Você está na página 1de 31

PLL

Schandikler Consorte
SIGLA
■ PLL - Phase Locked Loop;
■ Malha de captura de fase;
■ Elo (de realimentação) fechado por fase;
DEFINIÇÃO
■ É um circuito que faz o sincronismo entre um
sinal de referência (entrada) e o sinal do elo de
realimentação vindo do VCO, então o sinal de
entrada e o sinal vindo da realimentação passam
a operar na mesma frequência.
HISTÓRICO
■ O primeiro artigo publicado sobre o desenvolvimento de um
circuito para detecção de sinais de tensão foi desenvolvido por
Appleton em 1923.
■ Em 1949 o PLL apareceu em um pedido de patente.
- O invento foi concebido inicialmente para que se pudesse reproduzir sinais
capitados dentro de uma determinada faixa de frequência.
- Detector de Fase consistia em um comparador da onda filtrada pelo Amplificador
Seletivo e da gerada pelo Oscilador.
- Oscilador é controlado pelo Dispositivo de Controle de Frequência que se baseia
no erro proveniente da comparação feita pelo Detector de Fase.
- Resultado da detecção é enviado para um Amplificador de Áudio que reproduz o
sinal.
DIAGRAMA DE BLOCOS PLL PATENTEADO
■ Em 1967, Gardner publicou o artigo “Phaselock Techniques” onde
apresenta técnicas para detecção e modulação de sinais de tensão.
■ Em 1971 que Grebene apresentou uma estrutura de um único circuito ao
qual se deu o nome de PLL.
■ Em 1975, Gupta, em seu artigo intitulado “Phase-Locked Loops”,
apresenta um resumo dos avanços da época em PLL.

Φs - Fase do sinal de entrada.


Φ0 - Fase do sinal de detectado.
F(s) - Função de transferência.
Kd – Ganho detector de fase.
KA – Ganho do amplificador de
saída
K0 – Ganho Do VCO.
ALGUNS CONCEITOS DE PLL
■ Frequência de oscilação livre (f0 ):
- Frequência gerada pelo VCO na ausência de um sinal externo aplicado ao PLL.

■ Faixa de retenção:
- Faixa de frequências em torno de f0 na qual o VCO pode manter-se em
sincronismo com o sinal externo. Depende da capacidade do VCO variar sua
frequência.

■ Faixa de captura:
- Faixa de frequência em torno de f0 na qual na qual o Vco é capaz de adquirir o
sincronismo quando é aplicado um sinal externo na entrada do PLL. É sempre
menor que a de retenção, por depender da resposta em frequência do elo de
realimentação.
■ Fator de amortecimento (ζ):
- Indica como um PLL responde as variações bruscas de frequência do sinal de
entrada. É relacionado à resposta de frequência e ganho do elo de
realimentação.

■ Ganho de malha:
- É o produto dos ganhos de cada componente da malha.

■ A frequência natural (ωn):


