Você está na página 1de 20

A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV:

OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES


A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES

METAS CURRICULARES
2. Conhecer a compreender aspetos da sociedade e da cultura medieval
portuguesa dos séculos XIII e XIV

2.6. Reconhecer a relativa autonomia concedida aos moradores dos concelhos,


através de cartas de foral.

2.7. Apontar a existência de Cortes, enquanto locais de participação dos grupos


sociais na tomada de decisões importantes para o reino.

2.8. Relacionar o crescimento económico dos séculos XII e XIII com o


fortalecimento da burguesia nas cidades.
A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES
Os concelhos
Concelho Carta de foral
Território, rural ou urbano, Documento atribuído pelo rei
que ganhava alguma autonomia ou por um senhor, que listava os
em relação aos restantes direitos, deveres e obrigações
poderes e que se libertava de dos habitantes de um concelho.
algumas obrigações.
A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES
Os concelhos
Vantagens da criação de concelhos para o rei
• Povoar e garantir a exploração da terra, recebendo impostos.
• Fixar os direitos e deveres da população, retirando poder aos
senhores nobres, ao alto clero e às ordens militares que
rivalizavam com o poder real.
A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES
Os concelhos | Tipos de concelhos

Concelho rural
Predominam os campos e os
seus habitantes são
maioritariamente agricultores,
pastores e pequenos artesãos.

Concelho urbano
Os seus habitantes ocupam
atividades relacionadas com o
comércio e com o artesanato.
A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES
Os concelhos
Direitos dos habitantes dos concelhos
• Podiam ser proprietários de algumas terras.
• Pagavam menos impostos.
• Podiam gerir o seu território através da
assembleia de homens-bons onde elegiam:
• os juízes que aplicavam as leis;
• e o mordomo que cobrava e administrava
os impostos, para além de negociar com
o representante do rei.

Domus Municipalis, em Bragança, onde se


reunia uma assembleia de homens-bons.
A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES
Os concelhos | A burguesia
Com o crescimento económico dos séculos XII e XIII, a burguesia
alcançou algum destaque no seio da sociedade.
Nos concelhos urbanos, destacavam-se os professores universitários,
os tabeliães, os advogados, os físicos e os boticários.

Casal rico de burgueses. Tratamento médico (físico).


A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES
A corte
O rei estava sempre rodeado
pela sua corte, constituída pela
sua família, servidores, criados e
um grande número de nobres e
clérigos que o aconselhavam e
seguiam para todo o lado.

Rei com a sua corte.


A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES
A corte
O rei percorria todo o reino e beneficiava do direito de hospedagem,
podendo instalar-se onde quisesse. No entanto, habitualmente ficava
em castelos que lhe pertenciam e que albergassem toda a sua corte.

Castelo de Leiria.
A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES
As Cortes | As obrigações do rei
O rei tinhas muitas responsabilidades e passava parte do seu tempo a
resolver assuntos importantes para o reino e para os seus habitantes.
A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES
As Cortes | As obrigações do rei
Sempre que necessário, convocava
as Cortes, que eram:
• grandes assembleias constituídas
por representantes de todos os
estratos sociais, que aconselhavam
o rei nas decisões mais difíceis.

No entanto, o rei tinha


sempre a última palavra…

Rei presidindo às Cortes.


A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES
As Cortes | As primeiras Cortes
D. Afonso III, rei de Portugal e conde de Bolonha, reuniu a sua cúria
em Leiria no mês de março com bispos e clérigos, os nobres e os
homens bons dos concelhos do seu reino para tratar do estado do
reino e das coisas a corrigir e emendar.
Cortes de Leira de 1254 (adaptado)

As Cortes de Leiria
(século III).
PROVA QUE SABES!
A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES

GRANDE CONCURSO PERGUNTA/RESPOSTA


REGULAMENTO
• O(A) Professor(a) indica quem vai responder.
• Tens 15 segundos para começar a responder. Se não conseguires,
passa a vez a um colega que tem de responder imediatamente.
• Para cada pergunta apresentam-se 4 alternativas de resposta,
identificadas por alíneas.
• Escolhe a alínea da única alternativa certa.
• Por cada resposta certa, ganhas 1 ponto (anota os pontos, porque
vamos fazer mais concursos).
A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES

1. Quem concedia a carta de foral?

a) Os bispos.
b) As ordens religiosas.
c) O rei, mas também alguns senhores.
d) Só o rei.
A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES

2. A carta de foral:

a) definia a duração das feiras que se realizavam nos concelhos;


b) listava os direitos e deveres dos habitantes do concelhos;
c) listava os deveres do rei;
d) convocava as Cortes.
A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES

3. Quem fazia parte da corte que acompanhava sempre


o rei?

a) Apenas a família real.


b) A família real, os seus conselheiros, criados e servidores.
c) A sua família, criados e servidores.
d) Apenas os seus conselheiros.
A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV: OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES

4. Quem é que convocava as Cortes?

a) O alcaide.
b) O juiz.
c) O mordomo.
d) O rei.
Prepara-te para novos
concursos!
A SOCIEDADE NOS SÉCULOS XIII E XIV:
OS CONCELHOS, A CORTE E AS CORTES

Você também pode gostar