Você está na página 1de 53

Polinômios

Profª: Ana Carolina


Polinômios e Fatoração
Um polinômio em x é qualquer expressão que pode ser escrita na
forma

p(x) = anxn + an-1xn–1 + ... + a1x + a0

Onde n é um inteiro não negativo e an ≠ 0.

Os números an-1 ,... a1 , a0 são números reais chamados de coeficientes

O grau do polinômio é n e o coeficiente principal é o número real an


Polinômios com um, dois, três termos são monômios, binômios e
trinômios respectivamente.
Adição e subtração de polinômios
• Agrupar os termos semelhantes e fazer as operações existentes na
expressão

(x² – 3x – 1) + (–3x² + 8x – 6) → eliminar o segundo parênteses através do


jogo de sinal.

+(–3x²) = –3x²
+(+8x) = +8x
+(–6) = –6

x² – 3x – 1 – 3x² + 8x – 6 → reduzir os termos semelhantes.

x² – 3x² – 3x + 8x – 1 – 6

–2x² + 5x – 7

Portanto: –2x² + 5x – 7
Multiplicação de polinômios
• Aplicar a propriedade distributiva

2x . (7x2 – 4x + 5) = 2x . (7x2) + 2x . (-4x) + 2x . (5)

= 14x3 - 8x2 + 10x


PRODUTOS NOTÁVEIS

• Na multiplicação de expressões algébricas, algumas


vezes é possível determinar o produto sem efetuar
a operação. Nesses casos, os resultados são
conhecidos como produtos notáveis.
Quadrado da soma de dois termos ou
quadrado perfeito

• O quadrado da soma de dois termos ( a + b )2 é igual ao


quadrado do primeiro termo (a2) , mais duas vezes o
produto do primeiro termo pelo segundo ( +2ab), mais o
quadrado do segundo termo (+b2).

Escrevemos:

• ( a + b )2 = a2 + 2ab + b2
Exemplos

( a + b )2 = a2 + 2ab + b2

(x + 1)2 = x 2 + 2. x .1+ 12 = x 2 + 2x + 1

(2x 3 + 5)2 = (2x3)2 + 2 .( 2x³ ) .5 + 52 = 4x6 + 20x3 + 25

Exemplo: Fatore 4x2 + 4x + 1

Note que 4x2 + 4x + 1 = (2x)2 + 2 .2x.1+ 12 = (2x + 1)2

Assim, 4x2 + 4x + 1 = (2x + 1)2


Quadrado da diferença de dois termos
• O quadrado da diferença de dois termos (a – b)2 é igual ao
quadrado do primeiro termo (a2), menos duas vezes o
produto do primeiro termo pelo segundo (-2ab), mais o
quadrado do segundo termo (+b2).

Escrevemos:

( a - b )2 = a2 - 2ab + b2
Exemplos

• (x - 4)2 = x 2 - 2. x . 4 + 42 = x 2 - 8x + 16

• (2y - 3)2 = (2y)2 - 2.2y.3 + 32 = 4y 2 - 12y + 9


Produto da soma pela diferença

O produto da soma pela diferença de dois termos (a+b) . (a-b) é


igual ao quadrado do primeiro termo (a2) menos o quadrado do
segundo termo (-b2).

Escrevemos:

(a+b) (a –b) = a2 – b2
Exemplos

• (x-2). (x+2)= x2 - 22 = x2 – 4

• (x-y) (x+y) = x2 – y2

• (x 2 - 1)(x 2 + 1) = (x 2 )2 - 1 = x 4 - 12
Cubo da soma de dois termos ou cubo
perfeito
• O cubo da soma de dois termos (a+b)3 é igual ao cubo do
primeiro termo (a3), mais três vezes o produto do quadrado
do primeiro termo pelo segundo (+3a2b), mais três vezes o
produto do primeiro termo pelo quadrado do segundo
(+3ab2), mais o cubo do segundo termo (+b3).

