Você está na página 1de 75

TRABALHO INDIVIDUAL

HISTORIA SOBRE PSICOLOGIA


ELABORADO PELO GRUPO III

1. DULCE XIMENES DA SILVA


2. IRIA
3. LUIS FREITAS CORTEREAL
4. JUVIVINAL DOS REIS SOARES
5. RICARDINO

DEPARTAMENTO ENSINO DA FISICA


FACULDADE EDUCAÇÃO ARTE E HUMANIDADE
UNIVERSIDADE NACIONAL DE TIMOR LOROSA’E
UNTL
(2018)
HISTORIA DA PSICOLOGIA
Gregos (JUVINAL MAK SEI RESPONSAVEL)

Psyché- alma(klamar)
Logos- razão(razaun)
Psicologia- estudo da
alma.(estuda konaba
klamar)
A alma ou espírito era
concebida como a parte
imaterial do ser humano,
responsável pelo
pensamento, sentimentos,
desejos e percepções.
Gregos
Pré- socráticos (antes de Sócrates)
Oposição entre idealistas (a idéia
forma o mundo) e materialistas
(a matéria que forma o mundo
já existe antes da percepção).
Sócrates- 469-399 A.C. Atenas
A principal característica humana
é a razão, que separa o homem
dos outros animais.
A razão permite o homem
controlar seus instintos.
• Quando alguém morre, a matéria
• A medula é o elo de
desaparecia e a alma tornava-se ligação da alma ao corpo.
livre para habitar outro corpo.
• A alma era separada do corpo.
Vegetais- alma vegetativa,
responsável pela
alimentação e
reprodução.
Animais- alma
vegetativa e sensitiva,
responsável pela
percepção e movimento.
Homem- alma
vegetativa, alma animal e
alma racional, que tem
função pensante.
Gregos

Da anima- primeiro tratado em Psicologia


2.300 anos antes da Psicologia científica, já existiam
2 correntes:
Platônica: alma imortal e separada do corpo.
Aristotélica- alma mortal e pertencente ao corpo.
Santo Agostinho-
354- 430 D.C. Argélia
A alma era mais que razão,
era manifestação divina no
homem. Era imortal, e
ligava o homem à Deus.
Inspirado em Platão, separava
alma e corpo.
Império Romano e Idade Média
São Tomás de Aquino
1225- 1274 D.C. Itália
Ruptura da igreja católica, Revolução
Francesa e Industrial.
Questionamentos da Igreja e dos
conhecimentos produzidos por ela.
O homem, na sua essência, busca a
perfeição através de sua existência.
Somente Deus seria capaz de unir
essência e existência. A busca de
perfeição pelo homem seria a busca
de Deus.
Renascimento

• Começam a se
estabelecer métodos
e regras básicas para
a construção do
conhecimento
científico.
• René Descartes
• 1596-1650, França.
CÉREBRO
• Separação entre
mente e corpo,
afirmando que o
homem possui uma
substância material e
uma pensante, e que
o corpo desprovido
de espírito, é apenas
uma máquina.
Origem da Psicologia Científica
• Os problemas e temas da
Psicologia, estudados
apenas pela filosofia, são
estudados também pela
Fisiologia.

• Pensamentos, percepções e
sentimentos são resultados
do funcionamento do
sistema nervoso.

• Compreensão dos
mecanismos cerebrais.
SÍMBOLO - PSIQUÊ

 O símbolo da psicologia Ψ
corresponde ao alfabeto grego e é a
letra 23a, correspondendo ao "psi"
ocidental.

 As duas SERPENTES indicam "os


saberes" sobre a ciência.

 Os dois RAMOS DE LOURO que


no mundo clássico significavam:
glória, honra, orgulho, triunfo,
vitória, laurel, preito, homenagem.
A psicologia enquanto ciência:

- Utiliza métodos científicos;

- Tem objectivos científicos:


- Descrição e explicação dos fenómenos;

- Usa procedimentos científicos:


- Observação e experimentação;

- Obedece aos princípios científicos:


- Objectividade e o controlo da
influência do investigador.
A psicologia enquanto ciência:

- Utiliza métodos científicos;

- Tem objectivos científicos:


- Descrição e explicação dos fenómenos;

- Usa procedimentos científicos:


- Observação e experimentação;

- Obedece aos princípios científicos:


- Objectividade e o controlo da
influência do investigador.
Principais ramos da Psicologia

• Biopsicologia;
– É o estudo das bases biológicas do comportamento
• Psicologia Experimental;
- Estuda os processos de sensação, percepção, aprendizagem e
pensamento acerca do mundo.
• Psicologia cognitiva;
– Estuda os processos mentais superiores (pensamento, linguagem,
memória, resolução de problemas, raciocínio, julgamento e tomada
de decisão.
Principais ramos da Psicologia (cont.)

