Você está na página 1de 81

- O que é IM? - O Que é o PGM?

- A vida do Líder e o

02 - O que é o PGM?

03 - Líderes Multiplicadores
01 - Conhecendo a IM

04 - Igrejas Multiplicadoras
- A paixão por Plantar
- O que é ser Igreja? - Multiplicando o Exemplo de Cristo Igrejas
- Como podemos PGM - A importância do - O que é a
expressar os - A liderança do PGM Líder Multiplicador Plantação?
Princípios Hoje? - O encontro do PGM - Identificando Novos - Plantando em
- Evangelização Líderes Igrejas no Contexto
- Primeiros Passos Urbano
Discipuladora - O Processo de
- Por onde começar? Formação - O PGM na Plantação
- Implementando a de Igrejas
Supervisão - O perfil do
Plantador
PLANTAÇÃO
DE IGREJA

FORMAÇÃO
DE LÍDERES

EVANGELIZAÇAO
IGREJA
DISCIPULADORA MULTIPLICADORA

COMPAIXÃO
E GRAÇA
ORAÇÃO
“Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo:
Toda a autoridade me foi dada no céu e na
terra. Ide, portanto, fazei discípulos de
todas as nações, batizando-os em nome do
Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
ensinando-os a guardar todas as coisas que
vos tenho ordenado. E eis que estou
convosco todos os dias até a consumação do
século.” Mateus 28:18-20
O Núcleo da Grande Comissão

Ir

Fazer
Discípulos
Ensinar a
Batizar Obedecer

Criar e Aprofundar
Relacionamentos
Intencionais
RDs PGMs IGREJA
“A Igreja no Novo Testamento
está ligada com um grupo de
pessoas que acreditavam em
Cristo. Eles geralmente se
reuniam numa casa (At
12.5,12; Rm 16.5; Cl 4.15; Fm
2) e não se consideravam uma
organização ou denominação”
Cristianismo Através dos Séculos: Uma história da Igreja Cristã. Earle Cairns. São Paulo: Vida Nova, 2013. p. 48 e 49
Atos 1:8