Escrevemos:

(a + b )3 = a3 + 3 a2b + 3 ab2 + b3
Exemplo

(x+1)3 = (x + 1)2 (x+1)= (x2 +2x +1) (x+1) =

= x2 .x + x2 .1 + 2x . x + 2x . 1 + 1.x + 1.1 =

= x3 + x2 + 2x2 + 2x + x + 1=

= x3 + 3x2 + 3x + 1
Cubo da diferença de dois termos

O cubo da diferença de dois termos (a – b)3 é igual ao cubo do primeiro


termo (a3), menos três vezes o quadrado do primeiro termo pelo
segundo (-3 a2b), mais três vezes o primeiro termo pelo quadrado do
segundo (+3 ab2), menos o cubo do segundo termo(-b3).

Escrevemos:

(a – b)3 = a3 – 3 a2b + 3 ab2 - b3


Exemplo

(y - 2)3 = y 3 - 3.y 2.2 + 3.y.22 - 23 = y 3 - 6y 2 + 12y - 8

(1- b)3 = 13 - 3.12 .b + 3.1.b2 - b3 = 1- 3b + 3b2 - b3


FATORAÇÃO

Definição: Fatorar é transformar uma expressão


algébrica em um produto de fatores.

Em geral, quando se é pedido para “fatorar” uma


expressão, queremos que a expressão seja reescrita
como produto de fatores os mais simples possíveis.
Fator Comum

ax + bx = (a+b) x

2x2 + 4x – 6xy = 2x(x + 2 - 3y) (fator comum = 2x)


Agrupamento

ax + bx + ay + by = (a+b) x + (a+b) y = (a+b) (x+y)

2ay2 + bx + 2by2 + ax = 2y2(a + b) + x(b + a) = (a + b)(2y2 + x)


Trinômio Quadrado Perfeito

a2 + 2ab + b2 = (a + b)2

a2 - 2ab + b2 = (a - b)2

x 2 + 6x + 9 = x 2 + 2.x.3 + 32 = (x + 3)2

4x2 - 4x + 1 = (2x)2 - 2.2x.1+ 12 = (2x - 1)2


Trinômio do Segundo Grau
Sejam x1 e x2 raízes da equação do 2º grau ax2 + bx + c = 0 (a ≠ 0),
com Δ≥ 0

A soma S dessas raízes é S = x1 + x2 = – b/a


O produto P dessas raízes é P = x1.x2 = c/a

Ex
x 2 + 5x + 6 = (x + 2)(x + 3)

já que 5 = 2 + 3

6=2×3.
Diferença de dois Quadrados
x 2 - y 2 = (x + y )(x - y)

Ex: x 2 - 49 = x 2 - 72 = (x + 7)(x - 7)

9x2 - 1 = (3x)2 - 12 = (3x + 1)(3x - 1)

x 4 - 1 = (x2 )2 - 12 = (x2 + 1)(x 2 - 1) = (x2 + 1)(x + 1)(x - 1)


Soma e Diferença de Dois Cubos
x3 + y3 = (x + y)(x2 - xy + y2 )
x3 - y 3 = (x - y )(x 2 + xy + y2 )

Ex:

x3 + 8 = x 3 + 23 = (x + 2)(x 2 - x.2 + 22 ) = (x + 2)(x2 - 2x + 4)

8x3 - 27 = (2x)3 - 33 = (2x - 3) ( (2x)2 + 2x. 3 + 3 2 ) =

(2x - 3)(4x2 + 6x + 9)
Cubo Perfeito
x3 + 3x2 y + 3xy2 + y3 = (x + y)3

x3 - 3x 2 y + 3xy2 - y 3 = (x - y)3

Ex:

x 3 + 3x2 + 3x + 1 = x 3 + 3.x 2.1+ 3.x .12 + 13 = (x + 1)3

x 3 - 6x 2 + 12x - 8 = x 3 - 3.x 2.2 + 3 .x . 22 - 23 = (x - 2)3


Grau de um polinômio
• O grau de um polinômio é o expoente de seu termo de
maior grau, com coeficiente não-nulo. No caso, esse
coeficiente é chamado de coeficiente dominante do
polinômio.

 p(x) = x3 – 5x + 2 é um polinômio de grau 3 (3º grau).


