Você está na página 1de 13

DAVID RICARDO

(1772 – 1823)
CONTEXTO HISTÓRICO:
• Revolução Industrial, no plano econômico;
• Revolução Francesa, no plano político;
• Capitalismo Consolidado;
• Arrendamento de terra (prática comum após o
cercamento dos campos);
• Plano de fundo “Corn Laws”
• (“Leis dos Cereais”): legislação protetora da produção
nacional de grãos;
• Queda do lucro na indústria;
DADOS BIOGRÁFICOS:
• David Ricardo nasceu em Londres em 18 de Abril de 1772,
filho de abastado comerciante de origem judaica que havia
emigrado para Holanda. Seu pai era um corretor da Bolsa de
Valores e por isso muito cedo esteve envolvido com o mundo
dos negócios. Após ter se casado e abandonado a fé judaica,
Ricardo teve que ganhar a vida pelo seu próprio esforço já que
o pai não aceitava, fundamentalmente, o rompimento com o
judaísmo. Para ganhar a vida também passou a operar como
corretor na Bolsa de Valores de Londres onde ganhou fortuna
e se tornara um homem bem sucedido antes mesmo de
completar trinta anos. Como corretor revelou suas habilidades
para empreendimentos financeiros e como um homem rico
pôde abandonar o dia-a-dia na estressante profissão para se
dedicar exclusivamente aos estudos científicos. Interessado
em geologia e matemática, mas foi na Economia Política que
Ricardo ganhou destaque.
INFLUÊNCIA INTELECTUAL:
• Adam Smith (leu em 1799):
Em plena época do Iluminismo, Adam Smith tornou-se
um dos principais teóricos do liberalismo econômico.
• Teoria da população de Malthus:
A tendência do crescimento populacional em progressão
geométrica, e do crescimento da oferta de alimentos
em progressão aritmética.
• Lei de Say (Oferta e procura):
Lei da preservação do poder de compra decorre do
modelo que mantém oferta e demanda em identidade.
• Filosofia Utilitarista de Bentham:
Relação entre felicidade e um bem.
PRINCIPAIS TEORIAS
ECONÔMICAS:
• Teoria do valor trabalho:
Enquanto que para Adam Smith o valor das mercadorias era
determinado pela quantidade de trabalho que essas
mercadorias poderiam comprar, designando-se por teoria do
valor trabalho comandado, para David Ricardo o valor da
troca das mercadorias era determinado pela quantidade de
trabalho necessário à sua produção, não dependia da
abundância, mas sim do maior ou menor grau de dificuldade
na sua produção ficando, assim, conhecida por teoria do valor
do trabalho incorporado. Os preços das mercadorias são,
então, proporcionais ao trabalho nelas incorporado.
PRINCIPAIS TEORIAS
ECONÔMICAS:
• Teoria da Distribuição/Renda:
• Foram três as hipóteses consideradas por David Ricardo
para a elaboração do seu modelo de repartição de
rendimentos.
• A lei dos rendimentos decrescentes reflete que para
conseguir quantidades adicionais iguais de um bem, a
sociedade tem de utilizar quantidades crescentes de fatores.
Se existirem rendimentos decrescentes na produção de um
bem, o custo de oportunidade de produzir unidades sucessivas
do mesmo bem é cada vez maior.
• A lei malthusiana da população. A população cresce ou
diminui de acordo com a disponibilidade de alimentos. Dessa
forma, os salários tendem a permanecer no nível de
subsistência, sempre que eles se afastam desse nível, verifica-
se a lei do crescimento demográfico, aumentando ou
diminuindo a oferta de trabalhadores.
PRINCIPAIS TEORIAS
ECONÔMICAS:
• O móbil do crescimento do produto e, assim, dos investimentos,
encontra-se no lucro, mais propriamente no lucro por unidade de capital
investido. Para David Ricardo a seqüência e correlação destas três
hipóteses ocasionou o aparecimento do estado estacionário, em que a
produção na economia deixa de crescer. Ou seja, a pressão demográfica
leva à utilização de mais terras, sendo as mais férteis as, inicialmente, mais
cultivadas pelos empresários, o que leva a que, estas se tornem cada vez
menos férteis, com conseqüência de tal fato, a taxa de lucro torna-se cada
vez menor e a renda cada vez mais elevada. Assim, cultivando novas terras
(menos férteis), tem que se aumentar a quantidade de trabalho para se
produzir os mesmos bens, aumentando assim o seu valor e
consequentemente o salário natural também. Os proprietários das
melhores terras, vendem os produtos a um preço superior ao seu custo de
produção, constituindo a diferença, a renda diferencial. Perante tal
situação, David Ricardo combate todo este pessimismo com a sua idéia de
liberdade de comércio. A importação levaria a que os empresários não
fossem obrigados a utilizar terras menos produtivas, e deste modo a um
aumento de renda e redução da taxa de lucro. Desta forma a taxa de lucro
não desceria e o estado estacionário poderia ser evitado. Note-se que esta
liberdade de comércio não conviria aos proprietários fundiários que veriam
os seus rendimentos reduzirem-se.
