Você está na página 1de 25

“A pedagogia investiga a natureza das finalidades

da educação como processo social, no seio de


uma determinada sociedade, bem como as
metodologias apropriadas para a formação dos
indivíduos, tendo em vista o seu
desenvolvimento humano para tarefas na vida
em sociedade” (LIBÂNEO,1994, p. 52).
“o entendimento dos objetivos, conteúdos e
métodos da educação se modifica conforme as
concepções de homem e da sociedade que, em
cada contexto econômico e social de um
momento da história humana, caracterizam o
modo de pensar, o modo de agir e os interesses
das classes e grupos sociais. A pedagogia
portanto, é sempre uma concepção da direção do
processo educativo subordinada a
concepção uma político-social”
52). (LIBÂNEO, 1994, p.
“A educação escolar é uma atividade social que,
através de instituições próprias, visa a
assimilação dos conhecimentos e experiências
humanas acumuladas no decorrer da história,
tendo em vista a formação dos indivíduos
enquanto seres sociais.” (LIBÂNEO,1994, p. 52).
“A didática assegura o fazer pedagógico na
escola, na sua dimensão político-social e técnica;
é por isso, uma disciplina eminentemente
pedagógica. A didática é, pois, uma das
disciplinas da Pedagogia que estuda o processo
de ensino através dos seus componentes – os
conteúdos escolares, o ensino e a aprendizagem
– para, com o embasamento numa teoria da
educação, formular diretrizes orientadoras da
atividade profissional dos professores.
[...] traduz objetivos sociais e políticos
objetivos de ensino, seleciona e e
m organiza
conteúdos e métodos e, ao estabelecer
conexões entre ensino e aprendizagem, indica os
as
princípios e diretrizes que irão regular a ação
didática” (LIBÂNEO,1994, p. 52).
“A instrução se refere ao processo e ao resultado
da assimilação sólida de conhecimentos
sistematizados e ao desenvolvimento de
capacidades cognitivas. O núcleo da instrução
são os conteúdos das matérias. O ensino consiste
no planejamento, organização, direção e
avaliação da atividade didática, concretizando as
tarefas da instrução; o ensino inclui tanto o
trabalho do professor (magistério) como a
direção da atividade de estudo dos alunos”
(LIBÂNEO, 1994, p. 53).
“A metodologia compreende o estudo dos
métodos, e o conjunto dos procedimentos de
investigação das diferentes ciências quanto aos
seus fundamentos e validade, distinguindo-se das
técnicas que são a aplicação específica dos
métodos. [...]
A metodologia pode ser geral (métodos
tradicionais, ativos, descoberta, solução de
problemas, etc.) ou específica, seja a que se
refere aos procedimentos de ensino e estudo das
disciplinas do currículo (alfabetização,
matemática, história, etc.), seja a que se refere a
setores da educação escolar ou estra-escolar
(EJA, Educação Especial, educação sindical, etc.).
Técnicas, recursos ou meios de ensino são
complementos da metodologia. ” (LIBÂNEO,
1994, p. 53).
“O objeto de estudo da didática é o processo de
ensino. [...].. Processo de ensino que,
considerado no seu conjunto, inclui: os
conteúdos dos programas e dos livros didáticos,
os métodos e formas organizativas do ensino, as
atividades do professor e dos alunos e
as diretrizes que regulam esse
e
processo.” (LIBÂNEO,
orientam
1994, p. 54).
“A natureza do trabalho docente é a mediação da
relação cognoscitiva entre o aluno e as matérias
de ensino. [...] Ensinar e aprender, pois, são duas
facetas do mesmo processo, e que se realizam
em torno das matérias de ensino, sob a direção
do professor”(LIBÂNEO, 1994, p. 54 e 55).
“As teorias da educação e as práticas
pedagógicas, os objetivos educativos da escolae
dos professores, os conteúdos escolares, a
relação professor-alunos, as modalidades de
comunicação docente, nada disso existe
isoladamente do contexto econômico, social e
cultural mais amplo e que afetam as condições
reais em que se realizam o ensino e a
aprendizagem”. (LIBÂNEO,1994, p. 56).
TENDÊNCIASPEDAGÓGICAS

l. Pedagogia liberal
1. tradicional
2. renovada progressivista
3. renovada não-diretiva
4. tecnicista
2. Pedagogia progressista
1. libertadora
2. libertária
3. crítico-social dos conteúdos
PEDAGOGIALIBERAL

A pedagogia liberal sustenta a idéia de que a


escola tem por função preparar os indivíduos
para o desempenho de papéis sociais, de acordo
com as aptidões individuais, por isso os
indivíduos precisam aprender a se adaptar aos
valores e às normas vigentes na sociedade de
classes através do desenvolvimento da cultura
individual. A ênfase no aspecto cultural esconde
a realidade das diferenças de classes, pois não
leva em conta a desigualdade de con•dições.
PEDAGOGIALIBERAL