Seu coeficiente dominante é 1.

 q(x) = 0x2 + 6x + i é um polinômio de grau 1 (1º grau).


Seu coeficiente dominante é 6.

 r(x) = 5 é um polinômio de grau 0. Seu coeficiente


dominante é 5.
Exemplo
• Analisar, em função do parâmetro m, o grau do polinômio
p(x) = (m2 – 1)x2 + (m + 1)x – 3.

 1ª hipótese: o polinômio pode ser de 2º grau. Deve ser

m2 – 1 ≠ 0 ⇒ m2 ≠ 1 ⇒ m ≠ ± 1

 2ª hipótese: o polinômio pode ser de 1º grau. Deve ser

m2 – 1 = 0 ⇒ m2 = 1 ⇒ m = ± 1
⇒m=1
m+1≠0 ⇒ m ≠ –1
Exemplo
• Analisar, em função do parâmetro m, o grau do polinômio
p(x) = (m2 – 1)x2 + (m + 1)x – 3.

 3ª hipótese: o polinômio pode ser de grau 0. Deve ser

m2 – 1 = 0 ⇒ m2 = 1 ⇒ m = ± 1
⇒ m = –1
m+1=0 ⇒ m = –1
Valor numérico e raiz de um polinômio
• Vamos considerar, por exemplo, o seguinte polinômio
p(x) = x3 – 5x2 + 7x – 2. podemos atribuir à variável x
qualquer valor .

 Para x = 3, temos
p(3) = 33 – 5.32 + 7.3 – 2 = 27 – 45 + 21 – 2 = 1

Dizemos que o valor do polinômio p(x) para x = 3 é


p(3) = 1.
Valor numérico e raiz de um polinômio
• Vamos considerar, por exemplo, o seguinte polinômio
p(x) = x3 – 5x2 + 7x – 2. podemos atribuir à variável x
qualquer valor .

 Para x = 2, temos
p(2) = 23 – 5.22 + 7.2 – 2 = 8 – 20 + 14 – 2 = 0

O valor de p(x) para x = 2 é p(2) = 0.

Dizemos que 2 é uma raiz ou um zero do polinômio


p(x). A raiz anula o polinômio.
Polinômio nulo
• O polinômio que tem todos os coeficientes iguais a zero, é
chamado de polinômio nulo ou identicamente nulo.

 p(x) = 0x3 + 0x + 0 e q(x) = 0x + 0 são duas


representações do polinômio nulo.

 Qual é o grau do polinômio nulo?


Não se define o grau do polinômio nulo.

 Quantas raízes tem o polinômio nulo?

Infinitas raízes.
Polinômio nulo
• De modo geral definimos:

p(x) = a0xn + a1xn–1 + a2xn–2 + ... + an–1x + an

p(x) é nulo ⇔ a0 = an–1 = an–2 = ... = an = 0

 Às vezes indicamos que p(x) é polinômio identicamente


nulo, escrevendo p(x) ≡ 0.
Exemplo
• Calcular os valores das constantes a, b e c, para que
p(x) = ax(x – 3) + b(2x – 1) + x(x + 5) c – 1 seja polinômio
nulo.

Primeiro vamos escrever p(x) na forma geral

p(x) = ax2 – 3ax + 2bx – b + x2 + 5x + c – 1

p(x) = (a + 1)x2 + (2b – 3a + 5)x + c – b – 1

a+1=0 ⇒ a = –1
2b + 5 – 3a = 0 ⇒ 2b – 3(–1) + 5 = 0 ⇒ b = –4
c–b–1 =0 ⇒ c – (–4) – 1 = 0 ⇒ c = –3
Polinômios idênticos
• Observe os seguintes polinômios:

 p(x) = x2 – 4(x – 1) – 1

 q(x) = x(x – 4) + 3

 r(x) = (x + 2)(x – 2) – 4x + 7

Escrevendo-os na forma geral, obtemos o mesmo


polinômio: x2 – 4x + 3.

