanças entre as funções das diferentes instituições e “reduzem a
tendência do funcionalismo a implicar a aprovação do status quo”.
Teoria Maior: Tipologia Desvio
 Usou o termo ANOMIA (de Durkheim) para significar “Uma descontinuidade entre objetivos
culturais e os meios legítimos disponíveis para alcançá-los”.
 RITUALISMO é a aceitação dos meios, mas a perdição dos objetivos
 Retreatism é a rejeição de ambos os meios e os objetivos
 REBELIÃO é uma combinação de rejeição de metas e meios sociais e uma substituição de
outros objetivos e meios.
 INOVAÇÃO E RITUALISMO são os casos puros de anomia como Merton a definiu porque
em ambos os casos há uma descontinuidade entre objetivos e meios.

Image: Ryan Cragun 2005 (from Wikipedia)


 O que é o retreatismo?

 Evan é um veterano na faculdade estudando psicologia. Ele espera ajudar pessoas mentalmente
instáveis ​algum dia. A caminho da aula, ele percebe que uma multidão se reuniu no pátio. Ao se aproximar
do grupo, ele pode ouvir o Pregador Bob falando sobre alguma teoria da conspiração. Evan não pode deixar
de rir. Pregador Bob é um dos caras sem-teto conhecidos que anda pelo campus. Muitas pessoas acham
que ele é chato e alguns alunos afirmam que ele está drogado. Evan acha que ele é intrigante. Ele o
encontrou uma noite enquanto esperava o ônibus. Acontece que Preacher Bob queria ser um advogado em
algum momento, antes de perceber que não queria fazer parte do "sistema", como ele diz. Ele abandonou a
escola e se desligou de sua família logo depois disso. Ele agora vive nas ruas

 Nesta história, temos duas pessoas vivendo vidas muito diferentes. Evan é um estudante universitário
seguindo um caminho muito tradicional na sociedade americana. Ele está concluindo sua educação
universitária na esperança de obter uma carreira gratificante depois. Pregador Bob é o oposto de Evan. Ele
se retirou da sociedade e não participa na tentativa de alcançar os mesmos objetivos. O estilo de vida do
pregador Bob é melhor descrito como retreatismo , um conceito que descreve uma pessoa renunciando às
idéias tradicionais de sucesso da sociedade e as formas de alcançá-la, retirando-se da comunidade.
 5 MODOS DE ADAPTAÇÕES

 Conformity

 Innovation

 Ritualism

 Retreatism

 Rebellion.
CONFORMIDADE

- médias = (+), objetivos = (+)

- Modo mais comum de adaptação, acreditar em metas culturalmente


definidas, acreditar no sistema otimista acreditam que você "pode
fazer", gratificação diferenciada, Internalização = culpa auto se não
tiver sucesso.

INOVAÇÃO

- médias = (-), objetivos = (+)

- Quer a mesma coisa que o conformista (sucesso, valor das


recompensas) mas usa meios ilegítimos para adquiri-los, mais
propensos a serem criminosos

Image: Ryan Cragun 2005 (from Wikipedia)


RITUALISMO

- Significa = (+), Objetivos = (-)

Modifica metas e se torna um conformista modificado. Aceita


metas/recompensas modificadas, passa por meios, mas nunca chega
ao fim, progresso lento

RETREATISM

- médias = (-), objetivos = (-)

Não se preocupa com metas e como você vai conseguir. Tende a se


juntar aos cultos, "desistir", aceita silenciosamente o derrotismo

Image: Ryan Cragun 2005 (from Wikipedia)


REBELIÃO

- médias = (+/-), metas = (+/-)

Procura organizar em vez de recuar, líderes de movimentos sociais,

culpa o sistema se as coisas dão errado, causa estresse recrutando

outros.

Image: Ryan Cragun 2005 (from Wikipedia)


Teoria Maior: Sociologia da Ciência
 Sociologia da ciência
Desenvolveu a Tese de Merton, que explica as causas da revolução científica e as
normas mertonianas da ciência, identificadas comumente pela sigla “CUDOS”.

