Você está na página 1de 47

LIBERDADE

SINDICAL
SINDICATO CONTROLADO PELO ESTADO

 INTERVENÇÃO ESTATAL -
IMPEDINDO A LIVRE
ORGANIZAÇÃO DOS
SINDICATOS.
 PORTARIA 3437/74 –
IMPOSIÇÃO DE ESTATUTO
PADRÃO (CONTROLE NA
ORGANIZÃÇÃO,
FUNCIONAMENTO, APLICAÇÃO
DE RECURSOS E CRIAÇÃO
PELO MTB).
SINDICATO CONTROLADO PELO ESTADO

 INTERVENÇÃO NAS
ELEIÇÕES.
 COMISSÃO DE
ENQUADRAMENTO SINDICAL –
ART. 577 DA CLT.
ALTERAÇÕES COM A CONSTITUIÇÃO DE
1988

DIREITO DE ORGANIZAÇÃO
SEM INTERVENÇÃO ESTATAL.
 DIREITO DE ORGANIZAÇÃO
DO SERVIDOR PÚBLICO.
 MANUTENÇÃO DO MODELO
CORPORATIVO.
ALTERAÇÕES COM A CONSTITUIÇÃO DE
1988

 imposto sindical;
 unicidade sindical;
 arbitragem compulsória pelo
Estado – alterações com a EC
45.
ARTIGO 8° DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE
1988

Art. 8. – É livre a associação


profissional ou sindical,
observado o seguinte:
I – A lei não poderá exigir
autorização do Estado para a
fundação de sindicato,
ressalvado o registro no órgão
competente, vedados ao poder
público a interferência e a
intervenção na organização
sindical;
ARTIGO 8° DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE
1988

II – é vedada a criação de mais de uma


organização sindical, em qualquer
grau, representativa de categoria
profissional ou econômica, na mesma
base territorial, que será definida
pelos trabalhadores ou empregadores
interessados, não podendo ser
inferior à área de um Município;
III – ao sindicato cabe a defesa dos
direitos e interesses coletivos ou
individuais da categoria, inclusive em
questões judiciais ou administrativas;
ARTIGO 8° DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE
1988
IV – a assembléia geral fixará a
contribuição que, em se tratando de
categoria profissional, será descontada
em folha, para custeio do sistema
confederativo da representação sindical
respectiva, independentemente da
contribuição prevista em lei;
V – ninguém será obrigado a filiar-se ou a
manter-se filiado a sindicato;
VI – é obrigatória a participação dos
sindicatos nas negociações coletivas de
trabalho;
ARTIGO 8° DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE
1988

VII – o aposentado filiado tem direito


a votar e ser votado nas
organizações sindicais;
VIII – é vedada a dispensa do
empregado sindicalizado a partir do
registro da candidatura a cargo de
direção ou representação sindical e,
se eleito, ainda que suplente, até
um ano após o final do mandato,
salvo se cometer falta grave nos
termos da lei.
ALTERAÇÕES DA EMENDA
CONSTITUCIONAL 45 E IMPLICAÇÕES

 ART. 114 DA CF. COMPETE A


JUSTIÇA DO TRABALHO
PROCESSAR E JULGAR:
...
- III - AS AÇÕES SOBRE
REPRESENTAÇÃO SINDICAL,
ENTRE SINDICATOS, ENTRE
SINDICATOS E TRABALHADORES,
E ENTRE SINDICATOS E
EMPREGADORES;
ALTERAÇÕES DA EMENDA
CONSTITUCIONAL 45 E IMPLICAÇÕES

 CONFLITOS DE REPRESENTAÇÃO
E COBRANÇAS DE
CONTRIBUIÇÕES.
 COMO ESTÁ SE COMPORTANDO
A JT.
UNICIDADE SINDICAL

 UNICIDADEÉ A PREVISÃO
OBRIGATÓRIA DA EXISTÊNCIA DE
UM ÚNICO SINDICATO
REPRESENTATIVO DOS
CORRESPONDENTES
TRABALHADORES, SEJA POR
EMPRESA, SEJA POR PROFISSÃO,
SEJA POR CATEGORIA
PROFISSIONAL.
UNICIDADE SINDICAL

 TRATA-SE DE DEFINIÇÃO LEGAL


IMPERATIVA DO TIPO DE SINDICATO
PASSÍVEL DE ORGANIZAÇÃO NA
SOCIEDADE.
 VEDA ENTIDADES SINDICAIS
CONCORRENTES.
 VIGORA NO BRASIL DESDE 1930 –
POR FORÇA DE NORMA JURÍDICA.
UNIDADE SINDICAL

 HÁ QUE DISTINGUIR UNIDADE


SINDICAL DE UNICIDADE.

