Você está na página 1de 53

Ação neuromuscular

Prof. Dr. Luiz Fernando Ribeiro


Faculdade Dom Bosco
Cursos de Enfermagem, Fisioterapia e Psicologia
Transmissão sináptica
Sinapse é o local de sinalização celular.
As sinapses podem ser elétricas ou químicas.
As sinapses elétricas utilizam as junções comunicantes (gap
junctions); são mais rápidas, inespecíficas e bidirecionais
(músculos ventriculares, uterinos e bexiga).

Nas sinapses químicas há um espaço entre as células


chamado fenda sináptica; na fenda sináptica ocorre a
liberação do neurotransmissor.
Se o neurotransmissor é excitatório causa despolarização da
membrana da célula pós-sináptica; se o neurotransmissor é
inibitório causa hiperpolarização.
Junção neuromuscular
Motoneurônios são terminações nervosas que inervam as
fibras musculares.
Unidade motora compreende um neurônio que inverna suas
fibras musculares.
As unidades motoras que ativam movimentos finos
compreendem em um motoneurônio e poucas fibras
musculares.
As unidades que ativam movimentos maiores um
motoneurônio controla milhares de fibras musculares.
Eventos que ocorrem na junção neuromuscular
1) Potencial de ação se propaga ao longo do motoneurônio
que chega até o terminal pré-sinpatico; essa despolarização
causa a abertura dos canais de Ca2+ dependentes de
voltagem.
2) O Ca2+ flui para dentro do terminal sináptico de acordo
com seu gradiente eletroquímico.
3) A entrada de Ca2+ causa a liberação de acetilcolina (Ach)
por exocitose.
Cada vesícula sináptica de contém um certa quantidade de
Ach é denominada de um quantum.
Sequência de eventos na transmissão neuromuscular
4) A Ach se difunde pela fenda sináptica e chega até a placa
motora, que contém receptores nicotínicos.
A ligação à subunidade α do receptor causa uma mudança
conformacional, permitindo a passagem de Na+ e K+.
Os gradientes de concentração de Na+ e K+ tendem a
permanecer próximos aos seus potenciais de equilíbrio.
O potencial de membrana então chega a zero (mV); este é
chamado de potencial da placa motora (PPM), ou seja, é sua
despolarização.
Cada vesícula sináptica contendo Ach despolariza a
membrana da placa motora em 0,4 mV.
5) Quando a placa motora se despolariza, gera uma
propagação dos potenciais de ação ao longo da fibra
muscular (por limiar).
6) O PPM é encerrado quando a Ach é degradada em colina e
acetato pela ação da acetilcolinesterase.
Cerca de metade da colina é recaptada pelo cotransportador
de Na+colina.
Síntese de degradação da acetilcolina
Inibidores da função neuromuscular:
- Toxina botulínica: bloqueia a liberação da Ach nos terminais
pré-sinápticos.
-Anticolinesterásicos: inibem a degradação da Ach como a
neostigmina que prolonga o potencial de ação da placa
motora; usada na miastenia grave.
- Curare compete com a Ach pelo receptor nicotínico,
diminuindo a intensidade do PPM; D-tubocurarina é usada
para causa relaxamento muscular durante anestesia.
- Hemicolínio bloqueia a recaptação de colina nos terminais
pré-sinápticos.
Ramificações das sinapses
a) Uma para uma: uma célula pré-sináptica estimula uma
única célula pós-sináptica (p.ex.: junções neuromusculares).
b) Uma para muitas: uma célula pré-sináptica estimula
muitas células pós-sinápticas (p.ex.: neurônios que
estimulam células de Renshaw na medula espinhal).
c) Muitas para uma: muitas células pré-sinápticas convergem
para uma célula pós-sináptica (p.ex.: células do SNC).
Quando uma sinapse é excitatória ou inibitória?
a) Nas sinapses excitatórias ocorre a despolarização da
membrana das células pós-sinápticas; para isso, ocorre a
abertura do canais de Na+ e K+.
- Os potenciais de equilíbrio de Na+ e K+ são reduzidos pela
metade, devendo o potencial de membrana chegar a 0 mV
(estado despolarizado).
- p.ex.: Ach, epinefrina, norepinefrina, dopamina, serotonina.
b) Nas sinapses inibitórias ocorre a hiperpolarização das
membranas pós-sinápticas devido a abertura do canais de Cl-.
- O potencial de membrana chega perto do potencial de
equilíbrio do Cl- (-90 mV).
- p.ex.: glicina, ácido -aminobutírico.
Contração muscular
1) Músculo esquelético
Os eventos que provocam a contração da fibra muscular é
chamado de acoplamento contração.
As miofibrilas contém as unidades contráteis chamadas de
sarcômeros.
Organização dos músculo estriado esquelético
Miofibrilas