CUDOS é um conjunto de ideias que são, na visão de Merton, os objetivos e métodos


da ciência, incluindo :
 Comunalismo - propriedade comum de descobertas científicas, segundo
a qual os cientistas desistem dos direitos de propriedade intelectual em
troca de reconhecimento e estima.
 Universalismo - De acordo com o qual as reivindicações à verdade são
avaliadas em termos de critérios universais ou impessoais, e não em
fatores como etnia, status, gênero ou fé.
 Desinteresse - De acordo com a qual os cientistas são recompensados
por agirem de forma aparentemente exterior altruísta.
 Ceticismo Organizado - todas as ideias devem ser exaustivamente
testadas e sujeitas ao escrutínio da comunidade.
Publicações de Merton
 Teoria Social e Estrutura Social (1949)
 A Sociologia da Ciência (1973)
 Ambivalência Sociológica (1976)
 Nos ombros de gigantes: Um pós-escrito de Shandea (1985)
 As Viagens e Aventuras da Serendipidade: Um Estudo em
Semântica Sociológica e a Sociologia da Ciência (2004)
Funções de manifesto e latente (1957)

Robert K. Merton
Distinguindo funções de manifesto e latente
 muitas vezes houve confusão entre motivações conscientes para o
comportamento social e suas conseqüências objetivas.

 diferença entre motivos e funções


 funções manifestas: aquelas conseqüências objetivas para uma unidade

específica (pessoa, subgrupo, sistema social ou cultural) que contribuem

para seu ajuste ou adaptação e foram

 funções latentes: conseqüências não intencionais e não reconhecidas


Objetivos Heurísticos da Distinção
Esclarece a análise de dados aparentemente irracionais
 Essa distinção auxilia a interpretação de práticas sociais que persistem
mesmo que seu propósito manifesto não seja alcançado.
 quando o comportamento grupal não atinge seu suposto propósito, há uma
tendência a atribuir sua ocorrência à falta de inteligência, inocência, etc.
 A dança da chuva hopi não produz chuva, pode ser rotulada como
supersticiosa e o povo Hopi visto como primitivo

 O conceito de funções latentes se estende para além do fato de o


comportamento ter ou não

 direciona a atenção para personalidades individuais envolvidas no


comportamento, e a persistência e continuidade de um grupo maior
 o cerimonial de dança de chuva Hopi tem funções não-propostas
 reforçar a identidade do grupo
Direciona a atenção para campos de pesquisa teoricamente frutíferos

 confinamento ao estudo das funções manifestas

* O sociólogo se preocupará em determinar se uma prática instituída para

uma finalidade específica atinge, de fato, esse propósito.

 confinamento ao estudo de funções latentes

*sociólogo examinará a prática social familiar (ou planejada) para

determinar as funções latentes, não reconhecidas,

 contribuições intelectuais distintivas


Impacto da teoria de Merton
 As funções latentes da descoberta representam incrementos
significativos no conhecimento sociológico
 os achados referentes às funções latentes representam um incremento
maior no conhecimento do que os achados das funções manifestas, pois
descrevem práticas e crenças que não são de conhecimento comum.
 Impede a substituição de julgamentos morais ingênuos por análises
sociológicas
 avaliações morais na sociedade são geralmente em termos das
consequências manifestas de uma prática ou de um código
 análise é termos de funções latentes, então, muitas vezes vão contra as
avaliações morais prevalecentes

 procedendo do funcional
 Recomendação de que devemos normalmente esperar que padrões sociais
persistentes e estruturas sociais desempenhem funções positivas que, no
momento, não são adequadamente cumpridas por outros padrões e estruturas
existentes.
 A “organização publicamente criticada” está, sob as condições atuais,
satisfazendo as funções latentes básicas.
Em teorias sociológicas da
escala média
O que isso significa?
 A Teoria Sociológica refere-se a conjuntos logicamente interconectados

de proposições das quais uniformidades empíricas podem ser derivadas.

 Teorias das teorias intermediárias que se situam entre as hipóteses de

trabalho menores, mas necessárias, que evoluem em abundância durante

a pesquisa do dia-a-dia e os esforços sistemáticos inclusivos para

desenvolver uma teoria unificada que explicará todas as uniformidades

observadas do comportamento social. organização social e mudança

social
CONTINUIDADE

 A teoria da faixa intermediária é usada principalmente na

sociologia para guiar a investigação empírica.

 Cada teoria é mais do que uma generalização empírica -

uma proposição isolada resumindo uniformidades observadas

de relações entre duas ou mais variáveis.


Teoria do Conjunto de Papéis

 Começa com o conceito de que cada status social envolve não um único

papel associado, mas uma matriz de funções.

 Ex. O estudante de Medicina da UNC desempenha não apenas o papel

do estudante vis-à-vis o status correlativo de seus professores, mas

também uma variedade de outros papéis que se relacionam de forma

diversa a outros no sistema: outros estudantes, médicos, enfermeiros,

estudantes Duke, assistentes sociais, médicos técnicos e afins.