“Mas recebereis poder quando o Espírito Santo


descer sobre vós; e sereis minhas
testemunhas, tanto em Jerusalém como em
toda a Judeia e Samaria, e até os confins da
terra.”
A Resposta de Jesus foi dada aos discípulos quando eles
questionaram sobre instituições e estruturas, Jesus foca em
pessoas.
O Poder era
para testemunhar
A palavra de Jesus enfatiza a transformação do mundo através da
transformação de pessoas, não de implantação de programas e
estruturas.
“E eles perseveravam no ensino dos apóstolos e na
comunhão, no partir do pão e nas orações. Em cada
um havia temor, e muitos sinais e feitos
extraordinários eram realizados pelos apóstolos.
Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo
em comum. Vendiam suas propriedades e bens, e os
repartiam com todos, segundo a necessidade de
cada um. E perseverando de comum acordo todos
os dias no templo, e partindo o pão em casa,
comiam com alegria e simplicidade de coração,
louvando a Deus e contando com o favor de todo o
povo. E o Senhor lhes acrescentava a cada dia os
que iam sendo salvos.” Atos 2:42 a 47
A palavra de Jesus se cumpre em Atos 2, no Pentecostes,
quando a Igreja é cheia do Espírito e começa a viver essa
dinâmica espiritual.
Atos 2:42
“E ELES PERSEVERAVAM”
“no ensino dos apóstolos”
“na comunhão”
“no partir do pão”
“nas orações”
A ênfase aqui é que os cristãos tinham uma
vida comunitária, porque igreja é gente.
Atos 2:43
“Em cada um havia temor, e
muitos sinais e feitos
extraordinários eram realizados
pelos apóstolos.”
Aquela vida comunitária era fruto do temor a Deus,
que redundava em milagres e ações de Deus. Isso é
ser igreja.
Atos 2:44
“Todos os que criam estavam
unidos e tinham tudo em
comum.”
Viviam a expressão dos mandamentos de mutualidade,
tão comuns no Novo Testamento (os ‘uns aos outros’):
isso é ser Igreja.
Atos 2:45
“Vendiam suas propriedades e bens, e
os repartiam com todos, segundo a
necessidade de cada um.
A ênfase deste texto é que aquela vida comunitária não
era somente espiritual, nos ajuntamentos coletivos;
viviam a compaixão e graça, viviam de fato a
comunidade. Isso é ser Igreja.
Atos 2:46
“E perseverando de comum acordo todos
os dias no templo, e partindo o pão em
casa, comiam com alegria e simplicidade
de coração,”
Também não era apenas uma vida no templo, aos
domingos, era uma prática diária, de casa em casa. Isso
é ser Igreja.
Atos 2:47
“louvando a Deus e contando com o
favor de todo o povo. E o Senhor lhes
acrescentava a cada dia os que iam
sendo salvos.”
O resultado (crescimento) é sempre a ação de Deus; não
eram os métodos da igreja que funcionavam, não eram os
relacionamentos que resultavam em crescimento, mas
Deus que agia através daqueles relacionamentos. Não
eram relacionamentos apenas entre os crentes, mas entre
o povo, que admirava a vida dos cristãos.
Atos 5:42
“E todos os dias, no templo e de casa
em casa, não cessavam de ensinar e de
anunciar Jesus, o Cristo.”
Não era uma espiritualidade de fim de semana, mas diária. Não apenas no
templo, no ajuntamento, mas nas casas. A vida que experimentavam na
Palavra e na Oração redundava em testemunho, feito no Poder do Espírito
Santo.
Atenção: A igreja de Jerusalém reconhecia o templo reconstruído por
Herodes como o seu templo também. De fato, não é correta a ideia de que a
Igreja Primitiva não possuía templos, pois o templo de Jerusalém (dos
judeus) era também o da Igreja.
• Estes textos revelam a ação do próprio
Deus.
• Começou com o revestimento no
Pentecostes
• Foi a ação do Espírito Santo
• Em 15 anos espalhou o evangelho em
muitas nações
Igreja Ano
Primitiva 300 D.C
No ano 70, o templo deixou de existir, mas a igreja não:
ela continuou nas casas. Continuou uma igreja vibrante
e apaixonada pelo seu Senhor, esperando a sua volta.
A história (e as próprias cartas do Novo Testamento)
mostra que problemas vão surgindo e, nitidamente, a
partir do ano 300, há a consolidação de mudanças no
estilo de viver e ser igreja.
Historicamente, o marco
dessas mudanças é
Constantino. Sua conversão
(no ano 313) é questionada;
ele terminou por favorecer a
institucionalização da Igreja
(consolidada por Teodósio,
em 390).
• O cristianismo cada vez mais alinhado com os sistemas
políticos
• “Lideres profissionais” cada vez mais desenvolvendo a
estrutura da Igreja
• A liderança servidora cada vez mais dando lugar ao
autoritarismo
• A igreja começou a se moldar ao mundo
• A igreja veio para defensiva ao contrário de permanecer na
ofensiva
• Os grupos pequenos na Igreja eram suspeitos aos olhos do
governo
• As pessoas agora vão para a “igreja” (catedral)
• Em um único dia especial da semana (domingo)
• E alguém reconhecido ministra (sacerdote)
• Faz alguma coisas para elas (ensino, pregação
indulgências, curas)
• Ou por elas (um ritual)
• Por um preço (oferta)
• Este é o retrato da igreja de hoje?
• Estamos vivendo estes princípios hoje?
• Os princípios Divinos são negociáveis?
• Sendo cheios do Espírito Santo, precisamos
resgatar os princípios das igrejas
neotestamentárias que foram perdidos ou que
estão adormecidos.
• É tempo de voltar ao primeiro amor...
• Ter o fazer discípulos como estilo de vida na
vida dos crentes
Nunca esqueça o seu chamado!
• O povo de Deus é o povo do Evangelho (A boa
nova).
• A boa nova é abençoar as nações! Essa é a missão
declarada de Deus.
• Por isso Deus chamou um povo!
• Para ser veículo da sua missão!
• SER BENÇÃO É ESTILO DE VIDA!
Frase da semana
• DEUS NÃO UNGE
MÉTODOS E PROGRAMAS
• DEUS UNGE HOMENS!!!!!!
Vamos decifrar a frase que ouvi hoje à tarde
“Um dos maiores problemas do evangelho hoje é
que estamos tentando imprimir na igreja uma
cultura de voluntariado ( que serve a uma
mentalidade de eventos... Para trazer pessoas
para ajudar nos eventos...) E termos coragem de
formarmos uma cultura de discipulado.” Jonas
Madureira
1 – Na sua opinião, as igrejas atuais estão mais
voltadas para estruturas e programas ou
princípios? Como isso pode ser mudado?