• Psicologia do Desenvolvimento;
– Identifica as mudanças físicas, cognitivas, sociais, e emocionais que
ocorrem ao longo da vida;
• Psicologia da Personalidade;
– Procura explicar a consistência e a mudança no comportamento das
pessoas ao longo do tempo e os traços que distinguem umas
pessoas das outras quando confrontadas com a mesma situação.
• Psicologia da Saúde;
– Explora a relação entre factores psicológicos e doenças ou lesões
físicas.
Principais ramos da Psicologia (cont.)

• Psicologia Escolar;
– Avalia e desenvolve estratégias para resolver problemas que as
crianças do ensino pré-primário, primário e secundário apresentam
ao nível académico e emocional.
• Psicologia Social;
– Estuda a maneira como os pensamentos, sentimentos e acções das
pessoas são afectadas por outras.
• Psicologia da Mulher;
– Concentra-se nos factores relacionados com o comportamento e
desenvolvimento feminino.
Principais ramos da Psicologia (cont.)

• Psicologia do Consumidor;
– Analisa os hábitos de compra das pessoas e os
efeitos da propaganda nos seus hábitos de
consumidor.

• Psicologia Organizacional e Industrial;


- Integra assuntos como a produtividade, satisfação no local
de trabalho e tomada de decisões.
Principais ramos da Psicologia (cont.)

• Psicologia Intercultural;
– Investiga as semelhanças e diferenças no
funcionamento psicológico em várias culturas e
grupos étnicos.
• Psicologia Evolutiva
– Tem origem na Psicologia Cognitiva e na Biologia
Evolutiva. Os processos mentais são analisados
com base na evolução.
DESENVOLVIMENTO
INTERACIONISMO(RICARDINO
MAK RESPONSAVEL)

D
SUJEITO
A
OBJETO

Teorias: Construtivismo,
Histórico-cultural e Sócio-afetiva
Teoria Piagetiana
- Novas situações;
1-) Equilibração Desequilíbrio - Desafios;
- Conflitos...

Ambiente 1.1-) Assimilação


Quando o organismo. sem
alterar-se. procura
significados. a partir de
experiências anteriores. para
Assimilação Acomodação compreender esse novo
conflito por conta dessa nova
interação.
1.2-) Acomodação
Quando o organismo tenta
restabelecer o equilíbrio com
DESEQUILIBRAR É o meio. através de sua própria
PRECISO!!! transformação.
2-) Aspectos do desenvolvimento cognitivo

2.1-) Aspecto psicológico / espontâneo


Piaget, enfatiza que este aspecto se configura por
aquilo tudo que a criança aprende por si mesma na
sua relação com o ambiente e lança mão de seus
sentidos inatos para estabelecer essa relação com o
mundo ao seu redor.

Dê-se!! Se dá!!

2.2-) Aspecto psico-social


Piaget, enfatiza que este aspecto é representado
por tudo aquilo que a criança aprende por
transmissão a partir do outro.
3-) Os estágios ou periodo do desenvolvimento cognitivo

3.1-) A inteligência sensório-motora


Para o autor, todo o organismo / ser vivo
tem inteligência inala para lidar com o
ambiente de forma espontânea. por si
próprio. Poderíamos pensar num animal
sedento que empurra a pedra com as
patas e a cabeça para poder beber água
no rio ou, ainda, numa criança que ao ver
uma bola, estando próxima dela, lança
mão de suas habilidades inatas (visão /
apreensão) para agarra-Ia e joga-Ia para
Até ~ 18 meses longe.
3.2-) A representação pré-operatória
Se configura pela possibilidade de
representação, pela capacidade de
pensar simbólica e abstratamente: é o
momento crucial da representação
através da linguagem, da capacidade de
representar um objeto por meio de um
símbolo, de uma imagem mental
(abstração).

Da fase anterior até 07-08 anos

Segundo Piaget , existe inteligência antes da linguagem, mas não existe o


pensamento antes da linguagem: isto quer dizer: para que exista
linguagem é necessário que exista o pensamento e vice-versa, pois
ambos estão intrinsecamente relacionados, um não existe sem o outro, a
linguagem é solidária ao pensamento.

