Você está na página 1de 35

IMUNIDADE AOS TUMORES

TUMOR

•O que é o tumor.
• Como o tumor se forma.
• Causas que podem desencadear
o tumor.
CAUSAS DE TUMORES
O tumor se forma quando, por algum motivo, uma ou algumas
células do corpo sofrem uma mutação e deixam de morrer e o
organismo não percebe isso. Dessa forma, o corpo continua a
produzir novas células, sem que as antigas morram. Isso gera um
acúmulo de tecido conhecido como tumor.
ANTÍGENOS TUMORAIS
Classificados em duas categorias:

Antígenos específicos do tumor Antígenos associados ao tumor

Marcadores Tumorais x Antígenos Tumorais


1 - Produtos de genes multados:

• Alterações genéticas:
- mutações pontuais
- deleções
- translocações cromossômicas
- inserção de genes virais

 Os produtos podem entrar na via de processamento de MHC de classe I II


2 - Proteínas celulares não multadas mas
anormalmente expressadas
• Os antígenos tumorais podem ser proteínas celulares normais que são
expressas anormalmente em células tumorais e que provocam
respostas imunológicas.

Ex.: Tirosinase Biossíntese de melanina

• Podem derivar de genes que não são expressos nos tecidos normais
ou só são expressos no início do desenvolvimento.

Ex.: tumor/testículo
Trofoblastos da placenta Expressa nos gametas
3-Antígenos tumorais produzidos pelos
vírus oncogênicos
• Os produtos de vírus oncogênicos funcionam como antígenos tumorais e provocam
respostas específicas de células T que podem servir para erradicar os tumores .
 Epstein-Barr (EBV)
• Linfoma de células B e Carcinoma nasofarígeo
 Papilomavírus Humano(HPV)
• Carcinoma cervial
 Vírus Linfotrófico da célula T humana do tipo 1 (HTLV-1)
• Leucemia
• Surgem com maior frequência em pacientes imunossuprimidos .
4 - Antígenos oncofetais
• Proteínas expressas em altos níveis nas células cancerosas e em
fetos de desenvolvimento normal, mas não em tecidos de adultos .
 Não esta limitada em adultos na presença de tumores
 Antígenos oncofetais
1. Antígeno Carcinoembrionário(CEA)
• Carcinomas de cólon,pâncreas,estômago e mama
• 2.Alfafetoproteína(AFP)
• Carcinoma hepatocelular ,tumores de células germinativas e tumores
gástricos e pancreáticos .
5 - Glicolipídios e glicoproteínas de
superfície celular alterados
• A maioria dos tumores humanos e experimentais expressa níveis mais altos do que
o normal ou formas anormais de glicoproteínas e glicolipídeos e superfície ,que
podem ser marcadores diagnósticos e alvos para terapia .
 Gangliosídeos
• GM2,GD2,GD3
 Mucinas :glicoproteínas de alto peso molecular contendo diversas cadeias laterais
de carboidratos
• CA-125 e CA-19-9 Expresso no carcinoma de ovário
• MUC-1 Expresso no carcinoma de mama
6 - Diferenciação de antígenos tipo-
específico celular
• Os tumores expressam moléculas que estão normalmente presentes
nas células de origem.
 Antígenos de diferenciação

 Importância
• Ex.: Marcadores CD10 e CD20 Tumores derivados de
células B.
RESPOSTA IMUNE AOS TUMORES
Linfócitos T
• Linfócitos T ou células T são células do sistema imune formadas a partir de
células mães (estaminais) localizadas na medula óssea e que depois
migram para o timo, onde se dividem e amadurecem. Depois de maduros,
esses linfócitos abandonam o timo e entram no sistema linfático onde
funcionam como parte do sistema imunitário de vigilância.
• O linfócito T tem a função de coordenar as defesas imunológicas contra
vírus, bactérias e fungos, principalmente através da produção e liberação
de substâncias chamadas citosinas.
Anticorpos
• Hospedeiros portadores de tumores podem produzir anticorpos contra
vários antígenos tumorais, Podem destruir através da ativação do
complemento ou por citotoxidade dependente de anticorpos na qual
macrófagos portadores de receptor FC ou células NK medeiam a
eliminação . No entanto, a capacidade dos anticorpos de eliminar células
tumorais tem sido amplamente demostrada, e há poucas evidencias de
respostas imunes humorais efetivas contra tumores.
Células NK
Representam a primeira linha de defesa do hospedeiro contra o crescimento
das células transformadas, também representam auxílio quando recrutadas
pelas células T . Sua ação é mediada pela liberação de fatores citotóxicos de
granzinas ou perfurinas, as células transformadas comumente apresentam
uma quantidade diminuída de MHC I e esse sinal ativa as células natural
killer
Macrófagos
• Podem atuar diretamente na destruição do tumor fazendo o
reconhecimento direto dos antígenos tumorais liberarando enzimas
lisossomais e fagocitando.
• liberam espécies ativas do oxigênio do oxido nítrico inclusive TNF
responsável por diminuir a angiogenese ( trombose nos vasos sanguíneos
tumorais)
MECANISMOS DE ESCAPE DAS
CÉLULAS TUMORAIS
• Imunosseleção: Mutações randômicas, devido a instabilidade genética, produzem células
tumorais que são reconhecidas como estranhas pelo sistema imune do hospedeiro e essas
células, consequentemente são selecionadas (pelo próprio sistema imune).
• Fatores solúveis: As células tumorais secretam substâncias que suprimem diretamente a
reatividade imunológica.
• Células T supressoras
• Tolerância; Não são apresentadas de antígenos, elas não fornecem um sinal co-
estimulador para as células T (interação B7-CD28 ou CD40-CD40L), o que leva a apoptose
ou a um estado de energia das células T.
• Perda de antígenos do MHC (modulação); Mais de 50% dos tumores podem perder uns
tumorais alelos I do MHC, o que leva a uma incapacidade de apresentação de antígenos
peptídeos tumorais.
EVASÃO TUMORAL DAS RESPOSTAS IMUNES
ESCAPE DO RECONHECIMENTO IMUNE POR
PERDA DA EXPRESSÃO DE ANTÍGENO
INIBIÇÃO ATIVA DAS RESPOSTAS IMUNES
Imunoterapia Tumoral
• A imunoterapia tumoral consiste na utilização do
sistema imunológico pra eliminar ou neutralizar células
tumorais e os fatores que beneficiem a sobrevivência
tumoral.
IMUNOTERAPIA TUMORAL
• Meios de estimular as respostas imunes
tumorais;
• Vacinação antitumoral;
• Transferência adotiva de células imunes;
• Inibição ou supressão imune;
• Utilização de citocinas.
VACINAÇÃO TUMORAL
• Baseia-se na mobilização de células do sistema imune e na amplificação de
respostas imunes que reconhecem o tumor e que procedem a sua
eliminação.
ANTICORPOS MONOCLONAIS
• Consistena produção de anticorpos específicos para antígenos
expressos por células tumorais, que depois são administradas
aos doentes.
CITOCINAS

• São potentes agentes moduladores envolvidos na homeostasia imunológica, na


regulação da resposta inflamatória e na aplicação de mecanismos tolero gênicos.
Diferenças entre imunoterapia e
quimioterapia
• A imunoterapia pode ser classificada em:

Terapia Ativa

Terapia Passiva
Existem dois tipos de imunoterapia:

Anticorpos monoclonal; visa acoplar estes


anticorpos as células cancerígenas impedindo o
seu crescimento.

Imunoterapia não específica; procura melhorar


as funções do sistema imunitário.