 Dizemos, por isso, que p(x), q(x) e r(x) são


polinômios idênticos.
Polinômios idênticos
• Dois polinômios são idênticos, quando escrito na forma geral
tem os coeficientes de um iguais aos coeficientes do termo
de mesmo grau do outro.

p(x) = a0xn + a1xn–1 + a2xn–2 + ... + an–1x + an

q(x) = b0xn + b1xn–1 + b2xn–2 + ... + bn–1x + bn

p(x) é idêntico a q(x) ⇔ a0 = b0 , a1 = b1, ... an = bn.

 Às vezes indicamos p(x) ≡ q(x), para dizer que p(x) é


idêntico a q(x).
Divisão de polinômios
Divisão de polinômios
• Vamos efetuar a divisão de A(x) = 2x4 – 3x3 + x – 1 por
B(x) = x2 – 2x + 3, utilizando o método da chave.

Primeiro vamos completar o dividendo A(x). Falta o termo de 2º


grau

A(x) = 2x4 – 3x3 + 0x2 + x – 1


Divisão de polinômios
• Vamos efetuar a divisão de A(x) = 2x4 – 3x3 + x – 1 por
B(x) = x2 – 2x + 3, utilizando o método da chave.

2x4 – 3x3 + 0x2 + x – 1 x2 – 2x + 3


–2x4 + 4x3 – 6x2 2x2 + x – 4
x3 – 6x2 +x –1
– x3 + 2x2 – 3x
– 4x2 – 2x – 1
4x2 – 8x + 12
–10x + 11
Divisão de polinômios
• Na nossa divisão, temos:

 A(x) = 2x4 – 3x3 + 0x2 + x – 1, é o dividendo;


 B(x) = x2 – 2x + 3, é o divisor;
 Q(x) = 2x2 + x – 4, é o quociente;
 R(x) = – 10x + 11, é o resto.

O grau de Q(x) é a diferença entre os graus de A(x) e B(x) e o


grau de R(x) < grau B(x).
Divisão de polinômios
• Dividir A(x) por B(x) é obter dois polinômios Q(x) e R(x),
obedecendo às seguintes condições.

 A(x) ≡ B(x).Q(x) + R(x)


grau de R(x) < grau de B(x) ou R(x) ≡ 0

 A(x) é o dividendo, B(x) o divisor, Q(x) o quociente e


R(x) o resto da divisão.

 É importante observar que o grau do quociente é a


diferença entre os graus do dividendo e do divisor.
Divisibilidade de polinômios
• Veja a divisão de A(x) = x2 – 5x + 6 por B(x) = x – 2,
utilizando o método da chave.

x2 – 5x + 6 x– 2
–x2 + 2x x – 3
– 3x + 6
+ 3x – 6
0
 Nesse caso, o resto é polinômio nulo, R(x) ≡ 0.
Dizemos, por isso, que A(x) é divisível por B(x).
Divisibilidade de polinômios
• Em geral, se na divisão de A(x) por B(x) o resto é o polinômio
nulo, dizemos que A(x) é divisível por B(x). No caso, sendo
Q(x) o quociente,

A(x)
A(x) ≡ B(x).Q(x) ou = Q(x)
B(x)
Exemplo
• Sabe-se que p(x) = – x2 + ax + b é divisível por b(x) =
x3
x2 + x – 2. Calcular a e b.

x3 – x2 + ax + b x2 + x – 2
–x3 – x2 + 2x x– 2
– 2x2 +(a+2)x + b
2x2 + 2x –4
(a+4)x + b – 4

a+4=0 ⇒ a=–4
b–4=0 ⇒ b=4
Divisor de 1º grau –
caso particular

De grande importância no estudo dos


polinômios e equações algébricas.
Teorema do resto
 Vamos efetuar a divisão de p(x) = x2 – 3x + 5 por x – 2,
utilizando o método da chave.

x2 – 3x + 5 x– 2
–x2 + 2x x – 1
–x + 5
+x – 2
+3
Vamos calcular agora P(2), onde 2 é a raiz do divisor x – 2.

p(2) = 22 – 3.2 + 5 = 4 – 6 + 5 = 3
Teorema do resto – caso geral
 Vamos obter o resto da divisão de p(x) por x – 3.

