Você está na página 1de 21

Classificação dos testes

psicológicos

Manuela Ramos Caldas Lins


Classificação dos testes

 Quanto à forma de administração


- Individuais
Apenas um sujeito é avaliado por vez
Exigem maior preparo profissional
Análise da linguagem não verbal (coleta de dados qualitativos)
Maior contato entre testando e administrador

- Coletivos
Podem ser administrados simultaneamente em grandes grupos
O exame e o papel do examinador é simplificado (objetividade)
Não é possível analisar a linguagem não verbal
Relacionamento mínimo
Classificação dos testes

 Quanto à forma de administração

Individuais Coletivos
Riqueza de respostas Profunda Superficial
Anonimato Não Sim
Amostra Pequena Grande
Custo de tempo Demorado Rápido
Transcrição dos
Demorada Rápida
dados
Análise dos dados Demorada Rápida
Comparações Difícil Fácil
Custo financeiro Elevado Baixo
Classificação dos testes

 Quanto à forma de resposta


- Verbal/Não-Verbal
- Lápis e papel/Execução
- Via computador (aplicador ou executor)
Aplicador: substitui tanto o material como o próprio
administrador do teste
Vantagens: melhor apresentação das questões,
correção rápida e apurada, interpretação dos escores imediata,
produção de registros (aspectos mecânicos)
Desvantagens: Perda de informações pela falta da
observação e fornece uma interpretação mais limitada
Executor: o computador adapta o teste a cada testando
Classificação dos testes

 Quanto a forma de organização


- Isolados: são administrados testes individualmente.
- Baterias: é administrado um conjunto de testes que se
destinam a medir a capacidade de diferentes indivíduos.
Ex: BPR-5.

 Quanto a finalidade
- Testes de velocidade: medem a rapidez de raciocínio ou
execução de uma dada tarefa (itens fáceis)
- Testes de capacidade: medem a qualidade da execução da
tarefa (itens em ordem crescente de dificuldade)
Classificação dos testes

 Quanto ao construto mensurado


- Capacidade intelectual
Aptidão geral (Inteligência Geral e Específicas)
Aptidões específicas (música, psicomotricidade, etc.)
Desempenho acadêmico provas educacionais)
Neuropsicológicos (disfunções cerebrais)

- Preferência individual
Personalidade
Atitudes
Valores
Classificação dos testes

 Quanto à objetividade e padronização

Psicométricos Projetivos
Descrição numérica Descrição linguística
Padronizados em suas tarefas e Não padronizados em suas tarefas e
interpretações: conclusões iguais interpretações: conclusões diferentes
Não depende da subjetividade do Dependente da subjetividade do
administrador administrador (vieses)
Sem ambiguidade de resposta Com ambiguidade de resposta
Restrição de respostas (pobreza) Liberdade de respostas (riqueza)
Produto Processo
Objetivos

Inventário Fatorial de
Personalidade (IFP)

É um inventário objetivo da personalidade,


baseado na teoria das necessidades básicas
formulada por Henry Murray. O inventário
visa avaliar o indivíduo (de 18 a 60 anos), em
15 necessidades ou motivos psicológicos, a
saber: Assistência, Dominância, Ordem,
Denegação, Intracepção, Desempenho,
Exibição, Afago, Mudança, Ordem,
Persistência, Agressão, Deferência,
Autonomia e Afiliação.
Objetivos

Escala de Inteligência Wechsler


Avalia a inteligência de crianças a partir para Crianças WISC-III
dos 06 até adolescentes de 16 anos.
Considera a capacidade de raciocínio,
lidar e também na interação com o meio
ambiente. Por esta razão, investiga
diferentes capacidades, verbais,
perceptivos-motores, informação,
semelhanças, aritmética, vocabulário,
compreensão, dígitos, dentre outros.
Utilizado para utilizado para avaliação
psicoeducacional, diagnóstico de
crianças excepcionais em idade escolar,
avaliação clínica e neuropsicológica.
Objetivos
BPR - 5

