Você está na página 1de 16

COEFICIENTE DE

ENCRUAMENTO
ENCRUAMENTO
A curva real, figura 1, pode ser aproximadamente
representada pela expressão exponencial do tipo:

 R  K n
(1)

Figura 1
COEFICIENTE DE
ENCRUAMENTO
Onde:
R Tensão Real
  Deformação Real
K  Coeficiente de Resistência
n  coeficiente de encruamento
Embora n e K sejam consideradas como constantes, elas
podem variar conforme o tratamento que o material for
submetido previamente.
COEFICIENTE DE
ENCRUAMENTO
A constante K:
 Mede a tensão real quando ( = 1,0), tendo, portanto,
dimensões de tensão.
Seu valor fornece uma indicação do nível de resistência do
Material.
A constante n:
Fornece a medida da capacidade ou habilidade do
material poder distribuir deformação uniformemente,
principalmente para o estado dos aços para estampagem.

Portanto:
n  Mede a capacidade de encruamento do material
COEFICIENTE DE
ENCRUAMENTO
Quanto maior for o valor de “n” de um material, mais
íngreme será a curva Real desse material e mais uniforme a
distribuição das deformações na presença de um gradiente
de tensões.
VALORES BAIXOS DE “n”  Sua curva será mais
horizontal
Para determinação dos valores de K e n, o modo mais
conveniente é transformar a expressão 2 em logarítmica:
log  R  log K  n log  (2)
COEFICIENTE DE
ENCRUAMENTO

Figura 2
log  R  log K  n log 
COEFICIENTE DE ENCRUAMENTO
Lei de Meyer
Experiências de Meyer com penetradores esféricos
mostraram que, para uma dada esfera de diâmetro, “D”,
existe uma relação entre a carga aplicada e o diâmetro da
impressão, através da seguinte expressão:

Q  kd m
(3)
Onde:
Q = carga
d = diâmetro de impressão
k = é uma constante do material que indica a resistência à penetração.
m = é o índice de Meyer
COEFICIENTE DE ENCRUAMENTO
VALORES DE “m” ( ÍNDICE DE MEYER)
m=2  Metais encruados e que tem portanto baixa
capacidade de encruamento
m = 2,5  Metais completamente recozidos, isto é,
que são capazes de encruamento. 

As constantes K e m podem ser determinadas, transformando


a expressão (2) em uma relação logarítmica:

logQ  log K  m log d (4)


COEFICIENTE DE ENCRUAMENTO
Constituindo um gráfico, figura 3, carga ( Kgf) versus Diâmetro
da impressão ( mm) resultará em uma reta.
Portanto:
“m”  inclinação da reta
K  pode ser determinado como a carga que produz uma
impressão de diâmetro = 1,0 mm. No gráfico, pode-se obter K
por extrapolação.

O valor de “m” se relacionará com o coeficiente de


encruamento “n” da seguinte forma:

m  n2 (5)
COEFICIENTE DE
ENCRUAMENTO

Figura 3
METAL CONDIÇÃO n K(Kgf/m
m2)
Aço 0,05%C Recozido 0,26 54,1

Aço 0,6% C Temperado e 0,10 160


Revenido
Latão 70/30 Recozido 0,49 92

Cobre Recozido 0,54 33

Referência:Metalurgia Mecânica. George E. Dieter


Índice de Meyer
Log Q ( Kgf) y = 2,2078x + 4,8513
6
4
2
0
-2 -1,5 -1 -0,5 0
Log d ( mm)

m=n+2
n=m-2
n=2,2078-2
n=0,2078