 UNICIDADE CONSISTE NO SISTEMA


PELO QUAL A LEI IMPÕE UM ÚNICO
SINDICATO PARA DETERMINADO
SEGMENTO.
UNIDADE SINDICAL

 HÁ UNIDADE É PRODUTO DO
EXERCÍCIO DA VONTADE DOS
TRABALHADORES, DO GRAU
DE MATURIDADE E NÃO DE
IMPOSIÇÃO LEGAL.
PLURALIDADE
SINDICAL

 PLURALIDADE É O POSSIBILIDADE DE
EXISTÊNCIA DE MAIS DE UM SINDICATO, OU
SEJA A POSSIBILIDADE DE CONCORRÊNCIA
SINDICAL.

 NO INÍCIO DO SÉCULO XX – NO BRASIL,


NÃO HAVIA LIMITAÇÃO LEGAL NA FORMA DE
ORGANIZAÇÃO, ASSIM ERA PERMITIDA A
PLURALIDADE SINDICAL.
PROTEÇÃO DA
ORGANIZAÇÃO SINDICAL

A REFORMA DO SISTEMA TRABALHISTA


DEVERIA CONTEMPLAR A ADOÇÃO DE
GARANTIAS DEMOCRÁTICAS À ATUAÇÃO
SINDICAL, CF. TEXTOS NORMATIVOS
CONSTRUÍDOS PELA OIT, EM ESPECIAL:
 C. 11 DIREITO DE ASSOCIAÇÃO;
 C. 87 SOBRE A LIBERDADE SINDICAL E A
PROTEÇÃO DO DIREITO SINDICAL;
 C. 98 SOBRE O DIREITO DE
SINDICALIZAÇÃO;
PROTEÇÃO DA
ORGANIZAÇÃO SINDICAL

 C. 135 RELATIVA AOS


REPRESENTANTES DOS
TRABALHADORES;
 C. 141 A ORGANIZAÇÃO DE
TRABALHADORES RURAIS;
 C. 151 AS RELAÇÕES DE
TRABALHO NA FUNÇÃO PÚBLICA.
LIBERDADE SINDICAL- 87
DIREITO DE ORGANIZAÇÃO E NEGOCIAÇÃO
COLETIVA - 98

Convenção sobre
LIBERDADE SINDICAL
e proteção contra o
DIREITO DE
SINDICALIZAÇÃO
LIBERDADE SINDICAL- 87
DIREITO DE ORGANIZAÇÃO E NEGOCIAÇÃO
COLETIVA - 98

A LIBERDADE SINDICAL é uma


das peças chaves dos princípios
fundamentais da OIT, pois é ela
que cimenta e garante o trabalho
da entidade, bem como das
atividades exercidas pelas
organizações sindicais e por
todos aqueles que lutam por
justiça social.
“A CONVENÇÃO 87

tem como finalidade resguardar


o exercício sindical contra as
intromissões do Estado,
estabelecendo garantias para a
sua independência em relação
aos poderes públicos, dotando
de titularidade o trabalhador
para o exercício pleno da
liberdade sindical”.
“... a liberdade sindical,
direito inalienável, é dentre
outras garantias sociais,
essencial à melhoria da vida
dos trabalhadores e ao bem
estar econômico”.