Oferece estimativas do funcionamento


cognitivo geral e das habilidades do
indivíduo em cinco áreas específicas:
Raciocínio Abstrato, Verbal, Espacial,
Numérico e Mecânico.
Objetivos
Atenção Concentrada
Avalia a atenção concentrada, a qual pode
ser definida como a capacidade de
selecionar uma fonte de informação
dentre todas as que estão disponíveis em
um determinado momento e conseguir
dirigir sua atenção (manter o foco) para
este estímulo ou tarefa a ser realizada no
decorrer do tempo. Portanto, em qualquer
tarefa que precise ser realizada ou
atividade em que esteja envolvido, é
necessário que o indivíduo focalize sua
atenção concentrada por um maior
intervalo de tempo, a fim de facilitar o
processo de aprendizagem, promovendo o
bom aproveitamento e a qualidade de seu
trabalho.
Objetivos
Matrizes Progressivas de Raven
Trata-se de um teste não verbal
para avaliação da inteligência,
especificamente do fator "g",
proposto por Spearman. Permite
avaliar a inteligência geral se for
usado em conjunto com um teste de
vocabulário. Destina-se a crianças
de 5 anos a 11 anos e meio,
deficientes mentais e pessoas
idosas. Útil também para sujeitos
portadores de deficiências físicas,
afasias, paralisia cerebral ou
surdez, bem como sujeitos que não
dominam a língua nacional.
Objetivos
Escala de Maturidade Mental
Columbia
Fornece uma estimativa da
capacidade de raciocínio geral de
crianças (3 anos e 6 meses a 9
anos e 11 meses). Avalia,
especialmente, capacidades que
são importantes para o sucesso na
escola, principalmente as
capacidades para discernir as
relações entre os vários tipos de
símbolos.
Projetivos

Teste de Rorschach

O teste consiste em dar respostas sobre com


o que se parecem as dez pranchas com
manchas de tinta simétricas. A partir das
respostas, procura-se obter um quadro
amplo da dinâmica psicológica do indivíduo.
O teste de Rorschach é amplamente utilizado
em vários países
Projetivos

Teste de Zulliger

É uma técnica de avaliação de


personalidade que tem como base o
Psicodiagnóstico de Rorschach. É uma
técnica consistente, de fácil aplicação e
classificação, que contém 3 dispositivos. A
aplicação pode ser coletiva (Z-Técnica de
Zulliger)
Projetivos

HTP (House-Tree-Person)

Avalia a personalidade e desvela a capacidade


do sujeito em experienciar sua individualidade
na interação com outros e em diferentes
ambientes. Permite a projeção e a identificação
de conflitos pessoais em três desenhos
diferentes, a casa, a árvore e a pessoa que são
aplicados em uma única sessão. Através do
traço são avaliadas inúmeras características
pessoais, tanto conscientes como inconscientes.
O teste é voltado para adultos e crianças acima
de 08 anos de idade.
Projetivos

Técnica do desenho da figura


humana

Numa folha em branco, se solicita ao


sujeito que desenhe uma Figura
Humana o mais completa possível, como
não se trata de desenho artístico, não
deve preocupar-se com a parte estética e
sim em fazer como ele quiser.

Existem várias versões de vários autores,


todas elas referidas ao desenho de Figuras
Humanas.
Projetivos

As Pirâmides
Coloridas de Pfister

Criado por Max Pfister, na década de 1950, na Suíça, é um instrumento que


avalia aspectos da personalidade, destacando principalmente a dinâmica
afetiva e indicadores relativos a habilidades cognitivas do indivíduo. Pfister
não se baseou apenas na relação entre cores e emoção para desenvolver sua
técnica, mas utilizou, deliberadamente, a forma geométrica de uma pirâmide,
por julgar que assim possibilitaria a composição de variadas configurações,
que propiciam uma melhor expressão da dinâmica emocional e o nível de
estruturação da personalidade.
Projetivos

Teste de Apercepção Temática


(TAT)

Identifica aspectos importantes da


personalidade do sujeito. Baseia-se em
técnicas projetivas mediante apresentação
de pranchas, previamente selecionadas
pelo psicólogo, onde o paciente deve
desenvolver uma narrativa diante das
figuras de cada prancha. As cenas retratam
situações ambíguas, e as histórias
produzidas expressam sentimentos e
necessidades conscientes e inconscientes.
Normalmente sua aplicação ocorre em
duas sessões e com a faixa etária a partir de
14 anos.
Projetivos

Teste de Wartegg
ou Teste de
Complementação
de desenhos

O teste consiste em uma folha com 8 quadrados de tamanho de 16 cm² cada.


Quem faz o teste da continuidade a um desenho já iniciado; são relatadas a
ordem em que estes foram feitos; são dados nomes aos desenhos; é dito pelo o
grau de dificuldade de execução de cada desenho; e qual desenho o candidato
mais gostou e menos gostou. É importante lembrar que de acordo com as
avaliações dos testes psicológicos realizados pelo Conselho Federal de
Psicologia do Brasil, o teste foi considerado desfavorável para aplicação,
segundo os critérios estabelecidos na Resolução CFP n.º 002/2003.