Você está na página 1de 20

Moisés e as Pragas no Egito

(Êxodo 1 - 12)
De Jacó até Moisés (Êxodo 1)
Resumo das informações genealógicas relatadas no
fim de Gênesis (1:1-7)
! Relato da história nas gerações antes de Moisés
(1:8-22)
# Devido a uma mudança no governo, os israelitas
perderam sua posição privilegiada (1:8)
# O rei viu os israelitas como uma ameaça à
segurança do Egito, e tomou medidas para
controlar os hebreus (1:9-22)
A Vida de Moisés: Os Primeiros 80 Anos (Êxodo 2)
O nascimento e a criação de Moisés (2:1-10)
# Quando Moisés nasceu, os pais o esconderam para
evitar que fosse morto (2:1-4)
# A filha do faraó o encontrou e o tomou como seu
próprio filho (2:5-10) "
Mas foi a própria mãe que cuidou de Moisés até ele
crescer (2:7-10) " O nome dele foi dado pela filha do
faraó, e significa filho ou tirado, porque foi tirado da
água (2:10)
A vida de Moisés dos 40 aos 80 anos de idade
(2:11-25)
• Aos 40 anos de idade (cf. Atos 7:23), Moisés matou um
egípcio e fugiu do Egito (2:11-15) " Ele foi visitar os
irmãos hebreus e viu o sofrimento deles (2:11) "
Quando viu um egípcio espancado um israelita, ele o
matou (2:11-12) " Este seu “crime” foi descoberto, e ele
fugiu do país (2:13-15)
Moisés passou os próximos 40 anos na terra de Midiã,
servindo como pastor de ovelhas (2:15-25) " Casou com
Zípora, filha de Reuel (Jetro – cf. 3:1), sacerdote de Midiã
(2:16-21) " Tiveram um filho, Gérson (2:22). Um outro
filho, Eliézer, é mencionado mais tarde (cf. 4:20;18:4) "
Durante este tempo, o faraó que queria matar Moisés
morreu (2:23-25).
Deus Envia Moisés ao Egito para Libertar o Povo (Êxodo 3 - 7)

• Quando Moisés tinha 80 anos (cf. Atos 7:30), o Anjo do


Senhor lhe apareceu no monte Horebe (também
conhecido como monte Sinai – cf. Deuteronômio 1:6)
numa sarça que ardia sem ser consumida pelo fogo
(3:1-6). Deus falou com Moisés!
• Deus disse que enviaria Moisés ao Egito para livrar o
povo do seu sofrimento (3:7-10)
Moisés foi para o Egito (4:18-31)

• # Deus disse que Israel era seu filho, seu primogênito (4:22)
• # O filho de Moisés precisava ser circuncidado no caminho
(4:24-26)
• # Arão encontrou Moisés e o acompanhou
• (4:27-28)
• # Eles falaram primeiro com os anciãos dos israelitas, e o
povo creu (4:29-31)
Moisés e Arão falaram ao Faraó (5:1-23)
• # O rei do Egito recusou libertar o povo: “Quem é o Senhor para que lhe ouça
eu a voz e deixe ir a Israel?” (5:2)
• # Ele aumenta as tarefas dos israelitas, e eles reclamaram contra Moisés e Arão
(5:6-23).
• Deus reforçou sua promessa de livrar o povo (6:1-27)
• # Ele reafirmou as promessas aos antepassados (6:1-13)
• # A genealogia de Moisés e Arão (6:14-27).
• Moisés falou outra vez com o faráo, e mostrou sinais para confirmar a
mensagem, mas o coração do rei se endureceu (6:28 - 7:13).
Deus Envia Dez Pragas Contra os Egípcios (Êxodo 7 - 12)

• 01- As águas se tornam em sangue (7:14-25)