CUIDADO, MUITO CUIDADO AQUI E EM DIANTE...


3.4-) As operações formais
Neste período os jovens tomam-se
capazes de raciocinar. de deduzir
o: de hipotetizar a partir de proposições
verbais. É a definitiva lógica dos
raciocínios dedutivos e propositivos.
não mais indutivos. perceptivos e
instintivos como os estágios anteriores.

Da fase anterior até 15 - 16 anos

Esta lógica é uma lógica do discurso na qual os jovens se tomam capazes de


raciocinar sobre enunciados verbais. proposicionais. manipular hipóteses e
raciocinar a partir do ponto de vista do outro. há a consolidação de uma
lógica hipotético-dedutiva.
Platão 428/7-347 a.C.

O que é a Psique?

O que é a alma?
O que é a alma?
Impressões Sensoriais

Elementos e princípios de vida

Apetites, Luxúrias
ALMA
Paixões e sensações irracionais
Emoções

Racionalidade, Inteligência
Reflexão racional
Alma: Duas substâncias (Onto)

Nutritiva Substância
material
Alma
Sensitiva

Substância
Intelectiva
imaterial
Como a alma conhece? (Episteme)

Impressões sensorias Reflexão racional

Aparências Busca a permanência que está


fora da mente

Equívocos
Memória, razão, memória inata

Não leva ao
conhecimento Leva ao conhecimento
Aristóteles 384/3-322 a.C.

O que é a alma?
.
Alma: Uma só substância
ALMA

percepcão imaginação

Nutritiva Sensitiva Intelectiva

hábitos memória

Paixões Razão

Desejo Vontade

Ação Fim
Esquema sugestivo da vida mental:

Crenças Desejo Vida Inteligente

+ =

Consciência Imaginação Falta

+ =
Alma está em todo o ser vivente:

Nutritiva

Paixões

Sensitiva

Intelectiva Razão

CORPO ALMA
EMPIRISMO
DULCE HO IRIA MAK SEI RESPONSAVEL

- Mérito: inserção da Psicologia no campo de investigações científicas.

- Concepção muito observada na prática dos professores, em geral.

- Ensinar é transmitir conhecimentos.

- Professores: eruditos na área em que atuam, devem viabilizar os processos de


transferência do seu conhecimento.
- Alunos: receptores passivos de informações.
Fragmentação em Escolas
Estruturalismo

Mente
Gestalt
Inatismo?
Tábula rasa? Psicanálise

Associações
Percepção Imaginação
Idéias
Inconsciente Inconsciente

Experiência sensação Consciência vontade Comportamento


Memória
Ambiente
Emoção
Paixão
EU Hábitos
Desejo
Apetites
Afeto
Behaviorismo

Corpo
RAIZ
FILOSÓFICA DA
PSICOLOGIA (1)

Empirismo
RAIZ FILOSÓFICA
• Empirismo crítico: • Tendências
– Escola francesa isoladas:
– Escola britânica
– Psicologia do ato
– Escola alemã
– Psicologia
• Associacionismo (britânico) fenomenológica
– Escola romântica e
• Materialismo científico: naturalista
– Escola francesa
– Escola britânica
– Escola alemã
Empirismo crítico:
• Preocupações centrais:
– Do que era feito o mundo?
• Resposta dada pela Química, Física e Biologia.
– Como se adquire o conhecimento?
• Há idéias inatas (Platão)?
• As idéias são adquiridas através da experiência
(Aristóteles)?
– Seguindo a linha aristotélica, os empiristas afirmam que nada
há na inteligência que não tenha passado pelos sentidos
(visão, audição, olfato, paladar e tato).
Empirismo: Exemplo de Fernando Pessoa

Sou um guardador de rebanhos.


O rebanho é os meus pensamentos
E os meus pensamentos são todos sensações.
Penso com os olhos e com os ouvidos
E com as mãos e os pés
E com o nariz e a boca.

Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la


E comer um fruto é saber-lhe o sentido.

Por isso quando num dia de calor


Me sinto triste de gozá-lo tanto.
E me deito ao comprido na erva,
E fecho os olhos quentes,
Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,
Sei a verdade e sou feliz.
(O guardador de rebanhos: IX)
Empirismo: Escola britânica
• John Locke:
– Um dos principais representantes do Empirismo.
– A mente ao nascer é uma tábula rasa:
• Todo o conhecimento é adquirido através da experiência.
– Sensações e percepções:
• Os conteúdos da mente são adquiridos das impressões sensoriais do
mundo externo e interno.
– Memória e os princípios associação de idéias:
• Similaridade (lembranças análogas e semelhantes).
• Contigüidade (proximidade no tempo e no espaço).
– Influenciou o Estruturalismo no séc. XX.
OS FILÓSOFOS PRÉ-SOCRÁTICOS
Concentraram-se, basicamente, em duas questões:

Qual é a origem, a matéria Qual é a autêntica


ou principio da Natureza? realidade?

