Você está na página 1de 30

Enfermagem: história e contextualização da

profissão
no mundo e no Brasil

Profª Ma. Sandra Gomes Correia


Profa. Dra. Monalisa Pinheiro
Disciplina: Enfermagem no Contexto Social
As primeiras tentativas para ensinar a
cuidar de doentes foram feitas por
médicos que sentiram a necessidade de
ter ao lado pessoas mais preparadas para
ajudar em seu trabalho.
A primeira iniciativa que se tem notícias
parece ter ocorrido em Nova York, em 1798,
quando um cirurgião começou a dar cursos
regulares com aulas teóricas e demonstrações
práticas de anatomia, fisiologia, obstetrícia e
pediatria para mulheres , para que elas
pudessem trabalhar como “ enfermeiras”.
#Foi na Espanha que se encontrou o registro de enfermagem mais
antigo , 1833 , com o livro “A arte da enfermagem” , escrito por um
padre.

# Nas Ilhas Britânicas houve esforços para um incipiente sistema de


enfermagem, por um grupo protestante das Irmãs de Misericórdia e
Irmãs de Caridade.

# Reformadora Social Elizabeth Fry (1780-1845) – formou um grupo


Sociedade das Irmãs Protestantes da Caridade, cujo objetivo era dar
cuidados de enfermagem.

Elizabeth Blackwell
1ª médica americana,
amiga de Florence

Elizabeth Fry
#Em 1848, foi criada em Londres uma instituição que tinha o
objetivo de realizar treinamento de enfermeiras em hospitais
e atrair jovens mulheres da classe média para a
enfermagem.
Nos dois primeiros anos : nurses e depois de atuarem
5 anos passavam a categoria de sister.
Obs. Até hoje esse modelo hierárquico é usado , ou seja
nurses , enfermeiras de cabeceira e de unidade e , sisters ,
as supervisoras
França e Portugal a história da enfermagem seguiu
percursos um pouco diferentes:
Em Paris , religiosas exerciam essencialmente a
função de supervisão , elas detinham o poder de
comando de todo o pessoal auxiliar e serviçais dos
estabelecimentos hospitalares.

Obs. Para substituir as religiosas os médicos


necessitavam de auxiliares com as qualidades de
devotamento, submissão e rigor na ordem e na
limpeza, como eram as religiosas.
Com ressalvas pode-se dizer que a enfermagem, de um certo modo,
nasceu na FRANÇA , a partir desse ritual de cuidados praticados por
leigas treinadas por médicos interessados em mudar atitudes , mas
que limitavam a instrução às funções que elas deveriam executar,
sempre secundando o médico. Houve vários incentivos a fundação de
escolas leigas de enfermagem.

Com a guerra civil americana (1860-1865) , foi organizado um sistema


de cuidados a doentes e feridos , administrados por viúvas e outras
mulheres voluntárias.
Enfermagem: ocupação ou
profissão?
• trabalho
Ocupação

• Ocupação com vocação, requer


desenvolvimento de habilidades e educação
permanente
Profissão • Construída a partir de base definida de
conhecimentos científicos
• Missão social

McEwen; Willis (2009)


Contextualizando a Enfermagem

A enfermagem apresenta três fases

• PRIMITIVA – o conhecimento e a assistência eram


deficientes ; o cuidado era embasado no senso comum.

– Não institucionalizada: executada por leigos


– Institucionalizada: religiosos e militares

• EVOLUTIVA – Período Nightingale

• APRIMORAMENTO – compreensão do homem e sua


inter-relação com os sistemas biopsicossociais.
Elaboração das teorias de enfermagem
Fase evolutiva: Período Florence
Nightingale
• Cuidado aos seres sadios e aos seres doentes
• Desenvolvimento de condições favoráveis ao
processo de cura – Teoria Ambientalista
• Enfermagem:
• Padrão moral e intelectual, disciplina
• Abnegação
• Altruísmo
• Integridade
• Sacrifício
A evolução da enfermagem: Período
Florence Nightingale
• Nasceu em Florença em 1820
• Abrangente conhecimento em filosofia,
matemática, estatística, política e economia.
• Iniciou estudos de “Enfermagem” em 1844 em
ROMA nas irmandades católicas e, mais tarde,
treinou diaconisas na Alemanha.
• Com Florence a enfermagem surgiu como
profissão e campo de saber.
• Enfermagem caridosa dá lugar à Enfermagem
como ciência.
Fase evolutiva: Período Florence
Nightingale
• 1854 – Guerra da Criméia
• Poder econômico x doenças
• Más condições dos hospitais de guerra
• Mortalidade dos soldados > 40%
• Organização do trabalho e as melhores
condições de higiene, nutrição e
conforto permitiram a redução da
mortalidade para 2,2% em 6 meses.
• Teoria Ambientalista
Mortalidade na Guerra da Criméia

Fonte: www.florence-nigthingale.co.uk/index
A Enfermagem Moderna

• 1859 – 1ª Escola de Enfermagem na


Inglaterra no Hospital Saint Thomas
• Disciplina rigorosa - militar
• Qualidades morais - conduta
• Prática da enfermagem: arte + ciência +
vocação
• Aulas ministradas por médicos

Decidiam as funções das “enfermeiras


diplomadas”
Enfermagem Moderna
• Cursos com duração de 3 ou 4 anos

• Formação de 2 tipos de profissionais


• NURSES: mulheres de classes populares cuja
formação era gratuita, residiam no hospital e
realizavam cuidados integrais diretos ao
paciente.
• LADIES-NURSES: mulheres de posse que
custeavam seus estudos, moravam na escola e
realizavam a supervisão e o ensino de
enfermagem.
(Silva, 1995)
Enfermagem Moderna