Conselho da ONU
Assembléia Geral das Nações
Unidas - 1947
“A CONVENÇÃO 98

tem como finalidade a proteção


quanto ao exercício do direito de
sindicalização, proteção das
organizações de trabalhadores e
de empregadores contra atos de
ingerência de umas com relação
às outras, e promoção da
negociação voluntárial”.
A CONVENÇÃO 87
Garante o direito das entidades sindicais
– empregados/empregadores de:
a) reconhecimento do direito de
sindicalização: assegura o direito de
organização de trabalhadores e
empregadores, sem distinção de
sexo, cor, raça, religião,
nacionalidade, opinião ou de
modalidade de serviço (artigo 2);
b) criação de organizações: não se
faz necessária a prévia autorização
do Estado para a criação de
organizações sindicais (artigo 2);
c) livre eleição do tipo de
organização: é garantido tanto
ao empregadores como aos
trabalhadores o direito de
constituírem suas entidades,
sendo exigido tão somente o
respeito aos estatutos
aprovados (artigo 2);
d) funcionamento das organizações:
as organizações tem plena liberdade
para redigir e aprovar seus estatutos
e demais regras internas, assim
como para eleger seus
representantes, não podendo ser
alvo de intervenções, ingerências no
que respeita a sua organização,
programa de ação ou administração
de atividades; (artigo 3);
e) dissolução ou suspensão: a
proibição do Estado de dissolver o
suspender as entidades sindicais
por decisão de caráter
administrativo (artigo 4);
f) federações e confederações:
assegura o reconhecimento da
possibilidade de constituir
federações e confederações
previstas no (artigo 5), sendo
garantido a estas entidades os
direitos previstos nos artigos
anteriores;
g) filiação internacional: reconhece
o direito de que as entidades
sindicais possam filiar-se a
entidades sindicais internacionais
de trabalhadores ou de
empregadores (artigo 5);
h) personalidade jurídica: o
reconhecimento jurídico das
entidades sindicais não está
sujeita a condições que limite a
aplicação das garantias previstas
nos artigos 2, 3 e 4 (artigo7);
i) legalidade das organizações: no
exercício dos direitos que são
reconhecidos, os trabalhadores, os
empregadores e respectivas
organizações estão obrigados a
respeitar a legalidade e a
legislação nacional, não podendo
esta ferir as garantias previstas na
presente convenção (artigo 8).
A CONVENÇÃO 98
Principais pontos da Convenção 98 que
Impede a ingerência sindical:

Artigo 1
1. Os trabalhadores gozarão de
adequada proteção contra atos de
discriminação com relação a seu
emprego.
2. Essa proteção aplicar-se-á
especialmente a atos que visem:
A CONVENÇÃO 98

Principais pontos da Convenção 98 que


Impede a ingerência sindical:

a) sujeitar o emprego de um
trabalhador à condição de
que não se filie a um
sindicato ou deixe de ser
membro de um sindicato;
A CONVENÇÃO 98
Principais pontos da Convenção 98 que
Impede a ingerência sindical:
b) causar a demissão de um
trabalhador ou prejudicá-lo de
outra maneira por sua filiação
a um sindicato ou por sua
participação em atividades
sindicais fora das horas de
trabalho ou, com o
consentimento do
empregador, durante o
horário de trabalho.
A CONVENÇÃO 98
Principais pontos da Convenção 98 que
Impede a ingerência sindical:
2. Serão principalmente consideradas
atos de ingerência, nos termos deste
Artigo, promover a constituição de
organizações de trabalhadores
dominadas por organizações de
empregadores ou manter
organizações de trabalhadores com
recursos financeiros ou de outra
espécie, com o objetivo de sujeitar
essas organizações ao controle de
empregadores ou de organizações de
empregadores
REFORMA SINDICAL
REFORMA SINDICAL

Central Sindical
Liberdade Confederações Nacionais
Sindical
Para: Federações Nacionais;
Interestaduais e Estaduais
Novos Sindicatos (Ramo)
Sindicato
Atuais Assembléia Único com Regras
Dos Democráticas O.L.T
Sindicatos
Trabalhadores
(Ramo) Sindicato com
decide
Liberdade
(mais de um)
CRITÉRIOS DE RECONHECIMENTO DAS
CENTRAIS

Critérios Definitivos de
Representação:
1. Representar no mínimo
22% dos trabalhadores em
sua base de
representação;
2. Ter sindicatos
reconhecidos em 18
Estados nas 5 regiões;
CRITÉRIOS DE RECONHECIMENTO DAS
CENTRAIS

3. Dentre os 18 Estados da
Federação com representação
da Central Sindical, ter no
mínimo, 15% de trabalhadores
sindicalizados do total dos
empregados em 9 Estados;
4. Ter em no mínimo 50% dos
setores de atividade econômica
(07 setores) 15% de
trabalhadores sindicalizados.
CRITÉRIOS DE RECONHECIMENTO DAS
CENTRAIS