- É a frequência que teria a oscilação caso o fator de amortecimento fosse zero.
PRINCÍPIOS BÁSICOS DE FUNCIONAMENTO
■ Os componentes básicos que a constituem são os seguintes:
■ Detector (ou comparador) de fase;
■ Filtro;
■ Oscilador controlado por tensão (Voltage controlled oscilator) – VCO;
■ O detector de fase compara a fase do sinal de entrada com aquele
proveniente do VCO, isto é, gera um sinal de tensão, Vd.
■ Vd é Proporcional à diferença de fase do sinal de entrada e do sinal
proveniente do VCO.
■ Tensão passa por um filtro passa-baixa para lhe eliminar quaisquer
componentes de alta frequência que eventualmente possa ter.
■ O sinal da saída do filtro representa, sob forma de sinal de tensão, o valor
médio da diferença de fase do sinal de entrada e do sinal proveniente do
VCO.
■ Este filtro desempenha um papel importante no comportamento dinâmico
da PLL.
■ V2, controla a frequência (e a fase) do sinal de saída do VCO.
■ Este sinal de controle (tensão de entrada do VCO) é utilizado por forma a
reduzir a diferença de fase entre o sinal de saída do VCO e o sinal de
entrada da PLL.
CARACTERIZAÇÃO INDIVIDUAL DE CADA
COMPONENTE
DETECTOR OU COMPARADOR DE FASE
■ Mede a diferença de fase e frequência entre ambos os sinais e produz um
sinal de saída proporcional a esta diferença. Visto que o objetivo do PLL é
assegurar que o sinal de realimentação seja igual ao sinal de referência.
■ Deve gerar um sinal cujo valor médio é uma função da diferença de
fase .
■ Principais categorias de detectores de fase:
■ Multiplicadores: adequado para o processamento de sinais
sinusoidais.
■ OU-exclusivo (XOR): detector simples, adequado para o processamento
de sinais binários, que se podem obter dos sinais analógicos
utilizando comparadores.
■ Detectores de fase sequenciais.
FILTRO DE MALHA
■ Filtro passivo composto de dois capacitores e um resistor.
■ Dependendo da tensão de saída do filtro que é o sinal de entrada
do VCO, na saída do VCO a frequência aumenta ou diminui.
■ A tensão de saída no filtro é proporcional a carga dos capacitores.
■ Tem como função calcular o valor médio do sinal à saída do
detector de fase, ou seja, extrair a sua componente contínua e
atenuar as componentes de alta frequência.
■ Pode ser desejável filtros seletivos de elevada ordem n, que
originam uma malha PLL de ordem n+1.
■ No entanto, para n ≥ 2 podem surgir problemas de estabilidade.
OSCILADOR CONTROLADO
■ Componente que produz a frequência necessária na saída do PLL.
■ Gera um sinal periódico.
■ Sua Frequência é controlada por um sinal externo.
■ A denominação do oscilador depende da natureza deste sinal:
– VCO (Voltage Controlled Oscilator);
– CCO (Current…);
– DCO (Digital…);
– NCO (Numerically…).
■ Funciona basicamente como um oscilador em anel, não possui
capacitores ou resistores, sendo somente composto por
transistores.
DIVISOR DE FREQUÊNCIA
■ Faz parte do elo de realimentação do PLL.
■ Função básica é reduzir a frequência do VCO dentro de
uma faixa de valores que podem ser comparadas com o
sinal de referência.
■ Se encontra entre a saída do VCO e comparador de fase.
TAMBÉM PODE-SE ENCONTRAR EM PLLS
■ Amplificador DC.
■ Rede Lead-lag (desejável, dependendo da aplicação).
COMPORTAMENTO DA MALHA PLL
■ Admite-se a malha na situação de sincronismo.
■ A frequência média do sinal gerado no oscilador é igual à frequência média do sinal de
entrada e a malha ajusta a diferença de fase média <fi(t)-fo(t)> de forma a obter sempre uma
tensão que garante a manutenção do sincronismo.
■ Nesta situação as variações de fase são incrementais e pode utilizar-se na análise da malha
PLL um modelo linearizado:
– A função de transferência da malha ou função de sistema é definida como:
FORMAS DE ONDA NOS VÁRIOS PONTOS DO PLL
DESCRIÇÃO DO FUNCIONAMENTO D0 PLL
■ Considerando que o sinal de entrada do PLL é um sinal sinusoidal caracterizado por uma
frequência angular instantânea Wi=Wc, em que Wc é a frequência central do VCO.
■ PLL está sincronizado e o detector de fase produz uma tensão nula, já que não há diferença
de fase entre o sinal de entrada e o sinal de saída proveniente do VCO.
■ Em um dado instante de tempo (2s) a frequência do sinal de entrada aumenta, logo Wi>WC.
■ Logo o detector de fase produz uma tensão proporcional a diferença de fase entre estes 2
sinais.
■ Então a tensão aplicada ao VCO produz um aumento da frequência instantânea do sinal de
saído do VCO, até que esta seja igual a frequência do instantânea do sinal de entrada do
VCO.
■ Percebe-se que a medida que a frequência do sinal do VCO se aproxima do sinal de entrada,
o sinal de tensão vai diminuindo.
■ Quando as 2 frequências forem iguais o detector de fase produzira apenas um sinal de
tensão constante para manter a frequência instantânea do sinal do VCO sincronizado com a
frequência instantânea do sinal de entrada.
APLICAÇÕES DOS PLLs
■ São sistemas com uma grande versatilidade e por isso são utilizadas nas
implementações de vários circuitos de telecomunicações tais como:
- Sintetizadores de frequência;
- Demoduladores de frequência(FM);
- Sincronização em PCM(pulse code Modulation);
- Geração e demodulação FSK (frequency shift keying);
- Estabilização de osciladores;
- Filtros de tracking;
- Circuitos para recuperação de sinal de sincronismo em
comunicações digitais, etc.
FILTROS DE TRACKING
■ A aplicação mais simples que se pode considerar para os PLLs é como
um filtro passa-banda.
■ PLL é capaz de manter o sincronismo com o sinal de entrada desde que a
variação da frequência instantânea desse sinal de entrada varie
“lentamente”.
■ Nesta situação, a função de transferência da PLL é equivalente a um filtro
passa-banda centrado na frequência do sinal de entrada.
■ A capacidade dos PLLs de sincronizar a frequência do VCO com a
frequência do sinal de entrada representa uma solução bastante atrativa
para problemas de modulação e desmodulação coerente.
MODULAÇÃO DE FASE (PM) E FREQUÊNCIA (FM)
■ PLL pode ser utilizado para implementar:
– modulação de fase (PM);
– modulação de frequência (FM), através do denominado método indireto.
■ A figura mostra o diagrama de blocos de uma PLL que permite obter estes dois tipos de
modulação.
■ m(t) representa o sinal modulante.
DESMODULAÇAO DE FM
■ Quando o PLL está sincronizado com a frequência entrada o desvio de frequência
instantânea do VCO em relação a sua frequência central é proporcional a tensão de
controlo do VCO.
■ Considera-se que a frequência central do VCO é igual a frequência da portadora de FM.
■ Quando a frequência instantânea da portadora varia de acordo com o sinal modulante a
tensão de controlo varia da mesma forma (desde que as variações de frequência
estejam dentro da largura de banda da PLL) por forma a manter o sincronismo da PLL.
■ Assim caso o sinal de entrada esteja modulado em frequência o sinal de controle do
VCO representa efetivamente o sinal desmodulado.
■ O PLL pode ser usada para determinação de sinais FM de banda larga ou banda
estreita.
DESMODULAÇAO DE AM
■ Um sinal modulado em amplitude pode ser desmodulado multiplicando o sinal recebido
por um sinal com uma frequência igual à da portadora.
■ Nesta configuração assume-se que o PLL sincroniza com a portador com um erro de
fase nulo.
■ Caso o detector de fase seja tal que a sincronização implique um erro de fase de 90
graus então a saída do VCO deverá ser atrasada de 90 graus antes de ser multiplicada
com o sinal de entrada.
PHASE SHIFTERS
■ Vários formatos de modulação
requerem que o oscilador local seja
atrasado em fase de 90 graus.
■ O circuito que permite obter a replica
atrasada de 90 graus de um
determinado sinal digital. Nesta
configuração o PLL duplica a frequência
do sinal de entrada devido a existência
de um divisor.
■ No entanto, a frequência dos dois sinais
I e Q e igual a frequência do sinal de
entrada, mas, tal como se pode
observar estas estão desfasadas entre
si de 90 graus.
RECEPTOR COM PLL
■ Este tipo de receptor é utilizado para desmodular sinais provenientes de
transmissores em constante movimento em relação ao receptor
(satélites, por exemplo).
■ Devido ao movimento relativo entre o transmissor e o receptor, a
frequência recebida está constantemente a variar (efeito Doppler).
■ Um receptor convencional teria de ter uma largura de banda muito maior
do que a necessária,
com consequências
inaceitáveis em termos
de aumento de ruído
na banda do sinal e
consequente
diminuição da
relação sinal - ruído.
MALHAS DE TRANSLAÇÃO
■ Quando o PLL está sincronizado, o sinal proveniente do mixer está sincronizado com a
frequência de translação produzida pelo oscilador.
■ Comparador de fase é responsável por gerar a tensão de controle para o VCO por forma
a que este, por sua vez, produza uma frequência.
SINCRONIZAÇÃO DE DADOS
■ Este método baseia-se no princípio de que o PLL pode ser projetado por
forma a atuar como um filtro passa-banda com um fator de qualidade
muito elevado podendo assim “memorizar” a frequência de oscilação
mesmo durante o tempo em que se está a transmitir zeros.

