Você está na página 1de 8

Adolescência:

desafio para jovens e pais

Tiago Corbisier Matheus

Tiago Corbisier Matheus tmatheus@uol.com.br


1. Adolescência e o desafio do jovem

2. O lugar dos pais diante da adolescência do(a)


filho(a)

3. Os riscos do percurso

Tiago Corbisier Matheus tmatheus@uol.com.br


Adolescência e o desafio do jovem
• É um momento de vida que (neste mundo que vivemos) descreve
a transição do universo infantil ao mundo adulto, na qual o jovem
quer não mais ser apenas filho (estar subordinado à hierarquia
familiar) para poder ser como um adulto.
• O paradoxo da busca por reconhecimento e o ideal da
autonomia: ser adulto é ser visto pela geração precedente como
um semelhante – quero ser escutado em minhas opiniões e ter os
direitos de um adulto, a fim de percorrer meu próprio caminho.
Por outro lado, assumir responsabilidades não é fácil.
Questão: como ganhar autonomia se dependo dos outros para
ser reconhecido?

Tiago Corbisier Matheus tmatheus@uol.com.br


Adolescência e o desafio do jovem
• Revisão das referências e busca de novos modelos: o hiato
entre a família e o mundo extra-familiar estabelece um percurso
singular e sinuoso a ser trilhado. A formação de parcerias e a
experimentação levam o jovem do prazer ao sofrimento, da
onipotência ao desamparo, no árduo exercício da autonomia
(autonomia: lei própria, ser sujeito de seu atos).
• O privilégio da postergação de responsabilidades favorece a
experimentação (social) e circulação (entre os recursos sociais
disponíveis). Estudar e conhecer, antes de se responsabilizar
pelo próprio sustento. A errância como condição adolescente.

Tiago Corbisier Matheus tmatheus@uol.com.br


O lugar dos pais diante da adolescência
do(a) filho(a)
• Provocação entre adolescências: adolescência dos filhos instiga os
pais a retomarem sua própria adolescência (consciente ou
inconscientemente), com seus sonhos e temores. Não há como ser
neutro ao acompanhar as paixões dos filhos.
• Fantasia de abandono: muitos pais vivem a fantasia de que não
são mais necessários aos filhos adolescentes e que a solidão é uma
injustiça inevitável a ser enfrentada.
• Filhos adolescentes continuam precisando do apoio parental,
para poderem realizar seu percurso de experimentação e busca de
autonomia. Só que este apoio já não é o mesmo da infância, pois
trata-se do apoio que permite buscar ajuda, quando preciso –
como um pique.
Tiago Corbisier Matheus tmatheus@uol.com.br
O lugar dos pais diante da adolescência
do(a) filho(a)
• A incerteza sobre o caminho e o resultado: o que
surge no percurso adolescente é fruto de uma
história (familiar) sem fim pré-determinado. Não há
como criar algo totalmente novo.
• Não há modelos únicos ou definitivos de educação,
cada família tem o desafio de criar suas estratégias
conforme suas referências e possibilidades.
• Diálogo: acordos refeitos permitem estabelecer um
campo de negociação entre uns e outros, cada um
podendo ser escutado pelo outro.
Tiago Corbisier Matheus tmatheus@uol.com.br
Os riscos do percurso
• Adolescente busca provocação: adolescente busca ser
reconhecido onde percebe que provoca inquietude, onde
pode ser escutado (no ponto fraco dos pais, frequentemente):
álcool? internet? sexualidade? retraimento? drogas?
• Risco à vida e à saúde é o limite; serve de parâmetro para os
acordos.
• Transgressão como passagem é por vezes o caminho da
experimentação (da autonomia, das autoridades e das leis
vigentes), mas permanecer como transgressor é sinal de
dificuldade no processo singular e familiar.

Tiago Corbisier Matheus tmatheus@uol.com.br


Indicação de leitura

• CALLIGARIS, C. A adolescência. São Paulo, Publifolha, 2000.


• MATHEUS, T. C. Ideais na adolescência: falta (d)e perspectivas
na virada do século. São Paulo, Annablume/Fapesp, 2002.
• ____. Adolescência: história e política do conceito na
psicanálise. São Paulo, Casa do Psicólogo, 2007.
• ____. O lugar do analista frente à inquietação adolescente,
Revista Percurso, n.41, 2009.
• Revista O olhar adolescente, Mente & Cérebro, 4v., 2007.

Tiago Corbisier Matheus tmatheus@uol.com.br