PRINCIPAIS TEORIAS
ECONÔMICAS:
• Teoria de comércio internacional
• Informa-nos das vantagens do comércio entre as nações. Ricardo
foi o primeiro economista a argumentar que o comércio
internacional poderia beneficiar dois países, mesmo que um deles
produzisse todos os produtos de forma mais eficiente, um país
não precisa de ter uma vantagem absoluta na produção de um
determinado produto. David Ricardo explica a sua teoria usando
um exemplo envolvendo Portugal e Inglaterra e apenas dois bens,
vinho e roupa, decidiu medir todos os custos relativos de
produção, expressos em horas de trabalho.
A partir deste estudo, Ricardo provou que cada país seria
beneficiado caso se especializassem no produto onde detém
maior vantagem comparativa, o produto total global de cada bem
aumenta, melhorando a situação de todos os países envolvidos
nas trocas internacionais, pois menores seriam os custos de
produção, os salários de subsistência dos trabalhadores e em
conseqüência os lucros seriam os maiores possíveis.
PRINCIPAIS TEORIAS
ECONÔMICAS:
• Teoria de crescimento:
• Para Ricardo, o crescimento depende da acumulação de capital,
da sua taxa de crescimento, ou seja, o lucro. A existência de uma
taxa de lucro elevada, implica um maior crescimento econômico
que levará a existência de uma poupança mais abundante, que
permitirá a sua canalização para o investimento. O comércio tem
pouca importância no Crescimento Econômico, mas não deixa de
ser necessário, pois permite que com a maior exportação,
possamos importar mais barato. Ricardo defende que enquanto
houver evolução na taxa de lucro, o crescimento estará
assegurado. Contudo, o lucro depende de outras variáveis, como
mostrado na Teoria da Repartição do Rendimento.
OBRAS:
• “O alto preço do ouro, uma prova da depreciação das
notas bancárias” (1810)
• “Um ensaio sobre a influência de um preço baixo do trigo
nos lucros do capital, mostrando a inconveniência das
restrições à importação” (1815)
• “Princípios de Economia Política e Tributação” (1817)
CONCLUSÃO:
• Sem sombra de dúvidas considerado um dos maiores
economistas de seu tempo, não só de seu tempo mas
ainda hoje, é considerado, ainda em vida, o legitimo
sucessor de Adam Smith na divulgação da nascente
Economia Política. Suas obras atingem vastas áreas da
economia, tais como: política monetária, teoria dos
lucros, teoria da renda fundiária e da distribuição, teoria
do valor e do comércio internacional, sendo que muitos
desses temas permanecem atuais até os dias de hoje.
“O capital é a parte da riqueza de um
país empregada na produção, e
consiste em alimento, vestuário,
instrumentos profissionais, matérias-
primas, maquinaria, etc, necessários
para a execução do trabalho.”
David Ricardo
REFERÊNCIAS:
• UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ. David Ricardo.
Disponível em:
<http://www.unioeste.br/cursos/cascavel/economia/Grandes%20Ecomi
mistas/David%20Ricardo.htm>. Acesso em: 22 de Agosto de 2016.
• SUA PESQUISA. Adam Smith. Disponível em:
<http://www.suapesquisa.com/biografias/adam_smith.htm>. Acesso
em: 22 de Agosto de 2016.
• FARIA, Caroline. A Teoria Populacional Malthusiana. Disponível em:
<http://www.infoescola.com/geografia/teoria-populacional-
malthusiana/>. Acesso em: 22 de Agosto de 2016.
• WIKIPEDIA. Lei de Say. Disponível em:
<https://pt.wikipedia.org/wiki/Lei_de_Say>. Acesso em: 22 de Agosto
de 2016.
• GONÇALVES, Eduardo. História e Pensamento Econômico I, David
Ricardo. Disponível em:
<http://www.ufjf.br/eduardo_goncalves/files/2010/07/David-
Ricardo1.pdf>. Acesso em: 22 de Agosto de 2016.
• ECONOMIA E FINANÇAS. David Ricardo. Disponível em:
<http://economiafinancas.blogspot.com.br/2009/06/economistas-
classicos-1776-1850.html>. Acesso em: 22 de Agosto de 2016.