Historicamente, a educação liberal iniciou-se com


a pedagogia tradicional e, por razões
recomposição da hegemonia de
burguesia,
da
evoluiu para a pedagogia renovada (também
denominada escola nova ou ativa), o que não
significou a substituição de uma pela outra, pois
ambas conviveram e convivem na prática escolar.
Esses avanços da sociedade conduziram à
emergência da pedagogia tecnicista.
PEDAGOGIALIBERAL - TRADICIONAL
Na tendência tradicional, a pedagogia liberal se
caracteriza por acen•tuar o ensino humanístico,
de cultura geral, no qual o aluno é educado para
atingir, pelo próprio esforço, sua plena realização
como pessoa. Os conteúdos, os procedimentos
didáticos, a relação professor-aluno não têm
nenhuma relação com o cotidiano do aluno e
muito menos com as reali•dades sociais. É a
predominância da palavra do professor, das
regras im•postas, do cultivo exclusivamente
intelectual.
PEDAGOGIALIBERAL - RENOVADA
A tendência liberal renovada acentua,
igualmente, o sentido da cultura como
desenvolvimento das aptidões individuais. Mas a
educação é um pro•cesso interno, não externo;
ela parte das necessidades e interesses
indivi•duais necessários para a adaptação ao
meio. A educação é a vida presente, é a parte da
própria experiência humana. A escola renovada
propõe um ensino que valorize a auto-educação
(o aluno como sujeito do conheci•mento), a
experiência direta sobre o meio pela atividade;
um ensino cen•trado no aluno e no grupo.
PEDAGOGIALIBERAL - RENOVADA
A tendência liberal renovada apresenta-se, entre
nós, em duas versões distintas: a renovada
progressivista2, ou pragmatista, principalmente
na forma difundida pelos pioneiros da educação
nova, entre os quais se destaca Anísio Teixeira
(deve-se destacar, também a influência de
Montessori, Decroly e, de certa forma, Piaget); a
renovada não-diretiva orientada para os
objetivos de auto-realização (desenvolvi•mento
pessoal) e para as relações interpessoais, na
formulação do psicólogo norte-americano Carl
Rogers.
PEDAGOGIALIBERAL - TECNICISTA
A tendência liberal tecnicista subordina a
educação à sociedade, tendo como função a
preparação de "recursos humanos" (mão-de-obra
para a indústria). A sociedade industrial e
tecnológica estabelece (cientificamente) as metas
econômicas, sociais e políticas, a educação treina
(também cien•tificamente) nos alunos os
comportamentos de ajustamento a essas metas.
No tecnicismo acredita-se que a realidade
contém em si suas próprias leis, bastando aos
homens descobri-las e aplicá-las.
PEDAGOGIALIBERAL - TECNICISTA

Dessa forma, o essencial não é o conteúdo da


realidade, mas as técnicas (forma) de descoberta
e aplicação. A tecnologia (aproveitamento
ordenado de recursos, com base no
conhecimento científico) é o meio eficaz de obter
a maximização da produção e garantir um ótimo
funcionamento da sociedade; a educação é um
recurso tecnológico por excelência.
PEDAGOGIALIBERAL - TECNICISTA

Ela "é encarada como um instrumento capaz de


promover, sem contradição, o desenvolvimento
econômico pela qualificação da mão-de-obra,
pela redistribuição da renda, pela ma•ximização
da produção e, ao mesmo tempo, pelo
desenvolvimento da ‘consciência política’
indispensável à manutenção do Estado
autoritário”. Uti•liza-se basicamente do enfoque
sistêmico, da tecnologia educacional e da análise
experimental do comportamento.
PEDAGOGIA
PROGRESSISTA

O termo "progressista", emprestado de Snyders,


é usado aqui para designar as tendências que,
partindo de uma análise crítica das realidades
sociais, sustentam implicitamente as finalidades
sociopolíticas educação. Evidentemente a
progressista
d não tem como
a pedagogia
institucionalizar-se numa sociedade capitalista;
daí ser ela um instrumento de luta dos
pro•fessores ao lado de outras práticas sociais.
PEDAGOGIA
PROGRESSISTA

A pedagogia progressista tem-se manifestado em


três tendências: a libertadora, mais conhecida
como pedagogia de Paulo Freire; a libertária, que
reúne os defensores da autogestão pedagógica; a
crítico-social dos con•teúdos que, diferentemente
das anteriores, acentua a primazia dos conteúdos
no seu confronto com asrealidades sociais.
PEDAGOGIAPROGRESSISTA–
LIBERTADORA E LIBERTÁRIA
As versões libertadora e libertária têm em
comum o antiautoritarismo, a valorização da
experiência vívida como base da relação
educativa e a idéia de autogestão pedagógica. Em
função disso, dão mais valor ao processo de
aprendizagem grupal (participação em
discussões, assembléias, votações) do que aos
conteúdos de ensino. Como decorrência, a
prática educativa somente faz sentido numa
prática social junto ao povo, razão pela qual
preferem as modalidades de educação popular
"não-formal“.
PEDAGOGIAPROGRESSISTA–
CRÍTICO-SOCIAL DOS
CONTEÚDOS
• Atendência da pedagogia crítico-social dos conteúdos propõe uma síntese superadora das pedagogias tradicional e
renovada, valorizando a ação pedagógica enquanto inserida na prática social concreta. Entendeaescola como mediação
entre o individual eo social,exercendoaía articu•lação entre atransmissãodosconteúdose aassimilaçãoativa por parte
deum aluno

concreto (inserido num contexto de relações


sociais); dessa articulação resulta o saber
criticamente reelaborado.
PEDAGOGIAPROGRESSISTA–
CRÍTICO-SOCIAL DOS
CONTEÚDOS
LIBÂNEO, José Carlos. Didática: teoria da instrução
e do ensino. In. .Didática. São Paulo: Cortez, 1994.
Cap. 3. p. 51-76. (Coleção Magistério: Série
formação do professor).

A partir da aula e da leitura do texto criar um


cordel que contemple as tendências pedagógicas
liberais e progressistas destacando os seguintes
elementos em cada uma delas: principais teóricos,
características, momento histórico em que
emergiram, e desdobramentos na prática escolar

Você também pode gostar