Dependendo das escolas, haverá O que nos oferece os


diferentes respostas: sentidos ou o que oferece a
razão?
fogo, água, ápeiron, etc.
FILOSOFIA – 1ª Série
A FILOSOFIA – OS FILÓSOFOS PRÉ-SOCRÁTICOS

Escola Jônica ou Milesiana


Monistas
Tales
Anaximandro
Anaxímenes
• São físicos, e seu interesse centra-se em compreender de que
a matéria ou “arché” é composta na Natureza.
• Substituem as explicações antropomórficas dos mitos por
elementos naturais.
A origem da Natureza é um

Imagem: Tales de Mileto / Autor Desconhecido /


elemento natural e determinado
Tales de Mileto

Água

Domínio Público.
• Não se conhecem textos de Tales.
• Aristóteles via em Tales o primeiro “físico” Inquieto, viajante, matemático,
(equivalente a filósofo). astrônomo e político
• É o mais antigo dos Sete Sábios.

Imagem: éclipse de Lune en Belgique à


(Aprox. 624-546 a.C.)

Hamois/ Luc Viatour / GNU Free


Documentation License.
Teorema de Tales Previu um Eclipse do Sol
(585 a.C)
FILOSOFIA – 1ª Série
A FILOSOFIA – OS FILÓSOFOS PRÉ-SOCRÁTICOS

Anaximandro de Mileto (Aprox. 610-545 a.C.)

Estabelece que o elemento originário é


indeterminado e eterno:

Ápeiron

Imagem: Anaximandro, recorte de “Escola de Atenas” / Rafael Sanzio /


()
Chegou-nos um único fragmento:
“Onde as coisas têm sua origem, aí ocorre sua
dissolução, segundo a necessidade. Pois pagam
reciprocamente a penitência por sua injustiça,
conforme a ordem do tempo”.
O Cosmos como dependente de forças polares
primordiais ou idênticas

Public domain.
(calor e frio; água e terra; masculino e feminino) (1).
Ápeiron → Opostos → Mundo
Atribuem–se-lhe múltiplas investigações e a afirmação de que a Terra é esférica.
FILOSOFIA – 1ª Série
A FILOSOFIA – OS FILÓSOFOS PRÉ-SOCRÁTICOS

Anaxímenes (Aprox. 585-524)

Indica uma substância determinada e


infinita como elemento primeiro:

O Ar
O ar é divino e gera divindades a
partir de si, é nossa alma e o que
mantém nossos corpos unidos.

A Terra é plana e passeia no ar, e


os demais corpos celestes giram Imagem: Anaxímenes de Mileto / Autor Desconhecido / Public

em torno dela. Domain

(Geocentrismo ??)
Parmênides (540-470 a.C.)
Opõe-se a Heráclito

Não admite a mudança e o


movimento
O ser é único, imutável e
eterno = Ideias platônicas
Introduz a diferença entre conhecimento

Imagem: Parmênides / Autor Desconhecido /


Símbolo da Escola / GNU Free Documentation
License.

• Pensa o Uno-Eterno-Imóvel.
• Mostra o Múltiplo-Cambiante.
• Única via para o conhecimento.
• Não válida para o conhecimento.
Influenciou Platão e Aristóteles
Suas reflexões tratam sobre:
Heráclito de Éfeso

• O Mundo :
a) Está em estado de contínua
mudança: a luta entre contrários;
b) Está impregnado de constantes
opostos:
• “O ser é e não é ao mesmo tempo”;
• “Tudo flui” – tudo está em Imagem: Heráclito / Recorte de “Escola de
movimento e nada dura para sempre; Atenas” / Rafael Sanzio / Domínio Público.
• “Não podemos entrar no mesmo rio
duas vezes”; • Introduz a ideia de
que os sentidos nos
• A essência de todas as coisas é o enganam.
(544-484 a. C.)