Sendo o divisor de 1º grau, o resto deve ser o polinômio nulo


ou um polinômio de grau 0. O resto é uma constante real,
independente de x.

Se q(x) é o quociente, da definição de divisão podemos


escrever
p(x) = (x – 3).q(x) + R

p(3) = (3 – 3).q(3) + R = 0.q(3) + R = R


Teorema do resto – caso geral
 O resto da divisão de um polinômio p(x) por um divisor
de 1º grau, do tipo ax + b, com a ≠ 0, é igual a p(–b/a).
Onde –b/a é a raiz do divisor.

R = p(–b/a)
Exemplo

• Calcular o resto da divisão de p(x) = x3 – 2x2 – 1 por x – 2.

O divisor é de 1º grau. Sua raiz é 2.

R = p(2) = 23 – 2.22 – 1 = 8 – 8 – 1 = –1
Exemplo

• O resto da divisão de p(x) = x4 – 4x3 – kx – 75 por (x – 5)


é 10. Calcular o valor de k.
O divisor é de 1º grau. Sua raiz é 5. ⇒ R = p(5) = 10
R = p(5) = 54 – 4.53 – k.5 – 75 = 10

⇒ 54 – 4.53 – k.5 – 75 = 10 (: 5)
⇒ 53 – 4.52 – k – 15 = 2
⇒ 125 – 100 – k – 15 = 2
⇒ 10 – k = 2
⇒ – k = 2 – 10 ⇒ k = 8
Teorema de D’Alembert
 Conseqüência imediata do teorema do resto.

Um polinômio p(x) é divisível pelo polinômio ax + b


de 1º grau (a ≠ 0) ⇔ p(–b/a) = 0.
Exemplo

• Analisar se p(x) = x3 + x2 – 3x – 6 é divisível por 2x + 2 e por


3x – 6.
Os divisores são de 1º grau. Suas raízes são –1 e 2,
respectivamente.

p(–1) = (–1)3 + (–1)2 – 3.(–1) – 6 = –1 + 1 + 3 – 6 = –3

p(2) = 23 + 22 – 3.2 – 6 = 8 + 4 - 6 – 6 = 0

Logo, p(x) não é divisível por 2x + 2, mas é divisível por


3x – 6.
Exemplo
• Achar o valor de m, sabendo-se que o polinômio p(x)
= 9x2 + mx – m + 3 é divisível por 3x – 1.

O divisor é de 1º grau. Sua raiz é 1/3. Segundo o teorema


de D’Alembert, devemos ter p(1/3) = 0.

9.(1/3)2 + m.(1/3) – m + 3 = 0

⇒ 9.(1/9) + m/3 – m + 3 = 0
⇒ 1 + m/3 – m + 3 = 0
⇒ m/3 – m = – 4 (x 3)
⇒ m – 3m = –12 ⇒ – 2m = –12 ⇒ m = 6
Dispositivo de Briot-ruffini

Processo prático para efetuar uma divisão de


polinômios, quando o divisor é de 1º grau.
Dispositivo de Briot-Ruffini
 Vamos efetuar a divisão de p(x) = 3x4 – 4x3 – 5x2 + 4x + 9
por x – 2, utilizando o dispositivo de Briot-Ruffini.

Os cálculos a serem efetuados tem como ponto de partida, a


raiz do divisor, no caso, a raiz é 2.

3 –4 –5 4 9
+ + + +
2 3 2 –1 2 13 = R
x
x
x
x

q(x) = 3x3 + 2x2 – x + 2 e R(x) = 13


Exemplos
 Na divisão de p(x) = x4 + 2x3 – x2 + k por x + 1, o resto é 4.
Calcular k e o quociente da divisão.

Dividindo p(x) por x + 1, pelo dispositivo de Briot-Ruffini.

1 2 –1 0 k
+ + + +
–1 1 1 –2 2 k–2
x
x
x
x

q(x) = x3 + x2 – 2x + 2 e R=k–2=4 ⇒ k=6