Você está na página 1de 54

1.

Introdução: Panorama Hidroviário Nacional


e no Mundo.
2. Hidráulica Marítima e Fluvial:
a. Marés e Correntes;Hidráulica Estuarina;
b. Transporte de Sedimentos;
c. Morfologia Fluvial.
3. Embarcações Fluviais e Marítimas: Tipos e
Características.
4. Portos: Arranjo Geral Portuário; Terminais
2. Embarcações Fluviais e Marítimas: Tipos e
Características.
3. Portos:
a. Arranjo Geral Portuário;
b. Terminais Portuários;
c. Obras Portuárias;
d. Obras Estuarinas.
4. Hidrovias:
a. Bacias hidrográficas brasileiras;
b. Sinalização, telecomunicações e
Balizamento;
c. Dragagem e Derrocamento;
d. Eclusas de Navegação e Capacidade de
Tráfego em Hidrovias;
e. O Papel da Aquavia na Economia
Contemporânea
1. Introdução: Panorama Hidroviário Nacional
e no Mundo. Hidráulica Marítima e Fluvial:
Marés e Correntes;
2. Hidráulica Estuarina; Transporte de
Sedimentos; Morfologia Fluvial.
Embarcações Fluviais e Marítimas: Tipos e
3. Características. Portos: Arranjo Geral
Portuário; Terminais Portuários; Obras
Portuárias; Obras Estuarinas.
4. Hidrovias: Bacias hidrográficas brasileiras;
Os procedimentos e critérios para a avalição
dos alunos serão conforme o disposto a
seguir:
1. Participação discente no curso –
trabalhos elaborados em sala de aula
(um/aula) – conteúdo da aula anterior
2. Exames escritos bimestrais (B1 e B2).
Com a posse do valor da nota do(a) aluno(a)
será aprovado(a) segundo o Sistema de
Avaliação da Universidade.
TRANSPORTE pode ser definido como o conjunto de
meios que possibilitam o deslocamento de bens e de
pessoas • Longo curso
MARÍTIMO • Cabotagem Assunto desta
matéria
FLUVIAL

FERROVIÁRIO

RODOVIÁRIO

DUTOVIÁRIO

AÉREO
70% do planeta está coberto de água
No começo da civilização as águas apenas eram
exploradas para obter alimentos
Novas necessidades
desenvolveram as águas como
um meio de transporte
O desenvolvimento das
embarcações e instrumentos
náuticos permitiu o
estabelecimento de rotas
navegáveis
Para que o transporte marítimo e fluvial ocorra
são utilizadas as seguintes técnicas:
1. Construção das
embarcações
2. Condução das
embarcações
3. Aproveitamento,
adaptação e construção
de vias navegáveis

Assunto da Engenharia Civil


1. Melhoramento das barras
2. Construção, melhoramento e aparelhamento dos
portos
3. Sua exploração econômica
NAVEGAÇÃO INTERIOR
1. Construção dos canais de navegação interior
2. Construção dos portos fluviais
3. Exploração comercial das redes de navegação
interior
AÉREO Rapidez e conforto

RODOVIÁRIO Transporte porta-a-porta

Grandes quantidades com


FERROVIÁRIO
velocidades razoáveis

HIDROVIÁRIO Transporte te grandes cargas pesadas


a longas distâncias
• Combustíveis líquidos
• Carvão
• Cereais
• Minérios
• Fertilizantes
Consumo de energia por modo de
transporte
Modo BTU/ton.milha Índice
HIDROVIA 500 1,0
FERROVIA 750 1,5
DUTOVIA 1.850 3,7
RODOVIA 2.400 4,8
AEROVIA 63.000 126,0
Quantidade de
carga por viagem Custo

Caminhão 1 a 20 ton

Vagão 12 a 100 ton

Embarcação 150 a 3.000 ton


Fluvial

Embarcação 25.000 a 450.000 ton


marítima
Capacidade de carga
Unidades equivalentes
Custo da tonelada de carga por km
Distribuição do transporte de cargas no BRASIL
MILHÕES PARTICIPAÇÃO
MODAL
(TKU) (%)
Rodoviário 485.625 61,1
Ferroviário 164.809 20,7
Aquaviário 108.000 13,6
Dutoviário 33.300 4,2
Aéreo 3.169 0,4
TOTAL 794.903 100
TKU: Tonelada transportada por quilômetro útil
FONTE: Confederação Nacional do Transporte (CNT, 2014)
O transporte fluvial
tem sido
fundamental no
desenvolvimento,
mas sempre as
obras são
necessárias para
sua plena utilização

São caminhos pré-determinados para o


tráfego aquático
TRANSPORTE FLUVIAL
 Mais de 40.000km de extensão
 Enorme potencial de utilização
 Estados com relevo muito acentuado
próximo à costa
 Bahia à Santa Catarina
 Portos marítimos
 Sem ligação com hidrovias
TRANSPORTE FLUVIAL
Demandam constante
conservação do leito do rio
e proteção das margens

A construção de
hidrovias pode ser
um problema
É necessário
construir junto as
eclusas
TRANSPORTE FLUVIAL
Responsável pela infraestrutura aquaviária do
Sistema Nacional de Viação, a Diretoria desempenha
atividades de construção, ampliação, recuperação,
manutenção e operação em hidrovias e portos sob
responsabilidade do DNIT
BACIAS
• Amazônica
• Meio Norte
• São Francisco
• Costa Leste
• Paraná
• Lagoa dos Patos
TRANSPORTE FLUVIAL
BACIA AMAZÔNICA
TRANSPORTE FLUVIAL
BACIA MEIO NORTE
TRANSPORTE FLUVIAL
BACIA DO SÃO FRANCISCO
TRANSPORTE FLUVIAL
BACIA DA COSTA LESTE
TRANSPORTE FLUVIAL
BACIA DO PARANÁ
TRANSPORTE FLUVIAL
BACIA DA LAGOA DOS PATOS
TRANSPORTE MARÍTIMO
Joga um papel
fundamental desde a
antiguidade

