Você está na página 1de 14

Maria Paula Migliorini Felisbino

Introdução
• A psoríase deve ser vista como uma comorbidade complexa e
multissistêmica

• É associada com maior prevalência de fatores de risco


cardiovasculares, maior risco de infarto do miocárdio e AVC

• A síndrome metabólica é um conjunto de riscos


cardiovasculares: obesidade abdominal, HAS, altos
triglicérides, baixo HDL e intolerância à glicose

• As duas entidades (psoríase e síndrome metabólica) parecem


ter sua fisiopatologia comum no estado inflamatório crônico
Objetivo
• O estudo investiga a prevalência da síndrome metabólica e
seus componentes nos pacientes com psoríase, comparando-
os com pacientes controle sem a doença

• Também objetiva determinar se há relação entre a severidade


da doença e a prevalência de síndrome metabólica
Métodos
• Estudo transversal com duração de um ano, na Sérvia

• Inclusão de 244 pacientes com psoríase vulgar, >18 anos e


com diagnóstico clínico de psoríase crônica em placas (>6
meses de duração) realizado por dermatologista experiente

• Grupo controle: 163 pacientes >18 anos e sem diagnóstico de


psoríase ou outra doença dermatológica crônica inflamatória
ou auto-imune
• Pacientes com psoríase que receberam tratamento sistêmico
incluindo acitretina, ciclosporina, metotrexato, fototerapia ou
biológicos até um mês antes do início do estudo foram
excluídos

• Coleta de dados: idade, sexo, tabagismo, prática de atividades


físicas, idade ao início da psoríase, duração da doença, uso de
anti-hipertensivos, hipoglicemiantes ou antilipêmicos

• Avaliação da gravidade da psoríase


▫ PASI (Psoriasis Area and Severity Index)
 <10 leve
 10-20 moderada
 >20 grave
• Síndrome metabólica (3 ou mais dos critérios)
▫ Obesidade abdominal (circunferência abdominal >102 cm em
homens e >88 cm em mulheres)
▫ Hipertrigliceridemia >150 mg/dl
▫ HDL <40 mg/dl em homens e <50 mg/dl em mulheres
▫ Hipertensão arterial (>130/85 mmHg) ou HAS prévia em tratamento
▫ Glicemia de jejum alterada (>100 mg/dl) ou DM2 prévio
Resultados e Discussão
• A idade média foi significantemente maior no grupo de casos
que no de controles (53,5 vs 43,6)

• Havia mais homens no grupo de estudo

• Tabagismo e sedentarismo foram mais observados no grupo


de pacientes com psoríase
• Todos os componentes da síndrome metabólica foram
significantemente maiores no grupo de estudo, exceto pelo
HDL
▫ Obesidade abdominal (46,7% vs 26,4%)
▫ Hipertrigliceridemia (38,1% vs 24,5%)
▫ Hipertensão arterial (67,2% vs 25,8%)
▫ Hiperglicemia ou DM2 (31,6% vs 13,5%)

• Houve diferença significantemente estatística em relação ao


HDL apenas quando comparados os pacientes com psoríase
grave ao grupo controle
• A prevalência da síndrome metabólica foi significantemente
maior nos pacientes com psoríase (leve, moderada e severa)
do que no grupo controle (45,1% vs 19,6%)

• Em relação ao componentes da síndrome metabólica


analisados isoladamente e a maior associação com psoríase,
temos em primeiro lugar hipertensão (67,2% vs 25,8%)

• Apesar de psoríase e hipertensão apresentarem fatores de


risco em comum, como tabagismo e obesidade, a literatura
reforça uma associação independente entre psoríase e
hipertensão após ajuste destes fatores comuns
• Em segundo lugar, o componente mais associado à psoríase
foi obesidade abdominal, mais fortemente ao grupo de
pacientes com psoríase moderada

• Ainda não se sabe se a obesidade precede o desenvolvimento


da psoríase ou é uma consequência desta

• A obesidade, como um estado inflamatório crônico, associa-se


a maiores níveis de TNF alfa e IL-6, o que favorece a psoríase

• A hipertrigliceridemia foi mais prevalente apenas nos


pacientes com psoríase leve e moderada quando comparados
ao grupo controle

• A literatura mostra que anormalidades no metabolismo dos


lipídeos nos pacientes psoriásicos é determinada
geneticamente
• Hiperglicemia foi significantemente estatística no grupo de
estudo, independentemente da obesidade, com maior
associação ao grupo de pacientes com psoríase grave

• Como na literatura, o estudo mostrou associação significante


entre psoríase e maior prevalência de DM2, porém permanece
a ser elucidada a fisiopatologia que interliga ambas

• Os fatores tabagismo e sedentarismo não apresentaram


diferenças significantemente estatísticas quando comparados
entre pacientes psoriásicos com e sem síndrome metabólica
• O estudo não conseguiu mostrar associação entre gravidade
da psoríase e síndrome metabólica

• Esse achado sugere que pacientes com psoríase leve ou


moderada também podem vir a desenvolver fatores de risco
cardiovasculares e metabólicos

• Comparando pacientes psoriásicos com e sem a síndrome


metabólica, aqueles com síndrome metabólica tiveram um
começo tardio da psoríase e uma maior duração da doença

• A relação entre síndrome metabólica e a maior duração da


doença poderiam ser explicados por um maior tempo sob
estado inflamatório crônico
• Este foi o primeiro estudo realizado no sudeste Europeu que
relaciona psoríase e síndrome metabólica

• Houve limitações, pelo fato de ser um estudo transversal e não


analisar fatores de confusão como dieta, consumo de álcool ou
saúde mental

• A questão se a psoríase leva a síndrome metabólica ou se as


desordens metabólicas levam à psoríase ainda precisa ser
respondida

• Ainda assim, a maior prevalência da síndrome metabólica nos


pacientes psoriásicos enfatiza a necessidade de uma detecção
precoce das desordens metabólicas e um tratamento
adequado da psoríase
Obrigada!