Continuidade
 O conjunto de papéis levanta o problema geral, mas definido, de identificar

os mecanismos sociais

 Ilustra outro aspecto das teorias sociológicas da faixa intermediária.

 Freqüentemente consistente com uma variedade dos chamados sistemas

da teoria sociológica: teoria marxista, análise funcional, behaviorismo

social, sociologia integral de Sorokin e teoria da ação de Parson.


Continuidade
 Há sempre um potencial para expectativas diferentes
entre aqueles em um papel definido como o que é
conduta apropriada para um ocupante de status.

 A fonte básica desse potencial para conflito encontra-


se no fato estrutural de que os outros membros de
um conjunto de papéis são capazes de manter várias
posições sociais diferentes daquelas do ocupante do
status em questão.
Continuidade
 A base estrutural assumida para o potencial
distúrbio de um conjunto de papéis dá origem a uma
dupla questão: Quais mecanismos sociais, se
houver, operam para neutralizar a instabilidade
teoricamente assumida dos conjuntos de papéis e,
correlativamente, sob quais circunstâncias esses
mecanismos sociais falham? operar, resultando em
ineficiência, confusão e conflito?
Sistemas Totais de Teoria
Sociológica
Continuidade
 Não foi feito um trabalho preparatório suficiente para formular
uma teoria sociológica geral ampla o suficiente para abranger
os vastos intervalos de detalhes precisamente observados de
comportamento, organização e mudança social e frutíferos o
suficiente para direcionar a atenção dos pesquisadores para
um fluxo de problemas para pesquisa empírica.

 A sociologia primitiva cresceu em uma atmosfera intelectual


na qual sistemas de filosofia vastamente abrangentes estavam
sendo introduzidos por todos os lados.
Continuidade
 As tentativas de criar sistemas totais de
sociologia são um objetivo que muitas vezes é
baseado em um ou mais equívocos das
ciências.
Continuidade
1. A primeira interpretação errônea supõe que os sistemas de
pensamento podem ser efetivamente desenvolvidos antes
que uma grande massa de observações básicas tenha sido
acumulada.
2. A segunda interpretação errônea sobre as ciências físicas
repousa sobre uma suposição equivocada da
contemporaneidade histórica - de que todos os produtos
culturais existentes no mesmo momento têm o mesmo grau
de maturidade.
3. O terceiro equívoco é que o sociólogo às vezes interpreta
mal o estado atual da teoria nas ciências físicas
Pressões utilitárias para sistemas totais de sociologia
 A convicção entre alguns sociólogos de que devemos, aqui e
agora, alcançar um grande sistema teórico não resulta apenas
de uma comparação equivocada com as ciências físicas, é
também uma resposta à posição ambígua da sociologia na
sociedade contemporânea.
 O masoquismo mal colocado do cientista social e o sadismo
inadvertido do público resultam ambos do fracasso em
lembrar que a ciência social, como toda a ciência, está
continuamente se desenvolvendo e que não há dispensação
providencial provendo que a qualquer momento ela seja
adequada ao todo o leque de problemas que confrontam os
homens.
Continuidade

A urgência da imensidão de um problema


social prático não assegura sua solução
imediata

A necessidade é apenas a mãe da invenção;


conhecimento socialmente acumulado é o seu
pai
Sistemas Totais de Teoria e
Teorias do Intervalo Médio
Continuidade

 Nossas principais tarefas hoje são desenvolver


teorias aplicáveis a faixas conceituais limitadas -
teorias, por exemplo, comportamento desviante, as
conseqüências imprevistas da ação intencional,
percepção social, grupos de referência, controle
social, a interdependência das instituições sociais -
ao invés de buscar imediatamente o estrutura
conceitual total que é adequada para derivar essas e
outras teorias da faixa intermediária.
Continuidade
 Se a teoria sociológica deve avançar significativamente, ela
deve prosseguir nesses planos interconectados

 Ao desenvolver teorias especiais a partir das quais derivar


hipóteses que podem ser investigadas empiricamente

 Ao evoluir, não revelando de repente, um esquema


conceitual progressista mais geral que seja adequado para
consolidar grupos de teorias especiais

 Teorias dos intervalos médios detêm a maior promessa.


Estrutura Social e Anomia (1938)

A medida de "restrições estruturais sobre a


capacidade de obter bens socialmente
valorizados, como riqueza, molda a possível
gama de respostas individuais".