Florence Nightingale elevou o status da


enfermagem ao de profissão, melhorou a
qualidade da assistência e proporcionou
os fundamentos do ensino moderno de
enfermagem.
Florence
Nightingale

Florence morreu aos 90 anos


Enfermagem Moderna
2ª fase
Descobertas científicas proporcionaram avanço
tecnológico no final do século XIX nos EUA.
Inicio séc XX:
Aumento do nº de hospitais
Aumento do nº de profissionais para executar as
prescrições médicas
Domínio do FAZER TÉCNICO
Execução da técnica mais importante que o
cuidado ao enfermo
A Enfermagem no Brasil
• Período colonial

• Cuidados aos enfermos prestados por religiosos, por


escravos e por leigos (ex-pacientes, serventes) –
conhecimento empírico
• Tratamento baseado no uso e conhecimento de ervas
medicinais
• Santas Casas de Misericórdia - 1543
• Destaque: Pe Jose Anchieta

http://www.abennacional.org.br/historia_enfermagem/historia_no_brasil.html
Enfermagem Moderna no Brasil

1865 – ANNA NÉRY

• Prestou serviços voluntários de


enfermagem ao exército brasileiro na
Guerra do Paraguai
• Organizou os hospitais de guerra e
montou uma enfermaria

• Pioneira na Enfermagem do Brasil


1ªs escolas de enfermagem

• 1890- Escola Alfredo Pinto/RJ- Hospital de


Alienados
Preparo de enfermeiros para trabalho em
hospícios, hospitais civis e militares
• 1916 – Escola da Cruz Vermelha – socorristas
• 1923 – Escola do Departamento de Saúde
Pública – modelo de cuidado anglo-americano
CRUZ VERMELHA
O ensino de enfermagem
• No Brasil – 1923
– Crise econômica no setor cafeeiro,
epidemias (febre amarela)
– 1ª escola de enfermagem do Dep.
Nacional de Saúde Pública (DNSP)
– Enfªs americanas da Fundação
Rockefeller (EUA) estruturaram o
serviço no Hospital Geral do DNSP
– Modelo Preventivo na área da saúde –
ação em saúde comunitária
O ensino de enfermagem
• 1926-Escola do DNSP ANNA NÉRY

1931 – ESCOLA PADRÃO

• 1926 ANED –associação nacional das enfªs


diplomadas (atual ABEn).
• 1932 –1ª Revista Brasileira de Enfermagem
denominada “Anais de Enfermagem”.
• 1936 – 1º Curso de nível Técnico de
Enfermagem (MG)– Formação de auxiliares de
enfermagem que assumem o lugar dos práticos
de enfermagem.
O ensino de enfermagem
• Década de 40 e 50
Modelo capitalista
– Advento da tecnologia, equipamentos sofisticados
– Novas necessidades e exigências na profissão
– Expansão dos cursos de nível técnico e graduação
(No RS- Escola de Enfermagem da UFRGS - 1950)

- Crescimento do setor hospitalar e as exigências


emanadas dele garantem total absorção dos
egressos dos cursos de enfermagem

FORTALECIMENTO Modelo Curativo


O ensino de enfermagem
• Década de 60 e 70
– Influência da economia no setor saúde
– Processo de Privatização do setor saúde e
necessidade de mão de obra especializada
– Criação dos Planos de Saúde – os serviços de
saúde tornam-se mercadorias atendendo a
minoria da população.
– O ensino com visão Tecnicista : biologicista,
individualista, desprovido de reflexão crítica,
de conhecimento da realidade social do país.

REFLEXÕES SOBRE POR QUE FAZER ?


O ensino de enfermagem

 Década de 60: teorias de enfermagem

 Década de 70:
 Conferências são realizadas com a proposta de um
modelo de saúde que atendesse o indivíduo dentro de
sua coletividade.
 Reforma Sanitária – nova compreensão do processo
de saúde-doença, buscando entender sua relação com
as condições de vida e trabalho da população.

Qual o foco do cuidado?


A partir da década de 80

• Os cursos de Enfermagem repensam a formação dos


recursos humanos da área.

• Profissional com conhecimento técnico-científico


inserido na sociedade e com consciência crítico-
reflexiva.

• Formação generalista- atenção básica e em unidades


hospitalares, gestão clínica, atendimento de
enfermagem, processo de enfermagem.

(Baptista, 2005)
Enfermagem contemporânea

• Teorias de enfermagem – desenvolvimento do


pensamento crítico e direcionamento do agir do
enfermeiro.

“O enfoque do cuidado centrado no doente e, em alguns casos no


órgão acometido, passou a centrar-se no(a) cliente percebido(a)
agora como um ser humano, possuidor(a) de necessidades
biológicas, psicológicas, sociais e espirituais”.

SABER PRÓPRIO DA ENFERMAGEM

GOMES, V.L.O. et al. Evolução do conhecimento científico na enfermagem: do cuidado popular a construção de
teorias. Investigación e Educación em Enfermería Medelin, 2007; v. 25, n. 2. 108-15.
POR QUE
O QUE FAZER ?
FAZER ?

SABER

COMO FAZER ? PRÓPRIO DA

ENFERMAGEM

GOMES, V.L.O. et al. Evolução do conhecimento científico na enfermagem: do cuidado popular a construção de
teorias. Investigación e Educación em Enfermería Medelin, 2007; v. 25, n. 2. 108-15.