Critérios: Período de Transição


(03 anos)
1. A soma dos Trabalhadores
empregados sindicalizados
nos sindicatos pertencentes
a Central deve ser superior a
20% da soma dos
Trabalhadores nas bases de
representação de seus
sindicatos;
CRITÉRIOS DE RECONHECIMENTO DAS
CENTRAIS

2. Ter sindicatos reconhecidos em 18


Estados, nas 5 regiões com
representação mínima em 7
setores de atividade econômica;
3. Dentre os 18 Estados da
Federação com representação da
Central Sindical, ter no mínimo,
5% de trabalhadores
sindicalizados do total dos
empregados em 12 Estados;
CRITÉRIOS DE RECONHECIMENTO DAS
CENTRAIS

4. Ter em no mínimo 5
dos setores de
atividade econômica
5% de trabalhadores
sindicalizados.
REAGRUPAMENTO DE SETORES
Atividade Campo de Atividade Nº Trabalhadores Nº Estabelecimentos

1 Rural 1.123.401 228.555

2 Comércio 4.328.015 735.923

3 Serviços 4.721.666 467.975

4 Metalúrgico 1.578.734 84.598

5 Construção Civil e Mobiliário 1.773.999 115.827

6 Químico 812.012 26.081

7 Indústria Alimentação 924.063 35.164


8 Têxtil e Vestuário 1.017.094 51.310

9 Urbanitários 514.440 15.526

10 Transporte 1.153.252 62.529

11 Setor Financeiro 554.964 32.174

12 Saúde e serviços Sociais 1.094.294 114.311

13 Educação, Cultura, Esporte e Lazer 1.269.964 68.880

14 Administração Pública 6.323.716 13.878

Total 27.189.614 2.052.731


REAGRUPAMENTO DE SETORES

1. Setor Público;
INDEFNIÇÃO
DE 2. Comunicação;
CRITÉRIOS: 3. Agricultura Familiar.
SINDICATOS DE BASE : SÍNTESE
Para os Atuais Para os novos

Sindicatos por
Ramo de
Atividades
Econômica Representação Comprovada:
Até 03 anos – 18% de sindicalizados Liberdade de
Organização
Após 03 anos – 20% de sindicalizados
1 – Atividade Preponderante
2 – Unidade Produtiva na
base de Representação.
Exclusividade: Exclusividade:
Aprovação em Assembléia OU Rejeição em
1 - Duração do mandato
Assembléia
2 - Prazo de Editais
3 - Comissão Eleitoral
Regras Estatutárias
Paritária
Definidas em Lei
4 - Prazo de Entrega de
Lista de Votantes5 - OLT = impasses:
Regras para Representação Comprovada
Mesários e Fiscais
6 - Eleição do Comitê Número de Trabalhadores
Sindical Criação do Comitê Sindical eleitos nas empresas
de Empresa
FINANCIAMENTO DA ESTRUTURA SINDICAL

% DE REPASSE DO Atual 1º 2º 3º
IMPOSTO SINDICAL ano ano ano
Fim do Imposto Sindical Confederações 5% 5% 5% 5%
De Forma Gradual (3 anos) Federações 15% 15% 10% 5%

Sindicatos 60% 40% 30% 20%

MTE 20% 15% 10% 5%

Fim Imediato da taxa


Negocial
Hoje não há teto para o desconto
Fim Imediato
da Taxa Confederativa
FINANCIAMENTO DA ESTRUTURA SINDICAL

Mensalidade Sindical

Permanece como é
com o Sindicato
podendo definir em
Assembléia
dos Trabalhadores
os valores a serem
cobrados.
FINANCIAMENTO DA ESTRUTURA SINDICAL

Criação da
Contribuição Negocial

Vinculada a Negociação Coletiva (não ao acordo) a


Contribuição Negocial deve ser aprovada em
assembléia. Limitada a 1% da remuneração do
trabalhador obtida nos doze meses do ano anterior,
descontando o Imposto de Renda, I.N.S.S, e
Benefícios Sociais como V.R, Vale Transporte etc;
O desconto poderá ser efetuado a partirdo mês de
Abril, descontado em no MÍNIMO três parcelas.
UTOPIA
A utopia está no
horizonte.
Caminho dois passos
e ela avança dois passos.
Caminho dez passos e o
horizonte
avança dez passos mais.
Para que serve a utopia?
Exatamente para isso:
para seguir
caminhando...
Eduardo Galeano