 Metas Culturais

 Normas Institucionais
… Cont. Cultural e Instituições
 Todas as sociedades governadas de alguma forma - COMO governado

(instituições, folkways, etc.) determina integração e valores culturais

 Anomia – “normalidade”

 Desmoralização (desinstitucionalização) - duas partes do grupo social

não altamente integradas

América e sucesso …
Comportamento Desviante
Estratos sociais - maior pressão sobre o menor

Oportunidades ocupacionais em grande parte confinadas ao trabalho manual

Porque NÃO é realista, causa de comportamento desviante

Causa maior: ênfase cultural e inconsistências na estrutura social

(1) Incentivos para o sucesso

(2) Mobilidade limitada para o objetivo


Tipologia dos modos de adaptação individual
Modos de Adaptação Metas culturais Meios institucionalizados

I. Conformidade + +
II. Inovação + -
III. Ritualismo - +
IV. Retreatism - -
V. Rebelião +/- +/-

+ = aceitação
- = rejeição
+/- = rejeição de valores atuais, substituição por outros
CONFORMIDADE
 A ordem social é mantida porque o comportamento modal dos membros
representa os padrões culturais, mesmo se secularmente mudando.

 Comportamento  valores básicos  sociedade


 A sociedade NÃO existe se não houver “depósito de valores
compartilhados por indivíduos

Mais comum e amplamente difundido

Mantém a sociedade "rolando"


INOVAÇÃO

 Ênfase no sucesso-meta  riqueza e poder

 “Ocorre quando o indivíduo assimila a ênfase cultural sobre o objetivo, sem

internalizar igualmente as normas institucionais que governam as formas e

os meios para sua consecução”

 Direciona os dois: os negócios se esforçam um lado dos costumes e as

práticas afiadas além dos costumes


RITUALISMO

 Reduzir / abandonar metas culturais para aspirações pessoais

* Embora se tente não ter influências culturais, elas obedecem a normas

institucionais

Geralmente não considerado representar um problema social

 Bastante freqüente porque depende em grande parte das conquistas de

uma pessoa.

 Ritualista: familiar e instrutivo.

Ex: "Estou satisfeito com o que tenho", "Não aponte alto e você não ficará

desapontado"
…cont. RITUALISMO
 FUGA PRIVADA

 Capaz de evitar perigos e frustrações de normas culturais

 Agarrar-se a rotinas seguras e normas institucionais

Classe média baixa

-Os pais exercem pressão sobre as crianças sobre os mandatos morais

da sociedade

-Mobilidade social ascendente não é fácil de obter


RETREATISM
 MENOS COMUM

 “na sociedade, mas não dela”

 Ex: párias, vagabundos, bêbados crônicos, viciados em drogas, etc..

 Os indivíduos foram assimilados pelos padrões de ambos os

objetivos e instituição  Não acessível  indivíduo é desligado

 Mecanismos de fuga: derrota, quietismo, resignação


…cont. RETREATISM
 Solução para pessoa desviante: abandone os objetivos e os meios e

torne-se assocializado.

 Condenado porque “responsabilidade não produtiva”

 Lado positivo - frustrações mínimas enquanto busca recompensas

Negativo – socialmente deserdados.

 As adaptações são em grande parte privadas e isoladas.


REBELIÃO
 Adaptação Coletiva

 Pressupõe a alienação de metas e padrões reinantes

 Ressentimento vs. Rebelião


 (1) ódio, inveja, hostilidade.

 (2) impotência para expressar sentimentos.

 (3) reenviar continuamente a hostilidade.


…cont. REBELIÃO
 Rebelião
 Envolve a genuína transvalorização
 A experiência de frustração leva à denúncia completa de
valores previamente valorizados
 Ex: uvas..
 Diferença chave: o ressentimento condena o objeto que está sendo
desejado; rebelião condena ânsia.

 É mais provável que ocorra se: O sistema institucional é uma barreira


para os objetivos de satisfação.

 Objetivo: manter-se parte da sociedade, mas transição entre grupos


sociais.
… cont. REBELIÃO
 Mitos: FONTE DE FRUSTRAÇÃO

Contra-mito conservador - não na estrutura básica da sociedade.

Mito conservador - “natureza das coisas”, qualquer sociedade.

Rebelião e conservadorismo trabalham juntos - movem-se para longe da

adaptação.

Aula em ascensão, classe não deprimida.


QUESTÕES DE DISCUSSÃO
O que é considerado comportamento
desviante hoje?
 Existem semelhanças entre os anos 1930
e o presente? Se existem diferenças, o
que as fez mudar?