Você está na página 1de 20

A filosofia moderna surge em contraposição a Filosofia

Medieval, que era escolástica, tecnológica, enquanto a


Moderna é humanista e antropocêntrica, o homem passou a
ter o seu ponto de vista, sendo o centro das atenções, ênfase
na fé como experiência individual, valorizando o
individualismo e o espírito crítico, em busca de explicação
científica. Os primeiros pensamentos sobre o pensar livre,
provocados pela rendição da razão à soberania da fé durante
a chamada idade média. Os filósofos Sócrates, Platão
e Aristóteles antes deles os filósofos da modernidade
chamaram para o âmbito da inteligência e capacidade
humana a tarefa de pensar o mundo. A sabedoria não é mais
visto como algo sagrada e mística além da compreensão do
homem comum, através do pensar, do raciocinar o homem é
capaz de traçar seu próprio destino e caminhar rumo ao
conhecimento.
O RACIONALISMO

O homem, ser racional por natureza, tem a


capacidade de alcançar o conhecimento e
mais que isso, sua existência é definida pelo
ato de pensar.
O EMPIRISMO

Quando Leonardo Da Vinci afirma que " A


sabedoria é filha da experiência” ele de
fato resume em poucas palavras a crença
dos empiristas ingleses cujo trabalho
antecedeu por quase um século.
A PERFECTIBILIDADE

 Iniciou-se uma " busca por expressar, entender,


explicar pela razão perfeita a natureza perfeita ".

 A ciência renascentista entendeu que pelo fato


que Deus criou a natureza é possível conhecer
Deus através da natureza e, portanto, produzir
conhecimento.
 Iniciou na península itálica, ocorreu entre o século XV e
XVI. Defendia o culto grego romano, o renascimento
proporcionou uma mentalidade racional para ela.

 Pensador moderno buscava conhecer a realidade, e


descobrir as leis que regem os fenômenos naturais, mas
também exercer o controle sobre ela. O objetivo era
prever para prover como se daria o futuro, isso não
significou o abandono da fé cristã.
FILOSOFIA EXISTENCIALISTA

 Vários autores se dedicaram a refletir a


existência, seja na filosofia como também
na literatura;

 Cada um deles leva o pensamento


existencialista por um caminho distinto,
desenvolvendo diferentes ideias, refletindo
sobre as questões existenciais.
A LIBERDADE EM JEAN-PAUL SARTRE

Um dos conceitos fundamentais da filosofia


existencialista sartriana é o de liberdade, uma vez
que, para o filósofo, o homem está condenado a ser
livre e toda a sua existência decorre desta condição.
Assim, frente a uma decisão, o homem percebe o seu
total desamparo, já que não há nada que possa
salvá-lo da tarefa de escolher; em suma, nada pode
salvá-lo de si mesmo – diria Jean-Paul Sartre.
"O ser humano caracteriza-se
por sua capacidade de fazer
e desfazer o que dele se fez."
(Jean-Paul Sartre)
Friedrich Wilhelm Nietzsche
Filósofo, filólogo e poeta alemão
(1844-1900)
ÉTICA EM NIETZSCHE

A concepção ética de Nietzsche é simples e


clara: a vida do Homem consiste na vontade de
poder. Os seres humanos mais elevados são os
que são capaz es de se autosuperarem,
quebrando as tradições que os prendem a
realidades rasteiras. Para voar alto é preciso
quebrar as amarras da tradição, da obediência e
da servidão.
 Ele foi e ainda é muito criticado, pois ele criticou
as crenças da filosofia, cultura e valores morais do
ocidente, dizendo que são decadentes e
dogmáticos.

 Criticou o uso da razão para dominar a natureza,


as pessoas e a si mesmo, sem questionamento
sobre o que fundamenta essa razão.

 O cristianismo é uma criação humana, os valores


são criação humana, não são absolutos nem
sagrados.
"Você tem o seu caminho.
Eu tenho o meu. O caminho
correto e único não existe."

(Friedrich Nietzsche)
CONCLUSÃO

A filosofia moderna contribuiu em muito na


construção dos modelos morais que hoje estão
presentes na sociedade, sem essa profunda
reflexão acerca dos direitos e deveres do indivíduo
na sociedade certamente teríamos um modelo
social desequilibrado e injusto com populações
vulneráveis ou minorias. O processo filosófico é
importante para delinear as aspirações humanas e
tornar a sociedade um lugar com sustentabilidade
de opiniões diversas.