Os sarcômeros possuem (1) filamentos espessos que são
constituídos pela proteína miosina; a miosina possui “caudas
pesadas” em estrutura de α-hélice e duas “cabeças leves”
globulares.
As cabeças leves possuem o local de ligação à actina e
atividade ATPase.
A) Filamentos espessos e B) filamentos finos do músculo esquelético.
Os sarcômeros também possuem (2) filamentos finos:
actina, troponina e tropomiosina.
- A actina G forma polímeros de actina F, duas cadeias em α-
hélice; a actina tem locais de ligação para a miosina.
- A tropomiosina é uma proteína filamentosa que quando o
músculo está em repouso tem função de bloquear a ligação
da actina com a miosina.
- A troponina é formada por um complexo de três proteínas:
troponina T (tropomiosina), troponina I (inibição) e
troponina C (cálcio).
Os sarcômeros têm seus filamentos contráteis organizados
em zonas:
- Zona vazia: só miosina.
- Faixa A: miosina e actina.
- Faixas I: só actina.
- Discos ou linhas Z: limitam o sarcômero.
- Linha M: divide o sarcômero em duas partes.
Proteínas do citoesqueleto das células musculares mantém
todas as estruturas de fibras contráteis em seus devidos
lugares.
As chamadas proteínas transversas unem os filamentos
espessos e finos, formando um “arcabouço protéico”.
A distrofina liga através da actina todo o arcabouço protéico
à membrana plasmática da célula muscular.
A titina liga os filamentos de miosina à linhas Z; centraliza os
filamentos de miosina e possui um movimento elástico
durante a contração.
A nebulina está associada aos filamentos de actina; está
relacionada com a manutenção do comprimento do
sarcômero e a ancoragem dos filamentos de actina à linhas
Z.
Distrofia Muscular Duchenne (DMD)
É uma doença muscular progressiva que causa fraqueza
muscular e pseudo-hipertrofia na panturrilha.
Sua herança é recessiva ligada ao X (Xp21).
O gene possui mais de 2 milhões de pb.
Codifica a proteína distrofina de cerca de 4333 aminoácidos.
A maioria das mutações da DMD remove (deleção)
segmentos codificantes do gene (éxons).
Corte transversal de fibra muscular normal (a) e com Distrofia
Muscular Duchenne (b) e indivíduos portadores de DMD (c).
Os Túbulos transversos T formam o sarcolema, uma rede de
túbulos responsáveis pela condução da despolarização da
membrana da superfície muscular para o interior das
miofibrilas.
Os túbulos T fazem contato com a membrana do retículo
sarcoplasmático (RS).
O RS armazena grandes concentrações de Ca2+, devido à
ação da Ca2+ ATPase (SERCA).
Na membrana dos túbulos T há um receptor dependente de
voltagem, chamado de receptor diidropiridina.
O RS libera Ca2+ durante a contração muscular pelo canal
rianodina.
Posição dos túbulos T e do retículo sarcoplasmático.
Acoplamento excitação contração
1) Potencial de ação é propagado pela membrana dos
túbulos T.
2) A desporalização dos túbulos T provoca a mudança
conformacional de seu receptor diipropiridina; essa
alteração induz a abertura dos canais de Ca2+ do RS.
3) Uma vez os canais de Ca2+ abertos, provoca um influxo
para o citoplasma de Ca2+.
4) O Ca2+ se liga à troponina C produzindo a alteração
conformacional do complexo troponina.
5) A alteração conformacional do complexo troponina,
possibilita a tropomiosina se deslocar expondo o local de
ligação entre miosina-actina.
6) A miosina liga-se à actina formando as pontes cruzadas,
desde que um ATP seja hidrolisado;
- No início, sem ATP, a miosina está fortemente ligada à
actina (rigor);
- Com a ligação do ATP, a miosina libera a actina e se desloca
para o lado + da actina.
- Com a hidrólise do ATP a miosina se liga a um novo local da
actina, distante 10 nm.
- Quando o ADP + Pi são liberados, a miosina retorna ao seu
estado original.
- Os ciclos de pontes cruzadas ocorrem enquanto houver alta
concentração de Ca2+ no citoplasma.
7) O relaxamento ocorre quando o Ca2+ é recaptado para o
RS e a troponina retorna à sua posição de repouso,
impedindo a ligação da miosina na actina.
PA, concentração de cálcio e tensão muscular durante a contração.
http://profandrefernandes.blogspot.com.br/2011/10/contracao-muscular.html
Músculo liso
Os filamentos espessos e finos não estão organizados em
sarcômeros.
São encontrados:
 trato gastrointestinal;
 bexiga;
 útero;
 ureteres;
 bronquíolos;
 iris, musculatura ciliar, cristalino;
 canal deferente;
 vasculatura.
Liso