2 – Quais as diferenças entre o conceito


moderno de ser um “bom crente” e a ideia de
Jesus sobre o que é ser um discípulo verdadeiro?

3 – “O aumento da frequência a programas


ministeriais equivale automaticamente ao
crescimento espiritual?” Explique.
• A igreja primitiva não tinha métodos
• A igreja primitiva tinha princípios
Porque devemos fazer esta
reflexão?
1. Compreendermos a razão do que estamos
fazendo
2. Ciclo: Fazer  Parar para avaliar  Fazer ....
oAjustar o foco
oCorrigir os erros
oRenovar a confiança
Princípios nos revelam
• Qual a razão de ser?
• Avaliar as motivações porque
estamos fazendo.. Agindo..
• É a forma de viver sob a direção do
Espírito Santo.
Métodos Princípios
• Nos esclarecem o “como”. • Esclarecem os
• Adaptação dos princípios à porquês
realidades diversas. • São Imutáveis
• Perigo: nossa inclinação ao • São profundos –
pragmatismo.
motivações
• É a forma do princípio se
materializar no • São Atemporais
espaço/tempo
ESTRUTURAS

&
PROGRAMAS
PROGRAMAS

X
PRINCÍPIOS
PROGRAMAS
O que é uma igreja baseada em programas?
É uma organização reunida em um prédio que
abriga um conjunto de programas que ocupam um
número pequeno de membros enquanto a maior
parte da igreja se torna consumidora em assistir e
avaliar esses programas.
A cada apresentação o público deseja algo novo e
com mais qualidade.
ESTRUTURAS E PROGRAMAS
PROGRAMAS
CARACTERÍSTICAS
 Centralidade no pastor ou líder ministerial
 Membros com pouco envolvimento
 O TER (cargo, formação etc.) vale mais que o SER
 Discipulado = Literatura para novos convertidos
 Foco de Ação = Templo, Culto Dominical
 Principal tarefa da liderança = Criar e dirigir programas
 Tarefa pastoral primária = púlpito
 Há certos programas que não se adequam a qualquer
igreja
ESTRUTURAS E PROGRAMAS
CARACTERÍSTICAS
 Centralidade da vida da Igreja no templo e no domingo
Produção de programas como principal tarefa da
Liderança
 Membros com pouco envolvimento
 O exercício dos dons é exclusivo para quem ocupa cargos
 Centralização na liderança
 Evangelização é uma ação de convidar pessoas para culto
 Se valoriza mais o “ter” do que o “ser”
 Discipulado é literatura para novos convertidos
ESTRUTURAS E PROGRAMAS

“O aumento da frequência
a programas ministeriais
equivale automaticamente
ao crescimento espiritual
da igreja?”

