Você está na página 1de 37

HISTÓRIA da CIRURGIA

Profª. Enfª. Thaís Braga Aben-Athar


PERÍODOS
FILOSÓFICO até séc. XV
ANATÔMICO séc. XVI - XVII
COMBATE À DOR
CONTROLE DA INFECÇÃO séc. XVIII - XX
PARÂMETROS FISIOLÓGICOS
A FILOSOFIA
O período filosófico,
situado entre os anos de
2300 aC até o séc. XV
caracterizou-se pela
medicina empírica . No
antigo Egito , assim
como na Mesopotâmia ,
procedimentos
cirúrgicos simples como
trepanações eram
realizados com
sucesso.No Oriente
buscava-se o equilíbrio
do indivíduo . Pouco se
sabia de anatomia. Coleção de prescrições empíricas de
um médico Sumeriano - 2200 A.C.
Museu Universitário, Filadelfia
Instrumental cirúrgico da Grécia Antiga
Museu Arqueológico, Epidauros

Na Grécia os instrumentos cirúrgicos


resumiam-se a bisturis, pinças e trocarteres.
O CONHECIMENTO DA
ANATOMIA
Bernhard Siegfried Albinus - 1610 “ Ensinando na mesa de dissecção”
Rijksuniversiteit, Leiden Manuscrito do século XV
Biblioteca Nacional, Paris

O estudo da anatomia passou por várias fases,


sofrendo influência da sociedade vigente.Pouco
científica e descritiva, preocupava-se muito com os
“humores internos” dos indivíduos.
Um marco decisivo na
evolução do estudo
anatômico foi
representado por Andreas
Vesalius e seu De humani
corporis fabrica, quando
divulgou detalhadamente
para o mundo ocidental a
anatomia humana e seus
detalhes.

Andreas Vesalius
De humani corporis fabrica - 1543
Organização Mundial da Saúde - Genebra
Chama a atenção a riqueza
dos detalhes anatômicos e
a precisão dos
desenhos.Este estudo
impulsionou
favoravelmente a cirurgia
na busca de sua
modernidade.

De Humani corporis fabrica


Andreas Vesalius
Academia de Medicina de Nova Iorque
“Lição de Anatomia de Dr. Tulp”- 1632
Rembrandt

O clássico de Rembrandt representa a fase


anatômica da cirurgia.
A dissecção
anatômica regrada
passou a fazer parte
do currículo das
modernas escolas
médicas, dando
suporte aos
inovadores
procedimentos
cirúrgicos.
Aula de Anatomia-1890
Sociedade Histórica de Minessota ,St.Paul
O COMBATE À DOR
O cirurgião , um
discípulo dos
barbeiros ,
contentava-se nessa
época apenas em
drenar abscessos.
Pouco sabia de
anatomia, infecção e
nada de combate à
dor.

“ O cirurgião e o campones”- 1524


Rijksmuseum- Amsterdã
O paciente era
contido na mesa de
operações por dois
fortes assistentes.

“Ten Books of Surgery”-1564


Academia de Medicina de Nova Iorque
Obviamente , a
dor limitava e
muito a atuação
do cirurgião ,
permitindo
procedimentos
simples,
amputações,
sempre realizadas
com extrema
rapidez.
Biblioteca Nacional de Medicina, Betesda
A primeira
cirurgia
abdominal
com sucesso
realizou-se
sedando-se
precariament
e a paciente
com uma
mistura de
Primeira cirurgia abdominal sobre o ovário com sucesso éter e
Dr. Ephrain McDowell- Dezembro de 1809
Medical Communications, Inc
clorofórmio.
“Gás Hilariante” ( óxido nitroso)-1830
Biblioteca Nacional de Medicina, Betesda

A descoberta do óxido nitroso revolucionou a


cirurgia.Descoberto em 1772 por Joseph Priestley, ganhou ampla
divulgação como gás hilariante. Humphry Davi sugeriu pela
primeira vez que esse gás poderia ser útil ao cirurgião.
Todo esse
progresso
culminou em
1846 com a
primeira
demonstração de
uma cirurgia
com anestesia
geral , em
Harvard, por
John C. Warren.
Era o início de
Primeira demonstração pública de uma anestesia uma nova era.
com sucesso
16 de Outubro de 1846- Hospital Geral de
Massachusetts
O CONTROLE DA
INFECÇÃO
Hospital Bellevue , Nova Iorque
Harper’ s Weekly- 1860

A terceira fase pela qual passou a cirurgia foi o combate


à infecção , um conceito desconhecido no final do
século.
Respeitando o
pressuposto da
necessidade de
combate à infecção, a
cirurgia vislumbrou
duas fases distintas
que se sucederam no
tempo: a fase anti-
séptica ou listeriana, e
a asséptica, dogma
da moderna cirurgia.

“Lister Carbolic Spray”


Cirurgia
Antisséptica -
1882
Biblioteca
Nacional de
Medicina,
Betesda

A fase listeriana propunha o combate aos


germes no próprio campo operatório. Observe
cirurgiões com roupas comuns aspergindo sobre
o paciente ácido carbólico.
Com o passar
dos anos,
percebeu-se
que mais
eficiente que
matar os
germes seria
evitar a
contaminação
através do uso
de salas limpas,
gorros,
Biblioteca Nacional de Medicina-1919 aventais...era o
Betesda início da fase
asséptica.
Halsted constituiu
um marco na
evolução da cirurgia.
Foi o responsável
pela introdução das
luvas de borracha,
além de preocupar-
se com o ensino
médico.

Willian Stewart Halsted


Medical Communications, Inc
Centro de Esterilização
Hospital Universitário-USP

Hoje em dia todo o material cirúrgico é esterilizado


em autoclaves, através do vapor sob alta pressão.
PARÂMETROS FISIOLÓGICOS
Centro Cirúrgico
Hospital Universitário-USP

O entendimento do trauma cirúrgico e suas alterações


fisiológicas,conceito relativamente recente, transportou
a cirurgia da arte à ciência. As salas de operações são
equipadas dentro do que preceitua a monitorização dos
parâmetros fisiológicos do paciente.
O TRANSPORTE
Museu W.H.Over-1876
Vermillion, Dakota do Sul

O rápido transporte do paciente revolucionou o


prognóstico cirúrgico. O transporte com animais do
final do século ...
...sofreu significativo
avanço nos grandes
centros urbanos.
Eram as primeiras
ambulâncias, hoje
convertidas em
verdadeiras Unidades
de Tratamento
Intensivo móveis.

Serviço de Ambulância de Nova Iorque


Harper’s Weekly, 24 de maio de 1884
Biblioteca Nacional de Medicina, Betesda
O cirurgião transforma as
manobras fundamentais-
diérese, hemostasia e síntese-
em cirurgias complexas...
ESPLENECTOMIA

...cujo objetivo final é o bem estar do indivíduo.


O cirurgião traz
consigo muito
conhecimento “
embarcado “.
Deve conhecer
profundamente
seu ofício, ser
atento e colocar
o interesse do
paciente em
primeiro lugar.
Não deve haver
lugar para
autopromoções,
em detrimento do
doente.
Boa Noite...