• Considerado o “pai”
Fogo. da Dialética.
Escola da Pluralidade
• Corrente materialista e mecanicista - A única
realidade existente são os corpos em
movimento
Anaxágoras Empédocles
Atomistas
Reagem contra as ideias de Heráclito e
Parmênides
Os elementos originários

Imagem: Empédocles / Thomas Stanley / Domínio


seriam:
Empédocles de Agrigento

Fogo;
Público.
Água;
Concilia o pensamento Ar;
de seus antecessores Terra.
•Estes quatro elementos, mesclando-se uns com os
(493-433 a.C.)

outros, formam os diferentes objetos.


•Concepção cíclica do tempo e da natureza.
FILOSOFIA – 1ª Série
A FILOSOFIA – OS FILÓSOFOS PRÉ-SOCRÁTICOS

Os Atomistas
(Desenvolveram a filosofia de Empédocles)
Leucipo e Demócrito
de Abdera (470-370 a.C.)

Há um número infinito de unidades indivisíveis.

Átomos Diferem em tamanho e forma


mas são idênticos entre si.
Têm as mesmas características que o ser de Parmênides.

Não têm nenhuma qualidade, exceto a de serem


sólidos e impenetráveis.
Infinitos em seu número, agitam-se no vazio ao acaso.
A FILOSOFIA – OS FILÓSOFOS PRÉ-SOCRÁTICOS

CONCLUSÕES
Tema central de estudo: a NATUREZA
Soluções:
Monismo Dualismo Pluralismo

Físicos jônios Empédocles,


Pitagóricos Anaxágoras,
+ Demócrito
Parmênides

Questão do CONHECIMENTO

Começa-se a levantar a distinção entre verdade e aparência.

Razão
Sentidos
BEHAVIORISMO
EM PAVLOV E SKINNER
LUIS F CORTEREAL MAK SEI RESPONSAVEL BA
TOPIKU IDA NE’E
BEHAVIORISMO
EM PAVLOV
(1849-1936) foi premiado com o Nobel de
Fisiologia/Medicina de 1904, por suas descobertas sobre os processos digestivos de
animais. Ivan Pavlov veio no entanto a entrar para a história por sua pesquisa em um
campo que se apresentou a ele quase que por acaso: o papel do condicionamento na
psicologia do comportamento (reflexo condicionado).

Na década de 1920, ao estudar a


produção de saliva em cães expostos a
diversos tipos de estímulos palatares,
Pavlov percebeu que com o tempo a
salivação passava a ocorrer diante de
situações e estímulos que anteriormente
não causavam tal comportamento (como
por exemplo o som dos passos de seu
assistente ou a apresentação da tigela
de alimento). Curioso, realizou
experimentos em situações controladas
de laboratório e, com base nessas
observações, teorizou e enunciou o
mecanismo do condicionamento clássico.
PAVLOV E O REFLEXO CONDICIONADO
RESPOSTA/REFLEXO CONDICIONAMENTO RESPOSTA/REFLEXO
INCONDICIONADO CONDICIONADO
(INATO) (APRENDIDO)

CARNE CARNE (ESTÍMULO SOM (ESTÍMULO


(ESTÍMULO INCONDICIONADO) CONDICIONADO)
INCONDICIONADO) + SOM (ESTÍMULO
NEUTRO)

SALIVAÇÃO SALIVAÇÃO
SALIVAÇÃO
(RESPOSTA/REFLEXO (RESPOSTA/REFLEXO
(RESPOSTA/REFLEXO
INCONDICIONADO) CONDICIONADO)
INCONDICIONADO)
Ex: dilatação e contração da pupila dos olhos em contato com a mudança da iluminação.
Arrepios por causa de ar frio. Salivação diante da comida.

É controlado por um .
TEÓRICOS
• Ivan P. Pavlov
• (1849-1936)


Importantes Conceitos:

• Estímulo, (ação ou evento)


• Resposta, (reação comportamental com a qual o estímulo está associado)
• Condicionamento (processo de aprendizagem através do qual uma determinada
proposta é desencadeada por um determinado estímulo).
MOTIVAÇÃO (JUVINAL MAK SEI
RESPONSAVEL)

ATIVAÇÃO

O QUE LHE EMPURRA


MOTIVAÇÃO

* Uma MOTIVAÇÃO envolve:


• NECESSIDADE (algo que me falta e causa desequilíbrio) e
• SATISFAÇÃO (algo que quando atingido restabelece o
equilíbrio) ou FRUSTRAÇÃO.
SATISFAÇÃO FRUSTRAÇÃO