Fonte: Onde Você está? Greg L. Hawkins & Cally Parkinson – Editora Vida – Pag. 13
ESTRUTURAS E PROGRAMAS

A liderança acha que quanto


mais uma pessoa participar
dos programas e atividades da
igreja, mais ela vai amar a
Deus e ao próximo.
O crescimento espiritual está focado nas
atividades e não em princípios bíblicos.
• Aluno da EBD
• Frequente nos cultos
• Fiel na Doutrina
• Dizimista
• Não dá trabalho

•?
ESTRUTURAS E PROGRAMAS

Não estamos dizendo


que devemos acabar
com as estruturas e
os programas.
ESTRUTURAS E PROGRAMAS

O que estamos ressaltando é


que as estruturas e programas
devem existir para glorificar a
Deus no cumprimento da
Grande Comissão e não serem
apenas um fim em si mesmos.
ESTRUTURAS E PROGRAMAS

As estruturas e
programas devem
existir em função dos
PRINCÍPIOS e não
o contrário.
PRINCÍPIOS
O que é uma IGREJA
baseada em PRINCÍPIOS?
É uma comunidade local onde todos os
membros, vivenciando os princípios
apresentados na Palavra de Deus, tem
por objetivo glorificar a Deus e cumprir
a Grande Comissão.
PRINCÍPIOS
CARACTERÍSTICAS

 O pastor é um homem de oração, servo e treinador

 Envolvimento de todos = Sacerdócio Universal do Crente

 Discipulado = Transmissão de Verdade e Vida

 O SER (servo, discípulo) é mais importante do que o TER

 Foco de Ação = As pessoas (No templo e de casa em casa)


PRINCÍPIOS
A igreja entende que quanto mais uma
pessoa vive os princípios bíblicos mais ela
cresce em comunhão com o Senhor. Os
princípios bíblicos se tornam um estilo de
vida que são aplicados diariamente. A
comunhão com o Senhor é um investimento
diário e pessoal, que vai muito além dos
programas.
A Igreja Multiplicadora é a visão
de multiplicação intencional
baseada em cinco princípios
bíblicos de crescimento para a
igreja local com o objetivo de
cumprir a Grande Comissão.
1 – Na sua opinião, as igrejas atuais estão mais
voltadas para estruturas e programas ou
princípios? Como isso pode ser mudado?

2 – Quais as diferenças entre o conceito


moderno de ser um “bom crente” e a ideia de
Jesus sobre o que é ser um discípulo verdadeiro?

3 – “O aumento da frequência a programas


ministeriais equivale automaticamente ao
crescimento espiritual?” Explique.
Fonte de Autoridade
•Experiência
“A imitação, conforme afirma o ditado
popular, pode ser mais sincera lisonja,
porém, dentro do contexto de crescimento
eclesiástico, a imitação é a vereda mais
rápida para a condenação. Ministério por
imitação quase invariavelmente resulta
deterioração, e não crescimento”.
Igrejas Amigáveis e Acolhedoras – George Barna – Editora Abba Press – 1995 – São Paulo – SP – Pág. 16
Fonte de Autoridade
•Tradição
“Tradicão é a transmissão de
doutrinas e práticas bíblicas sadias
para as próximas gerações.
Tradições podem sofrer reanálises.
Fonte de Autoridade
•Tradição
TRADIÇÃO X TRADICIONALISMO

“Tradicionalismo é a fé morta
dos que vivem na fé viva dos
que morreram”.
Fonte de Autoridade
•Razão

“O fim justifica os meios”


Fonte de Autoridade
•Escrituras
A base a para a visão de
Igreja Multiplicadora é a
Palavra de Deus.
• Método ou modelo
• Pequeno Grupo Multiplicador
• Materiais (Trilho de Discipulado)
• Mudar tudo
1 – Em geral, os membros de nossas igrejas
parecem não estar muito engajados em fazer
discípulos. Comente algumas razões para
esse cenário e o que podemos fazer para
mudá-lo.
2 – Se a Grande Comissão é uma ordenança
de Cristo, na sua opinião o que a tem
impedido de ser prioridade em nossas
organizações e ministérios?