• 02- Rãs (8:1-15)
• 03- Piolhos (8:16-19)
• 04- Moscas (8:20-32). Obs.: Distinção entre os egípcios e os israelitas (8:22)
• 05- Peste nos animais (9:1-7)
• 06- Tumores e úlceras (9:8-12)
• 07- Chuva de pedras (9:13-35)
• 08- Gafanhotos (10:1-20)
• 09- Trevas (10:21-29)
• 10- Morte dos primogênitos (11:1 - 12:36)
PÁSCOA
O termo "Páscoa" deriva, através do latim Pascha
Grego bíblico Πάσχα Paskha
Hebraico ‫( פֶּ ַסח‬Pesaḥ ou Pesach)
PASSAGEM OU PASSAR POR CIMA
O Egito simboliza o mundo
• As pragas enviadas por Deus desmoralizaram completamente
os ídolos do Egito. A noite da páscoa foi seguida pela saída dos
israelitas do Egito o qual simboliza a separação do povo de
Deus da corrupção do mundo. No Novo Testamento significa se
apartar de um estilo de vida mundano. Cristo orou pelos
discípulos: “Não peço que os tires do mundo, mas que os livres
do mal.” (João 17.15)
Faraó representa o diabo
• Pode até parecer estranho, mas o príncipe do Egito agia sem
compaixão para com os israelitas. Quem agora está em Cristo, e veio
de um estilo de vida mundano lembra muito da época da escravidão
no pecado. Em Efésios 2.2 lemos assim: “Em que noutro tempo
andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das
potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da
desobediência.” Em Colossenses 1.13.14 lemos também: “O qual nos
tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho
do seu amor; Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a
remissão dos pecados.”
O fermento – símbolo do pecado
• Em 1 Coríntios 5.7,8 lemos: “Alimpai-vos, pois, do fermento velho,
para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento.
Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós. Por isso façamos
a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade
e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade.” A
morte dos primogênitos no Egito simboliza aqueles que ainda não
tiveram a purificação de seus pecados no sangue de Cristo e por isso
estão debaixo da ira de Deus. Para os justificados a promessa é esta:
“Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue,
seremos por ele salvos da ira.” (Romanos 5.9)
Páscoa – a libertação do pecado
• Cristo realizou a última pascoa de fato e a substituiu pela Ceia do Senhor. Por este
memorial se comemora a libertação do poder do pecado e da morte espiritual.
Cristo se expressou assim: “Se o Filho vos libertar verdadeiramente sereis livres.”
(João 8.36) Em Hebreus 2.14 lemos: “E, visto como os filhos participam da carne
e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte
aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo.” Logo após a
primeira páscoa celebrada por Moisés o povo seguiu rumo a Canaã. Igualmente
a Ceia do Senhor também proclama a volta de Cristo para levar para si os que
entraram em aliança com ele através de seu sacrifício. Em 1 Coríntios 11.26 está
escrito: “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice
anunciais a morte do Senhor, até que venha.”
Páscoa – prontidão para partir
• No Egito o povo sabia que partiriam a qualquer momento. A páscoa foi
comida às pressas significando prontidão para partir. Quem está em
Cristo também deve estar vigilante e preparado para partir a qualquer
momento. Cristo não marcou a hora de sua volta. Assim está escrito:
“Vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à
tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã.” (Marcos
13.35) A volta de Cristo é a maior esperança de quem foi liberto do
poder do pecado. Ele voltará e nos condizirá à Canaã celestial. Em
Filipenses 3.20 lemos: “Mas a nossa cidade está nos céus, de onde
também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo.
OCORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO
MUNDO!!! JOÃO 1.29
•MUITOS CORDEIROS MORERAM EM ISRAEL
SIMBOLIZANDO O “ÚNICO CORDEIRO PASCAL”.
CORDEIRO DE DEUS QUE SALVA O HOMEM DA IRA
DE DEUS. (1 PEDRO 1.18-21)
•SEM MÁCULA(PERFEITO)... HEBREUS 7. 26
•NA SALVAÇÃO... FOMOS FEITOS JUSTIÇA DE DEUS
(2 Coríntios 5. 21).
O SACRIFICIO DO SENHOR
Ef 5.2 Hb 9.26 E 10.12
• O SACRIFÍCIO DO CORDEIRO FOI VICÁRIO OU SUBSTITUINTE.
“POIS TAMBÉM CRISTO MORREU, UMA ÚNICA VEZ PELOS
PECADOS, O JUSTO PELOS INJUSTOS, PARA NOS CONDUZIR-
VOS A DEUS; MORTO, SIM NA CARNE, MAS VIVIFICADO NO
ESPIRITO...” (1 PEDRO 3.18)
• PELO DERRAMAMENTO DE SANGUE HOUVE REMISSÃO
(Hb 9.22 )