Esquelético

Cardíaco
Tipos de músculos lisos:
a) multiunitários: tem pouco ou nenhuma acoplamento
entre as células (a contração não é eletricamente
coordenada).
- Cada fibra muscular comporta-se como uma unidade
contrátil independente.
- São intensamente inervadas pelo sistema nervoso
simpático e parassimpático.
- É o caso da iris, musculatura ciliar, cristalino e canal
deferente.
b) unitárias: apresentam junções comunicantes entre as
células (muito acoplamento); isso permite contração rápida
e coordenada.
- Os potenciais de ação ocorrem simultaneamente nas
células.
- É o caso do trato gastrointestinal, bexiga, útero e ureter.
c) Músculo liso vascular: forma-se pela combinação de fibras
unitária e multiunitárias.
- Ocorrem ao redor de todo o sistema vascular.
Acoplamento excitação contração no músculo liso
Na musculatura lisa não existe a troponina.
A ligação da miosina com a actina é controlada pela ligação
do Ca2+ à calmodulina.
1) Potenciais de ação ocorrem na membrana do músculo liso
e a consequente liberação de Ca2+ .
- Existem dois mecanismos adicionais de liberação de Ca2+: (1)
canais de Ca2+ ativados por ligantes (hormônios e
neurotransmissores) e (2) canais de Ca2+ ativados por
inositol trifosfato (IP3).
2) O Ca2+ no meio intracelular liga-se à calmodulina que por
sua vez ativa a cinase de cadeia leve da miosina.
3) A miosina (fosforilada) liga-se à actina para formar pontes
cruzadas contraindo o músculo; isso requer um ATP.
- A quantidade de pontes cruzadas é proporcional à
concentração de Ca2+ intracelular.
4) À medida que a concentração intracelular de Ca2+ decai a
miosina é desfosforilada pela fosfatase da cadeia leve da
miosina.
- Esse estado é conhecido como pontes trancadas pois a
miosina vai se desligando da actina lentamente (com
consumo de APT).
5) O relaxamento do músculo lido só ocorre quando a
concentração intracelular de Ca2+ diminui para desfazer o
complexo Ca2+ -calmodulina.
- O Ca2+ é bombeado para o retículo sarcoplasmático pela
Ca2+ ATPase.
Mecanismos alternativos que fazem aumentar a concentração de Ca2+ no meio intracelular no
músculo liso.
Sequencia de etapas durante a contração do
músculo liso.