Configuração Para Extração De Clock.


CONTROLE DE RUÍDO DE FASE NO
SISTEMA OFDM
■ Sistema de multiplexação de divisão de frequência ortogonal é melhor
adaptado às redes 3G de geração e redes 4G em termos de largura de
banda devido à sobreposição de bandas de frequência, dados de alta
velocidade transferência devido a transferência paralela de dados,
mantendo alta qualidade da conexão sem fio mesmo em condições de
fluxo multifásico devido à baixa taxa de símbolos.
■ O desempenho do sistema OFDM é degradado devido ao ruído de fase.
■ PLL poderia melhorar controle o problema do ruído da fase. É implantado
no lado de downlink de o sinal recebido da Antena.
■ Num sistema prático, no contexto de ruído de fase, o receptor com
implementação PLL tem melhor desempenho.
■ Como a fase de saída do receptor PLL o ruído é controlado pela largura
de banda do filtro, caminho de realimentação.
■ O VCO gera sua variação σ2 sempre menor do que a saída do oscilador
de execução, que se afasta livremente da fase média em que PLL sempre
tenta bloquear a fase original com realimentação negativa de erro de
fase.
■ O Interferência entre transportadoras no sistema OFDM pode ser
significativamente controlada, implementando PLL no receptor que pode
moldar a densidade espectral de potência de ruído de fase até o filtro
largura de banda definida pela frequência de corte, para a
compensações de frequência da transportadora de referência em
comparação com o VCO de funcionamento livre.
■ A vantagem de usar um PLL reside no fato de que ele forma o espectro de
ruído de fase em baixas frequências que determina a quantidade do 'Erro
comum de fase' poder . Por outro lado, a fase de uma "corrida livre“.
■ O desempenho do sistema foi comparado quando o oscilador local no
receptor é percebido como um PLL usando o teste de ortogonalização
que mostra que o desempenho da PLL é exaltado na medida em que a
fase o bloqueio está em uso, para diferentes condições de canais.
■ PLL tem a capacidade de moldar o espectro de potência de ruído de Fase
definido pela frequência de corte do filtro de loop.
■ O A ordem do filtro de loop determina a estabilidade do PLL.
■ PLL é sempre menor que o oscilador local comum mesmo com
diminuição no espaçamento entre subportadores.
REFERENCIAS
■ Técnicas de Comunicação Eletrônica - 5ª Edição – Cap 10.
■ Luis Moura - Apontamentos de Eletrônica III – Cap 3.
■ Artigo: PLL – PHASE LOCKED LOOP - Link aqui.
■ Artigo: Design of Low Power, High Speed Differential Amplifier Ring
Voltage Controlled Oscillator in CMOS Technology – Link aqui.