NECESSIDADE TENSÃO NECESSIDADE TENSÃO

DEMORA,
CONTRARIEDADE
ou CONFLITO

AÇÃO PARA FRUSTRAÇÃO AÇÃO PARA


SATISFAÇÃO UM OBJETIVO
UM OBJETIVO
MOTIVAÇÃO

• Busca de MOTIVOS?
• Por quais MOTIVOS você faz este curso?
• Por quais MOTIVOS uma pessoa se casa?
• Por quais MOTIVOS você trabalha?
• Por quais MOTIVOS você fez a sua última viagem?
• O estudo da motivação procura compreender os MOTIVOS
(necessidades, carências, interesse, desejos) que
impulsionam o indivíduo a agir de determinada maneira ,
para atingir seus objetivos.
• Motivação é o termo geral para todos os processos
envolvidos em começar, direcionar e manter atividades
físicas e psicológicas.
• A palavra vem do latim movere, que significa mover-se.
MOTIVAÇÃO

TEORIA DA MOTIVAÇÃO DE MASLOW

* Sua teoria é baseada no conceito de hierarquia de


NECESSIDADES que influenciam o comportamento humano.
* As necessidades FISIOLÓGICAS E AS DE SEGURANÇA são
básicas ou primárias;
* As necessidades SOCIAIS, de ESTIMA E DE
AUTOREALIZAÇÃO são secundárias, superiores ou psicológicas;
* Mais tarde, Maslow incluiu após as necessidades de estima as
necessidades de COGNIÇÃO e ESTÉTICA, mas não vingaram.
* Somente após satisfazer (pelo menos em parte) uma
necessidade básica é que o indivíduo sente-se motivado a
satisfazer as necessidades de nível superior.
TEORIA DAS NECESSIDADES DE MASLOW

Auto
Realização
Estética Necessidades Psicológicas

Cognição

Estima (ego)

Sociais (amor)

Segurança
Necessidades
Primárias
Fisiológicas
TEORIA DAS NECESSIDADES DE MASLOW

Necessidades
Auto Fisiológicas:
Realização
Estéticas

Cognição Fome, sede,


excreção, higiene,
Estima (ego) sexo, sono,
descanso,
Sociais (amor) relaxamento,
recreação, lazer,
Segurança prática de esportes,
bem-estar físico,
Fisiológicas etc.
TEORIA DAS NECESSIDADES DE MASLOW

Necessidade de
Auto Segurança:
Realização
Estéticas
Livre de ameaça ou
Cognição
perigo, em um ambiente
Estima (ego) seguro, ordeiro e
previsível, com garantia
Sociais (amor) de proteção,
sobrevivência e
Segurança estabilidade.

Fisiológicas
.
TEORIA DAS NECESSIDADES DE MASLOW

Necessidades
Auto Sociais (amor):
Realização Relacionamentos
interpessoais com
Estéticas parentes, amantes,
amigos, colegas,
Cognição
superiores,
Estima (ego) subordinados,
pertencer a um grupo.
Sociais (amor) Encontrar-se com
pessoas, conhecer
Segurança gente nova, sair da
rotina para ficar
Fisiológicas longe de parentes,
vizinhos.
TEORIA DAS NECESSIDADES DE MASLOW

Necessidade
Auto de Estima
Realização (ego):
Estéticas

Cognição
Sentimento de
Estima (ego) reconhecimento e
valorização da sua
Sociais (amor) competência, que
produz
Segurança autoconfiança,
prestígio e boa
Fisiológicas reputação.
TEORIA DAS NECESSIDADES DE MASLOW

Necessidade
Auto de Cognição:
Realização
Estéticas
Curiosidade, busca
Cognição
de conhecimento,
Estima (ego) estudo, compreensão
da ciência,
Sociais (amor) tecnologia, arte,
cultura e etc.
Segurança

Fisiológicas
TEORIA DAS NECESSIDADES DE MASLOW

Necessidades
Auto Estéticas:
Realização
Estéticas
Busca do que é belo,
Cognição
bonito, artístico,
Estima (ego) atraente de
admirar: pessoas,
Sociais (amor) paisagens (as
edificações, a
Segurança natureza), música,
esculturas, danças,
Fisiológicas pintura e etc.
TEORIA DAS NECESSIDADES DE MASLOW

Necessidade de
Auto Auto-realização:
Realização
Estéticas
Realização dos próprios
Cognição
desejos, sonhos e
Estima (ego) potenciais; utilização
plena dos talentos
Sociais (amor) individuais;
possibilidade de
Segurança progresso e
desenvolvimento
Fisiológicas pessoal.