Você está na página 1de 19

TRATAMENTO DE EFLUENTES

INDUSTRIAIS

FLOCULADORES DE PEDRAS: CARACTERÍSTICAS DA


ÁGUA BRUTA

1 Grupo 3:
David Assis Silva dos Santos
Iana Lívia de Oliveira Castro
Vitor Phablo de Araújo Dantas

Docente: Prof. Dr. Marcelo Prata Vidal


2 CARACTERÍSTICAS DA ÁGUA BRUTA

 Água bruta - águas oriundas de mananciais superficiais (rios, lagos,


barragens, entre outros) ou subterrâneos (lençóis freáticos), desprovidas de
qualquer tipo de tratamento e consideradas impróprias para o consumo
humano.
3

 Para exemplificar as análises feitas na água bruta, foi feito ensaios com a
água da bacia hidrográfica do rio Iguaçu, em Curitiba, apresentando
características como:

 Região de rochas cristalinas;

 Águas ácidas e de baixa alcalinidade;

 Turbidez geralmente baixa, a não quando passam por a áreas cultivadas.


4
5

 Ensaios realizados:

 Turbidez;

 Cor;

 Coagulação;

 Relação entre G (gradiente de velocidade) e T (tempo de floculação) dos


ensaios de coagulação.
6

 TURBIDEZ

 A turbidez é um parâmetro indicador da possível presença de argila, silt,


substâncias orgânicas (Ex: húmus) ou inorgânicas (Ex: óxidos) finamente
divididas, plâncton e algas. Indicando, por exemplo, o risco de entupimentos
de filtros e tubulações.

 método nefelométrico: é adotado nas atividades de controle de poluição da


água e de verificação do parâmetro físico nas águas consideradas potáveis.

 O turbidímetro é o aparelho utilizado para a leitura, sendo a turbidez expressa


em unidades nefelométricas de turbidez (UNT).
7
8
9

 A turbidez da água “in natura” do rio Iguaçu varia entre um valor mínimo
de cerca de 10 UNT e raramente atinge valores da ordem de 300 UNT,
com um valor médio de 30 UNT.

 O valor da turbidez de maior frequência (turbidez modal) encontra-se ao


redor de 20 UNT.
10

 COR

 A cor é geralmente um indicador da presença de metais (Fe, Mn), húmus


(matéria orgânica oriunda da degradação de matéria de origem
vegetal), plâncton dentre outras substâncias dissolvidas na água.

 A determinação de cor comumente é feita pela comparação visual com


soluções de cloroplatinato de cobalto ou com discos de cor semelhantes
à coloração das soluções de cloroplatinato de cobalto.
11
12

 A cor da água “in natura” do rio Iguaçu varia normalmente entre os limites
de 17,5 e 600 unidades de cor. A média aritmética encontra-se ao redor
de 100 e o valor de maior frequência é 70.
13

 Ensaios de coagulação
Figura 5: Dosagem de sulfato em função da turbidez

 Doses de sulfato de alumínio necessárias para


coagular águas do rio Iguaçu à diversos valores de turbidez.

Fonte: (RICHTER, 2001)


14

 Ensaios de coagulação
 Após o ajuste da curva e fazendo uma linearização da reta, encontra-se a seguinte
equação:

𝑫 = 𝟏𝟑, 𝟓 𝐥𝐧 𝑵𝟎 + 𝟐𝟑

𝑫 : dosagem ótima de sulfato de alumínio;


𝑵𝟎 : turbidez da água bruta.
15

 Relação entre G e T dos ensaios de coagulação


 A partir de estudos com base em ensaios de coagulação, Andreu-Villegas e Letterman
determinaram que os melhores resultados entre um dado gradiente de velocidade e um
tempo de floculação são obtidos através da seguinte equação:

𝑮𝒏 ∗ 𝐓 = 𝐊

𝑮 : gradiente de velocidade
𝐓 : tempo de floculação
𝒏 : ordem

𝐊 : constante de floculação
16

 Relação entre G e T dos ensaios de coagulação

 Como resultado dos experimentos, tem-se os determinados valores:

 Com o valor de 𝒏 = 𝟐, 𝟖
17

 Constante de coagulação
 Partindo da equação de Von Smoluchowski, Hudson demonstrou que:

𝑵𝟎
= 𝒆𝒙𝒑 ∗ 𝜼 ⫰ 𝑮𝑻ൗ𝝅
𝑵𝒇
𝜼⫰
Fazendo = 𝐾 e substituindo na equação (1), tem-se:
𝝅
𝑵𝟎
= 𝒆𝒙𝒑 ∗ 𝐊𝐆𝐓
𝑵𝒇

𝜼 : eficiência na colisão entre partículas


𝑵𝟎 : concentração inicial de partículas
𝑵𝒇 : partículas que não flocularam após um tempo T
𝐓 : tempo de floculação
⫰ : proporção de volume dos flocos
18

 Constante de coagulação
 Modelo utilizado para o cálculo de K

𝑵𝒇
1−𝑵
𝟎
𝐾=
𝑵𝒇
𝐺𝑇 ∗ 𝑵
𝟎

𝜼 : eficiência na colisão entre partículas


𝑵𝟎 : turbidez na água bruta
𝑵𝒇 : partículas que não flocularam após um tempo T

G: gradiente de velocidade
19 REFERÊNCIAS

 http://www.comusa.rs.gov.br/index.php/saneamento/tratamentoagua

 https://www.tratamentodeagua.com.br/artigo/determinacao-da-
turbidez/

 http://www.c2o.pro.br/analise_agua/x294.html#FTN.AEN318

Você também pode gostar