No renascimento
portugueses e espanhóis
levaram a navegação
marítima a um maior
crescimento com a caravela
TRANSPORTE MARÍTIMO
Na revolução industrial o
navio a vapor desenvolveu
mais o transporte marítimo,
mas o combustível ocupava
muito espaço
Nos navios a diesel o combustível passou a
ocupar um espaço muito menor
Em navios atômicos
modernos, o volume
ocupado pelo
combustível é
desprezível
TRANSPORTE MARÍTIMO
O transporte marítimo fornece uma séria de
vantagens:
• Fretes baixos
• Boa segurança

O custo baixo é atribuído a necessidade de potência


muito menor do que em outros modos, e por ser sobre
água dispensa de manutenção
TRANSPORTE MARÍTIMO
U.S.A. tem mais de 95% do seu peso total
transportado para comércio externo por meio de
navios

No Brasil o transporte rodoviário suplanta o transporte


marítimo e fluvial, devido à falta de obras necessários
para etapas intermediárias de transbordo e
armazenamento
TRANSPORTE MARÍTIMO

• Aumento das dimensões – adaptação dos


portos
• Especialização – transporte de produtos

• Pequeno porte das


embarcações
• Idade média elevada
TIPOS DE CARGAS
CARGA GERAL CARGA A GRANEL
SECA LÍQUIDA

MINÉRIOS GRÃOS

PESADOS LEVES
CARGA PRÉ-LINGADA
As cargas
permanecem presas
dentro de lingas, que
viajam junto com os
navios
BANDEJA (Pallet)
Estrado de madeira ou
metal, sobre o qual as
cargas são
depositadas e
transportadas
CONTENTORES (Containers)
Recipientes fechados para transporte de
inúmeros produtos. São fabricados de
alumínio, aço, fibra de vidro, de acordo
com o material que transportarão.
Podem ser transportados também por
caminhões e trens
TIPOS DE CARGAS
ROLL-ON / ROLL-OFF
Consiste em um trailer
que é carregado para o
navio por portas laterais
da popa ou proa, e que é
descarregado dentro da
própria embarcação
CARGA EMBARCADA EM BARCAÇAS
Navios que içam
barcaças
carregadas
diretamente dentro
da água
AGÊNCIAS REGULADORAS
Departamento Nacional de Infraestrutura
de Transportes – DNIT
 Objetivo:
 A autarquia tem por objetivo implementar a
política de infraestrutura do Sistema Federal de
Viação, compreendendo sua
 Operação,
 Manutenção,
 Restauração ou reposição,
 Adequação de capacidade e
 Ampliação mediante construção de novas vias e
terminais.
AGÊNCIAS REGULADORAS
DNIT
 Objetivo:
 Os recursos para a execução das obras são da
União.
 Ou seja, o órgão é gestor e executor, sob a
jurisdição do Ministério dos Transportes, das vias
 Navegáveis,
 Ferrovias e
 Rodovias federais,
 Instalações de vias de transbordo e de interface
intermodal
 Instalações portuárias fluviais e lacustres.
AGÊNCIAS REGULADORAS
Agência Nacional de Transportes
Aquaviários – ANTAQ
 Objetivo:
 Implementar as políticas
 Regular, supervisionar e fiscalizar as atividades
de prestação de serviços de transporte
aquaviário e de exploração da infraestrutura
portuária e aquaviária.
 Tornar mais econômica e segura a
movimentação de pessoas e bens pelas vias
aquaviárias
AGÊNCIAS REGULADORAS
ANTAQ
 Objetivo:
 Arbitra conflitos de interesses para impedir
situações que configurem competição imperfeita
ou infração contra a ordem econômica, e
harmoniza os interesses dos usuários com os
das empresas e entidades do setor, sempre
preservando o interesse público.
AGÊNCIAS REGULADORAS
ANTAQ
 Constituem esfera de atuação da ANTAQ:
 A navegação fluvial, lacustre e de travessia
 A navegação de apoio marítimo, de apoio
portuário, de cabotagem e de longo curso
 Os portos organizados e as instalações
portuárias neles localizadas
 Os terminais de uso privado
 As estações de transbordo de carga
 As instalações portuárias públicas de pequeno
porte, e
 As instalações portuárias de turismo.
AGÊNCIAS REGULADORAS
Agência Nacional de Transportes
Aquaviários – ANTAQ
 Objetivo:
 implementar as políticas formuladas pela
Secretaria de Portos da Presidência da
República – SEP/PR, pelo Conselho Nacional de
Integração de Políticas de Transporte – CONIT, e
pelo Ministério dos Transportes, segundo os
princípios e diretrizes estabelecidos na
legislação. É responsável por regular,
supervisionar e fiscalizar as atividades de
prestação de serviços de transporte aquaviário e
ESTATÍSTICAS - 2015
ESTATÍSTICAS - 2015
ESTATÍSTICAS - 2015
ASPECTOS GERAIS
CONTÊINERES (movimentos/h)
Eficiência Mundial x Brasil

FONTE: ANTAQ, 2015


NAVEGAÇÃO EM VIAS
ESTATÍSTICAS - 2015 INTERIORES

FONTE: ANTAQ, 2015


ESTATÍSTICAS - 2015
NAVEGAÇÃO EM VIAS INTERIORES – PRODUTOS
TRANSPORTADOS

FONTE: ANTAQ, 2015


Passar para professora a
resposta em folha com: nome,
RA e turma

Qual a sua
opinião a respeito
da matriz de
transporte do
Brasil?